quarta-feira, 7 de junho de 2017

A arte coral e sua função social


Observatório Coral Carioca segue, até julho, com programação de oficinas, palestras, artigos e apresentações, no Centro de Artes Calouste Gulbenkian e Teatro Gonzaguinha, reforçando a importância do canto coral na musicalização, socialização e educação para a cidadania

Um número surpreendente de profissionais e simpatizantes da música coral vem participando da programação do Observatório Coral Carioca, desde março, no Centro de Artes Calouste Gulbenkian e no Teatro Gonzaguinha. Com patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura e através do empenho dos coordenadores e maestros Sérgio Sansão, Jonas Hammar e Carlos Alberto Figueiredo, o projeto vem reforçando, a cada edição, que, democrático e inclusivo em sua essência, o canto coral pode ser vivenciado por pessoas de todas as faixas etárias, diferentes níveis de conhecimento musical, pessoas experientes, ou sem qualquer experiência em música.


É o que tem acontecido nas palestras e oficinas gratuitas, ministradas por regentes e docentes do mais alto calibre, como Paulo Malaguti Pauleira, Deco Fiori, Augusto Ordine, Danilo Frederico, Denize Vieira, Reynaldom Puebla e o próprio Carlos Alberto Figueiredo, um dos coordenadores do projeto. Neste próximo sábado, 10 de junho, das 9:30h às 16h, será a vez de André Protasio, que apresentará a oficina de Arranjo Coral. Para reforçar ainda mais o caráter multigeracional, será lançado o artigo “Por um coro infantil onde todas as crianças possam ser trabalhadas e integradas”, escrito por Maria José Chevitarese. Às 17h, sobe ao palco do Teatro Gonzaguinha, o grupo Subversos, com entrada a R$1,00. Desde o início do projeto, já se apresentaram os grupos Dá o Tom, Associação de Canto Coral, Bebossa Kids, São Vicente a Cappella, Pop Coro, Coral do Cepel.
No dia 24 de junho, sábado, o projeto retoma a programação com a oficina “Composições originais para Canto Coral”, ministrada por Lincoln Andrade, que também assina o artigo “Repertório coral brasileiro dos séculos XX e XXI”, a ser lançado às 17h, para, logo em seguida, ter a apresentação do grupo Equale. 
Através do lançamento do site observatoriocoral.art.br, diversos grupos e coros de todo o país se inscreveram, que, até então, encontravam-se pouco articulados entre si, tanto no âmbito municipal, quanto em uma perspectiva nacional, ou internacional. Neste aspecto, o projeto vem ao encontro do objetivo de aproximar a comunidade coral, em prol de seu maior desenvolvimento, qualificação e projeção artística.




Serviço: 
Oficinas e palestras das 9h30 às 16 horas
Lançamentos dos Artigos às 17 horas
Concertos às 17 horas, com ingressos a R$1,00
Centro de Artes Calouste Gulbenkian e Teatro Municipal Gonzaguinha

Rua Benedicto Hipólito, nº 125, Praça XI, Centro
Informações: (21) 2224-3038


10/06 - sábado – Oficina “Arranjo Coral”, com André Protasio – das 9:30h às 16h. Lançamento do artigo “Por um coro infantil onde todas as crianças possam ser trabalhadas e integradas”, por Maria José Chevitarese – às 17h. Concerto do grupo SUBVERSOS – às 17h

24/06 – sábado - Oficina “Composições Originais para Canto Coral”, com Lincoln Andrade – das 9:30h às 16h. Lançamento do artigo “Repertório coral brasileiro dos séculos XX e XXI””, por Lincoln Andrade – às 17h. Concerto do grupo EQUALE – às 17h
Share this article

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top