segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Murilo Desimone

O CCSP recebe na sexta-feira, 1 de março, o show de Rashid em sua #CriseTour, iniciada há mais de um ano após o lançamento do álbum CRISE. No repertório, o rapper mostra composições desse trabalho, como “Bilhete 2.0”, “Sem Sorte” e “Estereótipo”, e os novos singles “Interior” e “Não É Desenho”; antigas como “Ruaterapia” e “Gratidão” também constam no setlist.

Mais uma vez, o artista mostra a força de seu “rap de arena” - título sugerido pelo blog O Inimigo depois da apresentação no festival DoSol, em Natal, em novembro -, indo das rimas românticas às mais incisivas e políticas sem tornar-se raso. No formato com banda, o show ganha ainda mais intensidade, além de garantir novidades e surpresas nos arranjos ao vivo. A sonoridade de Rashid acompanhado de banda completa pode ser conferido no recente lançamento realizado pelo Selo Sesc, no início de fevereiro, com o álbum Sessões Selo Sesc #4: Rashid no Sesc Vila Mariana.

Enquanto trabalha no sucessor de CRISE, Rashid segue com agenda de shows e apresenta-se na Estância Alto da Serra, em 23 de março, e no Lollapalooza 2019, em 6 de abril. 



Serviço:

Rashid e Banda no CCSP

Sexta-feira, 1 de março

Centro Cultural São Paulo | Rua Vergueiro, 1000 | São Paulo - SP

Das 20h às 22h30

Ingressos: R$10 (meia) | R$20 (inteira)

À venda na bilheteria do CCSP ou online via Ingresso Rápido


Siga Rashid: Spotify | Instagram | Facebook | YouTube | Twitter

--

www.supernova.mus.br
Comunicação Musical | Produção Cultural
contato@supernova.mus.br
conteudo.supernova@gmail.com

O single "Primeiro Ato" é uma parceria realizada entre a Iniciativa Cultural Poetas Vivos, grupo Síganus e o poeta Bruno Negrão com o intuito de empoderar a periferia e exaltar a força da representatividade negra dentro do Hip-Hop gaúcho.

A produção musical foi realizada no estúdio GuetoAnonimato Records contando com o instrumental de Jay-Gueto. Produção audiovisual Afrovulto (Ímpeto nos Olhos.)

Assista:


Em breve em todas as plataformas.

É o terrorismo lírico resistindo. 

Redes sociais:

POETAS VIVOS
Instagram: @poetasvivxs 

SÍGANUS 
Instagram: @siganus_oficial 


JVCA


Com seu trabalho de estreia, uma mixtape com 5 faixas disponibilizadas nas plataformas digitais, JVCA, artista de Recife com 19 anos, vem apostando no trap dessa vez sendo cada track um estilo diferente de trap, chega com participações de Lucas Tato e Will Marques, com produções de Will Marques e TheKickBoy, mixado e masterizado por Will Marques e Lauro Alcantara.

JVCA vem com o conceito de, sabendo como é a rotina cansativa das pessoas ao seu redor, quis fazer músicas com intuito de fazê-las se divertir nem que seja por 13 minutos,

mas também serviu para provar pra si próprio uma evolução notória desde seus primeiros lançamentos em 2017.




Disponíveis no Spotify, Deezer, YouTube, SoundCloud e Itunes.

Com lançamentos de novas músicas marcadas para fevereiro ainda, esse ano JVCA, promete impressionar.


Da esquerda pra direita - Anarka, Sé e Issa

Em épocas de grande repressão, aumento de passagem e genocídio escancarado, Sé, Anarka e Issa Paz, se uniram para lançar o novo single "Manifesto Marginal Incendiário", lançado pelo selo ANTIFA LAB.

O som "MANIFESTO MARGINAL INCENDIÁRIO (MMI)" tem como foco expressar a revolta em rima que deveríamos ter contra o Estado que criminaliza, acusa, executa, e não garante a participação da população. Com viés anarquista, o som é um trap com uma pegada punk rock e trás de volta pro Hip Hop o sentimento de revide que é necessário.

Issa Paz é integrante do Rap Plus Size e canta RAP, Anarka integra Projeto Preto e é artista solo independente e criou o selo Antifa Lab para lançar suas produções e garantir visibilidade para outras artistas LGBTQIA. Tanto Issa, quanto Sé e Anarka, se identificam como pessoas não binárias.

Ouça:

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019



Esse é o primeiro clipe oficial do Grupo Curitibano “Comunhão“ denominado “Colina Verde”, o som foi idealizado no dia do aniversário do integrante Black Ninja no estúdio do Coletivo Coema, aonde os integrantes se reuniram para uma celebração e desenvolveram o som.

O clipe foi dirigido e finalizado pelo Joinvilense Alesson Mateus, que vem se destacando nos últimos meses pela crescente qualidade em seus trabalhos.

A ideia do clipe faz jus ao nome do som “Colina Verde”, trazendo a perspectiva de que sempre enfrentaremos dificuldades até chegar aos nossos objetivos, porém, não podemos desistir.

O som foi gravado e finalizado no Coletivo Coema, gravadora oficial do grupo, aonde quem ficou encarregado do beat,captação,mix e master foi o também integrante Rover.

Colina verde é aonde você quer chegar e o que você vai fazer para chegar até la,não deixe seu sonho esmorecer.

Assista:



Curta a página da Comunhão no Facebook: https://www.facebook.com/ComunhaoRap/

Se inscreva no canal do Coletivo Coema: https://www.youtube.com/channel/UCo15LTmq37Mz0doAXdhWJpg


quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019


O rapper angolano Freyd AP lança 2 singles promocionais de seu próximo EP "STLT Vol.1".

O primeiro single é o "6AM" que conta com produção do Tower X General D.

Ouça no Youtube ou baixe no Mediafire


O segundo single lançado foi Akanamali (Remix).

Ouça no Youtube ou baixe no Mediafre



Divulgação

Peça reestreou no Chile e volta a São Paulo em nova temporada

Homossexuais já nascem com sua sentença de morte anunciada, simplesmente por serem quem são. Com base neste conceito, o Coletivo Cultural Sankofa criou o espetáculo “Já nascemos mortos”, que faz temporada em São Paulo até dia 9 de março de 2019 em diversos espaços culturais da cidade, como Centro Cultural da Penha, Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes, Centro Cultural Santo Amaro, Centro Cultural Olido, Centro Cultural da Juventude e Casa de Cultura Vila Guilherme. Todas as apresentações são gratuitas.

O Coletivo Cultural Sankofa representou o Brasil no Entepach 24 vérsion, um encontro de teatro. Segundo Ellen de Paula, atriz do espetáculo, “é de extrema urgência denunciar a violência contra os corpos LGBTQI+ no Brasil e para fora do território nacional. A importância de participar desse encontro internacional é de dialogar com outras vozes, sobretudo da América Latina, como possibilidade de articulação política por meio da arte”. O espetáculo que estreou em 2016 traz para a cena a urgência de discutir a violência contra a população LGBTQI+ no Brasil. O Coletivo reestreia o espetáculo no Chile e retorna a Brasil com temporada e circulação gratuita na cidade de São Paulo, com apoio da Secretaria de Cultura, por meio do prêmio da 15ª edição do edital do Programa VAI.

Relatório mostra aumento da violência contra LGBTQI+ Relatório divulgado em 2018 pelo Grupo Gay da Bahia (GGB) registrou 445 homicídios contra homossexuais no ano de 2017. O número aumentou 30% em relação ao ano anterior, que teve 343 casos. Segundo o levantamento, 2017 foi o ano com o maior número de assassinatos desde quando a pesquisa passou a ser realizada. Com direção e concepção de Anderson Maciel, “Já nascemos mortos” apresenta coreografias e textos com a intenção de apresentar corpos sentenciados e conduzem o público à comoção e cumplicidade com essas mortes.

Nesta perspectiva, a institucionalização da homofobia é legitimada diariamente pela família, escola e Estado. “Quando nos calamos para o apedrejamento, para o gatilho puxado, para a paulada, escolhemos um lado mesmo que não seja feito pelas nossas mãos”, dispara Anderson Maciel, que, para chegar ao resultado deste espetáculo baseou-se em notícias de crimes homofóbicos e 20 depoimentos que deram voz a familiares de vítimas que puderam contar suas histórias de perda. Para estas entrevistas o Coletivo Sankofa ganhou o apoio do

grupo “Mães pela Igualdade”, que reúne mães de várias partes do Brasil que lutam contra a discriminação, violência e homofobia.

Coreografias desfilam situações de personagens reais

As coreografias e os textos têm a intenção de apresentar corpos sentenciados. Neste caso, tanto o texto como a dança propriamente dita, conduzem o público à comoção e cumplicidade com essas mortes. O grupo trabalhou dentro da estética da dramaturgia do movimento – a potência do corpo em cena – de uma forma que os textos não tenham peso explicativo. As entrevistas realizadas pelo coletivo transformaram-se em uma dramaturgia confessional, como a história de uma criança que teve o pescoço apertado pelo próprio pai que não o aceitava diante de uma frase-sentença: “Você vai aprende a ser homem! ”. “Já nascemos mortos” conta alguns destes casos que vão aos poucos misturando-se ou seguindo isoladas no percurso do espetáculo.

A cenografia foi pensada para que o público fique bem próximo dos atores-criadores: cadeiras serão distribuídas no palco para que as pessoas sejam parte integrante do espetáculo. No centro da cena, um caixão de criança, simbolizando a crueldade justificada, um símbolo do corpo julgado antes de suas escolhas. No ambiente cenográfico, um cheiro de dama da noite traz a experiência sensorial ao público.

“O espetáculo é uma possibilidade de se pensar sobre quem morre e quem mata, de que há uma grande violência se fortalecendo quando não impedimos uma piada homofóbica, quando não permitimos que o outro possa se expressar da sua forma. A peça também pode provocar uma pergunta: o que nos temos com isso?”, explica Anderson Maciel. O espetáculo nasceu a partir do projeto “Quem vai chorar por eles?”, que busca promover canais de abertura para se discutir a homofobia. Todas as ações propostas pelo projeto foram de certa forma para alimentar o processo de pesquisa e criação do espetáculo, como oficinas de teatro do oprimido e teatro documentário; uma série de roda de conversa com convidados sobre criminalização da homofobia, homossexualidade e família, afrohomossexualidade e exibições de filmes seguidos de bate papo.

Ficha Técnica

Concepção e Direção: Anderson Maciel Intérpretes Criadores: Augusto de Sousa, Ellen de Paula, Jonas Bueno, Rodrigo Mar e Tata Ribeiro Textos: O Coletivo Figurinos e Cenografia: Marcia Novais e Sissa de Oliveira Trilha Sonora: Uelinton Seixas Desenho de Luz: Betto Severo

Duração: 60 minutos Classificação Indicativa: 16 anos

TEMPORADA 2019

Centro Cultural da Penha - Largo do Rosário, 20

Dias 14 (quinta), 15 (sexta), 16 (sábado) e 21 (quinta) de fevereiro, às 20h

Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes - R. Inácio Monteiro, 6900 - Conj. Hab. Sitio Conceicao

Dia 24 fevereiro, domingo, às 18h.

Centro Cultural Santo Amaro - Praça Dr. Francisco Ferreira Lopes, 434 - Santo Amaro

Dia 28 de fevereiro, quinta-feira, às 20h

Centro Cultural Olido - Av. São João - Centro, São Paulo

Dia 07 de março, quinta-feira, às 20h

CCJ - Centro Cultural da Juventude - Av. Dep. Emílio Carlos, 3641 - Vila dos Andradas

Dia 08 de março, sexta-feira, às 20h

Casa de Cultura Vila Guilherme , Casarão - Praça Oscár da Silva, 110 - Vila Guilherme

Dia 09 de março, sábado, às 20h.

CONTEÚDO PRODUZIDO POR 7 FRONTEIRAS

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019


A dupla Load e W.Luod estão de volta com segunda parte da série "Rap em Quadrinhos".

A primeira edição a principio ia contar com 10 personagens, mas fez tanto sucesso que terminou com 20 personagens. Esta série basicamente consiste num "crossover" entre o artista e o herói.

Não sabemos quantos personagens vão ser nesta segunda parte, mas já começaram a soltar as artes.

O primeiro rapper a ser homenageado foi o RAEL como o Bishop, Heroi da Marvel, o segundo rapper a ser homenageado foi o Dexter, como Spawn, o terceiro, alias, a terceira é a Mc Sharylaine, que foi retratada como Capitã Marvel, o quarto foi o Rashid como Punho de Ferro.
O quinto mc a ser retratado foi o Parteum como Surfista Prateado.



Palavras do Load:

Na homenagem de hoje eu e o W.loud fizemos o parteu, colocamos ele de surfista prateado, pensamos em pegar mais o lado filosófico do Fábio e brincar com o lance do skate que sempre esteve presente, parteum tem letras muito maravilhosas e que trazem ótimas reflexões sobre muitos temas assim como as histórias do surfista!!


Sobre o Surfista Prateado:

Surfista Prateado (em inglês: Silver Surfer) é um super-herói das histórias em quadrinhos norte-americanas da Marvel Comics. Teve sua primeira aparição como vilão na revista Fantastic Four #48, em 1966. Foi criado por Stan Lee e Jack Kirby. Tornou-se um dos heróis mais importantes do Universo Marvel.

O Surfista Prateado surgiu pela primeira vez no arco de histórias em quadrinhos do Quarteto Fantástico conhecido como "A Trilogia de Galactus", que estava sendo preparado para comemorar a 50ª edição da revista Fantastic Four. Como de costume, Stan Lee escreveu o argumento e passou para Jack Kirby. Nesse primeiro momento, não havia qualquer menção ao personagem. Quando Kirby apresentou os desenhos para que Lee colocasse os diálogos e demais finalizações, o autor notou que havia sido incluída a figura de um ser que voava em uma prancha de surfe. Kirby justificou o personagem alegando que um ser tão poderoso como Galactus deveria ter um arauto. E perguntado sobre o porquê de uma prancha, o artista afirmou estar cansado de desenhar naves espaciais. Lee de imediato gostou da ideia, e acabou por achar que o desenho do personagem o dava uma postura nobre, passando a desenvolvê-lo nesse sentido. O Surfista apareceu em outras histórias do Quarteto, chamando a atenção de Alicia Masters, a namorada cega do Coisa. Depois enfrentaria o Doutor Destino e participaria de uma aventura do Hulk, até que Lee resolvesse lançar uma revista tendo ele como o herói principal.


A Sound Food Gang apresenta no próximo sábado, 16 de fevereiro, o show de lançamento da Mixtape ChozyBaby do artista Chinv. O evento acontecerá no Bar do Haules em Jundiaí a partir das 19h. No line up estão os membros do coletivo Sound Food Gang Mano Will, que se destacou ano passado com o lançamento do Saudosa Maloca Sombria e Dj Buck e os convidados o Dj All, Crimenow e Dj Rasoul.

Chinv que teve sua mixtape lançada oficialmente no Youtube no dia 7 de fevereiro tem como mensagem principal a questão da ‘Qualidade de Vida’, conquistar sonhos e metas sem se corromper, misturado com todo o universo que cerca Chinv, mais ou menos como na "OkaneRichtape", mas com a perspectiva de conteúdo e a musicalidade bem diferentes, idéias mais concretas e que não se viam presentes antes, como algumas crenças, convicções e auto-afirmações de libertação que fizeram parte da evolução do artista depois da primeira obra.

"ChozyBaby" é uma palavra derivada da mistura de Cozy + Chinv (Chozy) com Baby, que ao pé da letra significa "Bebê Fofo" ou "Bebê Aconchegante", e segundo o próprio artista, é uma espécie de alterego que representa a pureza da sua essência e dos seus desejos mais sinceros misturados com a astúcia e esperteza que adquiriu durante sua vida até aqui. O alter ego "ChozyBaby" veio a tona após Chinv entrar definitivamente no mercado da música e lançar sua primeira mixtape (OkaneRichtape), quando o mesmo percebeu que ali seria possível conquistar suas metas, mas que também seria algo difícil e perigoso, que se faz necessário resgatar essa "essência" de criança para não se perder no caminho, e ao mesmo tempo exige uma certa malícia e inteligência para sobreviver e crescer.

Porém, Chinv apenas resolveu adotar esse "alter ego" que compunha o álbum, com o nome que na verdade foi dado pelos seus amigos, talvez por mera coincidência ou devida sincronia, de notar essas características no seu jeito de ser.
Ouça:





Além do Chinv, o coletivo vem se destacando na cena do rap nacional com nomes como niLL e Yung Buda. Cada integrante possui uma personalidade notável que lhes dão a liberdade de escrever letras sobre suas vivências.


Serviço

Lançamento MixTape ChozyBaby do Chinv

Local: Bar do Haules - R. Eng. Monlevade, 702 - Centro, Jundiaí

Dia e Horário: 16 de fevereiro às 19h

Entrada: R$ 7

Contato: soundfoodgang@gmail.com

CONTEÚDO PRODUZIDO POR MARIANA PAULINO


Don Biel e Kasimcantam um acústico romântico para o cenário de Lauro de Freitas

Amor, conquista e sensualidade são temas que perpassam todos os estilos musicais e com o rap não seria diferente. E são essas temáticas que o rapper Kassin e Don Biel trazem em ‘Como não querer’, primeira faixa do projeto DV SESSIONS, lançada no dia (04.02), que leva a produção da DVREC.

Referências do cotidiano e experiências de relacionamentos passados foram à ponte para Kasim e Don Biel escreverem a faixa. Eles contam que tudo começou quando, ao som de um beat de trap, Zidane começou a fazer um freestyle e assim, cada um foi tendo ideia do que escrever e o resultado foram 5 minutos uma “Boa Musica”, como caracteriza Don Biel.

ASSISTA:


O clipe conta as imagens de Daniel Pujol, edição/mixagem/masterização por conta de Zidane/DVREC e os sons da guitarra e do baixo foram feitos por Kikito José.

O que é o projeto?

DV Sessions é um projeto mensal, idealizado por Zidane - fundador da DVREC-,para promover o intercâmbio entre artistas da região metropolitana do r&b e do rap. O crescimento do estilo de produção acústica e a avaliação positiva do público, fez com que o produtor tirasse do papel a vontade de realizar esse tipo de conteúdo.

Conheça um pouco Kasim e Don Biel

Residente da cidade de Lauro de Freitas (região metropolitana de Salvador), Jeferson Moreira Soares, também conhecido no mundo do Rap como ‘Kasim Nubeat’, atua como rapper e beatmaker. Em 2012 gravou seu primeiro single lovesong ‘Mina Linda’, no Studio da DVREC onde vem ao longo de 7 anos desenvolvendo seu trabalho como musico.

Em 2013 fez participação no EP ‘Essência Metropolitana’ do grupo de RAP Distorção Verbal com a música ‘Canto’. Foi organizador e executou em conjunto com Mc Zidane o primeiro evento de Hip-hop no bairro do Capelão (projeto denominado Tour LF). Em 2014 deu início aos trabalhos como beatmaker e no mês de Março lançou o Single ‘Ela’ (Remix da música Ela Une Todas as Coisas - Jorge Vercilo) produzido por ele e com participação de Mc Zidane. Atualmente trabalha como organizador da Batalha do Índio na Praça Martiniano Maia– Lauro de Freitas, onde acontece batalha de rima improvisada todas as quintas-feiras à noite.

Gabriel Matos Da Silva Natividade, mais conhecido como Don Biel, também residente de Lauro de Freitas tem relação com a musica desde os 11 anos, quando começou a compor, masfalta de uma pessoa para interpreta-las o levou a começar a cantar. Logo após formou um grupo de Rap chamando-Fábrica de Flow-, mas as divergências do processo o fez seguir carreiro solo. Temos depois as obrigações da vida o afastaram da musica, mas como quem ama nunca desiste, ele voltou aos trabalhos musicais. Se denomina um cantor do ritmo r&b, mas tem uma ligação muito forte como rap por ser um ritmo que faz parte das suas raízes.

CONTEÚDO PRODUZIDO POR HILLARY MARCELE
FOTO: HANA LIDIA

"Underground Life" é o segundo videoclipe de Alienação Afrofuturista que dá continuidade a saga de lançamentos dos seu primeiro disco oficial, WAMBUA, lançado no último trimestre de 2018.

A música, produzida por Cabes, é uma homenagem ao que é desconhecido pela grande mídia e cultuada pelos apreciadores da arte contemporânea, uma mistura minimalista de nostalgia com futurismo, muito presente nas obras do artista. 


O vídeo dirigido por Leonardo Beijo, traz referências do imaginário de Alienação Afrofuturista dos anos 90 com texturas VHS e suas interferências, trazendo uma experiência visual quase alucinógena, bem ao estilo "underground". Lançamento do selo Awma Music.

Assista:




Ouça também o disco completo WAMBUA: http://bit.ly/wambua

Siga Alienação Afrofuturista: http://instagram.com/alienacaoafrofuturista

CONTEÚDO PRODUZIDO POR RICARDO PIRES/CABES

O som conta com a presença de dois monstro da cena independente paulistana, CZAR e Coléo Infantaria. O som tem produção de Gambia Records, Dj Robertinho e masterização do DJ TG Música.
Em breve o som vai está disponível em todas as plataformas digitais.

Por enquanto você ouve no Soundcload e no Youtube.

Ouça:


A cantora paulista lança esta semana uma versão exclusiva do single Zona Sul 89. A música original foi lançada em 2017 e esta nova versão chega atual e trazendo good vibes este ano na carreira da artista da Boogie Naipe. 

O vídeo é uma produção da ONERPM Studios e estará no Youtube da distribuidora digital nesta quarta.
O single composto por Alt Niss também estará no streaming a partir desta sexta-feira 15 de fevereiro. 
Em breve sairá um segundo vídeo com a faixa NÃO VOU ME PREOCUPAR.

ASSISTA:


NOVOS TRABALHOS

Alt Niss planeja lançar neste primeiro semestre seu EP de estreia pela produtora Boogie Naipe, que já administra a carreira de Mano Brown e do Racionais MC's. Será um trabalho autoral e contará com os singles já lançados em 2018. 
Aguardem boas novidades chegando!

CONTEÚDO PRODUZIDO PELA BOOGIE NAIPE

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019


CASA DE DANÇA, ARTE E CULTURA ON HOUSE DE ITANHAÉM INVESTE EM QUALIFICAÇÃO DE DANÇARINOS DO LITORAL 
B-BOY LEONY DA RED BULL BC ONE, DJ DOG E ZOIO DA DYNAMIC BREAKERS FORAM PALESTRANTES EM WORKSHOP

No último sábado (9), a cidade de Itanhaém, que fica no litoral de São Paulo, recebeu diversos dançarinos de outras localidades como Santos, Guarujá, Juquitiba, Praia Grande, Cubatão e Peruíbe. O motivo foi um Workshop de Danças Urbanas organizado pela Casa de Dança, Arte e Cultura On House, que teve o objetivo de qualificar e preparar ainda mais os dançarinos do litoral da cidade de São Paulo. Um dos palestrantes foi o tricampeão da competição nacional da Red Bull Bc One, Leony, da Amazon Crew. O paraense de Belém, tratado pelo mundo da dança como um veterano com apenas 24 anos de idade, fato que se dá pelo nível de dança que tem e por já ter dançado com os melhores do mundo. Ele falou sobre a importância de desenvolver, limpar, colocar identidade e valorizar sessions. Durante a noite, dançarinos puderam repensar seus movimentos aplicando o que aprenderam. Para Leony, a ideia do workshop era causar um clima de reflexão, tirando os dançarinos do conforto, os fazendo pensar e criar mais em cima dos seus movimentos. Fugindo do óbvio! Falou de drops, ápice e finalização de sessions. 

Outro workshop foi com o dançarino Zoio, da Cidade de Santos, da conhecida crew Dynamic Breakers. Ele fez todos os dançarinos suarem a camisa, com muito swing e num clima muito animado, trabalhou parte de coreografia e musicalidade, quem passava pela famosa Rua João Batista Leal, no Centro de Itanhaém, parava para assistir e, embalados pela música, alguns até entraram na dança! Vizinhos de suas sacadas filmavam os dançarinos!
A parte musical foi toda comandada pelo veterano DJ Dog, também de Santos, do Dynamic Breakers. Ele declarou: "Foi sensacional! A energia das pessoas estava muito boa!".

De Peruíbe, o B-Boy Zeca Break falou: "Parabéns pela galera que estava na On House, energia positiva, muito bom mesmo! Hoje sinto um renovo da minha dança! Isso é bom! Há muitos anos não vejo workshop desse nível no litoral. Todos de parabéns, vai agregar muito para a Baixada Santista!". 

Para Irani, que é moradora de Itanhaém e apenas passava pelo local: "Foi um verdadeiro encontro de amor à dança!", ela disse: "Era possível ver crianças, jovens e adultos dançando! Lindo de se ver!", complementou: "Me senti bem, parei, sentei e fiquei até o final! São boas iniciativas como essa dessa academia que trazem crescimento para nossa cidade, pois não existe apoio da Prefeitura e o que eles oferecem é precário e longe do ideal", concluiu.

Para os organizadores do evento e mantenedores da On House, o Workshop começa o ano fazendo parte de uma série de iniciativas culturais, que tem como foco qualificar os artistas do litoral! São deles as palavras: "Dançarinos e artistas devem ser preparados para ganhar o mundo e não para ficarem estagnados dentro de cidades! Nadar num aquário é fácil, mas o mar é dominado pelos grandes peixes. E para crescer é fundamental qualificar! Temos muitos talentos no litoral que precisam ser trabalhados da forma correta, com tempo, responsabilidade e principalmente mostrando a realidade do mercado nacional e internacional. Esse é o nosso objetivo! Ficamos felizes com o resultado do workshop. Leony, sem dúvida, é uma referência! Um dos maiores nomes de sua geração e passou muito conhecimento para quem estava presente no evento. O Zoio, com toda sua experiência, que não é pouca, colocou todos para dançar dando o seu melhor e o Dog criou toda a cena com músicas perfeitas! Enfim, tudo deu certo e todos gostaram! Logo teremos bis!", finalizam.

CONTEÚDO PRODUZIDO POR "ON HOUSE"

Follow Us