segunda-feira, 24 de junho de 2019

O duo Zero83 RAP lança primeiro EP - "Antes do Disco"


Antes do Disco marca a estreia oficial de Paulin e Imigrante (Zero Oito Três) no mercado musical. Os irmãos nascidos em Cajazeiras, interior da Paraíba começaram a soltar suas rimas em 2014, quando passaram a relatar a realidade dos jovens da periferia. Influenciados pela cultura nordestina e pela vivência em tempos difíceis também em São Paulo, mais precisamente na comunidade de Heliópolis, apresentam 7 faixas que compõe a EP intitulada "Antes do Disco", em uma alusão ao próximo lançamento que será o álbum Pé no Chão e Fé no Passo, já em processo de produção.


Começando com uma introdução em homenagem a Dona Nadir, mãe dos MCs, a EP mostra toda a identidade e muito das influencias dos rappers. A faixa Carreira foi uma das primeiras músicas escritas pelo Zero Oito Três, “Falamos sobre a carreira do rap ou do crime, escolhas que fazemos e sobre o que nos faz escolher os caminhos”. O Crime chega com um cordel remetendo lembranças da infância: “Passei parte da minha infância morando em um sítio em Cajazeiras-PB, e lá convivia com meu Avô que sempre estava lendo um cordel no final das tardes, depois que chegava da roça, então fiquei fascinado com a poesia contida naqueles pequenos livrinhos, entãocomecei a ler e colecionar durante toda minha vida. Na faixa 03 “O crime” resolvemos gravar e então adicionar a esta EP e nele eu falo sobre o Crime de várias formas e como ele pode ter suas vertentes e como o jovem tem ali na porta de casa te convidando todos os dias“. Explica Imigrante. Já Fora da Caixa, chegou como prévia do EP, foi lançada no final do ano passado e não aborda apenas um tema, é sobre pensar diferente do convencional: “Cantamos também um assunto que gera desconforto em alguns rappers, de repente por não entender a real intenção da letra, acreditamos que o maior sermão é o exemplo, é nisso que acreditamos, Fora da Caixa é Mudança... ” Mundano discorre sobre indiferenças sociais e imposições do sistema: “Uma mínima porcentagem de pessoas controlam todo o mundo, somos 7 bilhões de pessoas. Como que eles conseguem nos controlar e impedir que tomamos deles e dividimos entre nós toda essa riqueza? Eles nos dividem por classes, com isso temos a ilusão de que estamos ou de que temos a chance de chegar no nível deles, e como é feita essa divisão? Com o poder de compra! E o poder de compra é um perigo para nós e para o meio ambiente. E nesta faixa falamos sobre isso, dividido ficamos mais fracos e eles mais ricos”. Além de Rima e Poesia é resumo, na voz de Paulin, a faixa é crua e nua, realidade da vida. Fechando a EP Azilado tem produção musical de Kid Jay Beats e fala sobre o termo usado na Paraíba para ofender quem o xingador ache desocupado: “A palavra " AZILADO " é usada aqui no Sertão da Paraíba para intitular e diminuir você a desocupado e Drogado como por exemplo, Vagabundo, Marginal etc. usamos a palavra de uma forma 100% irônica, por trabalharmos desde a infância, não ter envolvimento no crime e mesmo assim somos taxados de Azilados apenas pela nossa cultura e estilo de vida. " explica Paulin.

Ouça:


Ouça o EP completo no Youtube

Nenhum comentário:

Postar um comentário