domingo, 2 de junho de 2019

Olhos que Condenam: Minissérie sobre jovens negros que tiveram suas prisões forjadas pela policia



Na Sexta- feira (31/05) estreou a série "Olhos que Condenam", no serviço de streaming Netflix. Nesta minissérie de 4 episódios, mostra como a justiça estadunidense pode ser racista. A história mostra um dos episódios mais vergonhosos do Poder Judiciário daquele país, o caso ficou conhecido como: "Os Cinco do Central Park”. 
Quem dirigir o drama é a Ava DuVernay, diretora de filmes de cunho social/racial como Selma, indicado ao Oscar de Melhor filmes. 

Olhos que condenam conta a história de cinco garotos que foram acusados de abuso sexual contra uma mulher branca de classe média em pleno Central Park, em Nova York. Os 4 jovens negros e um latino foram publicamente acusados sem nenhum julgamento formal, tanto pela imprensa, quanto pelas forças que deveriam protegê-los de injustiças - no caso, o Poder Judiciário. 

Donald Trump, que na época era uma celebridade por conta de seus negócios milionários, se manifestou a favor da prisão dos jovens. O atual presidente, na época pediu a volta da pena de morte com anúncios nos principais jornais da cidade. 


A minissérie é estrelada por Felicity Huffman, que interpreta a procuradora nova-iorquina que ajuda a moer a reputação dos cinco adolescentes em busca de holofotes e reconhecimento como “justiceira”. Vera Farmiga, Oprah Winfrey e Robert De Niro também participam da produção, que choca por mostrar com crueza o tamanho da injustiça cometida contra os jovens negros e latinos. 


Como é um caso real, o que vem abaixo não é um spoiler. 


Antron McCray, Kevin Richardson, Raymond Santana, Yusef Salaam e Kharey Wise - todos os cinco eram adolescentes na época em que foram presos. 

Em nenhum momento foram achadas provas que ligassem o crime aos garotos. Foram presos por confissões forjadas. O principal indício contra eles eram confissões gravadas em vídeo, que os garotos dizem terem sidos coagidos a fazer. 

Na noite que acontece o ataque, em 19 de abril de 1989, vários jovens negros e latinos vagavam pelo Central Park. Muitos deles estavam ameaçando ciclistas e corredores, conhecido como “Zoação". 

A vítima, era funcionária de um banco de investimentos, e foi abandonada em uma poça de sangue. Após acordar de um coma, alegou não ter memórias do episódio. Tal fato impossibilitou a identificação de suspeitos. 
Porém o verdadeiro autor do crime apareceu. Matias Reyes, de 31 anos, confessou ter estuprado quatro mulheres e matado uma delas. Após amostras de DNA, foi constatado que Reyes era o verdadeiro autor do crime. Assim, em 2002, os meninos acabaram inocentados e libertados após 13 anos na cadeia.


Logo depois de libertos, processaram a cidade de Nova Iorque em 250 mil dólares, pela atuação da polícia e da justiça que os levou à detenção. Em 2014 ficou decretado que eles receberiam 1 milhão de dólares por cada ano que ficaram presos. Entretanto, até hoje nenhum deles foi indenizado 

O conteúdo sobre o caso real usa como fonte o artigo escrito por Anderson Narciso do site Mix de Séries.

Assista ao trailer:

Nenhum comentário:

Postar um comentário