terça-feira, 30 de julho de 2019

Allan Abbadia faz show de lançamento do seu primeiro disco no Sesc Pompéia

Foto: Osmar Moura


Allan Abbadia faz show de lançamento do seu primeiro disco no Sesc Pompéia

"Malungos" é a desmistificação do branqueamento da música negra no Brasil com samba, choro, baião e outras vertentes

"Quando eu pousei aqui
Você nem viu meu sal
Quando eu aqui pousei
Já vim doente do mar
Quando me entulhou aqui
Amargo fim
Recomecei
Pra esse chão me decifrar"

- Trecho da canção Valongo, de Allan Abbadia e Allan da Rosa

Canções que foram feitas para se tornarem trilhas sonoras da vida. Assim é "Malungos", o primeiro disco instrumental de Allan Abbadia, que narra a pluralidade da música negra no país e carrega a essência da ancestralidade de um povo. Com show de lançamento marcado para às 21h do dia 08 de agosto, no Sesc Pompéia, o público poderá vivenciar acordes de resistência e uma imersão da música negra brasileira.

As matrizes musicais utilizadas no show "Malungos", registram a resistência, a beleza e a força da cultura negra em busca de sua preservação.

Para além de resistir, Allan Abbadia traz a sonoridade contemporânea dos 13 anos de carreira, e conta com a potencia dos convidados Alexandre Ribeiro e Moacyr Luz além da versatilidade dos músicos Raphael Moreira, Tiganá Macedo e Xeina Barros na percussão; Nicolo de Caro na bateria; Deni Domenino no violão; Marcelo Martins no cavaco e Carlinhos Noronha no baixo.

Pensado em como contar musicalmente sobre o passado para então assim poder olhar para o futuro, o disco foi gravado em 2017 na Red Bull Studios e possui nove faixas, cada uma carregada e marcada pela sua história - Choro pro Moura; Madrugada; Deixa; De Itaquera a Madalena; Bico de Sinuca; Do Baião aos Malês; Pretos Novos; Cais do Valongo; Lamentos do Valongo.

"Eu queria muito homenagear a história dos meus antepassados, meu avô, a minha trisavó que foi escrava. Dentro do que vivemos e vivenciamos todos os dias, entendia que também precisava dar a minha contribuição, mesmo que fosse uma parcela pequena, desta tal reparação histórica. E assim nasceu o disco, um pouco de mim, da minha arte, para as pessoas, para a sociedade, pro mundo", contou Allan Abbadia. 

Pensado em como contar sobre a sua ancestralidade, Malungos - na gíria falada dos negros escravizados significa companheiros - é a desmistificação do branqueamento da música negra no Brasil com samba, choro, baião e outras vertentes.

Além de ser um disco instrumental, toda a sua arte gráfica foi inspirada em questões políticas e socioculturais, manifestadas através de obras de arte, como por exemplo, o quadro Operários, da Tarsila do Amaral e do quadro Navio Negreiro, do Di Cavalcanti.

Allan Abbadia - Músico trombonista, compositor e arranjador paulista. Fruto de políticas públicas culturais, aos 14 anos ingressou no Projeto Guri (Organização Social de Cultura), já tocando trombone, onde permaneceu quatro anos. Logo depois foi para a ULM (Universidade Livre de Música do Governo do Estado de São Paulo), onde pode aperfeiçoar seus conhecimentos musicais. 

Hoje, Bacharel em Trombone pela Faculdade Souza Lima Berklee, Allan Abbaddia vem acompanhando grandes nomes da música brasileira, como: Toni Tornado, Dona Ivone Lara, Luiz Melodia, Elza Soares, Mano Brown, Jards Macalé, Moacyr Luz e muitos outros.

A sua vivência musical também tem proporcionado que seu conhecimento seja compartilhado, através das oficinas quem vem realizando no Brasil e em países da Europa ( França, Inglaterra e Alemanha).

SERVIÇO:

Allan Abbadia

Dia 08 de agosto de 2019, quinta-feira, 21h30

Comedoria

*A capacidade do espaço é de 800 pessoas. Assentos limitados. A compra do ingresso não garante a reserva de assentos. Abertura da casa com 90 minutos de antecedência ao início do show.

Ingressos: R$6 (credencial plena/trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes), R$10 (pessoas com +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$20 (inteira).

Venda online a partir de 30 de agosto, terça-feira, às 12h.

Venda presencial nas unidades do Sesc SP a partir de 31 de agosto quarta-feira, às 17h30.

Classificação indicativa: 18 anos.

Sesc Pompeia – Rua Clélia, 93.

Não temos estacionamento. Para informações sobre outras programações, acesse o portal: sescsp.org.br/pompeia

Nos acompanhe!




Conteúdo produzido por Media Pente Fino

Nenhum comentário:

Postar um comentário