terça-feira, 24 de setembro de 2019

Rapper Lukas Kintê lança Mixtape “Esse Ano Eu Não Morro”


O trabalho do rapper Lukas Kintê já causa impacto na capa. Com projeto gráfico feito pelo artista plástico Emerson Dias, o design da mixtape é carregado de autenticidade e traz elementos da sua trajetória, ancestralidade e espiritualidade. A primeira sensação que se tem quando vemos a capa é: “Nossa! Que imagem forte é essa!”. E esta sensação se prolonga pelas primeiras três faixas do disco até se diluir nas outras faixas que falam de amor, amizade e vitória.

A mix contém 9 faixas com beats variados. Kintê trouxe diferentes produtores que, em cada faixa, deram a sua cara para as rimas. Victor Haggar fechou a maiorias dos beats, Herick Soul que, segundo o rapper, "trouxe mais alma pro trabalho". Kalibre que deixou a sua marca com o “trapagodão”. Duq Ra que chegou com o beat chamado de "Drift", este mais balanceado e com o ritmo acelerado. E por fim, mas não menos importante, Formiga que levou o bom beat pesado noventista, que joga as músicas para cima.

Já as rimas vêm ácidas, com construções bem envolventes e potentes. Rimas que, por vezes, nos deixam extremamente alegres e outras, um tanto quanto, reflexivo, triste, entusiasmado ou destemido. Todos esses sentimentos, e outros, são encontrados nas 9 faixas que compõem o álbum. Kintê traz versos positivos, sentimento libertário em suas letras. Sendo denso e impactante, nunca esquecendo de transmitir a sensação de vitória para quem ouve. Nas músicas, ele cita casos reais, lugares reais. A mix é como um diário caótico de um homem negro periférico, tentando entrar no eixo certo de sua vida ameaçada por padrões destrutivos.

Lukas Kintê inova com rimas lúdicas e com flow forte e melodias memoráveis. A cadência das faixas causa aquele efeito de música que não sai da cabeça. Essa mixtape é recheada de hits que você facilmente ouviria ou dançaria em algum rolê, destacando-se as faixas Decanato de Leão, Eu te avisei e Barras, que foram grandes sacadas em que o Rapper misturou o Trap com o pagode baiano.

Destaco como um dos pontos altos da mixtape a faixa Trindade. Ela é um grito e tem força incrível. Uma faixa manifesto que abre o disco com a frase: “Vocês não vão me matar!” e que é acompanhada com o beat de Jazz e rimas. A mixtape é preenchida, não falta nada. Este é um trabalho que sintetiza histórias pessoais, indagações sociais, raiva e amor. É mais um trabalho entregue com primazia para os ouvintes de um bom Rap.


Escute a Mixtape "Esse Ano Eu Não Morro" no:



Nenhum comentário:

Postar um comentário