quinta-feira, 24 de outubro de 2019

Projetos de base comunitária recebem qualificação e mentoria gratuita



Curso oferece capacitação para empreendedores de favelas do Rio

Durante dois meses, 30 líderes comunitários de favelas cariocas aprenderão técnicas de precificação, gestão e comunicação para gerenciarem seus empreendimentos sociais e terem ferramentas para contornar as estatísticas que assolam o mercado. Negócio sustentável é uma iniciativa inédita criada para promover a sustentabilidade social, econômica e ambiental em regiões de baixa renda, através da cultura. 

A iniciativa visa potencializar o impacto sociocultural dos projetos de base comunitária. As aulas acontecem na UNISUAM, em Bonsucesso, Zona Norte, do Rio, e foram divididas em três módulos de dois meses, o primeiro começou em setembro e vai até novembro. Além das aulas, o projeto também promove mentorias para 21 projetos criativos locais, beneficiando, diretamente, mais 630 participantes.

O empreendedorismo é uma das formas usadas por 7,7 milhões de brasileiros, que são cadastrados como microempreendedores individuais no Portal do Empreendedor, mas, segundo dados do próprio portal, 80% acabam falindo antes de completarem cinco anos. As dificuldades em áreas como gestão e fluxo de caixa assustam aqueles que não estão preparados.

Nesse mesmo sentido, a crise econômica no Brasil agravou a situação de muitas organizações sociais do terceiro setor que, com a diminuição das doações, de acordo com o IBGE, 38 mil organizações sem fins lucrativos tiveram as suas ações encerradas em 2018.

O projeto conta com o patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e LAMSA, através da Lei Municipal de Incentivo a Cultura - Lei do ISS e com o Apoio do Instituto Invepar e da Unisuam. 

“Começamos ensinando artesanato e artes visuais, por diversos territórios do Rio de Janeiro, e percebemos que muitas pessoas têm o talento para essa área, mas esquecem a gestão, justamente por nunca terem recebido esse tipo de orientação. Começamos a perceber uma demanda específica desses treinamentos para acelerar os negócios sociais locais”, aponta Raquel Motta, coordenadora do projeto.

SOBRE O MUSIVA

Criado em 2004, como Movimento social, e constituído formalmente em 2010, como organização social, o Musiva nasceu dos sonhos do artista urbano Valmir Vale e da pedagoga Raquel Motta. Após 10 anos vivendo na Europa, Valmir retornou definitivamente ao Brasil, em 2007, para lutar pelos seus ideais de transformação social através da arte. Em 2010, o Musiva começou a desenvolver oficinas criativas para qualificar moradores de territórios populares e promover a economia criativa, a inclusão social e a geração de renda, através da cultura, arte e educação. A instituição tem como foco principal o desenvolvimento da arte, educação e cultura como possibilidade para o enfrentamento da exclusão social no país. Desde 2011, o Musiva estimula a formação de grupos produtivos, para que os mesmos se desenvolvam como redes de microempreendedores.
=
Para se inscrever nas próximas turmas, os interessados devem ficar atentos ao site: www.institutomusiva.org.br e as redes sociais do Instituto Musiva.

Facebook e Instagram @institutomusiva.

Conteúdo produzido por Agência IS

Nenhum comentário:

Postar um comentário