quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Dando voz para artistas pretxs, lançamos a coletânea 'A coisa tá preta!' - vol. 4

“A vida é igual um livro. Só depois de ter lido é que sabemos o que encerra. E nós quando estamos no fim da vida é que sabemos como a nossa vida decorreu. A minha, até aqui, tem sido preta. Preta é a minha pele. Preto é o lugar onde eu moro.”
– Carolina Maria de Jesus, em “Quarto de despejo”. São Paulo: Francisco Alves, 1960, p. 160.

Pra inspirar vocês a passar de peito erguido pelos "precisamos de 365 dias de consciência humana", apresentamos com muita honra e orgulho a capa da nossa coletânea!

O que é a coletânea A coisa tá preta! ??

Todo novembro (20/11) nós selecionamos algumas faixas que foram lançadas durante o ano pra comemorar a música preta independente, sem fins lucrativos, com o intuito de celebrar as músicas com temática negra, seja denúncia, dançante, lovesong, porque preto é tudo isso!

Toda coletânea tem uma capa especial, a primeira foi o logo do blog, a segunda uma pintura de Emory Douglas, a terceira a imagem de Carlos Alberto Caó, e esse ano, pra celebrar a resistência ao que o sistema propõe pra nós, trazemos Carolina Maria de Jesus.


Você sabe quem foi Carolina Maria de Jesus?

Carolina de Jesus conheceu o sucesso e o fracasso quase simultaneamente. Assim como viveu o cotidiano cruel da favela, conheceu artistas nas saídas dos teatros e acabou por se aproximar do jornalista Audálio Dantas, que, ao ler os diários daquela mulher negra e pobre, escritos nos mais diversos tipos de papel, reconheceu neles algum talento. Audálio Dantas orientou-a junto à editora Francisco Alves, acompanhou o contrato de edição e, em 1960, ela lançaria seu primeiro livro, Quarto de despejo, que vendeu dez mil exemplares em um mês. O sucesso de vendas representou sua saída da favela do Canindé e a hostilidade dos moradores daquela comunidade, que se sentiram expostos na obra então recém-lançada. Foi traduzido para 15 idiomas.


Não podemos deixar de nos aproximar à história de Carolina, driblando o que foi posto a ela, e fazendo o que ama.

Tracklist:
1. Tramando Ideia Rap - OQCÊQUERBOY (Prod. Vibox)
2. Torya - Acordei (Prod. Gibin)
3. Troglobio MC - Black Love (Prod. Sérgio Beat)
4. Shirley Casa Verde & Yzalú - Ovelha Negra (Prod. DJ TG Beats)
5. D.U.C.K - Zangbeto (Prod. Bilbo)
6. Thais Badu - Sou Preta (Prod. Dubalizer)
7. Thiago Elniño - Pretos Novos part. Projeto Preto (Prod. Scooby Beatz)
8. Amanda NegraSim - Preta Que Você Respeita (Prod. DJ Tony-Di)
9. Insano - A guerra que você não vê (Prod. Whell) 
10. Negra Jaque - Rap Novo (Prod. César, Arthur e Adriano)
11. Joker - Diss'perte (Prod. OGBeatzz)
12. Costinha (Ogã) feat. Marcão Baixada (Prod. Fabio QL)
13. Júlio Moura - Em Frente part. Márcio Brown [Remix] (Prod. DJ Will)
14. ZAS - Multa Até Malta (Part NegoIego)
15. Bem Fela - Arnaldo Tifu feat. Funk Buia (Prod. Nixon Silva )
16. Pach & PapitoBeats - Peles Pretas (Prod. Papitobeats)
17. Ukah Veó - Nosso Reinado (Prod. Nansy Silvvz)
18. Okzo - Vibe feat. Ally (Prod. Listenguzz)
19. Lage - Um Minuto e Tal - Part Melvin Santhana (Prod. Lage & Fabio Chapa)
20. Gabriel Shak - Carta Para Malcolm X (Prod. Jurrivh x Syndrome)


SOUNDCLOUD:

Ouça também no YOUTUBE

DOWNLOAD: MEDIAFIRE

PODER PARA O POVO PRETO - 4P

Nenhum comentário:

Postar um comentário