sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Yasiin Bey e Talib Kweli revelam detalhes sobre o novo álbum do Black Star




Por quase dois anos, os fãs de Hip-Hop ouviram rumores em torno de um segundo álbum do Black Star. Em fevereiro de 2018, Yasiin Bey (também conhecido como Mos Def) disse aos frequentadores de um show no Colorado que ele e Talib Kweli estavam gravando. “Novo álbum do Black Star com Madlib, Talib Kweli, Yasiin, em breve!”, disse o MC / cantor. Ele acrescentou: “Todo produzido por Madlib e Black Star.” Desde então, Kweli corroborou os rumores, proclamando recentemente que agora ele ouve regularmente o álbum ainda não lançado. 


2018 chegou e passou sem novas músicas da Black Star. No entanto, a dupla de Brooklyn, Nova York, comemorou o 20º aniversário do Mos Def & Talib Kweli Are Black Star com uma série de shows. Desde então, Yasiin lançou um novo álbum, Negus, que foi instalado como uma arte de museu. Além disso, ele trabalhou com Kanye West, Kid Cudi e Robert Glasper, e nos deu um gostinho no trabalho recente de Madlib, graças a Freddie Gibbs e "Education", de Otis, também apresentando o Black Thought. 

Em uma discussão no painel do Sole DXB moderada por Bobbito Garcia e relatada pelo The National, os dois MCs atualizaram os fãs sobre álbum, enquanto conversavam lado a lado. 

"Este novo álbum é ‘ridículo’, disse Bey aos fãs em Dubai. "E eu realmente não me importo se vocês não gostarem. Isso significa que gostamos de coisas diferentes, e tudo bem.” 

Kweli, que tem sido muito mais prolífico com o lançamento de músicas na última década, diz que sentiu pressão dos fãs. 
“As pessoas ficavam dizendo: 'Quando o próximo álbum será lançado', tanto que chegou a um ponto que, pessoalmente, eu me peguei perguntando também 'Quando é o próximo álbum?' Em todas as minhas conversas com Yasiin [Bey]. ” Ele diz sobre um período por volta de meados de 2010:“Eu tive que me controlar, porque não pode ser exatamente esse o nosso relacionamento.” 
Em uma visita à África do Sul a seu amigo, companheiro e ex-parceiro de negócios, Kweli abordou o tempo juntos puramente na humanidade. “Quando eu fui lá, fiz questão de não falar sobre música ou Black Star. Somos amigos há tanto tempo, e não me lembro de apenas de dividir o pão com Yasiin.” Essa energia focada na amizade teria persistido em toda a Europa nas semanas e meses que se seguiram. 

Kweli diz que as mudanças de seu parceiro de rima desde o final dos anos 90 têm um impacto em suas composições. “Como Yasiin está tão focado em garantir que o que dizemos com a música seja mais profundo do que apenas dar uma tapinha nas costas e estar conectado a uma verdadeira compaixão, haverá rimas que eu chutarei e ele dirá 'ehh ...' porque as rimas são muito vaidosas e muito sobre mim.” Depois de fazer algumas revisões, Talib reflete: “Agora sinto que o novo álbum é bom e realmente intensifiquei meu jogo. Não é que eu esteja sempre fazendo rap sobre essas coisas, mas ele me fez perceber que eu simplesmente não preciso.” 

Não muito diferente do álbum 'Watch the Throne' de JAY-Z e Kanye West de 2011, o segundo álbum do Black Star foi gravado em quartos de hotel usando a tecnologia de estúdio móvel. Barcelona, Copenhague, Paris e Amsterdã foram palco de algumas das sessões. Yasiin observa que, depois de três músicas terem sido feitas durante as sessões na Dinamarca, ele se sentiu confiante no momento da gravação. “Esse é o meu modelo para um álbum. As três primeiras músicas que você gravar serão a vibe de todo o disco. O que vier depois disso seguirá o tom daqueles três.

Fonte: Ambrosia For Heads

Nenhum comentário:

Postar um comentário