terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Baile Bambaataa acontece no dia 8 de fevereiro | Saiba onde!



O Baile Bambaataa não é festa apenas pela festa, é celebração em torno de um propósito! Com dois ambientes distintos dedicados às expressões das culturas africanas e afrodiaspóricas, o Baile Bambaataa terá dois palcos: o palco Oralidade será dedicado a gêneros musicais marcados pela comunicação oral e ancestral do Povo Negro, enquanto o palco Corporeidade será voltado a gêneros musicais negros que têm forte ligação com a expressão corporal e a dança. 
O Baile Bambaataa surge como um dispositivo econômico para garantir a sustentabilidade das atividades de educação comunitária e formação política do povo negro que acontecerão no Centro Cultural SITOC. O Centro Cultural SITOC foi fundado em 1986 pelo militante do movimento negro Ivan Carvalho que, infelizmente, faleceu em 2019. Dando continuidade ao legado político de Ivan, que buscou fomentar a autonomia do Povo Negro, a família Carvalho estabeleceu uma relação de colaboração com a Cooperativa Ujamaa, que juntos mobilizarão o Centro Cultural SITOC com políticas culturais comunitárias voltadas, prioritariamente, aos moradores do Centro Histórico de Salvador. Com os recursos arrecadados através do Baile Bambaataa, além da manutenção do Centro Cultural SITOC, serão realizadas atividades de cineclube, círculos de leitura, saraus de poesia, cursos profissionalizantes, formações políticas e muito mais! Esteja consciente do seu papel nessa construção coletiva, colabore ativamente na consolidação de um trabalho comunitário autônomo e independente! Em breve mais informações.



POR QUE BAILE BAMBAATAA?

Afrika Bambaataa é, ninguém mais ninguém menos, que o próprio inventor do termo Hip Hop. Junto a Kool Herc e Grandmaster Flash, compõe a tríade de DJ's precurssores do movimento cultural local que tornou-se uma cultura global. Nos anos 80, os três foram os principais articuladores das chamadas "block parties" (festas de bairro/bloco) originárias do Bronx, que se espalharam pelas demais periferias de Nova York. Originário da cultura de gangues de rua, membro da gangue Black Spades, Afrika Bambaataa nomeia de Hip Hop a cultura local que unia DJ's, MC's, breakdancers e writers (grafiteiros). Ainda nos anos 60, junto a outros membros de outras gangues, Afrika Bambaataa participa da fundação do que foi denominado The Organization: uma iniciativa que buscava conter a violência entre gangues negras e latinas, aglutinando jovens em torno de ações comunitárias e políticas de rua. Nos anos 70, com o recuo e a separação dos membros da The Organization, Bambaataa insiste em aprofundar nos ideais que carregava consigo. Para tal, institui a Universal Zulu Nation: fundação que busca fomentar os princípios do Hip Hop em todo o mundo. Por defender o acesso ao conhecimento como instrumento de transformação, a Universal Zulu Nation realiza, desde a sua fundação, palestras, formações políticas e aulas. Contemporâneo de grandes lideranças do Islã nos Estados Unidos à exemplo de Elijah Muhammad e Malcolm X, do ativista Martin Luther King Jr, do Movimento pelos Direitos Civis nos Estados Unidos e do Partido dos Panteras Negras, Afrika Bambaataa sempre ressalta as referências que o levaram a conceber os fundamentos do Hip Hop. Panafricanista por essência, Afrika Bambaataa é, sem dúvidas, uma referência viva e uma das maiores personalidades negras do século XX. Foi um dos principais articuladores da campanha "Libertem James Brown" quando o rei do soul e do funk foi preso nos anos 80. Foi pioneiro de ritmos como o miami bass e o freestyle, que posteriormente influenciariam o surgimento do funk carioca. O @baile_bambaataa é continuidade dos fundamentos do Hip Hop. Buscamos, através da cultura, enfrentar a condição de Genocídio do Povo Negro no Brasil. 

Conteúdo produzido por SITOC

Nenhum comentário:

Postar um comentário