terça-feira, 2 de junho de 2020

O rapper são-tomense Pekagboom lançou o EP “Preto no Branco”


Preto no Branco contém seis faixas que estão nas principais plataformas digitais, quatro das seis faixas já tem clipe lançados no Youtube oficial do MC. 

O Projeto conta com as participações dos rappers Umano, Braulio Pitra, Rita Queiroz e SMG“Preto no Branco” é um EP muito importante para a carreira do rapper Pekagboom, pois representa o que o rapper vem construindo ao longo da sua carreira, no ano 2018 até 2020 que foi o ano da conclusão e do lançamento deste trabalho. Por outro lado, é um EP cujo os temas escritos convergem para a necessidade de abordar alguns assuntos pertinentes da sociedade, das vivências do autor e a sua visão sobre estas realidades, que são refletidas de forma clara, “preto no branco”, sem tabus. Esta obra discográfica tem como objetivo atingir um público transversal, com intuito de catapultar e dimensionar o artista para um panorama que venha a consolidar cada vez mais a sua presença e todo o seu percurso traçado até aqui, principalmente no universo lusófono. 



Como dito acima, o EP encontra-se disponível na maioria das plataformas digitais como o Youtube, Spotify, iTunes, Deezer, Amazon Music e outras.

Escolha sua plataforma digital favorita aqui: https://pekagboom.hearnow.com/



+ sobre o artista:

Pércio Sousa Neves e Silva, conhecido por Pekagboom, é um rapper santomense que nasceu a 5 de Fevereiro de 1985 em Luanda, Angola, mas foi em São Tomé e Príncipe que viveu a sua infância e adolescência. Com uma paixão incomensurável pelo estilo musical rap, Pekagboom em 2003 começou a sua atividade musical em Portugal, no bairro social " Quinta do Mocho", onde ajudou a formar o grupo Império Suburbano. 

A maior parte dos seus trabalhos musicais são de intervenção, por abordar temas de cariz social e político, normalmente as desigualdades sociais, direitos humanos, corrupção, etc... É visto no mundo da arte de rimar como um ativista no Rap, tendo como principais referências rappers como Valete, Azagaia, Sam The Kid, Kid MC, Kendrik Lamar, Eminem, Nas e seu antigo grupo Império Suburbano. Atualmente tem dois álbuns, uma mixtape, uma EP editada e várias participações com outros artistas, cantores nacionais e internacionais. Pekagboom foi um dos pilares do grupo Império Suburbano que em 2007 lançou o álbum “7 Minutos Para A Mudança”, que foi homenageado pela Fundação Calouste Gulbenkian em Lisboa, pela música que dá o título ao álbum... 

A sua primeira mixtape foi lançada em 2010 com o nome “Brasa/Parlamento Verbal”. Esta mixtape proporcionou um novo desafio à sua vida como artista, o que lhe viria a ser feito um convite pela Associação “Escolhas” para exercer a função de dinamizador comunitário do Bairro Social da Quinta Do Mocho em Lisboa, no “Projeto Esperança”, com a geração jovem na área da música rap, incentivando a criação de batidas e rimas com um carácter construtivo para a sociedade. Esta oportunidade permitiu-o crescer, conviver e ter formações com músicos que na altura já eram profissionais. 

Em 2016, Pekagboom lançou oficialmente seu primeiro álbum “Banho Público”, em São Tomé e Príncipe no espaço Cacau. Em 2015 foi lançado o single “Muala Plegida” que fazia parte do seu álbum, o que viria a ser nomeado para duas categorias do STP Music Awards 2016, como “Melhor Música Rap” e “Melhor Compositor”. Em 2017 as músicas “Sem-Abrigo” e “Vergonha (Remix)”, também foram nomeadas para o STP Music Awards na categoria “Melhor Rap” e “Melhor Videoclip” respetivamente e como prémio de “Melhor Colaboração” foi a música “Vergonha (Remix)” com participação de Waik Maik do antigo grupo STP Rappers e um dos pioneiros do rap santomense, Jedy Blindado . Pekagboom é considerado um dos rappers mais influentes do panorama de hip-hop santomense.

Nenhum comentário:

Postar um comentário