terça-feira, 18 de agosto de 2020

#LANÇAMENTO | LENTES MALUNGAS LANÇAM O GUIA DE REVOLTAS NEGRAS, CONFIRA

 


O coletivo Malungas - Lentes Insurgentes, é um coletivo de pesquisa e produção Audiovisual focado em fomentar a ampliação de narrativas. Formado por Aline Rocha, Anna Raquel e Thayna Lemos, três mulheres negras nascidas e criadas nas periferias da Grande São Paulo, Malungas enxerga a potência da linguagem cinematográfica atrelada à pesquisa de saberes da diáspora africana para a elaboração de outras percepções do mundo.

Nesta terça, 18, o coletivo Lentes Malungas realizará o lançamento da Websérie documental Guia de Revoltas Negras. A produção explora em cinco episódios diversos aspectos do que foram historicamente e ainda são as insurgências, revoltas e resistências negras ao longo da formação social e cultural do Brasil.

A produção foi contempladas pelo programa de incentivo a cultura em edital do VAI 1 - 2019, uma iniciativa de fomento da Prefeitura Municipal de São Paulo. Em virtude da pandemia da COVID-19 e a condição de distanciamento social a estreia ocorrerá online no Youtube e nas redes sociais do coletivo. Buscando ampliar as redes de conexões, a transmissão ocorrerá também em parceria com espaços culturais dos quatro extremos da Capital: Cia Capulanas de Artes Negras (ZONA SUL), Casa Cultural Hip Hop Jaçanã (ZONA NORTE), Comunidade Cultural Quilombaque (ZONA OESTE) e Ocupação Cultural Ermelino Matarazzo (ZONA LESTE).

“Nossa ideia inicial era realizar nos espaços para realizar a partilha com diferentes territórios. De certa maneira, a proposta virtual pode atingir pessoas que não conseguiriam estar presentes nos espaços físicos em que fariamos o lançamento presencial.” - Relata uma das integrantes do coletivo.


Sinopses

O Guia de Revoltas Negras explora fatos documentais e históricos, cada um dos cinco episódios conta com a entrevista de convidados que abordam as temáticas insurgentes:

EP 01 - OLHAR INSURGENTE PARA HISTÓRIA
Conta com a participação de Cleber Vieira, Tulio Custódio e Raquel Barreto. Juntos, os especialistas trazem reflexões do conceito de insurgência a partir da interpretação de obras de Clóvis Moura, Abdias do Nascimento e Beatriz Nascimento - três intelectuais fundamentais para entender a formação sociocultural brasileira.

EP 02 - PRÁTICAS DE SAÚDE INSURGENTES
O episódio traz a reflexão de como as práticas de saúde fazem parte de um conhecimento ancestral mas por muitas vezes são invalidados ou desvalorizados ainda que sejam praticados até hoje de maneira natural e cotidiana. Maria Lucia do Instituto AMMA Psique e Negritude e Mayara Custódio Obstetriz e parteira, nos trazem referenciais para refletir sobre como temos nos dedicado a saúde, autonomia, cuidados individuais e coletivos.

EP 03 - RELIGIOSIDADES INSURGENTES
Conta com a entrevista de Adriana Toledo (Iyá Adriana de Nanã) e Antônia Cezerilo abordando como as manifestações religiosas são práticas insurgentes. Do cotidiano e desafios dos terreiros às irmandades católicas podemos perceber as suas concepções e existências como espaços estratégicos que, ainda hoje, são potências “invisíveis” em busca da garantia de uma vida e morte - no caso das irmandades, dignas para a população preta brasileira.

EP 04 - CORPORALIDADES INSURGENTES
O racismo, machismo, lgbtfobia e tantos outros marcadores de opressão, se fundamentam e estruturam a sociedade numa lógica de retroalimentação sistêmica que atinge nossos
corpos de forma individual e coletiva. As entrevistadas Luciane Ramos e Audre Werneck abordam conceitos e movimentos a partir da trajetória de corpos que transitam e
transformam cotidianamente a sociedade. O episódio é marcado pelo questionamento: “Qual a relação entre corpo, espaço e memória?”

EP 05 - ARQUITETURAS E TECNOLOGIAS INSURGENTES
Abílio Ferreira e Carlos Machado trazem reflexões acerca da invisibilidade material e histórica que permeiam as próprias civilizações, cidades e invenções. Ao reivindicarem um legado e reconhecimento, os entrevistados trazem a tona uma outra face do racismo.

Você pode acompanhar o cronograma e mais informações nas redes sociais do coletivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário