segunda-feira, 27 de maio de 2013

ENTREVISTA - O rapper Narrador Kanhanga Fala sobre seu Album "O Preto do Bairro"


Narrador Kanhanga é um jovem rapper angolano que reside em nosso pais,na cidade de porto alegre, a um bom tempinho já, muitos o conhecem por suas mixtapes, seus sons em homenagem ao santos, a jovem angolana morta em sp a zumira, porem a maioria o conhece pela Homenagem que ele fez para o time do Mazembe time africano que eliminou o Internacional do Mundial de clubes.
Eu conheço o trampo do Kanhanga antes dele fazer carreira solo, talvez ele não lembre, mas ouvi algumas musicas dele, na epoca do MSN, ele chegou a me mandar algumas musica para ouvir.
Recentemente o Kanhanga lançou o album "O preto do Bairro" pelo titulo ja pode imagina que boa parte das musicas o kanhanga trata de temas sérios  como preconceito,discriminação, a morte do zumira alem de homenagear a mãe africa. chega de falar e vamos a Entrevista.

Então Mano Pra começar.. Gostaria que fala-se o porque do nome O Preto do Bairro ..?


R: O Preto do Bairro, nasce do quotidiano de um jovem negro que vive todas as mazelas que o racismo oferece, desde o momento que ele sai de casa e encara essa realidade, por exemplo ao ir pegar o Onibus, até o momento que você percebe que a cor da pele fala mais alto que as tuas competências, e no meio de tantas sequelas você buscar mecanismo de superar todo esse fenômeno social. Então “O preto do bairro” nasceu dessa vontade de ser realmente preto, passar por isso e ainda assim levar mensagens positivas para muita gente. Tem muitos pretos dos bairros por aí e hoje acredito que não é somente sinónimo de pele e sim de luta por uma causa que é de todos nós.


Na Faixa 10 é uma musica em Homenagem a Zumira a estudante Angolana Morta por simplesmente ser Negra..Como a angola recebeu a morte da Zumira..? A Letra desta musica é Forte. você ficou realmente Revoltado...?


R: O rapper Mc K um dos melhores mcs de Angola, revolucionário, numas das conversas pelo msn ele elogiou a música pela homenagem, fiquei muito lisonjeado por nunca imaginar que um rapper do gabarito dele pudesse elogiar meu trabalho, mas ao mesmo tempo me veio o entendimento de que foi realmente algo que deixou todo angolano triste e com ele não foi diferente. Eu pessoalmente fiquei mal, com ódio e acima de tudo medo por ser preto também, e outra porque o governo angolano demorou para se manifestar, isso me entristeceu. E a única forma que tive de arrancar esse ódio era compor algo dessa natureza. É importante que tenhamos uma visão social, manifestadora para que isso não continue, porque daqui a pouco a gente ta morrendo por nada e ninguém faz nada, afinal de conta a gente pertence a esse time


Só Pegando o Gancho.. você mora em Porto Alegre, onde majoritariamente são Brancos.. Você ja viu ou teve uma Experiencia de Racismo..?


R: hehehe Claro, isso é plausível desde o momento que bato a porta de casa e saiu pra rua até o momento que volto. Embora haja essa camuflagem nas pessoas, mas como eu como tenho detector de racistas, consigo saber quem é quem, hehehehe. Infelizmente tive criar mecanismo de conviver com isso, porque se não irmão, você não vive e acaba perdendo tempo dando atenção a pessoas que não se importam com a construção de um mundo novo, um mundo de amor, paz, respeito e acima de tudo humanidade. Mas tem muita gente do bem dentre esses, então eu dou mais atenção a essas pessoas.


O que o Rap Representa na sua Vida, no seu dia a dia ..?


R: Ontem o Rap foi Rap pra mim, hoje é completamente diferente. É minha vida mano, que nem falo na música “Minha vida” é no Rap que eu encontro minha Paz, e realmente é nele que me sinto bem, no mais alto nível de paz de espírito, é meu refúgio é minha fortaleza.


Pode parecer uma pergunta idiota, mas irei fazer..Mas suas musicas são Melhor aceita em Angola ou no Brasil..?


R: Sinceramente mano, eu não faço Rap pra ser aceite aqui ou lá, aprendi muito com o Rap e ainda aprendo. E uma das coisas que o rap me ofereceu foi realmente saber alimentar primeiramente a alma de quem faz, satisfazer o interior de quem a produz e posteriormente de que consome, que aí eu digo sempre que é um papel da própria musica e não do autor. É aquela cena da música em sí fazer a sua parte de tocar ou não tocar o coração das outras pessoas.



No Álbum você fez uma Musica Chamada "Fuck a Policia" esta musica conta uma experiencia sua. de outra pessoa ou é ficção..?


R: Na música F*** a Polícia você quis dizer neh heheheh. Então, experiência minha e de muitos manos negros que sofrem com o abuso de autoridade de certos policiais. Não generalizo mas tem muitos policiais que é so farda mesmo mano. Imagina entrar numa cidade onde os cidadãos têm medo dos policiais. Não seriam os policiais que deveriam transmitir segurança para a população ¿¿ Pois é, mas infelizmente transmitem MEDO.


Gostaria que voce falasse sobre a Musica "Africa Berço da Humanidade" Lembro que numa previa do álbum você se emocionou cantando esta musica.. qual a importância dela pra você..?


R: Essa música é parte de uma historia do povo negro que precisa ser preservada. Existem muitos jovens negros que desconhecem de como os seus ancestrais vieram e como vieram parar aqui no Brasil, então eu me senti na condição de exercer esse papel cultural. A música é sampler de “Jamu África” do cantor senegalês (africano) reconhecido internacionalmente e foi produzida pelo irmão Rafa do grupo Rafuagi. Eu realmente me emociono porque sinto que o sangue daqueles escravos que vinham em condições desumanas nos navios, corre nas minhas veias. É sem sombra de dúvida a melhor musica que já escrevi em toda minha vida.

Você teve algum Preconceito Dentro da cena Hip Hop aqui no Brasil.. isto procede .. ?

R: Mas óbvio, Infelizmente. Acho que pessoas desse tipo não deveriam estar dentro do movimento Hip Hop, porque acredito que essas pessoas não entenderam o papel do Rap pra sociedade, me faz lembrar as palavras do Mano Brown na virada cultura de São Paulo “O Rap precisa de pessoas de carácter”.


Quem assina as Produções do Álbum ..?


R: Mano, O CD “O Preto do Bairro” trás vários produtores, o principal que assina maior parte das músicas é o MonstroBeats dono do projeto, depois vem o Niclas Leman meu bro que agora já tá em Angola, o mano la de Juiz de Fora (MG) Sozin Beats, o mano Rodriguez de Passo Fundo, e alguns beats são americanos mesmo que eu fiz questão de botar os créditos.


E você vai Lançar o álbum "O Preto do Bairro II" como esta o processo deste álbum .? ele vem na mesma pegada do vol. 1..?


R: Acredito que vem bem melhor, bem mais aprimorando tudo por conta do aprendizado. Já gravei maior parte dele, quase no final e acho que em Agosto sai na net, só não dei o dia ainda.




Recentemente você lançou o Vídeo chamado "Salvação" fale nos sobre ele.. a letra. quem participa e se ele vai estar no álbum "O Preto do Bairro II"


R: A música foi produzida pelo mano Guss, mixada e masterizada por ele mesmo e ele mesmo gravou o vídeo e ainda editou então o mérito é dele, eu só fiz a letra e fui gravar no MK Pro Estúdio. Mas assim, foi um web vídeo que fizemos sem roteiro, captamos as imagens numa tarde e tal...Eu curti do resultado...Eu não sei ainda quais as músicas que vão sair no volume 2, pode ser que essa entra, não sei ainda to gravando, tem muita cena já gravada. Vamos ver.


Pra terminar se você Puder definir seu novo álbum em uma frase qual seria?


R: Prefiro definir com esse verso...

Quando me ver passar
Eles vão se olhar
Fazendo cara feia vão todos se perguntar.
Quem é aquele Neguin ¿¿
Eu sou o Preto do Bairro

Deixe sua mensagem a seus fãs e leitores.


Primeiramente agradeço pelo espaço cedido em seu blog, isso é muito importante pra mim e pru rap. Acredito que isso tem que ser feito com vários outros manos daqui do sul que estão com um bom trabalho. Os Blogs exercem um papel fundamente dentro do hip hop e isso precisa ser massificado.

Á todos que acompanham meu trabalho, obrigado por partilharem as minhas historias e que cada possa extrair as mensagens positivas que cada musica trás. Curtem, Compartilhem nas redes sociais porque é o único lugar onde o sistema não consegue ter domínio próprio do nosso conteúdo. Muita Paz, Saúde Amor.

O Preto do Bairro

Kanhanga - O Preto Do Bairro - (CD COMPLETO)



Depois de ano de muito trabalho finalmente está nas ruas o novo CD do rapper angolano Kanhanga, em parceria com o produtor MonstroBeats tem o título "O Preto do Bairro". Residente em Porto Alegre (Brasil) a quase 7 anos o rapper trás em seu novo disco filosofia de sua própria vida, no mais profundo universo daqueles que batalham em busca de um sonho. É nessa ordem de pensamento que o artis…






AGUARDE O PRETO DO BAIRRO 2








Nenhum comentário:

Postar um comentário