quarta-feira, 20 de março de 2019

Djavan em Trap - Trocamos uma ideia com Tauã Guedes, que fez um cover do som "Azul" do Djavan

Tauã Guedes, jovem soteropolitano, estuda licenciatura musical, nascido numa família musical, guitarrista numa banda de Pop/Rock/Reggae e beatmaker, ousou fazer um cover da música "Azul" do grande cantor alagoano Djavan.


Azul" foi gravada originalmente por Gal Costa, em 1982, no disco "Minha Voz" e só viria a ser gravada pelo seu autor, em 1999, no CD "Ao Vivo". 


37 anos depois de Gal Costa e 20 anos após Djavan gravar o som, Tauã Guedes teve a audácia de fazer uma versão Trap deste magnifico som. 
O cover do Guedes ficou perfeito,quando meu parça Danilo do site Oganpazan meu mostrou o som eu fiquei horas ouvindo alto na minha casa e meu pai me mandou uma mensagem dizendo: "Muito legal esta música do Djavan, mas é um versão nova, né?". 
Guedes modernizou o som, mas não deixou que nesta versão o som perdesse sua sensibilidade.

E nós do Noticiário Periférico não poderíamos deixar passar batido, corremos atrás do Tauã para um curto bate papo sobre sua carreira e sobre o som. Confira!



Pra começar firmeza, se apresente pra rapa. Quem é Tauã Guedes? De onde ele vem e onde ele quer chegar?

R: Tauã Guedes é um cara cheio de expectativas de vida! Venho carregado de música desde o berço por conta da minha família que é formada por músicos e produtores. Viso em viver de música!

Apesar da pouca idade, você participa de banda desde 13/14 anos. Como a música entrou na sua vida?

R: Comecei a tocar violão com 10 anos de idade, não queria estudar muito e tal… Com 13 anos, montei uma banda de reggae com uns amigos do colégio, fizemos alguns shows, mas não seguimos. Com 14, formei a NOBAD, banda que é uma das maiores responsáveis pela minha identidade artística. Fizemos vários shows, afinal foram 4 anos rodando, criei muitas amizades através da banda, sem contar que tivemos a honra de abrir o show dos Paralamas do Sucesso na Concha Acústica em Maio de 2018.

Você é guitarrista e vocalista da banda No Bad. Falenos sobre sua banda, que tipo de som vocês fazem? Quais os planos futuro pra banda ?

R: Intitulamos o nosso som de PopRockReggae. Temos grandes referências da música brasileira e tentamos colocar o máximo possível da identidade musical de cada integrante no resultado final. Estamos um pouco parados, pois foram 4 anos intensos e estamos precisando dar uma esfriada na cabeça e se reinventar.

Foto: Além do ter

Você participa de uma banda de Pop/Rock/Reggae e produz beat de rap. Em algum momento você pretende unir suas produções com sua banda?

R: Não tenho nenhum plano específico para isso, mas em qualquer som que eu faça, tento levar todas as minhas referências e materiais possíveis.


A Bahia deve ser o estado mais musical e com maior diversidade. O que tem na água deste estado? O que que a Bahia tem?
Nos indique sons baianos se possível.

R: Tem uma frase que sempre falo. “A Bahia faz música do mundo inteiro, mas o mundo inteiro não consegue fazer a música da Bahia”. Com todo o respeito, mas a Bahia é foda hahaha. Escutem Nork 71, Bráins, Gabriel Oliver, Faustino Beats, O Elemento, DH8, Victor Cantê, Fraya, Catch a Flow, Yan Cloud.


Como surgiu a ideia de gravar o clássico "Azul" do Djavan numa versão Trap?

R: Fui para uma festa na Borracharia (Rio Vermelho), e uma das músicas que tocaram foi a versão de Fernanda Abreu da música “Azul” do disco JAHVAN, onde vários artistas cantam Djavan em reggae. Fiquei com a música na cabeça após a festa, acordei no dia seguinte e comecei a tocar a música no violão. Imaginei que poderia fazer um beat para a música mas tudo sem nenhuma pretensão. Na mesma semana, eu tinha uma sessão de estúdio marcada com Del Jay (rapper/produtor) e acabei gravando a música… Quando saí do estúdio, mandei a guia para minha mãe e meu irmão no WhatsApp. Ele estava com uns amigos, colocou pra escutar e pediram o áudio a ele. Meu irmão postou um trecho nos stories, me marcou e eu repostei. Passaram alguns minutos e começaram a me marcar escutando a música! Nessa que eu comecei a repostar, as pessoas começaram a me pedir o áudio e depois disso passei mais ou menos 3h de relógio só mandando o áudio. Com essa repercussão, decidi fazer um clipe intimista mostrando o processo no estúdio e tal… Falei com a galera da Agência Dudes, e 4 dias depois entramos no estúdio novamente para terminar de gravar a música e filmar.

Foto: Além do ter

Na intro da faixa, você diz: "Vó, esta é pra senhora escutar trap". E ai você mostrou pra ela? o que ela achou?

R: Mostrei sim! Riu bastante e inclusive foi no primeiro show do projeto Guedez para ver ao vivo.

Na intro também, você em fazer outros covers e tal. Você realmente pretende? já tem ideia de qual e como pretender fazer isto?

R: Não penso em fazer com tanta frequência, até porque o objetivo principal do projeto é mostrar as minhas próprias músicas. Mas quem sabe não role daqui a alguns meses.

Quais seu planos para o futuro de sua carreira profissional? single, vídeo, álbum, o que planeja?

R: Estamos planejando o lançamento dos próximos 2 singles que muito provavelmente saíram com clipe. Pretendo lançar um EP no segundo semestre de 2019, mas não é nada concreto.

Confira:


Canal no Youtube: Guedez Oficial
Banda No Bad no Facebook: No Bad

Nenhum comentário:

Postar um comentário