quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Câmara dos Deputados dos EUA aprova “lei Emmett Till” e designa linchamento como crime de ódio



O Emmett Till Antilynching (Anti-linchamento) Act passou por uma margem de 410-4. 



Na quarta-feira, a Câmara dos Deputados dos EUA aprovou legislação para designar oficialmente o linchamento como crime federal de ódio. Por mais de 100 anos, o Congresso tentou, sem sucesso aprovar esta legislação. 

Quatro representantes votaram contra o projeto, que recebeu o nome de Emmett Till. Eles incluem o representante independente do Michigan Justin Amash e os republicanos Thomas Massie (Kentucky), Ted Yoho (Flórida) e Louie Gohmert (Texas). 

Sobre Emmett Till:

Pra quem não sabe, Emmett tinha 14 anos foi assassinado por dois homens brancos, porque um mulher branca racista disse que ele havia assediado ela. Porém 60 anos depois a mulher confessou que mentiu.

Saiba mais sobre o caso no Portal Geledés

Ted Yoho, um republicano do terceiro distrito congressional da Flórida, disse a Manu Raju, da CNN, que o projeto era "uma ultrapassagem do governo federal". Em fevereiro passado, o Senado aprovou por unanimidade um projeto semelhante. O New York Times espera que o presidente Donald Trump assine a lei. 

Desde 1918, o Congresso tentou e não aprovou leis anti-linchamento cerca de 200 vezes. O representante democrata de Illinois, Bobby Rush, apresentou o projeto. ” Estamos um passo mais perto de finalmente proibir essa prática hedionda e alcançar a justiça para mais de 4.000 vítimas de linchamento”, disse Rush na semana passada. 

A senadora Kamala Harris, Cory Booker e Tim Scott, da Carolina do Sul, introduziram a legislação do Senado no ano passado. "Hoje nos aproxima um passo de finalmente reconciliar um capítulo sombrio da história de nossa nação", afirmou Booker em comunicado nesta quarta-feira. 

Rush citou comícios de supremacia branca na Virgínia e tiroteios em massa no Texas como evidência da importância da legislação. 

"A importância desse projeto não pode ser exagerada", disse ele. “De Charlottesville a El Paso, ainda estamos sendo confrontados com o mesmo racismo e ódio violento que tirou a vida de Emmett e de tantos outros ... a aprovação deste projeto enviará uma mensagem forte e clara à nação que não toleraremos esse fanatismo."

Fonte: Okayplayer

Nenhum comentário:

Postar um comentário