terça-feira, 20 de outubro de 2020

Documentários que contam histórias de racismo religioso e institucional no Rio e na Baixada Fluminense disputam XIII Prêmio Pierre Verger de Filme Etnográfico

Nosso Sagrado (2017) e Nossos Mortos Têm Voz (2018) estão na disputa do XIII Prêmio Pierre Verger de Filme Etnográfico. 


A Quiprocó Filmes faz uma dobradinha luxuosa com as produções Nosso Sagrado (2017) e Nossos Mortos Têm Voz (2018) na disputa pelo XIII Prêmio Pierre Verger de Filme Etnográfico, que acontece entre os dias 30/11 e 06 de novembro. O primeiro documentário, dirigido por Fernando Sousa, Gabriel Barbosa e Jorge Santana; conta a história de como as comunidades tradicionais de terreiro eram criminalizadas, religiosos perseguidos e seus objetos sagrados apreendidos - assim como da coleção que levava o nome de "Museu de Magia Negra" e o processo para libertar os objetos sagrados que estavam há mais de 100 anos no antigo DOPs do Rio de Janeiro. O segundo, dirigido por Fernando Sousa e Gabriel Barbosa, fala sobre mães e familiares vítimas da violência de Estado da Baixada Fluminense, sobretudo no que diz respeito à violência contra jovens negros.


As sessões acontecerão integralmente de forma remota, entre os dias 26 e 30 de outubro, como pré evento da 32° Reunião Brasileira de Antropologia. Os filmes vencedores serão anunciados na abertura da 32° Reunião Brasileira de Antropologia e os premiados reproduzidos durante a RBA. 


Nosso Sagrado (2017) foi licenciado para o Canal Futura e, atualmente, está disponível na plataforma kweli.tv. Nossos Mortos Têm Voz (2018) foi licenciado para o Canal Brasil, Prime Box Brasil e também se encontra disponível na plataforma kweli.tv 


Nossos Mortos Têm Voz - Trailer
 


Nosso Sagrado - Trailer

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário