sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Flávio Renegado lança EP Relatos de Um Conflito Particular

 

Sete pode ser o número da perfeição. Mas também é a quantidade de cores no arco-íris, as notas musicais e os dias da semana. Sete são as maravilhas do mundo, as virtudes do homem e o número de faixas do EP do cantor, compositor e rapper mineiro Flávio Renegado. E não por acaso: intituladoRelatos de Um Conflito Particular, ele traz faixas que transitam entre os sete pecados capitais. O EP foi lançado pela Som Livre - nas plataformas digitais (Spotify, Deezer, Rdio, iTunes e Google Play) - hoje.
 
Renegado joga na roda a seguinte discussão: o dia a dia é feito de más condutas ou é permeado por instintos básicos do ser humano? O trabalho, produzido pelo próprio cantor, traz um discurso afiado costurado por rap e outras referências musicais.



 
 
A faixa de abertura, o rap “Só Mais Um Dia”, repercute a ira cotidiana, que vai de manifestações exaltadas em redes sociais a reações polvorosas em transportes públicos. A música foi escolhida para ganhar o primeiro videoclipe do disco. O rapper preparou um clipe em 360°, produzido especialmente para a plataforma de realidade virtual. Assista aqui.
 
Em seguida, o reggae “Além do Mal” chega com a participação especial de Alexandre Carlo, vocalista da banda Natiruts. Outro nome que engrossa o time é o de Samuel Rosa. O vocalista do Skank está presente na faixa “Rotina”.
 
O álbum ainda traz uma pegada funk na irreverente “Luxo Só” e critica a gana capitalista em “Redenção”. Incisiva, mas sem perder o humor, “Pra Quê?” fala sobre a polarização política no país e “Particulares”, por sua vez, dá um clima sóbrio e consciente ao trabalho. São sete pontos ao longo do disco. Consegue identificá-los? Flávio Renegado convida a participar desse “jogo”. Sem culpa.
 
Sobre Flávio Renegado
Nascido e criado na comunidade do Alto Vera Cruz, em Belo Horizonte (MG), Flávio Renegado enxergou na música um caminho que o faria voar alto. Ainda adolescente, fez as primeiras rimas influenciado por Racionais MC’s e outros nomes do rap. Aos poucos, desenvolveu uma carreira com personalidade, na qual mistura as rimas a outras referências musicais. Em 2008, lançou o disco de estreia Do Oiapoque a Nova York, trabalho que o levou para shows na Europa, Oceania e todas as Américas. A conclusão deste ciclo foi em um show memorável no Central Park, em Nova York. O sucessor Minha Tribo É o Mundo (2011) trouxe uma sonoridade mais urbana, influenciada pela multiplicidade dos movimentos sonoros contemporâneos. Ele rodou o país e participou de relevantes festivais, como o Back2Black e o Rock in Rio, com a apresentação do trabalho. Renegado concluiu a primeira etapa da carreira com o lançamento do CD e DVD Suave ao Vivo (2014), que teve direção musical de Liminha e Kassin, além da direção artística de Gringo Cardia. Agora, o cantor, compositor e rapper mineiro se prepara para mais um salto com o lançamento de Relatos de Um Conflito Particular.
 

Flávio Renegado nas redes:
 
Sobre a Som Livre

De 1969 para cá o mercado fonográfico mudou, assim como a forma de se consumir música. Hoje, 46 anos depois de sua criação, a Som Livre é muito mais do que uma gravadora, é o espelho musical do país. Uma empresa 100% nacional voltada para a música, seja qual for a sua plataforma e que reflete, através de seus lançamentos, o gosto e o hábito de consumo do brasileiro. 
 
A Som Livre possui diversas frentes de negócios: venda física, digital, shows, licenciamento e editora. Em seu time são mais de 100 artistas e sua editora é uma das mais importantes do país, representando os direitos de compositores nacionais e internacionais. Na linha de shows, a empresa aposta em festivais de música, que acontecem por todo o país, com as marcas Arena Pop, Festeja, Samba D+ e Arena de Ouro (uma parceria com a Confederação Nacional de Rodeios).
Share this article

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top