quinta-feira, 27 de julho de 2017

"Estragando Plantas" é a faixa bônus do álbum Coligações Expressivas 4 do DJ Caique. A musica tem participação do Haikaiss


Hoje (27/7) as 18hrs sai o 10° Single (re-lançamento) da Coligações Expressivas 4, o mais novo projeto de DJ Caique. 

A Primeira musica gravada da formação SPVIC, SPINARDI E QUALY (Haikaiss) que foi produzida por DJ CAIQUE e gravada no final de 2009 no estúdio 360GrausRec.

Em 2017 DJ CAIQUE faz uma nova versão para esse som e lança como Bônus em seu projeto Coligações Expressivas 4.
Já foram lançados 9 sons inéditos do álbum #CE4, esse ano o disco será lançado.

SOBRE O PROJETO:
Albúm: Coligações Expressivas 4
Som: Estragando Plantas
Artista: Haikaiss - 
Produção: Dj Caique (@djcaiqueoficial)
Mixagem e Masterização: Dj Caique

Coligações Expressivas surgiu em 2004, à partir da ideia do DJ Caique de reunir artistas da nova e velha escola do rap.
A quarta mixtape do projeto Coligações Expressivas  é o mais novo trabalho do Dj Caique, um dos melhores produtores musicais do Brasil. O projeto traz uma mistura única, fazendo diversos estilos se juntarem, muitas vezes em uma única.



DJ Caique nas Redes Sociais

read more...

600 NIGGAZ lança a musica "Carta para 2PAC"


600 Niggaz vêem por mais, a pedido de postagem da nova faixa intitulada "Carta para 2PAC" numa produção de Weezybaby.
A mesma é a primeira ser solta da nossa segunda temporada "Semana Maluca"

read more...

Cantando e rimando sobre suas "Origens", o grupo Rimas & Melodias lança seu primeiro videoclipe


São Paulo, julho de 2017 - O grupo feminino de rap e neo-soul Rimas & Melodias lançará seu disco de estreia somente em agosto, mas o primeiro clipe já está pronto e estreia com exclusividade nesta quinta-feira (dia 27/7), no site www.redbull.com.br.
Juntas desde o fim de 2015, as rappers Alt Niss, Drik Barbosa, Karol de Souza, Stefanie, Tássia Reis, Tatiana Bispo e a DJ Mayra Maldjian gravaram o vídeo da faixa “Origens” no prédio do Red Bull Station, no centro de São Paulo. “Antes mesmo de gravar o nosso primeiro disco no Red Bull Studio São Paulo, já tínhamos em mente esse prédio como cenário de um clipe. Só não imaginávamos que seria logo o de estreia. Estávamos em busca de um galpão com estética industrial e o encaixe foi perfeito”, revela a DJ Mayra.
A escolha da música também não foi à toa. Segundo Mayra, desde que gravaram a primeira versão da música, as meninas da banda já perceberam que ela seria o primeiro single. “Quando nos reunimos para alinhar o conceito do disco, surgiu a ideia de fazer uma música que falasse das origens de cada uma, desde ancestralidade e espiritualidade a memórias de infância e referências musicais herdadas da família. Passamos as ideias para o DIA, o diretor musical, e o Grou, produtor, e eles vieram com um beat incrível. As letras foram criadas basicamente dentro do estúdio da Red Bull e quando saímos de lá  já sabíamos que essa seria a primeira a ser lançada”.
Com sete faixas, o álbum de estreia do Rimas & Melodias, gravado no Red Bull Studio, em São Paulo, tem previsão de lançamento para o fim de agosto.




Sobre o Red Bull Studio São Paulo
Desde 2013, o Red Bull Studio São Paulo funciona como um espaço de experimentação e produção musical para artistas dentro do Red Bull Station, onde funcionou a antiga subestação de energia Riachuelo. Com altíssimo padrão técnico, o estúdio é reservado para talentos de estilos diversos, independente de sua abrangência ou tempo de carreira. Por ali, já passaram nomes como Elza Soares, Metá Metá, Nação Zumbi, Emicida e Arto Lindsay.
Sobre o Red Bull Station
Localizado em um prédio de 1926, no centro de São Paulo, o Red Bull Station ocupa a antiga subestação Riachuelo, desativada desde 2004 e tombada como patrimônio histórico pelo Conpresp. Com foco em projetos  experimentais de arte, música e tecnologia, os cinco andares do Red Bull Station contam com estúdio de música, makerspace, um projeto permanente de residência artística, três espaços expositivos, um terraço e uma cafeteria. Para informações sobre a programação gratuita, consulte a agenda no site www.redbullstation.com.br
read more...

Navegante de um futuro distante, Graime fala sobre seu primeiro EP - confira.

No último dia 26/07 aconteceu o lançamento do EP solo do artista Luiz Eduardo, o Graime da dupla Graime e Gordão. O EP chamado "Navegante de um futuro distante" traz 3 faixas construídas com muito carinho por todos os responsáveis.

20264564_495791134104735_6432146551070096355_n.jpg
“Cada faixa eu carrego um carinho ENORME, parece que foi ontem né Mateus Silva, no começo foi bem complicado fazer gravação, muita vontade de rimar e pouca condição, gravava em casa numa cabine feita de colchão, quando entro no estúdio do Rodrigo Shortbeatmaker ainda é a mesma emoção, apostei tudo que tinha mesmo passando sufoco, não foi muito diferente do EP Daqui pro Topo. Não me arrependo de nada, eu faria tudo de novo, preparei minha melhor versão pra esse retorno”.
O EP conta com 3 faixas, a primeira que leva o nome do EP, Navegante de Um Futuro Distante tem a participação de Robson Peqnoh da dupla Daniel Garnet e Peqnoh, a segunda faixa é a Porto Seguro e a terceira, com participação do companheiro de caminhada Gordão é a Parece que Foi Ontem . O EP tem Mixagem e Masterização: Rodrigo Shortbeatmaker (Toca dos Gigantes), e arte de  Aleph Leite.
19961424_489010354782813_5902669480173347009_n.jpg
Aproveitamos o lançamento do EP, e trocamos uma ideia com o Graime. Confira as ideias pesadas do artista, e ouçam o EP Navegante de um futuro distante.
Qual foi o primeiro contato que você teve com o Rap?
O meu primeiro contato com o Rap, foi com o CD Espaço Rap, acho que o volume 4. Não lembro a idade ao certo, mas eu tinha um vizinho que tinha, e eu já tinha aqueles rádios que tocava CD, ele me emprestava e deixava comigo, eu e o Mateus (Gordão) viravámos a madrugada ouvindo, acho que foi um dos primeiros contato com o Rap que eu tive. Depois de um tempo, quando chegou internet em casa, eu mergulhei, eu conheci muita gente, fiz muitas amizades fora de São Paulo, até antes de conhecer a galera que fazia Rap aqui na cidade mesmo. Lembro que conheci um mano de Porto Alegre, meados de 2009, 2010, ele me ensinou algumas coisas, eu baixei um programa e gravava naqueles microfones embutidos no fone de ouvido, bem caseiro mesmo.
Quais são suas influências?
Uma das maiores influências, em que me espelho mesmo são o Peqnoh e o Garnet. Eles fazem por aqui um corre que eu vejo e reflete muito no que faço.
O que você busca com a sua música? Que temas você busca abordar?
Os temas que escrevo são bem pessoais, de certa forma acredito que canto o que eu passo, e tenho certeza que do outro lado tem alguém ouvindo que precisava ouvir aquela idéia, naquele momento. Basicamente busco isso. A música se tornou parte de mim, então não tem como estar distante do que eu vivo. Eu gosto de eternizar momentos que eu passei, pra num futuro distante eu olhar pra trás e ver tudo que passei, e pra me animar também, quando lançamos a Daqui pro Topo, eu já não acreditava mais nos sonhos e tal. Fiquei uns 5 anos parado, sem fazer música, e voltamos agora. Tenho certeza que muita gente vivencia isso, e eu pretendo levar essa mensagem com a minha música.
Estive em Piracicaba cobrindo os 8 anos da Batalha Central. Como você vê a cena do interior hoje se compararmos a alguns anos atrás?
Pra mim a Batalha Central tá vivendo o melhor momento. Pelo público que está crescendo, os MC’s que surgiram, os outros que estavam no começo e ainda continuam, outros que ainda estão começando. Eu mesmo, conheci a batalha a 5, 6 anos, o tempo que fiquei parado a batalha continuou, e agora está no seu melhor momento.
Você lançou um EP recentemente, do Graime e Gordão, e agora esse trabalho solo. Neste momento quais são os seus principais objetivos a nível pessoal e profissional?

O maior objetivo agora pós EP, e seguir trabalhando na dupla Graime e Gordão. Estamos  trabalhando num disco, com 5 músicas inéditas, e 3 singles que já estão disponíveis no YouTube, Inimigo Íntimo, Que assim seja e Meu sonho a vista, que vai dar nome ao álbum. Também queremos cada vez mais se profissionalizar, quero viver da música, trabalhamos muito pra isso. Estamos focados, lancei o EP ontem e já estou escrevendo uma letra nova.
Deixe uma mensagem aos manos e minas seguidores do Noticiário Periférico.
Não sei muito o que dizer, só agradecer a oportunidade da matéria, falar um pouquinho sobre meu trabalho. Gratidão a quem se interessou pelo meu trabalho. Ouçam o EP, ouçam os trabalhos da dupla Graime e Gordão, e seguimos realizando nossos sonhos!
Ouçam o EP - Navegante de um futuro distante abaixo:
read more...

Projecto - CARDIO 27 (DreamKiller)




O rapper "DreamKiller" do grupo musical "Apple Muzik" lança hoje no dia 27, um projecto musical de 6 faixas. O mesmo conta com a participação de Bruno Cláudio, Kenneth e Cecília Francisco. Sem esquecer a super produção de Krazzy Beat na faixa número 3.






read more...

quarta-feira, 26 de julho de 2017

"18Gr" é a mais nova pancada lançada pelo Sixface Mafia


"A Sixface Mafia não para e lançou um novo Single. 18Gr é o novo som, que conta com a produção de Junked, fará parte de uma EP em conjunto com o Beatmaker, prevista ainda para esse ano. Confira abaixo essa pancada.

read more...

Yannick aka Afro Samurai canta em ato em prol do Parque Augusta


O rapper geek Yannick aka Afro Samurai se apresentou no último sábado dia 22/7 do Fórum Comunitário Parque Augusta – Vivência Amarela/Verde: Subversão a Ordem na Casa Amarela também conhecida como Quilombo Afroguarany, ocupação artística que fica na Rua da Consolação, 1075 no Centro de São Paulo. Esse fórum foi promovido por ativistas do Parque Augusta que lutam contra a criação de prédios na última área de mata atlântica da região central da cidade, localizada na Rua Augusta, próximo a conhecida Praça Roosevelt.

Yannick também é ativista na causa do Parque Augusta, nascido e criado no local, o rapper já militou em diversas ações em prol do movimento e neste fórum o artista apresentou o seu EP “Também Conhecido Como Afro Samurai” ao público presente e no vídeo abaixo, pode-se ver ao fundo a faixa do movimento “Parque Augusta Verde Prédios Não”.

Veja abaixo os vídeos dessa apresentação feitas pelo também ativista Heber Biella.


read more...

Red Bull Music Academy retorna a Berlim em 2018 para celebrar 20º aniversário


O DJ e b-boy americano Bobbito Garcia palestra durante o Red Bull Music Academy 2017 na Bulgária. Créditos: Liubomir Asenov/Red Bull Content Pool
Berlim, julho de 2017 - A Red Bull Music Academy realiza a próxima edição de sua série de eventos e oficinas musicais em Berlim, na Alemanha, entre 8 de setembro e 12 de outubro de 2018. Depois de passar por diversas cidades do mundo, como Tóquio, Nova York, Melbourne, Cidade do Cabo, Paris, São Paulo e Montreal, a Academia está de volta ao local onde tudo começou (lá em 1998) para celebrar seu 20º aniversário.
Cada edição da Red Bull Music Academy apresenta um universo próprio, com novos insights e perspectivas sobre a música em geral, uma vez que artistas de diferentes gêneros, países e épocas se reúnem no mesmo lugar e com o mesmo propósito. Para o evento, são selecionados 60 músicos em ascensão dos mais variados estilos, que seguem para a cidade-anfitriã e por lá iniciam uma jornada criativa que dura aproximadamente um mês.
Eles participam de palestras com artistas que moldaram a história da música, trocam conhecimento em sessões feitas em estúdios da Red Bull e colaboram com outros músicos de diferentes cantos do globo. Enquanto isso, a Academia movimenta a cena local ao promover uma série de shows e festas abertos ao público por toda a cidade. Tudo isso cria um ambiente de troca e aprendizado entre veteranos e a nova geração, que podem celebrar juntos o passado, o presente e o futuro da música.
Mais de 1.500 artistas já participaram de encarnações anteriores da Red Bull Music Academy. Entre os brasileiros, estão nomes como Luisa Puterman, Thingamajicks, Érica, Zopelar, Silva e Mauricio Fleury.
POR QUE BERLIM?Quando Jeff Mills se tornou o primeiro artista a sentar num sofá de uma conferência da Red Bull Music Academy, em um galpão de Berlim, em 1998, sua escolha não foi uma mera coincidência. A relação simbiótica desta lenda do techno de Detroit com a cidade de Berlim exemplifica a atitude aberta da capital alemã em relação ao intercâmbio cultural e à inovação criativa. Muito aconteceu em Berlim e no mundo nessas duas décadas desde que a palestra de Mills deu o pontapé inicial ao evento que se tornou uma verdadeira tradição global.
Mesmo que a Academia tenha passado por muitas cidades diferentes, o evento sempre carrega um pedaço de Berlim. Seja sob a forma de palestrantes e membros da equipe de estúdio, como Modeselektor, Moritz von Oswald, Dixon, Mo e Carsten Nicolai, ou com ex-alunos que deixariam sua marca na cena musical da capital alemã (Nina Kraviz, Objekt, Robot Koch e Xosar, para citar somente alguns). Berlim, como sempre foi um lugar de experimentação criativa, de troca e de liberdade pessoal, faz parte do DNA da Red Bull Music Academy.
INSCRIÇÕESOs estilos musicais contemplados pela Academia são tão diversos quanto os países de onde vêm os artistas: a mistura de sons, as habilidades e os backgrounds culturais que compõem cada evento são sempre únicos. Essa combinação tão peculiar de pessoas, perspectivas e atmosferas permite que novas ideias se enraizarem e floresçam após o evento. O convite para participar da Red Bull Music Academy estende-se, portanto, a instrumentistas, produtores, DJs, engenheiros e vocalistas com qualquer nível de experiência. Tudo o que é necessário é estar aberto a colaborações e ter interesse em música.
O formulário de inscrição pode ser baixado do site redbullmusicacademy.com/apply e deve ser enviado até 4 de setembro de 2017. Cada candidato também deve enviar uma demo musical com até 30 minutos de duração digitalmente pelo siteredbullmusicacademy.com/apply ou em CD. O júri da Red Bull Music Academy anunciará os candidatos selecionados no início de 2018.
SIGA A RED BULL MUSIC ACADEMYhttp://sp.redbullmusicacademy.comhttp://facebook.com/RedBullMusicAcademy http://twitter.com/RBMAhttp://instagram.com/rbma#RBMASP @RBMA
QUER MAIS?Acesse o site redbullmusicacademy.com para centenas de palestras em videos e artigos. Para ouvir mixtapes, entrevistas e playlists de artistas jovens ou consagrados, acesse redbullradio.com. Para artes, fotos e videos de eventos RBMA para uso editorial, visite o Red Bull Content Pool  redbullcontentpool.com/musicacademy.
read more...

O grupo Restritos acaba de lançar o EP "UMADAS"




Restritos, grupo integrante do selo VariaZideiaZ formado em Jandira zona oeste de SP.

Lançou dia 23 de Julho seu primeiro disco (Ep) intitulado de "UMADAS".

O disco conta com vários beatmakers e participações dentro das suas suas 9 faixas.

Nos beats temos, Gâmbia Beats, LR Beats, $igla, Fac Tual Clã e Jaxn Beats.

Nas participações das faixas soltas temos Siddy MC e Sigla.

Na 10/10 CYPHER teve uma junção de vários MC's da Batalha de Jandira, JC e Tzk (3km) Dima$ e Conhaque (Luz da Neblina) Jaspion (Próximo Episódio) Gus, Gringo e Sigla. 


O disco foi gravado na Supernova Rec, com direção de áudio, mixagem e masterização do Sigla. 

Está sendo distribuído inicialmente no youtube pelo canal do Restritos e pelo VariaZideiaZ!

EM BREVE EM TODAS PLATAFORMAS DIGITAIS, OUÇA AGORA NO YOUTUBE O ÁLBUM "UMADAS" DO RESTRITOS (Cas e Mac)


read more...

You know what nia stands for? - Podcast #AnaIndica


Imagem divulgação: Podcast NIA 
Podcast? Com certeza é uma palavra que todo mundo já deve ter ouvido, mas você sabe o que significa?
Hoje em dia com a facilidade do YouTube e Facebook, os conteúdos visuais tem se tornado comum. Quase todo tipo de conteúdo vem atrelado a um "curte, compartilha e divulga" ao final. Os Podcasts são um recurso de aúdio que tem conquistado cada vez mais pessoas para que divulguem suas idéias, opiniões e afins. 
"A idéia principal dos podcasts é que sejam uma série de programas abordando os temas de interesse daquele público alvo, com convidados, numa forma de entretenimento "
Pensando nisso, e buscando pessoas negras que falem sobre assuntos que nos seja interessante, trazemos a indicação do NIAcast. O Podcast da jovem Ana Beatriz, perpassa assuntos como referências, representatividade, a importância do Hip Hop, o corre independente, entre outros assuntos.
Vale a pena ganhar uns minutos ouvindo!

read more...

terça-feira, 25 de julho de 2017

Mulheres debatem ‘ser ou não ser escritoras’ em ciclo literário no Itaú Cultural


Transexualidade e diferentes formas de se fazer literatura também estão em pauta no encontro com Kika Sena e Janaína Moitinho; Conversa é mediada por Jéssica Balbino



“Ser ou não ser escritor?!”. A pergunta que assombra quem está com a gaveta cheia de escritos é o que move a pauta desta quarta-feira (26) às 19h no Ciclo Margens, que acontece no Itaú Cultural, no centro de São Paulo e recebe como convidadas a poeta Kika Sena, que vive em Brasília (DF) e a poeta e pesquisadora paulista, Janaína Moitinho.

O encontro tem curadoria compartilhada entre o Itaú Cultural e a jornalista Jéssica Balbino, que também vai mediar a conversa. Ter poemas na gaveta é ser poeta? Participar de slams – e propagar a tradição oral – faz de alguém literato? Esta mesa discute o que define uma pessoa como escritor. O tema vai levar para o debate o que torna alguém escritor, se a publicação de um livro, ou outras formas de fazer literatura, como a oralidade, os saraus, os slams e os zines.

“A ideia é trazer para o debate pessoas que fazem diferentes tipos de literatura. A ideia é entender que literatura vai além do grafocentrismo de ter que ter um livro publicado, com registro, ISBN, etc. Não que isso não seja válido e/ou importante, mas existem outras formas bem plurais de se pensar e realizar a literatura”, disse Jéssica Balbino.

A escolha das convidadas também revela a multiplicidade dos encontros do ciclo. Kika Sena é poeta e slammer, transsexual,  vive em Brasília (DF) e vai publicar o título “periférica”, com prefácio de Amara Moira, ainda neste mês com a padê editorial, uma editora formada por mulheres negras e que prioriza publicar autores negros e LGBTs, com livros feitos de maneira artesanal e sem atender às regras do mercado editorial.  Já Janaína Moitinho é autora de zines, trabalha com educação e atua em diferentes coletivos literários da capital paulista e também do Sul de Minas Gerais, sem nunca ter publicado formalmente.

“É uma preocupação, mas também uma escolha, trazer poetas que fujam do que é usual, do que está na moda,  dos grandes centros. Se vamos discutir literatura periférica, precisamos entender como ela ocorre em diferentes espaços, com pessoas comuns, mas que a fazem de formas que não são usuais. Acho que fomos felizes na montagem desta programação. Tivemos dois encontros e foram riquíssimos. A conversa desta quarta-feira tem tudo para ser bem interessante também”, destacou Jéssica Balbino.
Já passaram pelo ciclo Margens os autores Allan Jonnes, que vive em Aracaju (SE) e Raquel Almeida, que é de Pirituba, zona Oeste de São Paulo, bem como Letícia Brito, que vive no Rio de Janeiro (RJ), é poeta, slammer, gorda e vive da venda de zines em diferentes espaços, inclusive nos trens e dona Jacira, que é poeta, faz bordados, planta chás no quintal de casa e luta para ser mulher negra na sociedade.

Conheça as autoras

Janaína Moitinho é poeta, educadora e aprendiz. Participa de saraus da cena paulistana, sempre ouvindo e compartilhando. É uma das organizadoras do Slam do Grito. Publicou zines e participou de várias antologias, entre elas a Senhoras Obscenas. Ainda não publicou.



Kika Sena é poeta, slammer e performer. Vive em Brasília (DF) e participou, em 2016, do Slam BNDES na Festa Literária Internacional das Periferias (Flupp), no Rio de Janeiro. Transexual e feminista, milita nessas questões e se considera escritora, mesmo antes de ter publicado. Estuda artes cênicas na Universidade de Brasília (UnB).

Serviço
O quê: Ciclo Margens
Quando: Quarta-feira (26) às 19h
Onde: Itaú Cultural
Endereço: Avenida Paulista, 149, São Paulo – SP
Informações: bit.ly/ciclomargens
read more...

Oracoluz lança o som "Crônus"


Baseado na ficção cientifica traremos a vocês o Ep REALIDADE ALTERNATIVA, uma nova proposta sonora sendo desenvolvida nas frequências do RAP!

A FAIXA CRONUS TE LEVA A UMA VIAGEM MENTAL PELA HISTORIA, ONDE VOLTAMOS AO PASSADO E CONSERTAMOS OS ERROS ALTERANDO TODO CONTEXTO ATUAL E RESULTANDO EM NOVO MUNDO!

O grupo vem se destacando plea originalidade, que sempre foi uma das características de nos!


Clipe produzidos por LADO SUJO DA FREQUENCIA
Instrumental FGRH
Mixagem DROW MATTOS
Masterizaçao RAFAEL ZEFERINO AUDIOFUSION
Studio SAUNESPRO
read more...

#MrB lança o clipe da música "G20 nada mais perder"


Rapper residente na Alemanha. Decidiu voltar às linhas. Regressando sem realmente ter arrumado as botas.
Apenas, concentrado na sua Vida privada! 
Pois, nos últimos anos tem estado muito activo na questão em participar em manifestações para que o Curdistão obtenha a sua Independência. Proclamação oficial pelos outros estados membros da sua existência oficial. Chegamos há altura aonde intervir é uma obrigação... Pois, não vejo necessidade em estar calado. O Tema #MrB - G20 nada mais perder é uma faixa sobre a sua opiniao sobre o tema "Manifestação" que deve ser efectuada, mas que no final são abafadas pela Polícia que devia estar prestar segurança e depois são os que iniciam a revolta.
Os Estados "roubam" nos direitos que temos hoje, mas que para a geração de amanha... Já não existem. E quando temos pupilos temos que abrir a boca. Pois, amanha eles vão apresentar a conta para ser paga por causa destas guerras que não têm fim pelo poder absoluto de cooperativas ou organizações. Criando um Espectáculo absurdo para justificar as acções que condenam a vida de milhões no futuro.


Youtube Channel da #FreeMindNews

Ficha técnica:
Artista - Mr. B aka FreeMind!
Letra escrita por Mr. B aka FreeMind!
Voz - Mr. B aka FreeMind!
Produção do video - Belisário Silva
Equipamento usado nas gravações - Iphone 4
Mistura & masterização - Belisário Silva
Instrumental - 12. Lloyd Banks - The Get Back (prod. by Doe Peshi) #2009

Links


_________________________________________________

Letra (Português):
A rima sai da mente com atitude surpreendente
Ao ver essa gente toda olhar para sua frente.
Como se tivessem palas ou vendas nos olhos
sem prestarem a devida atenção aos molhos

de confusões estão acontecer mano
Insano o que esta humanidade tem como plano.
Globalização? igual a evolução?
mas por favor sem genocídio e escravidão.

Dessas contas das obras que pagam a reacção
descontrolada de instituições com apoio da munição
criaram as PLATAFORMAS Mesmo PARA REAGIR
e depois as portas abertas é só são para iludir

Aleppo? é uma cidade perdida
pela ajuda internacional esquecida
o povo não interessa, como essa pequena nota
num canto do escritório que esse mano nem aborda

Excessos de impostos postos em acção
plausível pelo mano depois do festão
... e eu? Há procura de uma mão
amiga que console o desconsolo da tua acção.

Num Mundo solidário da treta se não for
a própria porta a precisar de uma favor
Deixa de seguir a massa como um cordeiro
iludido pela ideia espalhada pelo carneiro

O Mundo está iludido! Nah O Mundo está perdido! 
Tudo a olhar pro umbigo! Olha o que eu digo.
Mr. B assim nunca vai durar
e neste mundo real só o diabo anda lucrar

Pois só existem manos sem amor ao próximo
e pelo que vejo! O contrato é improprio
para não dizer boneca insuflável 
que só serve pro momento mais palpável

É tempo de agir a plataforma está criada
Luta contra o parasita escondido na gravata
Que comecem os jogos na arena da Cultura
deste Parlamento infestado de visão curta
read more...

Riccow lança o som "Continuo Aqui"



Soundcloud // Ouça

read more...

R. Jay lança o clipe "É o Rap" part. Turma do Todinho


No ano de 2016 foi lançado o clipe oficial Só os Loucos pela produtora Boniarte, junto com o Projeto Hip Hop é Minha Cidade.
Dando continuidade no ano de 2017 o Projeto Hip Hop é Minha Cidade, apresenta seu 2º clipe oficial intitulado É o Rap, e novamente inserindo fantoches negros, atuantes, no cenário do Hip Hop Nacional.
Mantendo a temática predominante do lado lúdico do teatro, da originalidade, divergencia, criatividade, inovação, ousadia, irreverente.
O Projeto Hip Hop é Minha Cidade tem como objetivo impor um trabalho acessivel e educativo desde a criança, o adolescente, o adulto o idoso 3º idade.
Uma nova proposta no rap nacional, o lado B do Hip Hop, quebrando os paradgmas e saindo da mesmice.


Compositor e interprete rapper R.jay Grajauex Zona Sul
Produção do beat Esze de Doins Clube do Berro Grajauex Zona Sul
Execução e manipulação dos fantoches D. Boy Angel Diadema ( A B C)
Edição e filmagens Trirap ( Cachoeirinha Zona Norte)
Acessoria Artistica
Contatos para shows (11) 96815-1907 Whatsapp (11) 95127-6496
read more...
 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top