sexta-feira, 18 de janeiro de 2019


Depois do lançamento de sua mixtape Guerra da Arte Vol. 1” de 2018, Yanick Shazam, rapper de 26 anos natural de Campo Limpo Paulista e que faz parte do selo independente Sala Verde Entretenimento, lança novo clipe e single chamado “Cinzas” para anunciar seu quarto projeto solo, o EP “Verão Infernal” que ainda não tem data oficial de lançamento.

A música conta com beat e participação de Izabela Reis, rapper, produtora e beatmaker que atua na música desde muita nova, onde com apenas 14 anos já lançou seu primeiro projeto solo, recentemente lançou seu ótimo EP “Aurora” e agora faz parte do selo Sala Verde Entretenimento.

A direção do clipe ficou por conta de Yanick Shazam e Drôga, produtor do selo e que também fez as imagens e edição do clipe além de mixagem e masterização da música.


Cinzas trás referências ao mito da Fênix, ave que renasce das suas próprias cinzas depois da morte, a música faz questão de mostrar como um artista tem o poder de renascer da própria crise e voltar mais forte, mais resistente e com mais disposição através de suas palavras que serão eternas depois de gravadas e lançadas.

Assista:



Redes Sociais

Redes Yanick Shazam

Instagram: @shazam_yanick

Twitter: @ShazamYanick


Redes Izabela Reis

Instagram: @zas_reis

Twitter: @zas_reis


Redes Sala Verde Ent.

Instagram: @salaverde.ent



Depois de sair em uma das edições "Da periferia pra net da net pra periferia" Cal Will ta de volta!

O álbum do Cal Will entrará para a pré venda nas plataformas digitais nesse domingo (20/01) 
e antes disso gostaríamos de compartilhar a Capa, criada pela Caroline F. Nunes e algumas informações sobre o álbum.

Intitulado "Traços e Riscos". o Álbum contará com 10 faixas e Beat Makers de renome, tanto nacional como internacional. 
Dentre os nacionais estão Skeeter Beats, Neguim Beats2612 Beatz
e os internacionais, Sick DrumzSpell Ink e Santo Beatz.
Dentre as participações temos, Terval Rasta, Mka, Valcanaia e Viana do grupo Familia ZL, Jquetx de Cabo Verde e Filipe Neezer. 

Entrega, superstição e criatividade: Rincon Sapiência revela fórmula de seu novo hit Rapper libera making of da produção autoral e lança single nas plataformas digitais


(Créditos: Porqueeu Filmes)

18 de Janeiro de 2019 - O Mc, produtor musical e empresário Rincon Sapiência liberou na última quarta-feira o making of em que apresenta o processo de produção autoral do seu novo hit “Mete Dança (Verso Livre)”, realizado em seu próprio home studio. O vídeo saiu como um aquecimento para o lançamento oficial da música nas principais plataformas digitais que ocorre nesta sexta (18) e que também conta com videoclipe, que foi lançado logo após o Natal. A pegada dançante justifica o nome da música, inspirada por um dos ritmos cuja musicalidade mais inspira o artista, o pagodão baiano. O encontro inusitado do rap com o gênero musical popular se soma a já conhecida habilidade do rapper paulistano em destilar punchlines ácidas e bem-humoradas em seus versos livres.

Lançado pelo seu próprio selo, o MGoma, o trabalho dá continuidade à tradição criada por Rincon de sempre fechar o ano com uma surpresa para a cena, na mesma data. Seguindo a receita criadora de hits como “Linhas de Soco” (2014), “Ponta de Lança (Verso Livre)” (2016) e “Afro Rep” (2017), “Mete Dança” reafirma a proposta do artista de aliar a celebração do protagonismo da periferia com a luta pelos espaços de poder por meio da manifestação cultural. “Apresento à vocês o registro do processo de produção desse som, que envolveu muita entrega, superstição e criatividade”, declara Sapiência.

O clipe, produzido pela Porqueeu Filmes, foi gravado na Zona Leste de São Paulo, lugar de origem de Rincon, evidenciando locações e personagens locais, como a Cohab 1 – bairro em que o artista nasceu e cresceu – e a Vila Silvia, onde o famoso Jamaica, catador de lixo reciclável e propagador da cultura jamaicana, usa sua criatividade para construir estruturas surpreendentes com materiais reaproveitados. A direção é assinada por LubaConstruktor, pseudônimo do DJ Mista Luba, companheiro musical do Mc nos palcos há 15 anos, parceria que se estendeu ao audiovisual em diversos videoclipes. Nas cenas, um time de bailarinos baianos mostra a força da dança que vem da periferia da Bahia. “Mete Dança (Verso Livre)” é uma homenagem à cultura do Estado nordestino que reúne a maior população preta do país e é referência musical afro-brasileira há séculos, o que contempla também as religiões de matriz africana, com várias menções aos orixás, como Iansã, Exu e Xangô.

A potência dos ritmos que tremem os „paredões‟ e „aparelhagens‟ de som nos bailões e „fluxos‟ de comunidades em todo o país se faz notar tanto nas imagens do clipe quanto na percussão, intercalada com um baixo bem grooveado e arranjos eletrônicos. Inspirada pelo pagode baiano – desde os clássicos Harmonia do Samba, Psirico e Terrassamba, até os mais recentes como Igor Kannario, Parangolé e

ÀTTØØXXÁ - a sonoridade suingada de “Mete Dança (Verso Livre)” convida os corpos a se deixarem envolver com a música. Característica notável de Rincon Sapiência, que tem impressionado o público em suas performances ao vivo: a aliança entre o som e a expressão corporal faz do artista um inovador da cena.

É com a ideia de que a quebrada deve pilotar o seu próprio bonde e se ver representada naquilo que consome como arte, entretenimento e estilo de vida que o artista mostra a compatibilidade praticamente infinita entre gêneros musicais populares que hoje ocupam o topo das playlists mais executadas do país. A lógica se estende à moda, que ganha destaque com as cenas gravadas no Ateliê Xongani, localizado no bairro de Artur Alvim, próximo ao lugar de origem do rapper. A grife de roupas afro é gerenciada pela empreendedora Ana Paula Xongani, que foi destaque recente na capa da revista Você S.A..

Rincon Sapiência faz tudo isso sem prejuízo ao viés crítico característico do seu discurso, marcado pela exaltação das ditas „minorias‟ e de defesa da cultura periférica, que se mostra cada vez mais capaz de traçar seu próprio caminho sem necessariamente depender dos mecanismos centrais de produção.

Assista o Making of:


+Rincon Sapiência

O rapper Rincon Sapiência é um artista de destaque na cena musical brasileira. Em 2017, lançou Galanga Livre, seu álbum de estreia, que entrou para a lista dos 50 melhores álbuns da música brasileira de 2017 da Associação Paulista dos Críticos de Artes (APCA) e ganhou dois troféus do Superjúri no Prêmio Multishow daquele ano. A premiação também rendeu o título de Revelação do Ano, reforçado pela sua eleição como Artista do Ano pela APCA. Desde então, Sapiência tem trabalhado na divulgação do álbum no Brasil e no exterior, período em que também reafirmou a sua versatilidade artística em parcerias musicais com Sidney Magal, Alice Caymmi, Rubel, Drik Barbosa, IZA e Tropkillaz. Recentemente, o artista lançou o seu próprio selo musical independente, chamado MGoma, apostando em seu reconhecimento como um dos produtores musicais mais respeitados da cena.



Cypher #1RDQ - Autonomia Vandal | Vic Bold | Rapper Discípulo | Bigode MC 

O movimento RAP DE QUEBRADA, está a 2 anos ocupando os espaços urbanos com Roda de conversa, Sarau de Poesia, Batalha de Mc's e Pocket Shows em Sabará - MG (Prç Santa Rita - Centro) e Belo horizonte - MG (Morro das Pedras-zona Oeste).
Confira o primeiro Cypher do Coletivo!



Ficha técnica : 

Composição: MYA, VICK, Rapper Discípulo, MDG, Bigode Mc
Produção Visual: Rhannsler e Siete Ent
Produção Fonográfica: PG 

Página do facebook Rap de Quebrada: 

Instagram Rap de Quebrada: 

Produção Visual: 
Siete Ent - https://goo.gl/xgZuw4
Rhannsler - https://goo.gl/YKuYAx

Produção fonográfica: 

Apoiadores do Movimento:
PROS ALS: 
Canal do youtube: https://goo.gl/Ufxbn7

STUDIO CHRONOS : 
Canal do YouTube: https://goo.gl/oS1fjc

ALLQUIMIA RECORDS:
Canal do Youtube: https://goo.gl/h4anEr

JAMAICANAS HEMPSTORE:
Canal do YouTube: https://goo.gl/pAZbER


CASARÃO 36: 

CATU:

STILO LIVRE STREET ART:
Canal do YouTube: https://goo.gl/W8P1Ni

BIRO ARTS:


PRESIDENTE MACHINE:

#RDQUEBRADA #HIPHOPMG

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019



Em 2017, Trae Tha Truth lançou Tha Truth Pt.3, que incluiu o som "I'm On 3.0" - um som com muitos recursos que incluía versos de * inhale * Dave East, Royce 5'9, TI, Curren$y , Tea Grizzley, E-40, Styles P, Snoop Dogg, Fabolous, G-Eazy, Rick Ross e Chamillionaire; e um gancho por DRAM, Mark Morrison e Gary Clark Jr.

E agora, depois de levar dois anos para caçar cada artista para filmar a cena, finalmente foi lançado.
"Colocando isso junto como uma sessão de sparring, sobrevivência do mais apto liricamente", disse Trae Complex. "Mais importante, é raro que você possa ver artistas de vários estilos da indústria da música em um único vídeo. A série 'I'm On' que é histórica."

Assista:


Comemorando um ano do seu quarto disco, "daDAdaDAdaDAdaDAdaDAdaDA...", a Aldan apresenta o clipe da faixa "Hipernormalização". Com direção do Fábio de Carvalho, o vídeo tem referências do cinema brasileiro dos anos 60 e do documentário "HyperNormalisation", da BBC. 

Assista:


Aldan
Anti-rock ou Afronoise de Belo Horizonte
formada por Marcus Vinícius Evaristo (voz e guitarra), Fernando Bones (voz e baixo), Tiago Sales (guitarra) e Bruno Carlos (bateria). Em dez 10 anos de atividade, a banda passou por diversos estados brasileiros, como Rio de Janeiro, São Paulo, Alagoas, Pernambuco,
Bahia e Pará. Lançou os álbuns “Você já roubou hoje?” (2010, Coletivo Pegada), Uma nova humilhação (2012, Membrana), “Pode ser que daqui a algum tempo eu tenha 30” (2015, Independente) e “daDAdaDAdaDAdaDAdaDAdaDA…” (2017, Geração Perdida).



foto: Gustavo Benite

A pedrada tem produção de DigitalDubs e faz parte do disco “Amplificado”. Lançamento 17/01.

As palavras de resistência, espiritualidade, liberdade e autoconhecimento do reggaeman Jota 3 estão no ar. Ele está de volta - e muito bem acompanhado - por BNegão. Após uma intensa temporada com a turnê do projeto “Inna Positive” (protagonizado por um dos sound systems mais respeitados do Brasil, o carioca Digitaldubs), Jota 3 retorna ao seu quarto disco Amplificado por Digitaldubs (2016), com o lançamento do clipe “Flores e Ervas”.

“A ideia do clipe surgiu em janeiro de 2017, enquanto eu participava de uma temporada de verão com o Digitaldubs na casa do skatista Bob Burnquist na Barra da Tijuca (RJ)”, conta Jota 3, que decidiu gravar justamente na vizinhança do famoso campeão do skate brasileiro.

A aventura de Jota 3 e seus parceiros musicais a bordo da selva da Babilônia também foi gravada em uma outra locação secreta fora do Brasil. O vídeo é uma ode ao direito de plantar flores e ervas no quintal. Um hino aos jardineiros libertários da cultura ancestral. E também um alerta pela legalização da cannabis medicinal.

O produtor da faixa, Marcus MPC (aka Digitaldubs) também aparece nesta aventura selvagem, assim como o MC do Digitaldubs Jeru Banto. A sonoridade da faixa segue a estética do Digitaldubs, com o bassline pesado do dub e programação digital aliada à percussão nyahbinghi e metais.

Assista:


“Cantar e escrever sempre foram um processo de cura e descoberta para mim. E minha causa maior passou a ser dedicar minha vida afim de ajudar as pessoas a evoluir intelectual, espiritual e moralmente através da música, da mesma forma como fui e sou ajudado por ela”, afirma o artista-ativista

E seguindo a tradição da música jamaicana, foi lançado também o vinil compacto 7” desta faixa, que conta com um lado B em versão instrumental - e exclusiva - para todos os sound systems tocarem e improvisarem suas rimas. Compre na Reggae Shop.

Porque segundo escreveu o jornalista Carlos Albuquerque (Calbuque) sobre o disco Amplificado por Digitaldubs - que foi gravado entre Rio de Janeiro, Vitória, Barcelona (Espanha), Birmingham (Inglaterra) e Kingston (Jamaica): “reggae bom é reggae vivo. Apoiado em gigantes como Sly & Robbie e Twilight Circus , o cantor e MC Jota 3 – nascido no Rio, criado em Vitória – dispensa clichês moribundos e deixa a herança militante do gênero fluir, forte e pulsante”.

AGENDA:

DIGITALDUBS com participações de BNegão & JOTA 3 apresentando novo clipe e vinil “Flores & Ervas”

20.01 (domingo)

Rio de Janeiro/RJ

Local: Bco (Rua General Luís Mendes de Morais, 210)

Horário: 20h - 02h

Ingressos: R$ 20 a R$ 40

Venda Física: na portaria


(taxa de conveniência)

Classificação: 18 anos Capacidade: 1000 pessoas

Outras atrações: BNegão, Dada Yute, Jeru Banto, Doralyce, Rebel Layonn (haiti), Andre Sampaio, Melodica Vibezz


terça-feira, 15 de janeiro de 2019


A ganhadora de cinco Grammy's, criou sucessos como “The Rain (Supa Dupa Fly)”, “One Minute Man”, “Work It” e “Lose Control”, foi descrita como: “uma das artistas femininas mais importantes da história da música contemporânea”.

Elliott ganhou seu primeiro Grammy por sua “Melhor Performance de Rap” em “Get Ur Freak On” em 2002, uma música em seu álbum de 2001, Miss E… So Addictive.

Nascida na Virgínia, Missy Elliot será o terceiro rapper a entrar no Hall da Fama dos compositores, juntando-se a Jermaine Dupri e JAY-Z.

Elliott será empossada em uma cerimônia em 13 de Junho em Nova York.

Um dos clipes com dança mais sensacionais do rap


DCazz e Alt Niss, combinação sublime que o R&B precisa ouvir 
Conheça o single '’O melhor pro final'’

O ano começou bem, isso porque na última sexta-feira (4), duas vozes da música R&B e Neo Soul nacional lançaram um belíssimo feat no estilo mais classudo possível. Com produção de Jhow Produz, DCazz e Alt Niss se uniram na faixa ''O melhor pro final'', música que retrata vivências pessoais e um pouco sobre a realidade do cenário político atual, sem deixar de se envolver e apreciar a delícia de beat que a canção traz, e a combinação perfeita entre as vozes da dupla. O melhor pro final é o primeiro single divulgado do próximo EP do Jhow intitulado ''Experimental 2'' que será lançado em breve.

‘’Melhor pra o final’’ é uma música que foi um convite do DCazz pra mim através do Jhow. Eu e o DCazz já vínhamos ensaiando uma parceria a algum tempo, e essa foi a primeira parceria que fizemos de fato, porque existe uma identificação artística muito grande, por ele também fazer R&B mesclado com algumas outras sonoridades e eu também, então a gente tem planejamento de fazer outras parcerias juntos. O Jhow já é um cara que eu conheço a algum tempo, já tive oportunidade de fazer guigui com ele, gosto muito e admiro o trabalho dele, então foi uma honra fazer essa música.

Quando a gente pensou que tema trazer para essa música, o DCazz deu a idéia da gente falar de uma coisa mais atual, dentro do momento que a gente estava vivendo, político, o cenário de tensão e trazer essa coisa mais branda para o momento. A gente de certa forma faz algumas críticas políticas, sociais e expõe mais ou menos o momento que a gente ta vivendo como sociedade, como sociedade periférica também, mas trazendo aquela coisa de sempre pensar positivo e pensar no melhor que a gente pode tirar dos nossos dias, preservando a naturalidade das coisa, se apegando nas coisas simples que trazem conforto pra gente no dia-dia. Então, foi mais ou menos essa idéia que a gente quis trazer, de acreditar na positividade independente de todas merdas que estão acontecendo no momento. Conclui Alt niss.

Mesmo não possuindo uma cena totalmente consolidada, o R&B é um estilo musical que atualmente conta com grandes representantes a exemplo de Luccas Carlos, Luiz Lins, Wesley Camilo e o próprio DCazz, artista da zona norte de São Paulo que tem trilhado um belíssimo caminho na música, e vem conquistando o ouvido e o coração do público com a consistência e delicadeza de sua voz e com o romantismo de suas letras. Ao que tudo indica DCazz promete ser uma grande promessa nesse ano de 2019, principalmente com o lançamento do seu primeiro EP ''Recarregando'', que vem repleto de participações e vários nomes de peso do rap nacional.

Ouça:


Foto: Maurício Nahas

Janeiro é o mês do Rap nas Férias Musicais no CCBB São Paulo. Serão realizadas Batalhas de Rap, nos dias 23 e 25 de janeiro, Fábio Brazza, um dos grandes nomes da cena atual do rap, faz shows nos dias 24 e 26 de janeiro,com participações especialíssimas de Vulto e Negra Li. Tudo de graça!

Os shows do Fabio Brazza irão acontecer no Teatro do CCBB. No dia 24, às 19h, Vulto faz participação e no dia 26, às 19h, é a vez de Negra Li.

Do lado de fora do CCBB, as Batalhas de Rap com concorrentes de campeonatos anteriores que virão de vários pontos da cidade. Os ganhadores levarão prêmios como fones de ouvido e caixas de som.

Foto: Alex Takaki

Fabio Brazza
, neto do poeta concreto Ronaldo Azeredo, é também poeta, músico e improvisador e já conta com mais de 2 milhões de seguidores nas redes sociais. Entre videoclipes, poesias e improvisos de rap, já conta com mais de 170 milhões de visualizações nos seus vídeos e vem transformando a cabeça de uma geração de jovens que, depois de conhecerem seu trabalho, mudaram a relação com o conhecimento.
Fabio Brazza faz hip-hop popular brasileiro. Música brasileira e hip-hop numa fusão perfeita entre crítica social, alegria, ritmo e poesia enchendo os olhos e o coração. Mas seu talento, inteligência e dom de improvisar rimas já o levaram a dividir o microfone com grandes nomes da música como Gabriel o Pensador, Arnaldo Antunes, Caju e Castanha, Paula Lima e Chali 2na do Jurassic 5.
Em abril de 2014 lançou seu primeiro álbum, Filho da Pátria, e já foi parar na lista dos 10 artistas que estão reinventando a música brasileira do site americano Wondering Sound.Após as boas críticas com o álbum, Tupi, or not Tupi lançou em 2017 o álbum É Ritmo mas também É Poesia e o 1º EP musical em formato de Programa de TV, o Epopéia da Poeira Cósmica.
2018 começou bem para o Brazza, participando da composição do samba-enredo nota 10 da escola do Grupo Especial de São Paulo, Dragões da Real. Ainda para esse ano teremos seu primeiro álbum acústico, Colírio da Cólera, todo filmado em estúdio e conta com as presenças de: Negra Li, Marina de La Riva, Gabriel Elias, Fernandinho Beatbox e Cynthia Luz. Além dese projeto Fabio lançou seu primeiro livro, inspirado em seu poema Pensamento Inverso e com prefácio escrito por Mauricio de Sousa, criador da Turma da Mônica.

Alex Takaki
Vulto, começou a fazer rimas de improviso em meados de 1997, ainda criança em brincadeiras com os amigos. Em 2007, começou a participar das batalhas de freestyle e em pouco tempo, conquistou uma sequência de vitórias nas  batalhas mais importantes  do hip hop brasileiro, tais como a Rinha dos mc's fundada por Criolo, Batalha do Santa Cruz e as batalhas da Casa do Hip Hop em Diadema.
Reconhecido como um dos melhores mc's de rima improvisada, foi elogiado por grandes nomes como Criolo, Emicida, Projota, Rashid, Kamau entre outros artistas consagrados da cena.
Campeão na edição especial da Batalha da Santa Cruz, promovida pela Nike no maior evento de tatuadores do mundo na Fecomercio e no aniversário de 20 anos da Casa do Hip Hop de Diadema, passou a ser considerado um dos 10 melhores Mc's de freestyle do Brasil. Em 2011, chegou à grande final do circuito nacional de freestyle, promovido pela Rinha dos Mc's e apresentado pelo próprio Criolo já após ter se consagrado em sua carreira músical com o disco (Nó na orelha) vencida essa etapa, decidiu encerrar sua atuação nas batalhas de rimas para se dedicar inteiramente à música.
Com o seu grupo de rap Rivais, gravou em 2011 o disco "Pra quem quiser saber", que tornou real seu sonho de infância, qual seja viajar por diversas cidades, levando sua música. A partir desse trabalho surgiram convites como o de Fabio Brazza para participar das batalhas de rap do canal dos (Desimpedidos) de Felipe Andreoli e para o programa (Acelerados) de Rubinho Barrichello, que em 2017 fez questão de promover a primeira batalha de rap com marcas de carros para seu programa após ter visto o sucesso dos vídeos de batalhas de times, esta foi a primeira batalha do gênero exibida em rede nacional.
Em 2017 Vulto foi convidado por Fabio Brazza a participar como compositor de seu disco acústico intitulado (O colírio da Cólera) que contou com a participação de grandes nomes da cena do rap tais como a Negra Li que gostou tanto do resultado da parceria de compositores que convidou pessoalmente Vulto e Fabio Brazza para escreverem o seu disco intitulado (Raízes) que sai agora em novembro de 2018.

Negra Li, musa do RAP, volta às raízes lançando RAP de vanguarda. Mais linda do que nunca, madura aos 38 anos, Negra Li está voltando ao mercado musical, às suas raízes da periferia, à sua verdadeira essência, o RAP. É a menina da periferia, que volta mulher, mãe, e ocupa seu lugar de musa do RAP, após uma merecida pausa. “Saí do RAP há alguns anos, fui para o pop e para a MPB, mas no meu coração sou RAP, sou da Brasilândia e não posso negar minhas raízes. Eles precisam da minha voz”, fala emocionada Negra Li.
Com novo disco que retrata o momento da artista: felicidade pura, muito amor pelos filhos, pelo marido e pela periferia. Mistura de jovialidade e orgânico. Bateria de Trap com um quê de samba. Novo, original, contagiante, apaixonante. Um retorno triunfal da musa do RAP às suas raízes.

Ficha Técnica
Carlos Hamilton Martins Feltrin - Direção Artística
Lucas Reyes - Produtor Executivo
Crédito das fotos de Fabio Brazza e Vulto: Alex Takaki
Crédito da foto de Negra Li – Mauricio Nahas

RAP
Fábio Brazza - Rapper
Vulto - Convidado
Negra Li - Convidada

Serviço:
Férias Musicais no CCBB
Classificação indicativa: livre
Entrada Franca

Janeiro
Dia 23 e 25 de janeiro, às 19h – Batalhas de RapLocal: Lado de fora do CCBB
Classificação Indicativa área externa: livre.

Dia 24 de janeiro, às 19h - Fabio Brazza e VultoLocal: Teatro – 140 lugares
Retirada de senhas uma hora antes
Classificação Indicativa teatro: 12 anos. 

Dia 26 de janeiro, às 19h -  Fabio Brazza e Negra LiLocal: Teatro – 140 lugares
Retirada de senhas uma hora antes
Classificação Indicativa teatro: 12 anos. 


Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro. São Paulo –SP
Acesso ao calçadão pela estação São Bento do Metrô
(11) 3113-3651/3652 | Quarta a segunda, das 9h às 21h

Classificação indicativa: 12 anos
Acesso e facilidades para pessoas com deficiência | Ar-condicionado | Cafeteria e Restaurante | Loja
Estacionamento conveniado: Estapar - Rua Santo Amaro, 272.
Traslado gratuito até o CCBB. No trajeto de volta, a van tem parada na estação República do Metrô.
Valor: R$ 15 pelo período de 5 horas.
É necessário validar o ticket na bilheteria do CCBB.

Follow Us