quarta-feira, 31 de outubro de 2018


No dia 7 de novembro de 2018, às 20h, no Aparelha Luzia (Rua Apa 78, SP) a Editora N-1 lança o livro “UPP – Redução da favela a três letras: uma análise da política de segurança pública do estado do Rio de Janeiro”. A edição retoma integralmente, com pequenas adaptações, a dissertação de mestrado de Marielle Franco, defendida na Universidade Federal Fluminense. O lucro obtido com as vendas deste livro será inteiramente revertido para a família de Marielle.

Marielle Franco, socióloga e vereadora, foi brutalmente assassinada a tiros em março de 2018 na região central do Rio de Janeiro, em um caso ainda sem solução. A organização do livro é de Lia de Mattos Rocha e o prefácio de Frei Betto. A curadoria do lançamento é de Sidney Santiago e Sonia Sobral. Os livros estarão à venda no site da N-1(https://n-1publications.org/) e no showroom da editora em São Paulo (Rua Frei Caneca 322).

Para o dia do lançamento vários nomes estão confirmados, como Akins Kinte, Allan da Rosa, Ana Maria Gonçalves , Anielle Franco, Aretha Sadick, casadalapa, Coletivo Transverso, Erica Malunguinho, Gumboolt Dance Brasil, Lia de Mattos Rocha, Lucelia Sérgio Os Crespos, Micro roteiros da Cidade, Monica Benicio, Paulistanos, Raul Zito, Rico Dalasam, Viny Rodrigues, Zona Agbara.

Marielle presente!

A voz e o pensamento de Marielle não param de desafiar a brutalidade cometida contra ela e contra tantos. O livro não apenas denuncia e

identifica o problema da militarização do espaço público, mas também propõe soluções : “Unificar as polícias, desvinculá-las do Exército, caminhar para desarmar a sociedade e reforçar uma visão de segurança integrada, muito superior a questões policiais, são medidas fundamentais”, dizia Marielle.

Neste sentido, a publicação desta tese e sua difusão por todos os meios e formas é um passo fundamental para propagar e alimentar a esperança apregoada por Marielle durante toda sua vida. “Este livro tem de ser lido, reproduzido, distribuído, debatido e repartido como pão quente capaz de alimentar a mesma esperança encarnada por sua autora, minha amiga , Marielle Franco”, declara Frei Beto, que assina a contracapa do livro.

(…) “ O objetivo geral deste trabalho é demonstrar que as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPS), como política de segurança pública adotada no estado do Rio de Janeiro, reforçam o modelo de Estado penal, absolutamente integrado ao projeto neoliberal. Ainda que tenham diferenças, centradas na substituição das conhecidas incursões policiais por um modelo de controle e ocupação de território por armas oficiais, esse fato não significa, necessariamente, uma alteração profunda da política em curso. Cabe destacar que a política estatal de combate às drogas e à criminalidade violenta, nesses territórios das favelas, é caracterizada por estratégias de confronto armado contra o varejo do tráfico, em que as incursões policiais ou a sua permanência nesses locais reforçam a iminência de confrontos e o cerceamento da vida cotidiana. “(…) Marielle Franco



Serviço:

Lançamento “UPP – Redução da favela a três letras”

Data e Local: Dia 7 de novembro, às 20h, no

Aparelha Luzia – Rua Apa, 78

Entrada Franca

Abordando a segunda vinda de Jesus, o Louvo no Flow relata com alegria sobre o apocalipse, reafirmando a existência do paraíso para o cenário de caos vivido nos dias de hoje.

O grupo não só repaginou “Em Ti Eu Vou Esperar”,  como trazem uma proposta mais acústica e descontraída na versão do seu último EP. O video clipe dirigido pela Galvão Filmes foi gravado na cidade de São Paulo. Você pode assistir abaixo:

Assista:


Fake news é o novo trabalho do Ultraflow. A música fala sobre manipulação midiática, guerra psicológica, dependência tecnológica e a caótica realidade trazida pelo excesso de informação na era da pós verdade. O clipe retrata um ambiente artificial, confuso e opressivo, onde personagens caricatos interagem através das mais diversas telas. Explorando exaustivamente a repetição da mensagem, a falta de vitalidade e passividade dos personagens, congelados em cenários indefinidos numa metáfora visual sobre a caótica realidade do mundo de hoje.  



Roteiro e edição: MZA 
Produção musical : Fabrica de Rap Fosco. 

terça-feira, 30 de outubro de 2018


Virax é um rapper que vem com uma sequência formidável de lançamentos, após disponibilizar duas mixtapes este ano, vem trabalhando nos videoclipes da mesma.

Hoje (29) foi disponibilizado o videoclipe de “Kamikaze“, a primeira faixa da “Criminal 2“. Em tempos sombrios, o som é mais atual do que nunca, parece que foi escrito hoje. A primeira frase já é:

“Acordei com vontade de matar o presidente, se rap é crime eu sou reincidente”, em seguida o rapper segue abordando temas polêmicos como falsos pastores, pessoas hipócritas que usam camiseta da seleção para rasgar a constituição e até enaltece vítimas do Estado que lutaram pelo direito do povo; Marielle, Amarildo e Rafael Braga.

O clipe veio com um audiovisual forte, filmado em uma construção abandonada, retrata a babilônia, todo o caos urbano e a destruição que o Estado faz com o povo. Renan Fagundes (Vandarte) foi o responsável pela direção, filmagem e edição. O instrumental foi assinado por Scooby e Caslu BC (AK Music) cuidou da mixagem e masterização.

Assista:


Música é o segundo single do próximo trabalho da banda, previsto
para o primeiro semestre de 2019

Paz no caos. É assim que a cantora e compositora Liniker Barros define “Calmô”, nova música de Liniker e os Caramelows. A canção faz parte do próximo disco da banda, patrocinado por Natura Musical. O lançamento está previsto para o primeiro semestre de 2019.

Com uma agenda intensa fora do Brasil (neste ano, até agora, foram mais de 40 shows no exterior), Liniker e os Caramelows precisaram registrar faixas do sucessor do álbum Remonta (2016) pelos países por quais passaram. A pré-produção de “Calmô”, por exemplo, foi feita em Portugal. “Em um momento de cansaço da turnê, surgiu uma proposta de groove manso que coube demais na ideia da música”, conta o baixista Rafael Barone, que também assina a produção musical. Em seguida, rumo a Berlim, o grupo nascido em Araraquara conseguiu registrar a canção no estúdio Philophon.

“Ali, fizemos uma gravação com a base da banda tocando junta: bateria, percussão, baixo, guitarra e piano elétrico, todos com amplificadores ligados na mesma sala”, diz Barone. “O vazamento dos instrumentos - com os microfones de 50 anos atrás - deu toda uma sonoridade que lembra a música dos anos 60, mas com uma roupagem contemporânea”, define.

“Calmô” foi composta por Liniker em 2014, antes de o grupo ganhar projeção nacional com o EP de estreia Cru (2015). “Nela, eu canto o amor de duas mulheres que viveram a delícia da entrega e caminharam juntas por muitos lugares. Eu fui cúmplice dessa história”, lembra a cantora e compositora. “A questão é falar de amor, de mulheres que se fortalecem e se amam, se acolhem e se  plantam em grandes florestas para serem brisa juntas”.

O projeto foi selecionado pelo edital Natura Musical 2017. “O Natura Musical sempre acreditou na força da música para mobilizar as pessoas. Para refletir esse propósito e dar espaço à diferentes vozes, a plataforma apoia artistas e bandas capazes de amplificar debates contemporâneos. Além de entreter, eles também usam a arte como um meio de questionamento e transformação. É o que podemos esperar de Liniker e Os Caramelows, em seu novo trabalho”, diz Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura.
 
“Calmô” é uma potência frugal, é paz no caos, é leve.

Deixa tocar e vem.




Ficha técnica de “Calmô”
Letra: Liniker Barros
Música: Liniker e os Caramelows
Músicos:
Éder Araújo - sax tenor

Fernando TRZ - Wurlitzer e órgão
Liniker Barros – Vocais
Marja Lenski – Percussão
Pericles Zuanon – Bateria
Rafael Barone - Baixo elétrico
Renata Éssis – Vocais
William Zaharanszki – Guitarra
Rinaldo Santos - Flugelhorn
Gravado no Estúdio Philophon em Berlim/ALE no dia 29/07/2018
Gravação complementar de flugelhorn no Estúdio Hiperbrass em Botucatu/SP no dia 15/08/2018
Produção musical: Rafael Barone
Co-Produção musical: Éder Araújo, Fernando TRZ, Liniker Barros, Marja Lenski, Pericles Zuanon, Renata Éssis, William Zaharanszki
Arranjo de sopro: Eder Araújo
Engenharia de som: Benjamin Spitzmüller e Max Weissenfeldt
Mixagem: Rafaela Prestes
Masterização: Alexandre Rabaço
Arte Gráfica: Domitila de Paulo
Produção Executiva: Let’s Gig

Sobre Natura Musical

Natura Musical é a principal plataforma de patrocínio da marca Natura. Desde seu lançamento, em 2005, o programa investiu R$ 132 milhões no patrocínio de 417 projetos - entre CDs, DVDs, shows, livros, acervos digitais e filmes. O último edital do programa neste ano selecionou 50 projetos em todo o Brasil, entre artistas, bandas e coletivos. Os trabalhos artísticos renovam o repertório musical do país e são reconhecidos em listas e premiações nacionais e internacionais. A plataforma digital do programa leva conteúdo inédito sobre música e comportamento para mais de meio milhão de seguidores nas redes sociais. Em São Paulo, a Casa Natura Musical se tornou uma vitrine permanente para a rica e pulsante produção musical brasileira.

Intervenção urbana “10 minutos para você: Uma performance afetiva” convida o público para uma pausa na rotina
Com o intuito de propor um olhar afetivo em espaços público, quebrando o cotidiano de quem passa por ali, o grupo Cia Uma realiza a intervenção “10 minutos para você: Uma performance afetiva”. Após passar por Jacareí e São José dos Campos, a apresentação chega ao Litoral Encena nesta sexta-feira, dia 02 de novembro. Quem passar pela Praça Cândido Mota a partir das 19h poderá trocar seus dez minutos com cada um de seus seis artistas, que buscam se aproximar das vidas cercadas de gestos automáticos e fazer com que se encontrem com a arte e poesia que oferecem. O convite é para que se deixe a rotina, de forma espontânea e transformadora, afinal, dez minutos podem ser a pausa mais preciosa quando a correria da vida não te permite um respiro ao longo do dia.
Através de pequenos momentos, em poucos minutos, grandes conexões podem ser realizadas. O imprevisível se torna especial quando a intervenção “10 minutos para você: Uma performance afetiva” possibilita que o público se insira em seis diferentes narrativas, e se inspire com estes seis artistas, que levam seu cenário e sua performance para as ruas. Ao criar micro ambientes ao redor de um mesmo local, cada performer, com sua cadeira e seus acessórios, propõe uma interação artística e uma troca afetiva. Desenvolvidos previamente, seus momentos são compostos por histórias, músicas, poesias e um convite para que o público participe e complete o sentido da intervenção.

“A partir do momento que a pessoa se senta, ela será nosso público protagonista e todas as ações estarão voltadas a ela. Estaremos dessa forma radicalizando na exclusividade e criando um momento de atenção plena voltada à um só ser, ser esse que com toda certeza merece um olhar único. Teremos também uma outra camada de público, que estamos denominando de ‘público espectador’. Esses estarão assistindo as ações apresentadas ao público protagonista, sendo impactados pela ação e, quem sabe também, se encorajando a serem os próximos a sentarem-se na cadeira.”, afirma a produtora Aline Souza, quem juntamente com a criadora e performer Milena inscreveu o projeto na Lei de Incentivo à  Cultura da cidade de Jacareí, pelo qual foi aprovado no início do ano e possibilitou as primeiras performances do projeto.
A experiência de conexão com tal público, abrangente e diverso, permite ainda o desenvolvimento de uma afinidade com quem, à caminho do trabalho, de um compromisso ou de casa, pode ter um contato único com uma performance artística. “No meio do caminho tinha uma ação poética. Tinha uma ação poética no meio do caminho”. Neste cotidiano em que cada um ao fim do dia percebe não ter se dado 10 minutos para refletir sobre si mesmo e sobre as ações realizadas nas últimas horas, a proposta de “10 minutos para você: Uma performance afetiva” é interferir neste cotidiano acelerado, criar e trocar, neste momento, arte e conhecimento (próprio e do outro). Ao quebrar a rotina do público presente em cada espaço ocupado pela intervenção, abrir um instante espontâneo para buscar este tempo tão significativo e o transformar.

“Acreditamos na potência de uma ação artística afetando o cotidiano da cidade e mais do que isso, acreditamos no poder do encontro real. Chegar ao Litoral Norte com esta performance é uma alegria muito grande para o grupo, ainda mais como parte do Litoral Encena, festival reconhecido e querido na região. Estamos empolgados para encontrar com o público nesse ambiente tão acolhedor. Quando positivamente impactado por uma ação artística, este público pode representar um elemento multiplicador em sua comunidade e uma grande aliada no importante trabalho de formação de público. Este que é um dos mais intensos e árduos trabalhos, compartilhado entre artistas, poder público e privado.”, completa Aline Souza.

SERVIÇO:

“10 minutos para você: Uma performance afetiva” no Litoral Encena:
Quando?
Dia 02 de novembro, sexta-feira, a partir das 19h
Onde?
Praça Cândido Mota, Centro, Caraguatatuba/SP
CEP 11660-060



No total, serão 10 shows em 11 dias passando por 7 países: Portugal, França, Alemanha, Espanha, Suíça, Irlanda e Reino Unido

Depois de rodar o Brasil com shows do disco “Coisas do Meu Imaginário”, com performances memoráveis nos maiores festivais do país, Rael agora dá início  a sua primeira tour na Europa. O cantor estreia hoje (30) em Portugal, com show na cidade do Porto, e depois em Lisboa (31), evento que também terá performance  do grupo Natiruts. Na sequência, Rael e o DJ Soares seguem pela França, Alemanha, Espanha, Suíça, Irlanda e Reino Unido, totalizando 11 shows, em 10 dias, em 7 países pelo velho continente.

Essa tour vem consolidar a trajetória de sucesso do álbum premiado - e indicado ao Grammy Latino como único concorrente brasileiro na categoria música urbana - “Coisas do Meu Imaginário”.  O artista já esteve na cidade do Porto (Portugal) este ano com esse mesmo show, que teve ingressos esgotados, o que lhe deu confiança de retornar agora com uma tour européia, iniciando justamente por Portugal.

Mas não é de hoje que Rael roda o mundo apresentando o seu trabalho. O artista vem construindo uma sólida trajetória no mercado internacional com turnês pelo Canadá, tocando no Montreal Jazz Festival e no Quebec Summer Festival e nos EUA, em casas como o lendário Joe’s Pub, de Nova York. Com o projeto "Língua Franca", formado por ele e Emicida com a portuguesa Capicua, apresentou-se em Portugal no festival SuperBock SuperRock no ano passado, na festa do Avante e, neste ano, na versão portuguesa do Rock in Rio.

O artista, que lançou seu primeiro disco solo de forma totalmente independente, acumula hoje um currículo de respeito, contabilizando três trabalhos, uma indicação ao Grammy Latino, prêmios, músicas entre as mais tocadas nas rádios, participações nos principais programas de TV do Brasil, dividiu o palco com grandes ídolos da música brasileira, como Caetano Veloso, Elza Soares, Seu Jorge e Jair Rodrigues, além de registrar hoje mais de 150 milhões de views no YouTube e 5 milhões de plays a cada mês no Spotify.

Paralelamente, no Brasil, já tem shows da tour agendados até 2019, apresentações do projeto “Rael Canta Vinicius de Moraes”, em que relê clássicos do poeta como “A Felicidade”, “Tarde em Itapoã” e “A Casa”, e o programa “Rael Convida”, que tem feito sucesso no seu canal no YouTube, onde recebe cantores de diferentes gêneros musicais para versões acústicas.
Rael na Internet

segunda-feira, 29 de outubro de 2018


Outubro 2018 – Pela manhã, logo ao acordar em um dia comum de agosto de 2017, Frank Ejara sente uma dormência, seguida por uma formigação, dor insuportável e falta de equilíbrio, o tempo todo consciente, mas com medo de fechar os olhos e não acordar mais... Foi levado com urgência ao hospital, mas somente 2 dias depois foi constatado que sofreu um AVC.
Foi esta experiência que inspirou o álbum “Amor, Vida e Caos”, do dançarino, DJ, produtor musical, cantor e compositor Frank  Ejara. “Após o meu acidente, muita coisa mudou em mim. Uma delas foi pensar em retomar o que realmente era meu sonho de realização. Fazer Rap e ter minhas músicas pelo mundo. Isso se perdeu com o tempo, com outras funções que exerci e que claro, me deram muita felicidade e realizações como por exemplo a dança. Mas quando me vi naquela situação, pensei que o que mais sonhei não havia realizado. Então, o momento é agora”, explica Frank Ejara.
O álbum de 13 faixas é autoral e todas as canções foram feitas de forma bem particulares, as músicas  foram gravadas no home estudio do artista e a produção, a programação, a composição e os arranjos ficaram por conta do próprio, já a masterização ficou por conta de Joe Black.
O projeto conta com várias participações especiais, o primeiro single Pausa e Play, teve a participação do DJ Basim no stratch, já a Tão Perto contou com Gabriel o Pensador e Guiko Batista, a Mente de um Bboy contou com DJ Niko, na Deixe As Dores Pra Mim, foi a vez de Joe Black, em Estou Bem, contou com Kameu e Carol Nazaret e a O Baile, teve Pepeu e Carol Naret novamente.
“O conceito do álbum aconteceu após meu AVC, sendo assim a maioria das músicas tem um conteúdo bem pessoal. Diria que é realmente um projeto autoral em todos os sentidos”.
Trata-se do primeiro álbum da carreira, mas o namoro com a música é de longa data.  Em 1999 Frank ao lado do DJ Som 3 gravou uma fita demo que denonimou “Operação Diamante”, o intuito era arrumar uma gravadora, o que acabou não acontecendo, mas o fato é que as músicas se espalharam e na época ocorreu um certo barulho. Além disso, no mesmo ano fundou a Discípulos do Ritmo, primeira Cia. Profissional de dança de rua do país, que ganhou reconhecimento internacional, e até hoje é diretor, coreógrafo  e dançarino. Também é sócio-fundador do Selo musical Meccanismo e com ele produziu vários artistas artistas, além de atuar como DJ em eventos. “Antes eu separava o dançarino,  do MC, mas agora, com tudo que passei e refleti, vi que o Frank Ejara é um só e mais que nunca um lado vai colaborar com o outro. Aliás, acredito que não sei mais diferenciar”.

As pretensões do artista para este novo projeto combinam bem com sua fase atual, são as mais sinceras possíveis. “Espero que todos absorvam as mensagens das músicas e de alguma forma possam relacionar com suas vidas e se isso não acontecer, que apenas dancem e se divirtam com os beats”, finaliza.

Faixas do CD
  1. Pausa e Play / 2. Tiozão Peter Pan / 3. Quem é o Chefe / 4. Frank x Frank / 5. O que Ejara quer dizer / 6. Estou bem / 7. Mente de Um BBOY / 8. Deixa as dores pra mim / 9. A Casa / 10. Tão Perto / 11. Um Pensamento / 12. O Baile / 13. Bem vindo ao planeta Terra.
Ouça o álbum (AQUI)

Mais Sobre Frank Ejara

Carreira como dançarino - É Street Dancer desde os 11 anos, se tornando profissional em 1992 aos 20 anos de idade. Em 1.999 Fundou a Cia. Discípulos do Ritmo, na qual dirige, coreógrafa e produz.  A Companhia tem 7 Espetáculos que já excursionaram pelo Brasil, Europa, Estados Unidos e Asia. Frank Ejara há anos realiza profunda pesquisa sobre todos os elementos da cultura Hip Hop e principalmente no que diz respeito as danças urbanas.
Tem feito intercâmbio Cultural com a  Alemanha, França e Estados Unidos desde 2001.
Já trabalhou com nomes da dança contemporânea como Anselmo Zolla, Ballet Stagium e Henrique Rodovalho do Grupo Quasar. Ministra workshops por todo Brasil em eventos como o Passo de Arte, Fitness Brasil, Meeting Hip Hop, Festival de Joinville e cursos no exterior, na França, Inglaterra, Holanda e Itália.
Entre seus projetos estão o “M.U.Dança – Festival Internacional de São Paulo”, “Hot Moves – programa de educação e entretenimento das danças Urbanas”, Jam Olido – evento das danças Urbanas que acontece há 10 anos mensalmente, a mostra Dança Paulista “Rua em Foco” e o Grupo PX – o qual produz, dirige e coreografa.
Foi curador do evento “Encontro das Ruas” no 27º e 28º Festival de Dança de Joinville.
Com seu espetáculo solo “Som do Movimento” se apresentou pelo Brasil, Inglaterra, França, Holanda e Estados Unidos.  Onde passou foi aclamado pela crítica e público.

Carreira Musical - Paralelamente a carreira de dançarino, Frank Ejara sempre esteve envolvido com a música. Desde 1989 faz  Rap como MC/Rapper. Juntamente com DJ Som 3 a dupla lançou um EP em 1999 e fizeram varias colaborações com diversos artistas do Hip Hop e MPB, entre eles o grupo Alquimistas e o cantor Fernando Forni.
Frank Ejara teve seu retorno para a música em 2012, quando abriu o selo Meccanismo e lançou o Álbum”amanhecer”, da Cantora Clawdia Ejara.
No trabalho de Clawdia, Frank pode mostrar seu lado de compositor, escrevendo as letras do álbum, além de ter 2 músicas produzidas por ele.
Por conta disso, outras parcerias aconteceram como o trabalho no EP do cantor e produtor Joeblack, onde escreveu a letra de uma das faixas.
O selo Meccanismo também lançou mais 2 artistas sendo eles: Guiko Baptista e Sara Dezorzi.
Há 3 anos faz parte do encontro de Beat Makers  “Beat Brasili”s. Encontro semanal que reúne diversos beat makers onde criam musicas a cada encontro.
Alguns instrumentais do álbum de Frank Ejara surgiram nesses encontros.
No momento Frank Ejara prepara seu primeiro álbum, onde produz e interpreta todas as musicas. O álbum “Amor Vida e Caos” conta com as participações de Carol Nazaret, Guiko Baptista, o Rapper Kamau, Pepeu e Gabriel o Pensador. Previsto para sair dia 18 de agosto. O primeiro single com vídeo clipe sai dia 04 de agosto.

Como DJ - Frank Ejara organiza e é DJ da Jam Olido desde 2007, encontro de dançarinos que acontece todo mês na cidade de São Paulo.
Já tocou em festas e eventos como:
For Fun Party – São Paulo;
Boom Beats Party - São Paulo;
Master Crews - São Paulo;
Jams com a Cia. Discípulos do Ritmo em instituições como SESC – São Paulo e interior;
Jam Centro Cultural São Paulo - São Paulo;
Jam Centro Cultural da Penha - São Paulo;
Casa Brasilis – Sunday Beats - São Paulo;
Dança In’Formaçao – CCSP – São Paulo.

Redes Sociais

Instagram @frankejara
Instagram selo: @meccanismomusica

Vídeoclipe 'Pausa e Play' 



Hazec é um dos nomes destacados pela técnica nas letras.“O Que não desperdiça uma rima/linha” – “O Próprio Tecelão! O MC e beatmaker, nasceu e se criou nas batalhas sagradas de calçada como Batalha do Santa Cruz, Rap móvel e Batalha da Leste.
Depois do sucesso de sua volta com Tecelão batendo mais de 600 mil visualizações nas plataformas streams participou do RapBox e está lançando seu primeiro disco oficial dia 23 de Outubro de 2018.
“Re Existência” é o titulo, contando toda trajetória de sua vida nos últimos anos com beats do produtor prodígior Sama El, beatmaker de Marília/SP. O disco, que é dirigido por Ricardo Cabes do estúdio Track Cheio, está sendo lançado pelo seu novo selo Awma Music.O videoclipe da música "Quem Sou Eu" é produzido pela Príamo Filmes em parceria com a RapTv.
Disco já disponível nas plataformas digitais Spotify, Deezer, Itunes e Apple Music e também no Youtube.

Ouça:

Contato: hazecoficial@gmail.com contatoawmamusic@gmail.com Disco completo no Spotify, Deezer, Itunes e Apple Music:
Instagram Hazec:
Instagram Awma Music:
Canal Awma Music no Youtube: