terça-feira, 31 de dezembro de 2013

http://3.bp.blogspot.com/-vi2ZshAkkw0/UsMuYNsu3AI/AAAAAAAAAtU/X4k5xAFxdxc/s640/maxresdefault.jpg
Após fugir de uma blitz da polícia, por trafegar de moto com o passageiro sem capacete, um rapper acusa a polícia de torturá-lo e prendê-lo no sábado (28). Segundo a família, o rapaz teria sido levado para um matagal, amarrado e espancado.
Segundo a irmã do rapper Allisson Dumatu, Julia Grance, ele estaria dando carona a um adolescente, mas o menor estava sem capacete. Em uma blitz da Rotam (Ronda Tático Motorizada), a polícia pediu para que parasse, mas ele acabou fugindo.
Durante fuga, o rapper realizou uma virada brusca, fazendo com que o menor se desequilibrasse e caísse. O rapaz não parou e continuou a fuga.
Julia conta que a polícia pediu para que o adolescente ligasse para Dumatu “e dissesse que tinha conseguido escapar e que podia voltar para pegá-lo”. Então o rapaz trocou de roupa e utilizou outra moto para ir até o local, para não ser reconhecido. Mas, Julia relata, que houve uma emboscada da polícia.
A irmã do rapper diz que ele foi levado para dentro de uma mata, onde “amarraram em um cabo de enxada, o torturaram colocando saco plástico em sua cabeça, dando-lhes vários socos, choque”. Ela ainda conta que o menor presenciou toda a tortura e que os policiais colocaram várias “trouxinhas” de cocaína no bolso dele.
Após a “sessão de tortura”, a polícia foi até a casa dele, invadiu, perguntando onde estava a moto do rapper Dumatu. “Perguntei para os policiais onde estava o meu irmão e eles disseram desconhecer o seu paradeiro”, conta Julia. Ela relata que a abordagem dos policiais foi por volta das 22h, sendo que o levaram para a delegacia às 04h.
“Estou indignada com a corrupção da polícia e peço ajuda para defender o meu irmão e fazer com que esses policiais paguem por essa sujeira”, comenta indignada Julia. Ela relatou que desde o dia 28 o irmão está preso no CT (Centro de Triagem), em Campo Grande.

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

domingo, 29 de dezembro de 2013

O grupo de rap Consciência Humana começou a ganhar destaque em 1991, com suas letras focadas, principalmente, na violência do Estado – que se intensificou nas periferias após a ditadura civil-militar (1964-1985). Foi nesse contexto que surgiu a música Tá na Hora, que retrata os assassinatos cometidos por policiais da Ronda Ostensiva Tobias de Aguiar (Rota).
A canção, baseada em fatos reais, menciona nomes de militares bastante conhecidos em bairros periféricos como São Mateus (ZL), lugar de origem dos rappers. Um deles é o Cabo Bruno, que participava do chamado “Esquadrão da Morte” e foi apontado como responsável por pelo menos 50 homicídios. O ex-chefe da Rota e hoje vereador na cidade de São Paulo Conte Lopes (PTB) também foi confrontado na música.
O Consciência Humana criou uma forte identidade com São Mateus. Na música Lei da Periferia, o grupo relata os principais problemas enfrentados cotidianamente pelos moradores. Preto Aplick, integrante do grupo, relata que as músicas foram importantes para criar uma sensação de pertencimento nas pessoas que viviam no bairro.
“Os jornais só falavam mal de São Mateus. Não saía um artista, um atleta lá de dentro, só saía bandido, coisas ruins. De repente, vem um artista, um grupo de rap falando desses problemas todos. A população de São Mateus acatou nossas palavras e isso significou muito pra gente.”
A reportagem da Radioagência NP foi até o bairro de Itaquera (SP) onde fica localizado o estúdio Só Monstro Produções, pertencente ao grupo. Após dez anos sem gravar, o Consciência Humana prepara o novo CD Firma Forte, que marcará uma nova etapa na carreira do conjunto. Neste ano eles completam 22 anos de existência.
Perseguições
Com a Rota nas ruas das periferias o terror foi inevitável. Criada na década de 1970 com o objetivo de manter a ordem vigente dos militares, a atuação da corporação deixou lembranças traumáticas. O músico Aplick tem um arsenal de recordações.
“Nós vivíamos correndo deles. Aí escrevi a primeira música que se chama Terror em São Paulo. A partir dessa daí já tava trazendo as ideias de quem convivia com esses caras na madrugada. Passei parte da minha vida na rua. Então eu bati de frente com eles. Então viemos escrevendo essa história. No meio dessa música pra lá, eu encontrei o Conte Lopes. Ele invadia os barracos, deu tiro na boca do meu tio. Foi aí que veio essa música Tá na hora.”
Conte Lopes declara guerra
Depois que a música foi parar nas rádios com uma forte audiência, o Consciência Humana foi entrevistado pelo jornal Notícias Populares. O grupo relatou as perseguições e matanças por parte dos grupos de extermínio formado por policias militares.
O jornal deu destaque às chacinas que, segundo os moradores de São Mateus, eram comandadas pelo então chefe da Rota, Conte Lopes. O policial, no entanto, se defendeu das acusações e chegou a ameaçar os integrantes do grupo.
Na introdução de outra música intitulada Rato cinza canalha, aparece uma gravação de Conte Lopes dizendo “escuta aí periquito, é o Magnus do capitão Conte Lopes [...] esse é o Magnão bonito que o periquito gosta”, se referindo aos cantores. Aplick revela que as perseguições aumentaram desde então.
“No NP [Notícias Populares] ele pediu pra que a gente parasse de cantar essa música nos shows, porque a gente ia ter problema. Aí a gente continuou cantando essa música. Não paramos. Aí a Rota começou a encostar nos shows. Chegava nos shows os caras falavam ‘vocês não vão cantar essa música’. Eles ficavam na frente do palco e não queria que a gente cantasse”.
Para WGI, também integrante do Consciência Humana, a postura intransigente no palco influenciou a conjuntura política.
“Nessa época, o Conte Lopes tava se candidatando a deputado, e a gente conseguiu fazer com que ele perdesse voto em São Mateus”,
Novo CD
Depois de dez anos sem gravar, o Consciência Humana trabalhando no seu novo álbum, “Firma Forte”, que deve ser lançado em maio deste ano. Com participações de renomados rappers, o grupo promete lançar novas ideias, mas mantendo os mesmos princípios.
“Enquanto tiver injustiça e violência policial, a gente vai tá lá, tio. No dia que isso daí acabar, a gente para de falar disso.”
De São Paulo, para Radioagência NP, José Francisco Neto.

sábado, 28 de dezembro de 2013

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013



Apostando pesado no estilo “rapcore”, o rapper mineiro apresenta a faixa título do seu 2° álbum

Após 20 dias de lançamento do documentário O Novo Sempre Vem, que conta com nomes consagrados do hip-hop brasileiro, Lindomar 3L lança o primeiro single de seu segundo disco, que ganhará as ruas em 2014 pela gravadora WML Records. 

Com bateria acústica por Panda Desidério, com solos de guitarra pesada por Willis Salvi, que também assina a produção musical, com flow e letra nada convencional, o single conta com a participação especial do Poeta do Rap Nacional GOG, o qual Lindomar chama de professor e padrinho.

A música que intitula o cd “O Novo Sempre Vem”, realmente faz jus ao título, pois o estilo “rapcore” é uma novidade no trabalho de Lindomar, porém não define a estética sonora do álbum, que trará em seu repertório: samba-rock, moda de viola e subgêneros do rap alternativo e tradicional. 

Por Equipe 3L Produções.



D. K3L2Y, músico que começou a dar os seus primeiros passos em 2002 no Bié. Em 2008 pertenceu ao grupo Phillanas, em 2011 criou o grupo Expoente 3 cantando músicas de intervenção social e lançou a sua primeira música intitulada "Verdadeira Amizade".
Em 2012 se torna membro da New Beat Music criada por GS Beats e em 2013 foi vencedor de uma das edições do top 3 da Rádio Huambo.
Aqui vai a sua primeira Mixtape, essencialmente no estilo R&B e considerada como afinação das cordas vocais para 2014. 

Música produzida por EasyHits, Gravado por Ludgero Zorro e também realizador do Vídeo. Participação de Marta Lourenço( Violino). Já sofri retrata de forma abstracta um passado de vida difícil do cantor e sua família mas que graças a fé Cristã conseguem enfrentar da melhor forma e ultrapassar algumas fazes menos comuns para a maioria. Paz! Pagina Oficial do artistahttps://www.facebook.com/belarminomus...
Vídeos: http://www.youtube.com/watch?v=nbeHAh...http://www.youtube.com/watch?v=JyfIXR...http://www.youtube.com/watch?v=TvLSoT...

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

+ 1 Dia
O Coletivo TRIBO SUL, deseja a todos os Amigos, apreciadores da boa musica, bloggeres e publico em geral festas Felizes e Prospero Ano Novo, e que cada ser humano procure doar um pouco de si. Não somente em coisas materiais, mas principalmente em pequenos gestos para com o próximo.
Receba a musica MAIS 1 DIA, como prenda festiva.
Um grande abraço a todos. Boas Festas!