terça-feira, 30 de junho de 2015

Djalma Santos Rios, o Cascão, é o líder de um dos grupos mais relevantes do rap nacional, o Trilha Sonora do Gueto, ou apenas T$G. Recentemente, o rapper lançou uma música encomendada pelo Primeiro Comando da Capital (PCC), que repercutiu nas redes sociais  e já beira as 300 mil visualizações no youtube. Através de um dossiê recebido pelo artista com denúncias de violações aos direitos humanos dentro dos presídios, o som surgiu em um momento político delicado. A proposta de redução da maioridade penal tramita no Congresso Nacional.



Vaidapé: Em 1993, o PCC foi fundado. De que forma a facção conseguiu se impor em um sistema penal que sofria com estupros, extorsões e assassinatos?
Cascão: Isso é mentira, cadeia é igual na rua. Só acontece alguma coisa quando tem que acontecer. Isso é conversa fiada que o poder capitalista e a televisão impõe, no intuito de denegrir a imagem do preso. Eles não querem recuperar ninguém, eles querem afundar mais. Isso aí de estupro é mentira, só relaciona com outro homem quem gosta.
O que mudou dentro das cadeias pós PCC?
Na minha opinião, a única coisa que mudou foi que se criou uma resistência. Antes os funcionários oprimiam, agora eles são obrigados a respeitar. Tanto é, que criaram o GIR (Grupo de Intervenção Rápida) porque os funcionários sozinhos não estavam dando conta.
Você acha que essa forma mais digna de se tratar o preso se deve à força que a facção alcançou nas ruas?
Com certeza. Antigamente se oprimia muito mais o preso. Agora, o funcionário sabe, que se oprimir e ficar moscando na rua, ele vai morrer.
“AGORA, O FUNCIONÁRIO SABE QUE SE ELE OPRIMIR E FICAR MOSCANDO NA RUA, ELE VAI MORRER”



O PCC é um grupo revolucionário?
Depende da interpretação. Eles são revolucionários no sentido que eles mudaram alguma coisa. Eu considero revolução porque mudou, pelo menos nas vilas não se morre igual antigamente. Na minha opinião, se perde a legalidade porque pratica crime. Mas não deixa de ser um ato revolucionário.
Você acredita que o governo do Estado de São Paulo se apropriou dessa redução de homicídios como se ele fosse o responsável por isso?
O estado democrático de direito, como sempre, se aproveita de tudo. Eles aproveitaram que foi o poder paralelo que pacificou as periferias e vão para mídia se promover. Só que é o seguinte, ninguém mais está de chapéu. Ninguém está ludibriado.
O PCC já tentou eleger deputado, e, recentemente, começa a estudar junto com advogados da facção uma forma de pleitear direito a voto. Como você analisa esse PCC mais político?
Eu não sei para onde o PCC caminha. Mas eu acho que se for para a política perdeu o amor. Aí morreu para mim. A revolução morre quando vira política [institucional]. Se virar política perdeu o encanto de máfia, de qualquer situação revolucionária.
Você acompanhou a mudança na liderança da facção em 2002, quando o Geleião sai e o Marcola assume o posto de principal líder. Você percebeu alguma diferença no comando?
Com certeza! Eu tirei cadeia com o Geleião. O Geleião e a tropa dele era só extorsão. Aí sim chegou a acontecer estupro, extorsão, tudo o que você havia na falado na primeira pergunta. Não era um entendimento geral, mas já aconteceu. O Geleião foi para a cadeia no estelionato, ele foi para cadeia tirar quatro anos. Aí, por causa de umas mortes, está preso há 30 anos. Então, o perfil dele não é de ladrão, que gosta de vaidade de dinheiro, o perfil dele é de verme.

“O PERFIL DELE NÃO É DE LADRÃO, QUE GOSTA DE VAIDADE DE DINHEIRO, PERFIL DELE [GELEIÃO] É DE VERME”

Qual é o perfil do Marcola?
É um cara revolucionário, que gosta de dinheiro. Um cara que é mente pensante. Se estivesse [solto]  na rua, pode ter certeza que estaria atrás dos milhões, porque a filosofia do Marcola é dinheiro. Foi preso em assalto a banco.
O preso, quando entra no sistema penal dominado pelo PCC, fica mais vulnerável à ação do grupo, e acaba entrando para facção?
Não, eu acho que não. Entra quem se identifica, quem tem a finalidade de continuar nessa vida e quer fazer parte de uma organização que tem a finalidade de mudar. Mas eu não sei te responder com clareza, por que faz muitos anos que eu não sou envolvido com nada.
Nos anos em que você esteve no cárcere, os presos filiados à facção tinham alguma regalia nos presídios?
Privilégio nenhum. Na verdade, só é um membro, mas não tem privilégio não. Pelo contrário, tem “desprivilégio”. A responsabilidade é maior, a cobrança é maior por fazer parte, saber como funciona.
Você considera o combate da polícia ao crime organizado eficiente?
Minha opinião, de verdade, o que eu vejo na vila hoje: os PMs é tudo nóia, tudo cheirador de cocaína que fica rodando as biqueiras para tomar papelote de farinha para cheirar. Polícia Civil está mais vendida que tudo, faz tempo. Qual combate esses caras têm? A sociedade é trouxa, é trouxa que investe nessa policia desbaratada de São Paulo e de todo lugar. Polícia é bandido de carteirinha.

“OS PMS É TUDO NÓIA, TUDO CHEIRADOR DE COCAÍNA”

Qual é a sua opinião sobre o plano de fuga do Marcola?
Não dá para saber, é muito pessoal, é muito interno. Mas também, a única maneira de mandar o Marcola para tranca [regime disciplinar diferenciado], seria ele falando no telefone e faz muito tempo que ele não fala no telefone. Então, vai saber se não foi armação para trancar ele, porque a segurança pública pode achar que a mente dele é o bloco de pensamento que sai as ações. Então, de repente, eles tentaram de várias formas e não conseguiram, e então armaram essa, vai saber.
Qual é o seu prognóstico para o PCC em 10 anos?
Olha, eu falo isso há uns cinco anos: São Paulo vai ficar igual o Rio Janeiro, vai nascer outros comandos, milícias, vai ser território demarcado.

___________________________________________
A entrevista do rapper abre uma série de entrevistas sobre o PCC, que irão compor a versão oficial do livro “PCC: dias melhores não virão”. Você pode baixar gratuitamente o compacto do livro clicando aqui.



Gostaríamos de contar com sua presença no evento de reinauguração do Espaço São Mateus em Movimento.
Data: 11 de julho
Horário: 10h
Local: Rua Cônego José Maria de Freitas, nº 127 – Vila Flávia – SP.
Para mais informações, entre em contato conosco: 94008 6040
Confira abaixo a programação completa:



Novas músicas trazem sonoridade inédita fruto da mistura de sons orgânicos com eletrônico e versões em dub
Homem de Pedra está comemorando o lançamento do EP +Amor ao lado do produtor Wagner Bagão Dubalizer. Os dois apresentam oito faixas feitas especialmente para quem gosta de música dançante sem abrir mão das letras de mensagem. O EP traz uma mistura inédita do eletrônico do soundsystem, com o orgânico do reggae band que resultou em um reggae com pegada moderna, o new roots. O processo de criação contou com um time especial formado pela backing vocal Luana JonesWillianms Lopes no teclado, Lincoln Bretha no baixo, Luizinho Nascimento no trompete, João Gabriel no saxofone, Fabricio Elijah Togni na Percussão, Netto Enes (Tribo de Jah) na guitarra e bits do produtor Bagão que assina também as quatro faixas do disco relidas em versões dub.
Para ouvir e baixar + Amor acesse : www.homemdepedra.com.br
A faixa A Língua abre o disco com uma crítica aos faladores de plantão, dando um toque para os que insistem em falar mal e cuidar da vida dos outros, a letra conta participação de Dom Lampa. Na sequencia, Deus Ajudafoi feita somente com ditados populares, por isso ganhou o apelido de Ditados 2, já que usa  a mesma ideia da primeira versão de sucesso, lançada no disco Claridade (de 2012). Mais Amor dá nome ao EP e pede mais amor sempre, em tudo, em todas as atitudes e situações porque só com amor podemos fazer algo melhor e modificar de forma positiva o mundo a nossa volta. Meu Cantofecha com um hino para as pessoas verdadeiras, do bem e que não tem tempo a perder com a maldade alheia e um clima tribal especial produzido com ajuda de um berimbau.  As 4 faixas ganharam versões em dub produzidas pelo mestre dos graves Bagão Dubalizer, que também acompanha os shows do EP com um live cheio de delays, sintetizadores e efeitos.
“Mais amor é o nosso maior desejo para esse mundo caótico que vivemos nos dias de hoje! Mais amor sempre! - André Homem de Pedra”.
+ Homem de Pedra
Conhecido por fazer músicas com mensagens bem positivas, o brasiliense André, apresenta-se como Homem de Pedra desde a estreia do seu primeiro disco Claridade, em 2012. Entre os sons, Ditados Populares ganhou repercussão nacional ao entrar na programação de muitas rádios, a faixa ganhouum clipe, dirigido por Wesley Zaremaré e chama atenção por ser toda feita com ditados populares. Gentileza é outro som que mostra o lado good vibe do cantor e também tem clipe disponível na web. Homem de Pedra está na estrada a mais de 15 anos e acabou de lançar quatro músicas novas que apresenta em show inovador do EP + Amor.   Ouça seus sons no soundcloud oficial!


O rapper Angolano Aro Tex, juntou-se ao músico Moçambicano Lemos, e dessa união resultou a música E Agora?. A música foi produzida pelo produtor Marrala Beatz, música muito boa, letra muito bem desenvolvida. Baixe e partilhe, não é de carácter obrigatório. 




VideoClipe oficial da faixa "Me Deixa" do álbum Di Gegê pra Jejês. 


"Me deixa" é grito de liberdade plena, é canção ritualística, é resistência, é luta de um povo que um dia é rei e no outro condicionado a escravo.



Sendo assim, uma vez que o termo Jejê significa "andarilho, forasteiro e estrangeiro", Gegê, neste vídeo, nos traz uma visão particular sobre a Salvador que, em Maio de 2015, ele teve o prazer de conhecer.



Salvador, com quase 3 milhões de habitantes é um grande caldeirão cultural, econômico e racial, logo, passível de ser e ter, as mesmas características de toda e qualquer metrópole do mundo. Gegê enquanto observador, neste vídeo, gravado em condições simples e independentes, aponta estas nuances e evoca que, além de uma cidade erroneamente dita turística, Salvador, assim como São Paulo, Rio de Janeiro e outras diversas do Brasil, é remanescência do tão negado "Dois Brasis".



"É Gueto Aki Gueto Lá" (título de música compilada com o coletivo OPANIJÉ, que logo estará nas ruas). A diáspora é o povo que resiste e caminha, independente das condições desfavoráveis e opressoras. É HIP HOP, é a luta de um a um, é grupo, é bando, é coletivo, é Nagô, é Angola, é Ketu e Xhosa.



Somos todos Jejês. Di Gegê Pra Jejês!!!



Semana Passada o convidado foi o Dj Kl Jay e hoje foi o Ice Blue, neste tipo de entrevista o convidado responde a perguntas dos internautas ao vivo.
O Ice Blue não fugiu das perguntas e falou sobre o Macerlo D2, Esclarece que não existe treta entre Racionais e facção,disco novo em parceira com Helião e as famosas perguntas sobre o funk e o fato do Racionais ter se "vendido".



Pra quem não conhece o rapper carioca Black Alien era membro do Planet Hemp, grupo que também eram membro o Marcelo D2 e B Negão.

O rapper carioca lançou seu primeiro trampo solo em 2004 que foi o álbum "Babylon By Gus – Vol. I: O Ano Do Macaco", que teve uma ótima aceitação do publico do rap e dos fãs do planet.
O rapper vem a alguns anos prometendo a continuação deste álbum que vai se chamar "Babylon By Gus – Vol. II: No Príncipio Era O Verbo" o álbum era planejado para 2014, mas acabou não sendo lançado.
 Ontem em sua pagina oficial no facebook o Black Alien diz ter ouvindo o álbum completo faixa por faixa.
E ouve álbum inusitado pois o rapper paulista Kamau comentou abaixo
 "Satisfação em fazer parte.."
Veja a declaração do rapper.

Página curtida · 14 h · 
 

"Audição. Pela primeira vez, escuto meu álbum na íntegra, na ordem, e em caixas que falam alto... Feito. Obrigado Jah." #babylonbygusvol2#noprincipioeraoverbo #anavesubiu#Jahblesswewarriors

segunda-feira, 29 de junho de 2015




O documentário Racionais MC's - 25 anos no Movimento aborda a trajetória midiática que o grupo de São Paulo traçou durante os 25 anos de carreira. Em entrevistas feitas com Serafim Zimbabwe, Milton Sales, Regina Casé, Eduardo Suplicy, Daysi Bregantini e Ana Paula Alcântara, o espectador conhece as histórias por trás da relação conturbada dos Racionais com a grande mídia. Além disso, o documentário traz depoimentos de fãs e rappers como Dexter, Rashid e Flow MC, que comentam a importância social e musical do grupo.




A programação do In-Edit Brasil está no ar.
Convidamos todos para assistirem o documentário Racionais MC's - 25 anos no Movimento. As exibições acontecem no dia 5 de julho, às 15h, no Cine Olido, e dia 10 de julho, as 18h, no Centro Cultural São Paulo. As duas datas contam com preços populares. Só chegar!
Maiores informações: http://bit.ly/1GKMIuc

Trailer Oficial




Documentário acadêmico e independente - Realizado pelos alunos de Rádio e TV da Faculdade de Comunicação FIAM FAAM. 
Documentário (HD, 82 minutos, 2014)
Idioma: Português
Direção: Bia Bem
Direção de Produção: Guilherme Cabral
Roteiro: Barbara Rocha e Lucas Conti
Câmera: Bruno Alcantara e Bruno Ferreti
Montagem: Bia Bem e Guilherme Cabral
Fotografia: Bruno Alcantara e Bruno Ferreti
Edição Bruno Ferreti




O rapper Marcão Baixada acaba de lançar uma campanha na plataforma de crowdfunding Embolacha, que tem como objetivo arrecadar doações em dinheiro para financiar as cópias físicas do seu EP "Geração 90". 


"É o meu segundo projeto em formato de EP; e existe uma mística em torno de lançar um segundo trabalho, onde querendo ou não, o artista precisa se reafirmar em seu discurso, em suas idéias e postura; além de mostrar o aprendizado e maturidade adquiridos nesse espaço de tempo. - conta Marcão. 


O artista vem trabalhando no EP desde 2012, logo após o lançamento de "Itinerante", e começou a dar forma ao projeto após se afiliar oficialmente ao Brutal Crew, coletivo carioca de cultura urbana bastante conhecido na cena Rap brasileiro, por realizar a Batalha do Real e a Liga dos MCs, no Rio de Janeiro, além dos artistas filiados, como Inumanos (duo formado por MC Aori e DJ Babão), Lívia Cruz, Max B.O., DJ Negralha, entre outros.

Foi publicado em seu YouTube, um vídeo que mostra parte do processo de concepção do EP, na fase de gravação e captação no Estúdio Garimpo, sob direção de Bernardo Pauleira. No vídeo, produzido pela Pitanga Audiovisual, segue o chamado para quem quiser colaborar: 



"Antes de ser fã, a parada família", diz Marcão, completando: "Ser família, você tá inserado naquele processe, você faz parte daquilo e se sente o importante".

crowdfunding terá recompensas que vão desde download digital do CD, à brindes e ingressos para show de lançamento.
Saiba mais em: www.embolacha.com.br

Rappers são a única atração brasileira do festival que reúne músicos de vários países

Na próxima quinta-feira (2) o grupo de rap brasileiro Inquérito desembarca na Argentina para um show no Festival Latino Americano Del Ritmo, que acontece em Buenos Aires. Na terra dos “hermanos”, os músicos brasileiros pretendem repetir o sucesso que tiveram em Cuba, ao gravar uma música e um videoclipe com rappers caribenhos. A ideia é dar sequência a um projeto maior, que foi iniciado neste ano e envolve gravações com músicos de diferentes países da América Latina.

Na terra do tango, o Inquérito será a única atração brasileira durante o festival organizado pelo agitador cultural Diego Barreiro. O evento recebe também músicos de outras cidades da região Mendoza, na Argentina e Montevidéu, no Uruguai. Estão confirmados os shows de Iluminate, Goy Karamelo e Santi Mostaffá.

O show na Argentina é parte da turnê “Corpo e Alma”, que já passou por diferentes cidades e estados brasileiros, além de países como Cuba e Uruguai. O disco, lançado em novembro de 2014 foi apontado pela crítica especializada como um dos melhores do ano e integra listas como a da revista Rolling Stone e do site UOL.

Inquérito pela América Latina
A viagem para Buenos Aires, segundo Renan Inquérito, vem também para ampliar o projeto que deve percorrer outros locais da América Latina. O objetivo é unir as vozes, promovendo um intercâmbio por meio da música em diferentes países. “Como cantamos na canção gravada em Cuba, eu acredito que o rap, o hip-hop, são nosso passaporte. A música pode encurtar distâncias e aproximar pessoas”, disse.

Em Buenos Aires, os músicos do grupo pretendem encontrar-se com compositores, rappers e artistas locais e repetir o sucesso da mistura que deu certo em Cuba. A expectativa será mesclar a batida do rap com músicos de tango e outras ideias que surgirem durante a passagem pelo país vizinho.
“Todos países da América Latina tem um histórico cultural e político muito rico. Queremos passar no máximo de locais que conseguirmos, levando a nossa música e trazendo um pouco da música deles. Nossa ideia é misturar, convidar músicos destes países para somarem na nossa música, sem que eles sejam, necessariamente, do rap”, anunciou Renan Inquérito.

Serviço
O quê? Inquérito no Festival Latinoamericano Del Ritmo
Onde? Club Cultural Matienzo
Endereço? Pringles 1249, Buenos Aires, Argentina

Nesta sexta-feira (26), data que celebra o Dia Internacional de Combate às Drogas, Two Big’s dupla da zona sul, de São Paulo lançou o videoclipe de “Zumbis”, faixa que aborda o tema das drogas.
A música estará no CD da dupla, que está em fase de produção e tem previsão de lançamento para o final do ano.



Grupo brasileiro e americano fazem show na Áudio Club no próximo dia 29 de julho.

Edi Rock, Ice Blue, Mano Brown e DJ KL Jay apresentam as músicas do último CD, "Cores e Valores", que foi eleito o melhor do ano pela revista Rolling Stone Brasil em 2014 e, também os antigos sucessos dos trabalhos anteriores do grupo, como "Negro Drama", "Vida Loka Parte 1”, “Vida Loka Parte 2", “A vida é desafio” e outros clássicos do rap nacional.

O grupo paulista sobe ao palco da Áudio Club ao lado dos parceiros Dado, Lino Krizz e Helião do RZO, além dos jovens rappers Boy Killa e Big da Godoy.

Já o duo norte-americano Das EFX, formado por Skoob e Dry, virá pela segunda vez ao Brasil para este show em São Paulo. A veterana dupla nasceu em Nova York na Era de ouro do hip hop e já trabalhou com fortes nomes do rap americano como Dj Premier.

A produtora Boogie Naipe que administra a carreira do Racionais e Mano Brown completa 3 anos este ano e trabalha em parceria com a Franco Productions na execução deste evento em São Paulo. Os ingressos do primeiro lote já estão sendo vendidos na bilheteria da Áudio e custam: R$40 (Pista), R$60 (Área Vip Feminino) e R$80 (Área Vip Masculino).

Confirme sua presença no evento!

Serviço

Racionais MC’s e Das EFX na Audio Club SP

Av. Francisco Matarazzo, 694 – Barra Funda - São Paulo

Abertura da casa: 29/7 às 22h

Realização: Boogie Naipe e FRANCO PRODUCTIONS

Promoção: Chocolate

Follow Us