quarta-feira, 30 de setembro de 2015




As gêmeas fraco-cubanas, Noami Diaz e Lisa Kaindé formam a dupla “Ibeyi”, que têm se destacado protagonizando apresentações com ingressos esgotados e turnês relevantes pelos Estados Unidos, África e Europa. Mas foi pela mão abençoada de Beyoncé, que as duas começaram a  ganhar mais olhares e ouvidos atentos…


Do nos2
Com o disco intitulado “ibeyi”, que em iorubá significa “irmãos gêmeos”, nas irmãs de apenas 20 anos, contam que ficaram surpresas quando a cantora norte-americana postou um vídeo da música delas em seu perfil do Instagram. “Estávamos num aeroporto quando ela [Beyoncé] publicou. Não entendemos nada!”, lembra Naomi.
“Muito antes de fazermos o disco, Jay-Z [marido da cantora] assistiu a um vídeo com uma versão de ‘Mama Says’ e entrou em contato com nosso manager à época pedindo a música. Acho que, depois disso, eles nos acompanharam”, acredita Lisa. O burburinho que atraiu o casal famoso foi provocado pela criativa mistura de beats afro-cubanos e eletrônicos, embalando composições interpretadas em inglês e em iorubá.
Mas não foi só o som que atraiu as atenções para a banda. O fato de as gêmeas terem físico e comportamento antagônicos aguçou curiosidades, criando uma mística em torno das garotas. Lisa, falante e com seus cabelos penteados num imponente black power, preparava-se para ser professora de música quando o duo decolou. Já Naomi, que esconde os intimidantes olhos de ressaca com suas longas mechas onduladas, costuma dizer que a parceria com irmã a salvou da “horrível” disciplina escolar.
Na música, seus estilos também se opõem. Enquanto Lisa ouve jazz e downtempo (ritmo eletrônico com andamento calmo), Naomi prefere o hip-hop. “Nosso trabalho torna-se interessante justamente porque jamais pensamos a mesma coisa”, acredita Lisa, e essa junção resultou numa sonoridade que as irmãs definem como “negro spirituals”, mescla de influências herdadas do pai, o percussionista cubano Miguel “Angá” Diaz, e da mãe e empresária da dupla, a franco-venezuelana Maya Dagnino.
Nascidas em Paris, as gêmeas moraram os dois primeiros anos de vida em Cuba. A infância das meninas é repleta de memórias dos shows do pai, instrumentista premiado com o Grammy Latino e parceiro de gente como o pianista cubano Chucho Valdés. E têm o universo mágico da santería, que mescla crenças católicas às tradições iorubá —similar ao candomblé brasileiro.
“Para nós, ela representa muito mais uma cultura do que uma religião”, explica Lisa. “Cresci com a ideia de que sou filha de Iemanjá e Naomi, de Xangô. Isso faz parte da nossa formação e é natural que esteja em nossa música”, afirma ela.
Aos sete anos, as meninas estrearam no conservatório. Lisa ao piano e Naomi na percussão. A primeira se divertia, enquanto a segunda se entediava. “A disciplina era duríssima. Eles não deixavam espaço para a criação. Era muito frustrante”, diz Naomi.
O Ibeyi começou a tomar forma quando Lisa debutou num palco profissional, aos 15 anos. O responsável foi o músico cubano Raul Paz, amigo da família, que a convidou para uma participação em seu show no Le Bataclan, famosa casa de espetáculos parisiense. “Depois disso, propuseram a ela gravar um EP e eu disse: ‘Você não vai fazer sem mim”, relembra Naomi.
O compacto, nunca lançado, foi parar nas mãos do britânico Richard Russell, dono da gravadora XL Recordings, cujo casting reúne artistas como Adele, Jack White e Radiohead. “Quando nós o encontramos, sentimos imediatamente que Richard produziria o disco. Isso mesmo antes de ele dizer uma palavra”, afirma Lisa.
“Ibeyi”, o álbum, reúne influências do jazz de Nina Simone, da eletrônica experimental de James Blake e do canto de Elis Regina. A essas referências, Lisa e Naomi agregaram os cânticos em iorubá, que entoavam no coral da infância.






O jovem Rapper Elias Carter aka Pirata Du Rap Game, dispensa apresentações . Tem vindo a cimentar seu espaço na nova escola do Rap nacional com os seus supers Flow's em "Freestyle", lançou recentemente a sua Mixtape de Freestyle intitulada "PIRATAS NÃO FALAM MUITO" e vem continuando a bombar o Rap em Angola.
Elias Carter deixou sua opinião sobre aquilo que é o Rap Em Angola. Carter Mc salientou que o Rap Angolano tem muita Paz e que já não o mesmo de Antes, cada um fala o que acha e ninguém mais responde ninguém. 

Elias Carter continuo dizendo: "Rap Nacional até parece Vaticano.

onde o ‪#‎KoolKlever‬ é o PAPA, e o resto são os Bispos, Padres, Madres etc.
.
Tudo na paz ninguém tem problema com ninguém.
Ninguém responde linhas de Ninguém. Todos são amigos.


O grupo paulistano Hó Mon Tchain, considerado a nova aposta do hip-hop nacional, acaba de lançar seu mais novo videoclipe. Trata-se da versão audiovisual da música “Malandrão”, primeiro clipe do segundo disco do coletivo, além da primeira amostra da nova fase do HMT. Unindo batidas pesadas, letra sobre o cotidiano da zona leste e uma temática visual realista, o clipe traduz de forma certeira um pouco da vida ilegal, levando o espectador a conhecer um pouco das noites do subúrbio paulistano e a vida por trás da malandragem. Tudo de forma fictícia, apenas contando uma história e sem ligações com tais atividades. A temática da música e do clipe relata sob a ótica do grupo alguns fatos comuns que ocorrem na zona leste de São Paulo. Entre brigas, intrigas, drogas ilícitas, abuso policial e falta de estrutura para a população, o clipe mostra como malicia e a malandragem se torna como fatores de sobrevivência em certos casos.   

O grupo Hó Mon Tchain é um coletivo de hip-hop fundado em meados de 2009 nos confins da zona leste de São Paulo, também são conhecidos como “HMT”. Eles vêm conquistando seu espaço através de um trabalho criativo, independente e totalmente autoral. Composto por seis integrantes, o grupo trás na bagagem o álbum de estreia intitulado “Ascensão”. Lançado em dezembro de 2012, em conjunto com o videoclipe da música “Amizade”, primeiro videoclipe do grupo.
A ideia do grupo surgiu através da vontade de reunir os amigos interessados em transmitir seus pensamentos e perspectivas através da música, sem muitos recursos, porém com muita vontade de fazer acontecer. O nome do grupo surgiu pela compreensão errônea do termo em inglês "One More Time", pronunciada como "Hó Mon Tchain" por um de seus idealizadores em rodas de Freestyle e festas com os amigos. O título veio a ganhar sua própria identidade e definição, adotados pelo grupo em valores como persistência, força de vontade, e união acima de tudo.

Depois de alguns clipe e faixas lançadas durantes os anos, além dos trabalhos autorais e solo de alguns integrantes, o grupo volta com força total, preparando o segundo disco “Assim Que Nois Trabalha”, com lançamento previsto para o próximo mês (outubro), com muitas novidades e surpresas para os fãs.
  
Acessem:


Rapper Côro MC foi um dos artistas selecionados pelo projeto Converse Rubber Tracks, da Converse, para gravar em um dos maiores estúdios do mundo, e conta com a ajuda do MV Bill, que releva ainda o lançamento de um EP para o final de outubro
O Rapper Côro MC, de Fortaleza (CE) gravou seis músicas no estúdio Toca do Bandido no últimos dias. Ele foi um dos artistas selecionados pela Converse para o projeto Rubber Tracks Global, que levou artistas do mundo inteiro para gravar gratuitamente nos maiores estúdios do mundo. O projeto foi anunciado há cerca de dois meses, e recebeu mais de 9 mil inscrições em todo o mundo. Destes, apenas 84 foram selecionados, entre eles sete brasileiros, contando com o Côro. Chegando ao estúdio, a marca surpreendeu-lhe ainda ao levar o rapper MV Bill para ajudá-lo com as dicas musicais e de gravação.
“Gravar no Toca do Bandido foi a melhor coisa que aconteceu. Tenho muito a agradecer a todos os envolvidos. A participação do MV Bill foi um presente, Não soube o que dizer quando o vi. Ele foi para ficar 1h30 e acabou ficando 6h! As dicas dele de como lançar um álbum, criar as músicas e organizá-las dentro de um disco e todo o apoio foram incríveis! Eu tinha uma imagem de que ele era uma pessoa séria, e ficou até intimidado. Mas não, ele é muito extrovertido. Eu o conheci em 2006, em um show dele, e na época eu dei-lhe um CD amador que eu fiz. Fiquei muito emocionado ao saber que ele tem o CD ainda!”, comenta Côro
MV Bill, que nunca esteve no estúdio, acredita no potencial do Côro. “Desejo toda a sorte do mundo para ele! É uma caminhada difícil, pois o gênero ainda é muito marginalizado, mas a minha dica para os que estão começando é: sejam verdadeiros em suas canções e autênticos em suas composições”, afirma. MV Bill revela ainda o lançamento inédito de um EP com cinco músicas para o final de outubro, e  outro no fim de janeiro de 2016.

OUTRAS FOTOS!




terça-feira, 29 de setembro de 2015


“Zamba Rap Clube: #5 anos Ao Vivo” vem para mostrar nos dias 7,14,21 e 28 de outubro o grande trabalho do grupo de Itaquera, que faz Rap misturando com outros estilos musicais e tem o Samba como influência principal. Formado pelos irmãos Vinicius Preto e Emerson Toco, a dupla vem acompanhada da sua Banda, mesclando todas as influências do grupo trazendo as musicas do EP “A Partida”, do Album “Um Novo Dia” e do próximo trabalho a ser lançado em 2015, a festa com diversos convidados de peso: Viegas, Beto Bongo, Grazzi Brasil & Leandro Matos, Dory de Oliveira,P2, Will Audio Combo, Engrenagem Urbana e Jé Versátil.



segunda-feira, 28 de setembro de 2015



Karina Nézio de Sousa, conhecida como Kaká, MC há 04 anos onde seu primeiro contato com o Freestyle foi numa roda de rimas improvisadas no centro da cidade onde mora (Barbacena/MG).
Produtora cultural onde assume a organização de Projetos como “Cor&Ação - Hip Hop e Cidadania”, “Liga Feminina de MCs MG”, “Skarte - Porque Skate é Arte” e Batalhas de Freestyle organizadas em cidades próximas.
Integrante do coletivo “Rimas de Minas” criou junto as artistas Bárbara Sweet e Clara Lima o grupo feminino de Freestyle “Mina no Mic” que fomenta a participação feminina no cenário do RAP. Conhecida através do desempenho em batalhas de Freestyle, hoje, junto ao coletivo e organizações Femininas do Rap Nacional articulam o “Duelo Nacional Feminino de Mcs’.
Seu primeiro single foi lançado em Outubro com a produção de Sérgio Giffoni. Hoje dia (28/09) será lançado o seu primeiro web clipe produzido pela Iguana Vídeos. O Single denominado “Pensamentos” carrega em sua letra vivencias e mensagens do cotidiano comum de uma mulher.





Depois da “Super” Temporada da Nova Escola no Espaço Bahia, aonde novos nomes foram misturados a outros poucos nomes sonantes do Rap Nacional, eis que é chegada a hora do GRANDE FESTIVAL da Nova Escola (A Ascensão) a acontecer já neste domingo, dia 04 de Outubro às 16:00 no Elinga Teatro a Catedral do Hip Hop Nacional.
Os artistas selecionados para o evento, representam alguns dos que melhor qualidade apresentaram na temporada do Espaço Bahia. O objectivo da produção deste evento, é tão somente o de fazer emergir esses nomes cuja qualidade merece um lugar na pauta das escolas do Rap Nacional. 


Muitos dos nomes selecionados apresentam qualidade suficiente, igual ou até superior a muitos nomes já mais conhecidos mas no entanto por falta de oportunidade não conseguem expor convenientemente o que trazem nas suas bagagens. Para todos aqueles que frequentemente nas redes sociais, rádios e conversas de bastidores reclamam da mesmice, eis aqui a oportunidade e ouvirem e apoiarem novos nomes e assim aumentar o leque de opções na sua tracklist.


Artistas Selecionados: Sentinela, Dallas Furia, S-Bruno, Phedilson, Edgar Leal, Absinto, Killer MC, Slash, Jeucal Shine, Flava Sava, Fat Soldiers, Olibreezy, Al MC, WK e Konkreto e Vanda Mãe Grande e Lil Kisha.
Convidados Especiais: Projecto Existência, Drunk Master e MCK
Apoios : MP3 LAB, Cenas Que Curto, Hip Hop Angolano, Rap Kuia, QNGRAP, Nação Hip Hop, Olimpo Designer 
Djs: O’Mix, Nkkappa e Mamen

Dia 04 de Outubro às 16:00
Local: Elinga Teatro

O EP Dualidade foi concebido no inicio de 2015, com a colaboração do
Impuro em algumas produções e nas partes técnicas. E a musica ciclo ganhou
um clipe com a direção de Samara Brito.








Keels  (23 anos), MC e produtor de Cotia-SP, se interessa e trabalha com musica desde a adolescencia, mas  inicia a carreira solo em 2012 com o lançamento do EP “Cidadão do Mundo”, trabalho que teve uma boa repercussão em sites especializados em música independente. Fazendo uma música honesta no rap alternativo , livre de regras ou estereótipo. Depois de um hiato de mais de um ano, Keels volta para encerrar 2015 com seu  mais recente trabalho intitulado “Dualidade”, EP produzido pelo proprio e por Impuro, gravado e finalizado por ele e Impuro.



Reclamação de um sofredor é a música que Elias Carter escolheu para disponibilizar este mês de Outubro.
Música extraída da Mixtape Século XX & Carter que foi disponível no ano passado. 
Elias Carter, lançou ainda esse ano a Mixtape Piratas Não Falam Muito e Home Vídeo do Freestyle "Publicidade"

Voltando a essa track, "Reclamação De Um Sofredor" conta com a participação de Leo Bex, ambos membros da produtora "Free Hand's Rappers"
Faça o Download Agora e curtam da Cena.


domingo, 27 de setembro de 2015




As negligenciadas periferias das megalópoles brasileiras são, mesmo com a precária educação oferecida para seus moradores, tradicionais berços para o nascimento de talentos da nossa cultura. Nas favelas surgiram mestres do samba, do rap e do hip-hop, representantes da expressão de uma parcela popular frequentemente esquecida e ignorada pelo resto da cidade.
Mauro Mateus dos Santos marcou seu nome na história, sob o codinome Sabotage, como um mito do gênero conhecido pela rima rápida e escrita agressiva, com linguagem familiar ao povo.
Coproduzido pelo Canal Brasil, o documentário de Ivan 13P resgata a trajetória de vida do emblemático filho da Favela do Canão, na zona sul de São Paulo.

O diretor realizou um extenso trabalho de pesquisa para recuperar entrevistas de Sabotage, assassinado a tiros em 2003, e depoimentos de familiares e amigos que conviveram com o músico, com destaque para sua esposa, Dalva. Uma vasta lista de artistas e admiradores também lembra sua genialidade: os rappers Mano Brown, Thaide e Rappin’ Hood recordam os momentos ao seu lado, o início de sua carreira e o surgimento dessa lenda do gênero. Para mostrar a amplitude de sua influência, o longa-metragem reúne entrevistas com Paulo Miklos, dos Titãs; Andreas Kisser, do Sepultura; e João Gordo, dos Ratos de Porão, comprovando sua capacidade de encantar o rock.

Artista multifacetado, Sabotage também atuou no cinema. Sua estreia foi em O Invasor (2002), de Beto Brant, ao lado de Miklos, Mariana Ximenes, Alexandres Borges e Marco Ricca. Na sequência, foi chamado para participar do elenco de Carandiru (2003), premiada película de Hector Babenco – o cineasta argentino radicado no Brasil revela que seu talento era tão grande que, de um pequeno papel no filme, o rapper tornou-se um consultor para o roteiro e a preparação de atores, devido à sua familiaridade com o linguajar e cotidiano da famosa casa de detenção paulista.

O cunho político das letras de Sabotage também está presente no filme, estabelecendo uma forte crítica ao comportamento do governo ao lidar com as comunidades carentes. A obra lembra a falta de oportunidades do compositor na infância, a luta da mãe para sustentar sozinha a família depois de ter sido abandonada pelo marido alcoólatra, e o envolvimento do jovem Mauro com o tráfico de drogas. O cantor, no entanto, percebeu que caneta, papel e microfone eram formas muito mais eficazes de conquistar fama e reconhecimento, tornando-se um espelho positivo de esperança para as crianças do lugar.
 

Sexta, dia 02/10, às 22h e terça, dia 06/10, às 18h15.



O primeiro álbum de estúdio da dupla DANIEL GARNET & PEQNOH ‘‘Avise o Mundo’’, será lançado oficialmente no dia 25 de Setembro pelo selo Pegada de Gigante Entretenimento.
Gravado no Estúdio NoDoze com o produtor Rodrigo Almeida (Tiuzinho) entre Fevereiro de 2014 até Junho deste ano, com alguns vocais gravados no Estúdio Toca dos Gigantes e os vocais da participação do MC Kamau, no Flapc4 em SP.
A Arte da capa ficou por conta dos rappers que decidiram assinar a direção de arte do projeto. O álbum reúne 17 faixas com um tempo total aproximado de 70 minutos é o primeiro álbum de estúdio da história de DANIEL GARNET & PEQNOH e conta com muitas participações especiais desde o processo de composição até a finalização do projeto, nomes como Eduardo Balbino (Dj Duh), Rodrigo Ribeiro (Short), Rodrigo Almeida (Tiuzinho), Gambia Beats e Donde (Polônia) nos instrumentais e outros nomes surgem em parceria as letras como:
Kamau na inspiradora "Seja" e Saulo R&B na encantadora "Luz & Sombra" e nos arranjos vocais um time de peso vem somando com o brilho do soul/jazz/mpb nomes como: Bianca Caetano, Edson Fetão, Bebé Salvego, Coral de Asafe e Phael Camargo (in memorian)
Avise o Mundo...



01 - Avise o mundo (Part Coral de Asafe & Alan Ribeiro) 
02 - Deixa sua luz brilhar (Part Coral de Asafe) 
03 - USCT 
04 - A regra é clara (Part Bebé Salvego) 
05 - Nossa Ostentação 
06 - Seja (Part Kamau, Dj Short & Coral de Asafe) 
07 -Luz & Sombra (Part Saulo R&B e Bianca Caetano) 
08 - Mulher (Part Fétão) 
09 - Menina Mãe (Part Bianca Caetano & Coral de Asafe) 
10 - Serviço de Preto (Part Phael Camargo) 
11 - Festa no céu (Part Coral de Asafe) 
12 - E se você não curtir 
13 - Não toque neste meu cabelo 
14 - Chedeshop 
15 - Sem Blefe 
16 - Parei 
17 - De gratidão 

Onerpm



Youtube



Disponível para download gratuito: https://www.pegadadegigante.com


O sexto dia de Rock in Rio teve ingressos esgotados e, segundo informações do G1 Rio, foi o mais complicado de chegar perto do Palco do Mundo, o principal. Os fãs, que não saíam de perto desde a tarde do sábado (26), permaneceram em seus lugares até a chegada de Rihanna. A cantora americana chegou 30 minutos atrasada, atrás de uma cortina de fumaça e cantou um hit atrás do outro. 
Usando um figurino amarelo largo, no estilo boxeadora, Rihanna chamou atenção e virou meme na mesma hora. Ela foi comparada a Walter White, um professor de química que se torna traficante de metanfetamina na série "Breaking bad" e a Axl Rose. Comparações coerentes com o seu já divulgado interesse em drogas e com o rei do atraso no Rock in Rio, respectivamente.
Enquanto cantava a música "Bitch Better Have My Money", fãs da cantora jogaram notas falsas de dólar no palco. No centro da 'moeda', o rosto de Rihanna. Depois de se jogar nos passos de break com suas dançarinas, ela se encantou com o dinheiro falso. "Amei essa m****. Nunca vamos esquecer esse show", disse, deixando o palco.



E RiRi encerra esse show MARAVILHOSO com Bitch Better Have My Money #RihannaNoMultishow Sua linda, obrigado por tudo <3 Até a próxima! <3
Posted by Multishow on Sábado, 26 de setembro de 2015

sábado, 26 de setembro de 2015




Heroínas e Heróis Da união dos escritos de GOG e Nelson Maca e com a Roupagem do Projeto Nave nasce “Heroínas e Heróis”. A música compõe o novo disco do Poeta do Rap Nacional e também faz parte do coletânea “7” Nas Base ” do Projeto Nave, o que possibilitará o lançamento em vinil e do vídeo clipe de “Heroínas e Heróis” dia 22 de setembro na Matilha Cultural no centro de São Paulo. A captação visual – vídeo clip - dessas emoções, retratando a ebulição na Diáspora Africana transforma escritos em manuscritos e roupagem em tecido humano. Sim! Estamos vivos, rebelados. O chamamento é público.

“Olhar a história de cada um é olhar para a história de todo mundo. Seus heróis tem estátuas nas praças e nomes em ruas, meus heróis estão nas ruas, derrubando ditaduras e ultrapassados. Olhos nos olhos. Suas heroínas estão nas capas de revistas, minhas heroínas estão na luta concentradas. O vídeo aqui assume papel de documento, não é preciso captar imagens, tudo que está falado na música existe, existiu, seguirá existindo. Criar aqui é recolher registros que possam difundir a luta expressa nos nomes e na história contada por Gog. Nenhuma ficção é necessária.”



Ficha técnica: 

Direção: Marcel Carneiro, Danilo Oliveira. 
Co-direção: Gog e Akilez
Montagem e finalização: Marcel Carneiro 
Efeitos: Fernando Carneiro 
legendagem: Jahjah filmes

Audio
Produzido por Projetonave
Gravado no Space Blues por Bruno Fiacadori
Vozes gravadas na Soulcity por Fábio Gomes e Raul Guimarães
Piano e cordas por Adriano Grineberg
Mixado no Vitrola Sound por Fábio Gomes e Raul Guimarães
Masterizado no Red Traxx por Felipe Tichauer
Capa por B-47
Produção Executiva por Akilez


O rapper estadunidense DMX foi solto na tarde de hoje, o rapper havia sido preso por porte de maconha.

segue a noticia da época no G1

O rapper DMX foi preso na noite desta terça-feira (20) na Carolina do Sul, Estados Unidos, informa o TMZ. De acordo com o site de celebridades, ele parecia bêbado e estava no banco do passageiro de um veículo que foi parado pela polícia após uma conversão proibida.
Ao fazer a revista, os oficiais teriam encontrado maconha dentro do carro e colocado algemas no cantor. Teriam verificado ainda que um mandado anterior por direção sem carteira de habilitação. Em razão disso, informaram que DMX, cujo nome verdadeiro é Earl Simmons, iria para a cadeia.

Os policiais o descreveram como "muito agressivo com as palavras" e disseram que "fez várias ameaças". Ao reagir à abordagem, o músico teria reclamado da situação, enquanto uma amiga gravava um vídeo de tudo que estava ocorrendo. 

"Esta não é uma blitz normal!", gritou o rapper, citando "18 policiais, 5 viaturas", diz o TMZ. O rapper também pede ao oficial que "dê o fora" e alega que "o motorista não fez nada de errado – o carro não deveria ter sido parado, para começo de conversa".

sexta-feira, 25 de setembro de 2015



Oitavo vídeo da série de shows do Racionais sobre a turnê Cores & Valores.





Todas as informações sobre a turnê no site: racionaisoficial.com.br/coresevalores

Direção e Edição do Vídeo: Pedro Gomes (www.youtube.com/pedrogomes08)
Produção: Time 92
Direção de fotografia: Rogério Che
Imagens: Rogério Che, Edu Yamanaka, Paulo Silver e Pedro Gomes

Ficha Técnica do Show #CoreseValores
Direção Artística: Ice Blue
Produtor Técnico: Keko Mota
Iluminação: Ducastam Martins
Técnico de Som: Tchelo Martins
Produtores: Marquinhos e Jorge Dias
Realização Produtora Boogie Naipe


O filme Jonas, anteriormente intitulado Jonas e a Baleia, acaba de ganhar seu primeiro trailer oficial e seu cartaz de divulgação. O longa vem ganhando notoriedade tanto pela trama de suspense, quanto pelo elenco, onde artistas do Rap brasileiro marcam presença.
Com direção de Lô Politi e uma mistura de drama, romance e suspense, o longa longa traz um jovem pobre — Jonas, protagonizado por Jesuíta Barbosa — que é apaixonado desde pequeno por Branca, vivida por Laura Neiva. Os dois cresceram juntos na mesma casa, mas tinham realidades sociais completamente diferentes. Visto Jonas ser o filho da empregada e Branca é a filha da patroa.
00:00
JONAS - Trailer
JONAS - Trailer
Na agulha
O filme se passa quando os dois, agora jovens adultos, se reencontram e, por razões ainda desconhecidas, Jonas revela seu lado sombrio e sequestra Branca, que namora o personagem deChay Suede e tem um caso com o personagem do rapper Criolo.
Além de Criolo, os rappers Rincon Sapiência e Karol Conka também marcam a presença do Hip Hop no elenco do longa, que se passa às vésperas do Carnaval na cidade de São Paulo.
O filme participa da mostra competitiva Première Brasil do Festival do Rionesta semana. O filme ainda não tem data de estreia no circuito comercia

Fonte: www.rapnacionaldownload.com.br/