segunda-feira, 31 de outubro de 2011


Parte das comemorações de 20 anos do grupo bate-cabeça é o lançamento do videoclipe “Talento não morre…Recicla”

Há 20 anos, um grupo totalmente diferente do que se via no rap nacional tomava a cena: dois homens e uma mulher no bate-cabeça. Surgia o RPW, um dos mais fortes nomes da música brasileira, que neste ano completa duas décadas com a formação original e que, como parte da comemoração, lança o clipe “Talento não morre…recicla”, com direção de Ricardo Q-Pam, produção musical da KL JAY, edição de Green Alien e roteiro de Ricardo Q-Pam, Paula Minura, W-Yo e Rubia.
No entanto, por incrível que pareça, esta é a segunda obra audiovisual do grupo feita nestes 20 anos, no entanto, ele é apenas o começo de uma série de comemorações que celebram os 20 anos do grupo, que te outra novidade como a possível volta dos covers do rap brasileiro aos palcos.





50 Cent já havia revelado em uma entrevista passada que nunca usou maconha e nenhuma outra droga ilícita. Em recente entrevista para a CNN, o rapper explicou o porquê de sempre ter se mantido longe das drogas, apesar de já ter atuado como traficante.

Tive a chance de ver vários irmãos e irmãs da minha mãe experimentando drogas em diferentes fases, e os via respondendo de forma tão diferente que me mantive longe, explicou.
 
O líder da G-Unit também falou sobre uma experiência negativa com o álcool, revelando que não bebe mais. Ele disse: Eu tive uma experiência onde o álcool me tornou paranóico, então me afastei dele logo depois disso

By Centraldorap.com





O Eletrobase, coltivo carioca que está em atividade desde 1999, é notado por ter um dos principais canais de difusão da cena nacional de hip hop. O portal do grupo é um veículo de propagação 24h da cultura do rap, oferecendo uma programação diferenciada e de qualidade. Com isso, cada vez mais estreitam o relacionamento com seu público e fortalecem o hip hop artística e economicamente, formando um elo de conexão entre os artistas e os consumidores já que o mercado nacional é priorizado.

Semanalmente ás quintas 16h acontece ao vivo o programa "Eletrobase Com Vida", que reúne o que há de relevante na cena com apresentações de DJs, MCs, conjuntos e gente ligada ao tema proposto por eles. Até hoje já passaram pelo estúdio do Eletrobase em Botafogo (Rio de Janeiro) nome como: Gutierrez,  
Xará, 
MC Coé, 
Julio Serrano, 
Akira Presidente, Papo Reto, 
Edi Rock & KLJay, Funkero, 
Numa Margem Distante, Start, DJ 
Tucho, DJ 
Saddam, DJ
 Tony (MV Bill), DJ 
Flavia Xexeo, DJ 
Negralha, DJ
 Hum e DJ 
Pachu, entre vários outros.

Nesta sexta-feira, dia 04/11, os DJs Saci, Lulinha, Dadu e Tonha - que formam o coletivo - voltam a Vitória para uma noite de muito hip hop e black music na festa Red Carpet, que acontece no São Firmino.


Com um trabalho que envolve uma campanha contra HIV/Aids, o músico cearense embarca para Argentina onde fará um workshop

Musicando o sentimento e poetizando a vitória, o músico, poeta e produtor Felipe Rima embarca, no próximo dia 1/11 para Buenos Aires, na Argentina, onde apresenta um workshop do seu mais novo trabalho, o disco “Entre o Batuque do Coração e a Poesia da Vitória”.

De Fortaleza para o mundo, como ele mesmo costuma brincar, o jovem rapper cearense que une a poesia em bases ritmadas, transformando-as em música faz mais do que entretenimento. Com o projeto do novo CD, lançado em setembro deste ano, Felipe engajou-se também numa campanha de combate ao HIV/Aids através do programa Geração Muda Mundo da Ashoka Internacional, A MTV America Latina e o MAC Aids fund.

Mesmo sem qualquer experiência na área de saúde, o músico percebeu que poderia unir, às suas canções que versam sobre temas como vida, fome,  problemas sociais e amor, um preservativo e assim, quem adquire o disco, vendido, normalmente a R$ 3 em shows e eventos, leva também uma camisinha e o conceito de sexo seguro.

“Quando surgiu essa oportunidade, mesmo sem saber muito sobre a área de saúde, resolvi abraçar a causa e trabalhar nisso através do meu primeiro disco. Acho que assim conseguimos levar entretenimento e saúde aos jovens do nosso país”, conta.

Desta maneira, ele estará na Argentina para dividir as experiências e resultados obtidos com uma rede de jovens de mais de 70 países.

O disco
O disco “Entre o Batuque do Coração e a Poesia da Vitória” foi lançado em setembro e traz 19 faixas, que são poesias musicadas. Líder do grupo Arsenal da Rima, poeta, rapper e produtor, ele apresenta este novo projeto, também chamado de Felipe Rima & Banda, que tem a parceria dos músicos Salmos Rafael, Enos de Lima e Mariano Penha.
Para o Brasil, Felipe Liberou algumas faixas do disco para download, como a “Fazendo História”, que é um resumo de sua carreira e a “Êxtase Magistral”, que fala sobre amor e vai ao encontro do projeto de prevenção ao HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis.

Links:
Twitter: @FelipeRima
Link para a música Êxtase Magistral

Link para a música Fazendo História


sábado, 29 de outubro de 2011

emicidany
O rapper paulistano Emicida faz uma apresentação na Nova York East Village Radio, hoje à tarde. O chamado de “Jay-Z brasileiro” está hospedado na townhouse do músico e produtor K-Salaam, no Brooklyn, considerado “um dos lugares mais cools da do planeta no momento”pela pela revista GQ americana. O músico se apresentou no último sábado no The Creators Project, da Intel, também no Brooklyn, ao lado de estrelas como Florence and The Machine, Justice, Company Flow e com DJ set de Erykah Badu. No flyer do evento, a inscrição: “Ninguém precisa entender as letras em português para entender porque Emicida é chamado o Jay-Z brasileiro”.
Um dia antes, o rapper ganhou a estatueta de Clipe do Ano e Artista do Ano, a mais importante premiação da noite do Vídeo Music Brasil 2011 (VMB), em São Paulo. Logo depois, ele embarcou para Nova York para fazer algumas reuniões secretas de negócios e foi visto pelas ruas de Manhattan dentro de uma chamativa limousine — a MTV ameriana ficou sabendo e já mandou montar uma equipe para entrevistar o rapper. Emicida volta ao Brasil para um show em Vitória da Conquista, na Bahia, no sábado, e também foi um dos confirmados para tocar no festival SWU (Starts with you) no dia 12 de novembro, no palco Consciência, em Paulínia, São Paulo.
Confira a última passagem do rapper pela East Village Radio no Blog RadarUrbano



O GRUPO MUSICAL DIPLOMÁTICOS PREPARA A PRIMEIRA MIXTAPE DE AKKA BILL (MEMBRO DO GRUPO)

DISPONIBILIZA AQUI, MAIS UMA MÚSICA INTITULADA "ODIOSOS" (SKILL) QUE CONTA COM A PARTICIPAÇÃO DE INDY BRAGA E BEDEU

MIXTAPE PLANO B

LINK PARA DOWNLOAD:
www.mediafire.com/?me8f7r9dxa9ipos

BLOG OFFICCIAL:
www.diplomaticos4life.com

www.facebook.com/diplomaticos
www.facebook.com/akkabill

sexta-feira, 28 de outubro de 2011



Em minhas pesquisas pela rede, me deparei com uma notícia meio curiosa, duvidosa, e empolgante. Lendo o blog do Torrence Glenn, blogueiro/reporter [que adimiro muito] do programa Sunday Best, que é apresentado por Kirk Franklin e transmitido pela BET.
Em seu post publicado em 19 de setembro, intitulado “Had To Share: The Game Is Born Again” [Tinha que Compartilhar: The Game nasceu de novo], Glen fala sobre um fim de semana onde apresentou e participou de uma conferência em Los Angeles. Depois que a conferência terminou ele foi com um grupo de pessoas para um evento na City Of Refuge Church,  pastoreada pelo Bispo Noel Jones, onde estava acontecendo evento anual Back To School Concert.
Torrence Glenn diz em seu post: “No início da noite (o TV star) Kel Mitchell [um dos apresentadores do evento] fez menção de que The Game estaria ali naquela noite; foi uma declaração de passageira, então pensei que fazia parte de seu roteiro de apresentação. Você sabe, nós estamos na igreja, e um “rapper gangsta” famoso vai aparecer aqui… Ba-dump-bump.
Assim a noite foi passando e Kel Mitchell apresenta The Game, e era ele de fato, estava um pouco sofisticado, com jeans, camisa xadrez e óculos nerd chic. Ele comprimentou  a multidão, incentivou as crianças a permanecerem na escola e na igreja, e começou a dizer como ele recentemente entregou sua vida a Cristo, graças à sua avó e ministros da (igreja) City Of Refuge.
A multidão estava visivelmente animada em vê-lo, e todos os presentes pareciam orgulhosos dele; não havia muito aquele ar de “julgamento” que às vezes acompanha esse tipo de anúncio. O mais interessante pra mim foi que ele fez questão de esclarecer qque não só tinha dado sua vida a Deus, mas que ele também tinha sido “batizado em nome de Jesus”.
As palavras acima foram escristas por Torrence Glenn em seu blog; não vamos entrar na questão de ser batizado em nome de Jesus ou em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Cada igreja tem sua doutrina e eu respeito muito isso. O  fato de Game ter declarado publicamente que entregou sua vida a Cristo e teve um novo nascimento através do batismo é uma ótima notícia.


By GOSPELBEAT



A mixtape da Linda Mc de Nova York "Signif"  ja esta disponivel para audição e se voce gostar pode baixa de grança no BandCamp da Mina. Ouça e baixa manos esta mina canta muito.


DUGHETTU - Conexão Los Angeles – 3



Letras compostas; beats na agulha;  conexão com artistas e produtores de New York.   Só faltava o estúdio.

Enquanto pré-produzia o álbum no Como Together do Harlem, Marcello Silva também rascunhava um projeto audacioso para a Red Bull New York.  E foi assim (de uma idéia na cabeça, uma proposta no papel e uma reunião marcada), que nasceu o contrato do rapper com a Red Bull Studio.
A banca analisou o projeto do albúm e aceitou disponibilizar  agenda para  finalização, mixagem e masterização do novo disco no Red Bull Studio Los Angeles - um dos mais cobiçados da gringa.
Nomes como, Nas, Ghostface (membro do Wu Tang Clan), Diplo, Alchemist (DJ de Eminen) e o grande mestre do R&B, Raphael Saadiq, já fizeram do lugar moradia.

Semanas depois, lá estava o artista.
Dughettu,  aterrissa no território de 2Pac, Dr Drew e Snoop Dog, totalmente familiarizado pelo clima quente e a brisa Califórnia Love.
Foi nesse clima de cidade-entretenimento que o Projeto ganhou forma. Doze faixas foram masterizadas pelo fera da engenharia de som, o brazuka Rafael Tudesco em parceria com Erick Stenman e James Musshorn, engenheiros responsáveis do Red Bull Studio LA.
Na paralela um documentário e alguns clipes foram gravados.  A Direção dos vídeos ficou a cargo de Rodrigo Mac Niven, conhecido pelo contundente e premiado “Cortina de Fumaça”.

De volta a New York para mais um pit stop antes de seu retorno ao Brasil, Marcello reuniu o time que trabalhou no projeto, amigos e profissionais para uma audição do álbum, intitulado BPM021 - uma alusão a freqüência (musical e do coração) e a cidade Maravilhosa.  
Agora, é aguardar para conhecer o som que promete tacar fogo nas pistas, num swing que mistura o Hip Hop/Funk Carioca/Charme; legitimando a sonoridade brasileira e concedendo a DUGHETTU o privilégio de ser o primeiro artista da América Latina a gravar no RED BULL STUDIO LOS ANGELES.



DUGHETTU - Marcello Silva em Nova Iorque - 2

Continuando o roteiro dos bons ventos, Marcello Silva DUGHETTU, participou de Jam Session com MCs no “Broklyn Hip Hop Festival”. O convite partiu do DJ Space Craft e o rapper soltou versos Brazucas numa tarde de pura cultura Hip Hop.
Dias depois a conexão foi com o Grupo Percussivo Mundo Novo.  “Todo menino do Pelô sabe tocar tambor!” foi o verso escolhido por Marcello para abrir sua participação no palco do SOB`s Manhattan. A casa é respeitada por ter recebido atrações como Kayne West, Common e Wycef Jam, entre outros mega stars.

Um show aqui, uma roda de papo ali e quando viu já estava sentado na frente de Marc Labelle, manager de Emminem, na sua própria base: Shayd Records -NY.  Foram 60 preciosos minutos de pura aula de “Hip Hop Bussines”. Labelle fez uma analise da cena global e apontou o Brasil com um novo player para o segmento musical. “ O Brasil, em especial o Rio, tem total potencial para ser um dos grandes mercados do Hip Hop do mundo, basta fazer o Homework”.

Foram tantos os incentivos e elogios que a inspiração logo bateu a porta e Marcello Silva começou a compor e buscar beats. DJ Nino, como sempre presente, enviou uma nova safra de batidas que lhe possibilitou dar o pontapé inicial na produção do trabalho. Em pouco tempo chegavam beats gringos e o time para o projeto foi formado.

Do Queens, veio o produtor Anthony Jordan. Um talento completo. Teoria musical, partitura, performance vocal e gerenciamento de negócios, foram algumas das especializações que adquiriu cursando a Five Towns Uiversity.  Começou carreira artística no Planet Studios NY, trabalhando com produtores, compositores de Mary J.Blidge, Beyonce, Alicia Keys, P.Diddy etc. Anos depois foi vocalista de inúmeras bandas e acabou em 2009 na TV, no reality show criado por P.Diddy - Starmaker. Hoje, Jordan divide seu tempo entre poesia, produções de filmes, músicas e direção musical, à frente da Instituição City Kids, que  incentiva jovens talentos de 13 a 19 anos, a desenvolverem sua auto estima através da arte.



DUGHETTU – Marcello Silva em Nova Iorque - 1

 
O rapper Marcello Silva, acompanhado pelo campeão de scratches e DJ, Nino, lançou seu primeiro álbum “Questão de Quê?” em novembro de 2009.  Produzido por Plínio Profeta, com participações de André Ramiro, Gabriel Moura e Gerson King Combo, o trabalho estreou no Oi Futuro de Ipanema e marcou presença em importantes eventos. A banda abriu os shows d´O Rappa,  50 Cent e Chris Brown além de ter participado ativamente da revitalização do Viaduto de Madureira, do festival Hip Hop Celebra, do Rap na Lapa entre outros. Após um ano na estrada, o rapper segue para uma temporada em Nova Iorque que já lhe rendeu vários frutos. (foto 1)
Além, claro, da imersão na cultura urbana universal, na dita “capital do mundo”, Marcello já esbarrou com muita gente boa. Do jovem violinista Dru, que é destaque na Orquestra Juvenil do Lincoln Center ao fotógrafo e artivista francês JR (que o introduziu no seu projeto Insedeout) e os brasileiros D2 e o grafiteiro Lamarca. O encontro do trio rendeu a foto (número 2) publicada na coluna do Ancelmo Gois, do jornal O Globo, e favoreceu o convite para montar uma exposição no West Village numa conexão entre arte plástica e um cardápio musical de hip hop e bossa nova. Na ocasião, Marcello Dughettu dividiu o palco com a cantora de soul Adeline Michèle e com o DJ Space Craft.  Muitos outros shows e participações aconteceram a partir daí.
Outro bom momento do rapper na Big Apple foi registrado em setembro e vai ao ar no Brasil pela Sport TV no programa Zona de Impacto (foto 3). Trata-se de um especial de fim de ano para o canal onde ele apresenta o Soho e Brooklin pelo ponto de vista da cultura urbana.

Enfim, já são mais de seis meses fora de casa.  Tempo suficiente para muito estudo, um up grade no net work e produção de um novo projeto artístico para DUGHETTU (foto 4), produzido no Harlem e em processo de mixagem, em Los Angeles.

 

 

RIO DE JANEIO - Xiii... Luan Santana está sendo acusado de plágio. Fãs do rapper paulistano Projota ficaram indignados com a semelhança da música “Nega”, lançada pelo cantor sertanejo na última segunda-feira (24), e a canção “Acabou”, de Projota.


A canção traz os versos “Tava arrumando a minha vida, mas tô doido procê bagunçar”, que também aparece na música “Acabou”. O vídeo com o sucesso do rapper foi publicado na internet em maio de 2008.

A confusão foi parar no Twitter e ficou entre os tópicos mais comentados com a hashtag “#luansantanaPLAGIOUOPROJOTA”. Mas o público de Luan Santana saiu em sua defesa com a hashtag “NegaNovoHitLuanSantana”.

Projota chegou a se pronunciar diretamente sobre o assunto na rede social e escreveu: “Estamos entrando em contato com nossos advogados. Não me pronuncio por aqui a respeito dessa parada que vocês já sabem qual é... Só digo uma coisa, TO P*** e vamo correr atrás desse bang”.

Mais tarde, o cantor de rap apagou as outras publicações e postou: “Estou resolvendo essa semana uma parada da minha vida pessoal! E esse lance da internet aí é a maior m****! Me deixou bolado!”.

A assessoria de imprensa de Luan Santana declarou que ele não conhece o trabalho de Projota e que tudo não passa de uma simples coincidência. “Para configurar plágio, são necessários pelo menos oito compassos idênticos, com mesma melodia e mesmo ritmo. Isso não ocorre neste caso, pois há apenas uma frase igual. Foi uma coincidência”, declarou uma representante do sertanejo para a revista “Megazine”, do jornal “O Globo”.



O álbum colaborativo de Jay-Z e Kanye West, Watch the Throne, foi um dos maiores lançamentos do rap mainstream desse ano, mas não despertou o interesse de Lil Wayne. Em entrevista para a Vibe, Weezy disse que não ouviu e nem pretende ouvir o LP.

Eu nunca ouvi o álbum. Provavelmente nunca ouvirei, desdenhou o astro da YMCMB, que lançou recentemente seu platinado álbum Tha Carter IV.
 
Wayne também falou sobre sua artista Nicki Minaj. Ele declarou não estar satisfeito com nada que ela conquistou até o momento, mas disse ter a certeza de que Minaj crescerá como artista.
 
Não estou satisfeito com nada que ela fez, disse Weezy. Acredito que ela pode fazer muito mais, e acredito que ela fará muito mais. 


By Centraldorap.com 
Track List:
01 Intro (beat 9th Wonder & Pete Rock)
02 Não Pertenço ao Vosso Mundo (beat Freddie Joaquim)
03 Lyrical Blades (beat 9th Wonder)
04 Quero Mais HipHop (beat 9th Wonder)
05 Invencível (beat Preemo)
06 So Amazing (Killing Em All) (beat Kanye West)
07 Último Homem em Pé (beat Gringo)
08 Revolu-Som-Nário (beat Nicolay)
09 36 Barras (beat 9th Wonder)
10 Outro (beat 9th Wonder)


Link: www.mediafire.com/?prjbjwcduj0mo


Para mais músicas minhas visita: www.imbelogik.bandcamp.com

quinta-feira, 27 de outubro de 2011



DJ Premier e a musica clássica e começou sua imersão no gênero com Bruce Adolphe, um professor de música na Juilliard ex-clássica. Eles se conheceram no Conservatório de Música do Brooklyn, não muito longe de casa DJ Premier, em NY. Depois de aprender sobre a teoria da música clássica, as inspirações de alguns dos compositores mais profundas do gênero e como peças tradicionais são estruturados, DJ Premier saiu e comprou toneladas de sinfonias clássicas de vinil para mash up sua própria criação. Em seguida, assumiu que mash-up e orquestrada-lo para partituras. Na primeira etapa do processo de gravação, DJ Premier parceria com Stephen Webber, professor e maestro no Berklee College of Music. Steven Premier ensinou como conduzir e ajudou-o no estúdio com as 58 peças Berklee Orquestra Sinfônica de ouvir na pista. De todos os takes, o que você ouve é a versão "selvagem" (o que significa que gravou sem o metrônomo em seus fones de ouvido) DJ Premier se conduziu. Em seguida, DJ Premier, que trouxe de volta para casa instrumental pista para NY e Nas deu a sua rima em cima dela.



Immortal Technique divulgou a tracklist de sua nova mixtape, The Martyr, que será lançada gratuitamente hoje (27), no site ViperRecords.com. Styles P, dead prez, Vinnie Paz, Poison Pen e Joell Ortiz estão entre as participações.

As produções de The Martyr ficam por conta de Green Lantern, Southpaw, Engineer, The Molemen e J.Dilla, entre outros. A Tracklist do trabalho você confere logo abaixo.
 
1. Burn This
2. The Martyr (Prod. Southpaw)
3. Angels & Demons Ft. dead prez (Prod DJ Green Lantern)
4. Rich Man’s World (1%) (Prod. Shuko)
5. Toast to the Dead (Prod. J.Dilla)
6. Eyes in the Sky Ft. Mojo of Dujeous (Prod. Southpaw)
7. Goonies Ft. Diabolic, Swave Sevah & Gomez (Prod. Southpaw)
8. Natural Beauty Ft. Mela Machinko (Prod. Slimfass)
9. Running Nowhere (Interlude) (Prod. Southpaw)
11. Mark of The Beast Ft. Akir & Beast 1333 (Prod. The Molemen)
12. Black Vikings Ft. Styles P, Vinnie Paz & Poison Pen (Prod. Southpaw)
13. Conquerors (com Dr. John Henrik Clarke) (Prod. Engineer)
14. Young Lords Ft. Joell Ortiz, Pumpkinhead, CF & Panama Alba (Prod. Southpaw)
15. Ultimas Palabras (Prod. Immortal Technique & Southpaw)
16. Sign of the Times Ft. Cetan Wanbli, Lockjaw Nakai & Cornel West (Prod. Southpaw) 


By Centraldorap.com



Cantor e compositor Das Quebradas "DQ" ganhou esse nome por morar em vários bairros da capiral mineira.
Tendo a infância e a adolecência influenciadas pelo RAP "o som do gueto", DQ começa a freqüentar bailes e
festas de Black Music na cidade. Ao improvisar rimas com os amigos é incentivado escrever, assim compondo
sua primeira musica em 2001, em 2006 lançou a demo intitulada "Prossigo na caminhada", que invadiu as radios
comunitárias,com a música "Todo Ano é Assim".
Acumulando elogios, DQ nos últimos tempos veio se divertindo em diversas batalhas em rodas de Freestyle.
Em 2009 lançou a música "Fala Fofoqueira" que está na boca e nas pistas de todo Brasil, mesclando poesia e irreverência,
DQ vem dividindo palco com grandes nomes da musica nacional e internacional como Mims, Mano Brown, Mv Bill, Dj
Technician(Jay-z), Thaide entre outros.
Recentemente lançou o seu primeiro disco intitulado ''Verdadeiro ou Falso'' DQ surge como o mais novo fruto do Hip-Hop brasileiro.