segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016




Depois de terem disponibilizado 4 faixas promocionais, o Projecto Ascensão constituído pelos MCs da Nova Escola S-Bruno, Sentinela, Dallas Furia, Olibreezy, Maximus, Edgar Leal, Phedilson, Killer MC, Absinto, Leonardo Freezy e AL MC disponibilizam HOJE 29 de Fevereiro, o tão esperado EP intitulado"NOVO CICLO".

Projecto Ascensão surge depois da Temporada da Nova Escola realizado em Junho de 2015 no Espaço Bahia, onde "alguns" dos MCs que tiveram melhores performances e disciplina, foram selecionados para fazerem parte deste projecto que resulta neste EP e desta forma poderem começar um "Novo Ciclo" no que toca ao estilo Rap.

Como Projecto Ascensão, depois de terem passado pelo Espaço Bahia, estiveram num Show Especial no Kings Club foram o cabeça de cartaz da 1ª Edição do Festival de Rap da "Nova Escola" que se realizou no Elinga Teatro assim como estiveram nalgumas cadeias televisivas do País e estações de radio. 

Depois deste lançamento oficial do EP, está a ser preparada a apresentação oficial e brevemente será divulgada a data e local da mesma.

Meocloud  // DOWNLOAD
Mediafire  // DOWNLOAD 





RACISTAS APANHAM DE PANTERAS NEGRAS E ANTIFASCISTAS NOS ESTADOS UNIDOS

O conflito aconteceu no ultimo sábado, na cidade de Anaheim, California, na qual a organização racista Ku Klux Klan havia marcado um evento. Doze pessoas foram presas após a briga, incluindo três militantes antifascistas e um supremacista branco, acusado de esfaqueamento.




RACISTAS APANHAM DE PANTERAS NEGRAS E ANTIFASCISTAS NOS ESTADOS UNIDOSO conflito aconteceu no ultimo sábado, na cidade de Anaheim, California, na qual a organização racista Ku Klux Klan havia marcado um evento. Doze pessoas foram presas após a briga, incluindo três militantes antifascistas e um supremacista branco, acusado de esfaqueamento.
Publicado por Mídia Independente-MIC em Segunda, 29 de fevereiro de 2016

sábado, 27 de fevereiro de 2016

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016




Recentemente o grupo Inquérito, formado pelo Pop Black e o Renan, foram se apresentar na argentina, no festival organizado pelo agitador cultural Diego Barreiro, onde o grupo foi o único grupo brasileiro no evento.

Durante sua estadia na terra de nossos Hermanos, o Inquérito conheceu um grupo local de rap e gravou uma musica chamada "Madre Tierra" em parceria com a rapper Malena.


A musica "Madre Tierra" fala da união latina, independente se é preto,branco ou nativo americano, a Malena Dalessi já deixa isto bem claro no começa da musica "não há religião,cor de pele que nos separe".

A letra deste clipe me chamou muita atenção, porque nós brasileiros algumas vezes não nos sentimos latinos, achamos que somos superiores ou diferentes do que nossos irmãos aqui da America do sul e latina em geral, este clipe  meio que estreita esta relação Brasil America latina, como diz a frase do Renan "Brasil e Argentina a luta é a mesma". Pois os problemas sociais são os mesmo, a pobreza e os problemas sociais e politico do nosso pais não é nada diferente de qualquer pais latino e usando mais uma vez um verso do Renan, "Mesma dor mesma causa policia assassina, Mães de Maio, no Brasil,na Argentina".

O clipe e a musica "Madre Tierra" passa um sentimento de união,irmandade e valorização da cultura latina, este verso comum  jogo de palavras do Renan mostra bem isto "Sou da America ,não sou capitão não ... nem do mato nem nascimento,jamais!!!" 
Neste verso o rapper faz um jogo de palavra mostrando que ele é da America, mas não o Capitão America, o "herói" norte americano e muito menos o capitão do mato e nem o nascimento, figuras muito romantizada aqui no Brasil.

ASSISTA O CLIPE



SAIBA UM POUCO SOBRE A CANÇÃO, O CLIPE E O PROJETO "UMA SÓ VOZ"

Credito - Marcio Salata!

Videoclipe é parte do projeto “Uma Só Voz” que começou em Cuba e vai percorrer diferentes países da América Latina
Já imaginou ouvir rap com tango – o ritmo tradicional Argentino? Esta é a proposta da música “Madre Tierra”, gravada pelo Inquérito em Buenos Aires, na Argentina, com participações de Malena D´Alessio e Ramiro Abrevaya.
Com produção musical de Dj Duh (GrooveArt´s), a canção mistura a força das rimas do rap do Inquérito, com instrumentos tradicionais do tango, como guitarra criolla e bandoneon. “A música começou ainda no Brasil, no estúdio do Duh e quando fomos para a Argentina, gravamos as vozes, instrumentos e participações. Foi louco gravar num estúdio onde os caras do tango gravaram também e embora nossa música não seja um tango, ela quis, teve a intenção de inserir esses instrumentos típicos de lá”, contou Renan Inquérito.
As gravações aconteceram quando o Inquérito esteve no país ‘hermano’ para participar do Festival Latinoamericano Del Ritmo, a convite do músico e produtor cultural, Diego Barreiro, que foi quem fez a ponte entre os músicos, conseguindo uma fusão não apenas entre idiomas e países diferentes, mas de estilo.
Para Ramiro Abrevaya, esta foi a primeira experiência com o rap. “Foi uma fusão que funcionou. Foi uma bela experiência. O convite veio do Diego Barreiro, que me escolheu dentre muitos músicos argentinos que ele tinha ouvido, e estar no estúdio, sem um trabalho anterior, foi interessante. Nós nos encontramos lá, eles me mostraram o básico da música e me pediram para escrever e compor o coro. Em poucas horas escrevemos a letra e gravamos. Felizmente eu era capaz de traduzir o espírito que o Renan queria transmitir com a música. Estou muito feliz com o resultado, porque concordo com a filosofia que a canção exprime. O vídeo também ficou bem bonito, é um trabalho bem abrangente”, comentou o músico.

Credito - Marcio Salata!

Outra participação da música foi a da rapper Malena D´Alessio. Filha de um pai desaparecido na ditatura argentina, ela traz para a música toda a crítica social e política ado país. Foi a fundadora do já extingo grupo Actitud María Marta, que esteve no Brasil em 2011 par alguns eventos. Para a canção “Madre Tierra”, fez questão de expressar a força da luta que faz como bandeira, que está diretamente ligada aos direitos humanos, das mulheres e da cultura popular.
Já o material audiovisual teve a direção e finalização de Eddie Silva, do estúdio Grito 33. Ele acompanhou o Inquérito durante toda a viagem e flagrou momentos do grupo no aeroporto, no estúdio, nas ruas da Argentina e também em eventos ligados à música, que são traduzidos nas imagens do videoclipe.
“Uma Só Voz”
A música é parte do projeto “Uma Só Voz”, que busca estreitar os laços musicais entre o Brasil e os demais ritmos da América Latina. A primeira gravação aconteceu em 2015, na cidade de Havana, em Cuba. Na ocasião, o Inquérito gravou com o La Invaxión, que tem integrantes no Caribe e no Uruguai.
A proposta é mostrar o rompimento de fronteiras entre a música independente, promovendo um espetáculo único e inédito, de intercâmbio musical latino. O Inquérito pretende, em 2016, fazer outros trabalhos nesta linha, embora o próximo país a ser visitado ainda não tenha sido definido.
“A América Latina é muito grande e muito rica. O Brasil é o único país de língua portuguesa na região, e é muito importante que consigamos viajar e mostrar nossa música, nossa arte, em outros locais. Foram experiências bem diferentes estar em Cuba e na Argentina. Cada país com suas particularidades, cada músico com seus talentos e isso só exprime o que o rap é capaz: romper fronteiras e traduzir sentimentos”, completou Renan Inquérito.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016



BAIXE GRÁTIS 4 faixas do senhor Kool Klever, extraídas da mixtape "Menos Kool e mais Klever" remixadas por San Caleia para Águasturvaspro.
A faixa 1 (2 em 1) é uma musica inédita, não fez parte da mixtape e aparece aqui no beat deste produtor. Na faixa 2 "Aquecimento 2 feat Bruno" podemos ouvir " ESTES MIÚDOS ANDAM A GOZAR BRUNO/ ESTES MIUDOS P#$RA, ELES NÃO SABEM PAH, MAN / ESTA M#RDA NÃO É SO FALAR /...
A faixa 3 (MVP 2 ft Xda?) é apenas uma demo com 1:07, que estará disponível no projecto final do CD e por fim a faixa 4 (MVP 1 feat Francis)




A publicação “Mulheres de Palavra” dá voz às mulheres que encontram no rap o lugar e a vez de se mostrarem, inteiras e sem concessões.

As narrativas femininas de 10 rappers do Estado de São Paulo são o mote da publicação “Mulheres de Palavra: um retrato das mulheres no rap de São Paulo”, que encontra nestas MCs a voz de um universo cultural ainda predominantemente masculino. São elas: Bia Doxum, Brisa De La Cordillera, DJ Niely, Dory de Oliveira, Luana Hansen, Lunna Rabetti, Odisseia das Flores, Preta Rara, Priscilla Fêniks e Sharylaine
A obra mostra os trabalhos artísticos dessas mulheres em consonância com suas vidas sociais e familiares, extrapolando o palco. A publicação vai além: busca entender a ancestralidade no trabalho e na poesia de cada uma destas mulheres, uma vez que, em sua maioria, são negras. 
A publicação foi idealizada pelas pesquisadoras Fernanda Allucci, Ketty Valencio e Renata R. Allucci, com registro audiovisual de Ricardo Dutra e Samuel Malbon e textos de quatro autorasconvidadas, Daniela Gomes, Izabela Nalio Ramos, Nerie Bento, Roberta Estrela D’Alva e será distribuída gratuitamente nos principais equipamentos culturais de São Paulo.
O projeto foi realizado com o apoio do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria de Estado da Cultura, por meio do PROAC Editais.


Data: 03.03
Horário: 18:30h
Local: Ação Educativa.
Rua General Jardim, 660 - Vila Buarque - SP Entrada Gratuita.

Lançamento da Publicação:

Ketty Valencio 
Renata Alucci

Roda de Conversa + Apresentações com:

Bia Doxum
Brisa De La Cordillera
DJ Niely
Dory de Oliveira,
Luana Hansen
LunnaRabetti
Odisseia das Flores
Preta Rara
Priscilla Fêniks.
Sharylaine.


São Paulo, fevereiro de 2016 – Marcelo D2 retorna ao palco da Audio no sábado, dia 5 de março, para show de lançamento de seu DVD ao vivo “Nada Pode Me Parar” gravado em apresentação na casa no ano passado, com participações de Thaíde e BNegão.
Para muitos, o maior nome brasileiro do Rap nacional, Marcelo D2 celebra seus 20 anos de carreira com o DVD “Nada Pode Me Parar - Ao vivo”, primeiro da carreira solo do rapper que traz músicas do disco 'Nada Pode Me Parar' e também os clássicos de sua carreira solo e do Planet Hemp, como “1967”, “Desabafo”, “Qual é?”, “Mantenha o Respeito” e “Contexto”. No palco, como cenário, um ambiente totalmente dinâmico, D2 recebeu participações de convidados especiais e de sua banda que o acompanha há anos.
Marcelo D2, ex-vocalista da banda Planet Hemp, deu início a sua carreira solo em 1998, quando lançou seu primeiro álbum autoral, “Eu tiro é onda”. Em 2003, rompeu definitivamente com o Planet Hemp e seguiu dedicando-se apenas a seu trabalho solo.
O rapper teve sua segunda obra, “A procura da batida perfeita”, divulgado mundialmente. O álbum foi lançado na Europa, nos Estados Unidos e na Ásia, e consequentemente D2 realizou cinco turnês na Europa. No ano seguinte do lançamento do álbum, recebeu o prêmio de Melhor Letrista, pela Academia Brasileira de Letras.
Nos anos seguintes, D2 não parou de fazer sucesso. Lançou mais 4 álbuns, e ainda conquistou o prêmio de Melhor Clipe, no Prêmio Multishow de 2007, e em 2008 teve algumas músicas apresentadas na trilha sonora no filme norte-americano “Turistas”.
Os ingressos antecipados custam R$ 80 a inteira e R$ 40 a meia-entrada, e podem ser adquiridos pelo site da Ticket 360, por meio do link: https://www.ticket360.com.br/evento/5272/marcelo-d2-lancamento-do-dvd.
Audio fica localizada na Avenida Francisco Matarazzo, 694 – Água Branca – São Paulo – SP. Outras informações emhttp://www.audiosp.com.br/
Marcelo D2 – Lançamento do DVD @ Audio
Data: 5 de março de 2016Horário: 22hEndereço: Av. Francisco Matarazzo, 694 – Água Branca - São Paulo – SPTelefone: 11 3862-8279Site: www.audiosp.com.brCapacidade: 2.500 pessoasCensura: 18 anosValor: R$ 80 (inteira) / R$ 40 (meia-entrada)Ingressos antecipados: https://www.ticket360.com.br/evento/5272/marcelo-d2-lancamento-do-dvdVendas por telefone: 11 2027-0777Horário de funcionamento da bilheteria: segunda a sábado das 13h às 20hAceita todos os cartões de crédito e débito, exceto HipercardNão tem estacionamento no localChapelariaAr-condicionadoAcesso para PNEWi-fi grátis mediante cadastro onlineAtrações:Marcelo D2

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016



Alexandre de maio é um dos grandes desenhistas brasileiro, o diferencia do mano é que ele usa a periferia e suas mazela como inspiração

Conheça o trampo do mano. 


Meu próximo livro "Génération Favela" com textos das francesas Marie Naudascher e Hélène Seingier será lançado no dia 19...
Publicado por Alexandre De Maio em Terça, 23 de fevereiro de 2016
A RETOMADA DA IDENTIDADE E RELIGIOSA NEGRA ATRAVÉS DO RAP



Quando motivado por uma grave eternidade o rapper de Volta Redonda, RJ, Thiago Elniño, 30 anos, foi parar em um terreiro de umbanda ele ouviu de um guia as seguintes palavras: “Tudo isso foi preciso para que você viesse aqui encontrar sua identidade, o sentido das coisas que você canta” ele não esperava que isso fizesse sentido tão rápido. Um ano depois, com o lançamento do clipe da musica Diáspora, que tem produção musical do curitibano Vinicius Nave e visual de Fabricio Mangel, a experiência passa a fazer todo sentido.

Gravado no mesmo terreiro onde o rapper teve seu encontro com a umbanda e ate hoje é frequentador, e em uma antiga fazenda no interior do Rio que já abrigou mais de dois mil escravos e hoje da espaço a uma escola, o clipe é bem direto ao mostrar elementos da religião misturados a já tradicional estética de clipes de hip hop onde o MC quase que o tempo todo rima para a câmera, a urgência com que isso é feito busca um equilíbrio entre a beleza das locações e a agressividade com que o Elniño rima no muito bem trabalhado instrumental produzido por Nave, importante nome da cena Hip Hop que atualmente produziu os discos de Karol Conka e Ogi, e singles de sucesso para EMICIDA e Marcelo D2. Diáspora é o primeiro single do EP Filhos De Um Deus Que Dança, também produzido por Nave e que busca a síntese entre tambores ligados a religiões e culturas de matrizes africanas, pontos cantados e versos de rap que abordam a retomada de identidade do povo negro e suas raízes africanas! Link para o clipe: 



Release sobre o Thiago Elniño



Natural de Volta Redonda, cidade do interior do Rio de Janeiro, e crescido em Belo horizonte, capital o estado de Minas Gerais, Thiago Elniño, 30 anos, faz rap há 8 anos e assim como outros MCs ligados a cultura HipHop nas periferias dos países de terceiro mundo, faz a trilha sonora dos absurdos co-tidianos.

Entenda-se como absurdo: homens negros e mulheres negras não se identi-ficarem e se reconhecerem nas identidades e culturas que seus ancestrais criaram, porque tomaram deles e as deixaram distantes; trabalharem oito ho-ras por dia e ficarem com a menor parte do lucro desse período; receberem uma educação construída para os deixar reféns da falta de possibilidade de ascensão, sem que saibam disso. Todos esses temas ganham espaço nas suas músicas, que se considera um acidente positivo, destes que só a educação e a cultura podem proporcionar, quando mesmo em situação desfavorável. Teve acesso a elas através da cul-tura HipHop e hoje, através de sua música, serve de veículo de transformação social a serviço da retomada de identidade do seu povo.

O primeiro trabalho de Thiago foi o EP Prólogo. gravado em 2007, meses depois de conhecer a ONG ECFA- Espaço Cultural Francisco de Assis França, em Volta Redonda, na instituição que prestava assistência a jovens músicos. Elniño, nome que Thiago ganhou nas batalhas de MC da cidade por alternar temperamento hora agressivo, hora calmo em suas rimas, em alusão ao fenômeno que promovia mudanças abruptas no clima na época.

Conheceu a banda Sapiência e ali teve suporte para gravar e lançar as 7 mú-sicas que cantavam sobre as características da cidade industrial que viviam sobre uma influencia muito forte de samba e música jamaicana. Mesmo com bom alcance local, a banda não durou muito e o MC foi buscar outros par-ceiros, dessa vez o Coletivo CASA.

Formado por membros da banda Amplexos, o Coletivo e Espaço Criativo CASA ajudou Thiago a encontrar uma identidade onde seus temas fortes eram acompanhados de batidas eletrônicas dialogando com instrumentos or-gânicos criando uma musicalidade muito forte e marcante, sempre com uma proximidade do DUB. O resultado disso foi o EP Cavalos de Briga, onde contando com 3 faixas Thiago conseguiu ir um pouco para além de sua ci-dade natal e dialogar com outros espaços. Em 2013, Thiago lança Amigo Branco, música até então com maior destaque da sua carreira e que contou com um muito bem aceito clipe produzido pelo diretor Rabu Gonzalez, que vinha de trabalhos com artistas como Seu Jorge e Ed Rock, dos Racionais. Se na música que conta com ótimo beat produzido pelo produtor goiano Victor Beats, Thiago já conseguia de forma certeira e suingada, agredir com força elementos do racismo. As imagens de Rabu só enriqueceram a experiência, quando propuseram a inversão de valores e um mundo fictício onde o negro era o opressor e o brancos passavam pelas mes-mas dificuldades que a população negra hoje sofre em um mundo extrema-mente racista, como a busca de empregos, a perseguição por autoridades de segurança publica, relações amorosas interraciais entre outras. Com o sucesso do clipe, uma nova faceta de Thiago se destacou, a de edu-cador, quando professores de diversas partes do País comunicavam que uti-lizavam o seu material em salas de aulas. Elniño então intensificou um tra-balho que já fazia e se firmou como um arte educador atuante em espaços de educação com palestras e oficinas ligadas a cultura Hip Hop e a temática negra. Com o clipe de Amigo Branco, Thiago também passou a frequentar a programação de importantes espaços musicais, como os Festivais Grito-Rock, Conexão Vivo e Black2Black, dividindo espaço com artista como Marcelo D2, Emicida, Criolo, Milton Nascimento, Femi Kuti e Tonny Alen.

No inicio de 2015, após uma intensa turnê no ano anterior que atendia prin-cipalmente espaços públicos e ações de SESCs, Thiago lança a coletânea Fundamento, onde reuniu toda sua obra solo já lançada, incluindo parcerias com os músicos Cadu Tenório e Gabriel Mondé, se destacando nesta a versão de Primavera Nos Dentes , musica anteriormente lançada no disco Armazém 73, que reuniu novos nomes com A Banda Mais Bonita da Cidade, Maglore, Mahmundi e Nevilton em versões que homenageiam o Secos e Molhados e o aniversário de 40 anos de seu disco homônimo.

Atualmente Thiago acaba de lançar o clipe da musica Diáspora, single do EP Filhos De Um Deus Que Dança, que narra a aproximação do rapper com as religiões de matrizes africanas e conta com a produção de Nave, tido por muito como o maior produtor de batidas de rap do pais e produtor de discos já clássicos, para artistas como Karol Conka e Ogi e singles para Marcelo D2 e EMICIDA. Para o segundo semestre, Thiago tem já finalizado o disco A Rotina do Pombo, que após 5 anos de trabalho, promete entregar o trabalho mais elaborado deste musico, que apesar de experiente na cena, apresenta sinais de que está em sua melhor e mais madura fase criativa.

Contatos:

(24) 98142 1191

Email: thiagoelnino@gmail.com

Facebook: www.facebook.com/thiago.elnino

Instagram: www.instagram.com/thiagoelnino

Soundcloud: www.soundcloud.com/thiagoelnino
Contatos:


Follow Us