sexta-feira, 30 de novembro de 2018


O rapper W-Yo acaba de lançar o clipe “Caô$”, trampo em 360º, sample da banda Sepultura e participações dos MCs Sahimon e Sombra. 


O podcast Beat Maldito convidou W-Yo para trocar algumas ideias sobre seu mais novo trabalho, sua trajetória e seus projetos futuros. 

O rapper, conhecido por ser integrante do lendário grupo RPW, também falou do respeito que as cenas punk e metal tem por ele.

Durante a entrevista, W-Yo, que se considera o pai do rap alternativo brasileiro, falou que a cena trap atual está estagnada. “Tudo o que dava pra fazer com o trap, já fizeram”, disse o artista.


O podcast Beat Maldito é produzido pela equipe da CCCA (Central de Criação de Conteúdo Alternativo) e tem apresentação do DJ Cortecertu.



Podcast


Virax segue trabalhando em audiovisuais da sua recente mixtape “Criminal 2“, a mais nova a ganhar um clipe foi a faixa “10 no Pente“, que foi disponibilizada ontem (27).

Ambientado em um trap alucinante, o rapper mais uma vez descarregou todo seu ódio perante ao Estado, tocando em feridas e temas polêmicos; por exemplo quando afirma que quem proíbe as drogas “trafica, dá tiro e mete a napa”. Outro ponto interessante é a dualidade do refrão o qual o artista afirma ter 10 balas (líricas) em sua arma. 

O audiovisual mais uma vez foi realizado pelo consagrado Renan Fagundes (Vandarte); os instrumentais foram assinados por THYGGER e LD Beats, a gravação foi realizada por Branquelo wL e a mixagem/masterização ficou por conta do Scooby (Estúdio NoCentro).

Assista:


Naski lançou na madrugada do dia 27 de novembro de 2018 o seu primeiro videoclipe, intitulado 188. Não por acaso, pois 188 é o número do Centro de Valorização a Vida, que opera com uma linha telefônica para prevenção ao suicídio, tema central da música do rapper gaúcho. Com punchlines bem colocadas Naski disserta sobre este tema que ainda é considerado tabu pela sociedade. Retrata também o tema da depressão que, por vezes, pode levar ao suicídio. O clipe com clima sombrio traz vida para as linhas do rapper, que o encerra de maneira chocante, porém, com uma grande mensagem.

A produção ficou por conta de ANex Beats, com um beat que foi disponibilizado gratuitamente na web. Naski busca novos beatmakers para futuros trabalhos ou até mesmo que queiram assinar esta produção.

Assista:


Ficha Técnica 
Naski - 188
Produção: ANex Beats
Mixagem/Masterização: Naski
Filmagem: Déia
Edição de vídeo: Naski
Ano: 2018
Foto: Larissa Zaidan

Apresentações acontecem no dia 6 de dezembro, às 18h30 e 21h30, e venda de ingressos na internet começa nesta terça-feira

Depois de excursionar por Porto Alegre, Salvador e Brasília, Don L sobe no palco do SESC 24 de Maio na sexta-feira (6) em uma sessão dupla, com shows às 18h30 e 21h30. A venda online de ingressos para as duas apresentações abrem nesta terça-feira (27) a partir das 16h30. Nas unidades, as compras podem ser feitas na quarta (28).

A experiência de tocar duas vezes no mesmo palco e no mesmo dia é algo novo para o rapper. "Já fiz shows curtos em lugares diferentes, que é totalmente diferente desses agora, que vão ser shows completos e no mesmo lugar", conta Don L, que acredita que esse deve ser a última apresentação em São Paulo neste ano.

As apresentações são em um formato mais compacto, se comparada com o grandiosos espetáculos de lançamento do Roteiro pra Ainouz, Vol.3: dessa vez ele divide o espaço com Terra Preta, Guilherme Held e o DJ Roger. Esse novo modelo de show vem sendo feito pelo rapper desde o encerramento do ciclo de RPA3 e já passou por locais como Circo Voador (Rio de Janeiro), Agulha (Porto Alegre), Festival Radioca (Salvador) e Favela Sounds (Brasília) e tem em seu setlist faixas que percorrem toda a carreira solo do artista.

Durante o evento, o público também poderá comprar camisetas com uma estampa produzida por Filipi Filippo, responsável pela arte de Roteiro pra Ainouz, Vol.3 e Caro Vapor - Vida e Veneno de Don L.

Sobre Roteiro pra Ainouz, Vol.3

Feito como o último ponto de uma trilogia que conta a história do rapper de trás pra frente, Roteiro pra Ainouz, Vol.3 tem uma carga emocional densa e não é à toa que o cenário teatral dos shows foi pensado desse modo: uma concepção artística e performática que proporcionam ao público uma experiência nada comum no atual panorama do rap.

O cenário, assinado por Camila Schmidt (parceira de Daniela Thomas em espetáculos teatrais), com design de luz da premiada dupla Mirella Brandi & Muep Etmo, traduz o clima autobiográfico abrasivo do disco em andaimes e texturas criadas com fumaça e luz. A direção técnica musical ficou a cargo do veterano Gustavo Potumati e a produção executiva é de Pamela Leme, responsável pela Alavanca, agência artística e produtora cultural de São Paulo, com 10 anos de trajetória.

Toda a história da apresentação de Roteiro pra Ainouz, Vol.3 começou em 16 de janeiro de 2018, quando Don L conseguiu esgotar os ingressos do show de lançamento, no SESC Pompeia, em apenas duas horas, como contou a Piauí e o Estadão. Na época, o espetáculo também teve cobertura do programa Metrópolis, da TV Cultura, com entrevista e cenas da performance. Neste dia, Filipi Filippo produziu dois itens exclusivos: uma camiseta e um pôster.

De lá Don e sua gangue foram para o carnaval de Recife, em apresentações dentro da programação do Festival Rec Beat, em 11 de fevereiro. O evento levou 20 mil pessoas por noite para as ruas da capital pernambucana. Uma das principais atrações do line-up, Don foi capa do Jornal do Commercio.

Com data marcada no Circo Voador, no Rio de Janeiro, em 10 de março, onde dividiu o palco com o baiano Baco Exu do Blues, Don lançou “Ipanema B...”, uma guia inédita, pré-RPA3, na qual demonstra seu fascínio peculiar pela cidade. Na faixa, chama atenção perceber como Don L já explorava temas que comporiam o elogiado disco do ano passado (saiba mais nesta matéria do Estadão). A apresentação conjunta no Rio rendeu um pingue-pongue entre os dois rappers no jornal O Globo. O papel fundamental de Don e de seu grupo Costa a Costa para a descentralização do rap brasileiro foi explicada em uma recente matéria para a Revista Trip.

A apoteose do espetáculo montado para o disco veio em 16 de março, com a apresentação no palco do Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer. O show foi precedido por uma sessão de fotos exclusiva publicada na prestigiada coluna Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo. Novamente com todos os convidados presentes, a estrutura da casa proporcionou a ambientação ideal para a tradução do conceito distópico de RPA3, com mais de uma dezena de variações de espaço cênico e performances dirigidas, muito diversas das que são feitas normalmente no rap brasileiro. O show contou também com uma série de homenagens à vereadora Marielle Franco, assassinada no Rio no dia 14 de março. Foi a plenitude de uma concepção propositiva e ousada.

Em meio aos shows com andaimes, fumaça e um design de luz produzido cuidadosamente para traduzir os sentimentos do disco, Don L também subiu ao palco do CCSP para apresentar uma espécie de versão reduzida do espetáculo, em que os fãs puderam comprar uma camiseta feita exclusivamente para aquele dia. Em dois dias, o cearense chamou ao palco Terra Preta, Lay e o pernambucano Diomedes Chinaski, em uma apresentação que mesmo sem todo o cenário montado, transmitiu o clima de Roteiro pra Ainouz, Vol.3 para todos que estiveram na Sala Adoniran Barbosa.

No dia 22 de junho, Don L subiu ao palco do Teatro Palco Autran, no SESC Pinheiros, para escrever seu nome na história do rap mais uma vez. Ao lado de Terra Preta, DJ Roger, Guilherme Held, Diomedes Chinaski, Lay, Nego Gallo (do lendário grupo Costa a Costa) e DuGueto Shabazz, o cearense apresentou uma performance grandiosa e carregada de emoções ao colocar um ponto final no grande espetáculo pensado para seu último disco, Roteiro pra Ainouz, Vol.3.

Don L pós-RPA3

Em meio a produção do segundo volume da trilogia, Don L continua escrevendo e produzindo. Em 2017 participou do Poetas do Topo 3.1, sendo o maior destaque daquela cypher. Neste ano, voltou a fazer uma parceria com a Pineapple e novamente foi o grande nome no Poesia Acústica #5, que cativou artistas como Marília Mendonça. Recentemente, gravou a faixa "Verso Livre / O Mundo É nosso Pt.2" para o canal Rap Box, foi protagonista na música “Blogueira”, do novo disco do Froid e o MC mais relevante na canção “Lei Rua Neles”.

Don L - SESC 24 de Maio

Onde . Rua 24 de Maio, 109 - República - São Paulo - SP

Quando . Sexta-feira, 6 de dezembro, às 18h30 e 21h30

Quanto . R$ 9 (comerciário), R$ 15 (meia) e R$ 30 (inteira)

Informações . SESC e Facebook

quinta-feira, 29 de novembro de 2018


Mano Brown, não canta, mas performa em cenas bem sexy com a atriz que cantora Cleo Pires.
Cleo Pires é filha de Gloria Pires e Fabio Junior.
Obviamente não sabíamos, mas a atriz vem atacando de cantora a um tempo e no Youtube tem numero impressionantes.
Não quero, nem vou falar mais. Eu sei que vocês querem ver este clipe.



Uma das novas sensações do Rap Angolano, traz uma proposta musical que fará parte do seu projeto de Estreia, "SALADA RUSSA" a ser dirigido por mim "Dj Soneca"

SUPA BEATZ para além de exímio produtor, aparece numa faixa com a participação do veterano ABDIEL com uma mensagem sugestiva.

DOWNLOAD // MEDIAFIRE



De Olho no Duto anuncia últimas ações do ano em comunidades do Estado de São Paulo!
Projeto De Olho no Duto - investimento social da TRANSPETRO - realiza ações em comunidades da Zona Leste e Zona Norte de São Paulo, Santos, Cubatão, Suzano e São Bernardo do Campo durante o mês de dezembro!
De Olho no Duto - Projeto do Instituto Eslipa - convida a população de periferias para um Dia de Circo
Cortejo de palhaços, acrobatas e malabaristas, oficinas, apresentações e bate-papo com a comunidade. Um dia inteiro de ações circenses promovendo cultura e cidadania para convidar a população a refletir sobre temas importantes. É assim que o projeto De Olho no Duto vem passando por cidades de São Paulo e criando laços entre artistas e comunidade.
No mês de Dezembro, as ações acontecerão em comunidades na Zona Leste e Zona Norte de São Paulo, Santos, Cubatão, Suzano e São Bernardo do Campo.
O projeto é desenvolvido por meio de uma parceria entre a Transpetro e o Instituto Cultural Escola Livre de Palhaços – ESLIPA e propõe um dia inteiro com arte de graça para as comunidades, promovendo um grande encontro do palhaço com o indivíduo comum, alegrando moradores e envolvendo o público de todas as idades.
Os artistas buscam sensibilizar as pessoas para a realização de ações que melhorem suas condições de vida. Promovendo o acesso à cultura e detectando possíveis agentes culturais que possam multiplicar essas ações, o projeto propõe o fortalecimento dos vínculos entre a comunidade, e também com os próprios artistas, que realizarão visitas às mesmas comunidades durante o período de dois anos.
Segundo Lilian Moraes e Richard Riguetti, responsáveis pelo Instituto ESLIPA: “O projeto visa a promoção dos direitos humanos e da cidadania, a inclusão social, o respeito a diversidade humana e cultural das comunidades impactadas pela TRANSPETRO. Todas as atividades do projeto serão realizadas em espaços públicos abertos, com o compromisso de promover o diálogo permanente entre os artistas e a comunidade, para identificar, potencializar e valorizar as iniciativas artísticas e culturais de cada região”.
Segundo a Transpetro, "o projeto tem premissas básicas de transformação social, calcadas na formação cidadã, no engajamento das comunidades, na atuação forte da divulgação dos canais de comunicação e ações e informações preventivas, além do desenvolvimento do senso de pertencimento local.


No Estado de São Paulo, o projeto é representado pelos artistas da Circo do Asfalto e Pequena Trupe de Circo, grupos compostos por ex-alunos do Instituto Eslipa - Escola Livre de Palhaços.

Projeto De Olho no Duto divulga agenda de Dezembro/2018
                      
Apresentações do Circo do Asfalto
01 de Dezembro - Sábado - Horário: 13h às 17h - Onde: Canal 5 - Avenida Almirante Cochrane, 404 - Embaré - Santos - SP - Núcleo Artístico - Porto Circense
02 de Dezembro - Domingo - Horário: 14h às 17h - Onde: Quadra Coberta - Vila dos Criadores - Santos
03 de Dezembro - Segunda-feira - Horário: 13h às 17h - Onde: EMEIF Guiske Tadano - R. Murilo de Matos Farias, 513 - Conj. B Vista, Suzano - SP
07 de Dezembro - Sexta-feira - Horário: 17h às 21h - Onde:  Praça da Cidadania - Vila São José - Cubatão
08 de Dezembro - Sábado - Horário: 11h às 17h - Onde: Rua Arlindo Fraga de Oliveira (próx Campinho - Faixa de Dutos) - Jardim Mirante - São Paulo
09 de Dezembro - Domingo - Horário: 11h às 17h - Onde: Rua Calamar x Rua das Marquesas - Vila Clara - Zona Leste - São Paulo
Apresentações da Pequena Trupe de Circo
01 de Dezembro - Sábado - Horário: 14h às 18h - Onde: Faixa de Dutos - Rua Sem nome, entrada pela R. Professor Corrêa Brito - Vila Aparecida - São Paulo - SP
02 de Dezembro  - Domingo - Horário: 14h às 18h - Onde: Faixa de Dutos - Rua da Chácara, Travessa do Sol e Rua Luiz Gonzaga - Vila Alto da Boa Vista - São Bernardo do Campo - SP
03 de Dezembro  - Segunda-feira - Horário: 13h às 17h - Onde: E.E. São Pedro - R. Plínio Dionísio de Freitas, 280 - Jardim Sapopemba - Zona Leste - São Paulo - SP
14 de Dezembro  - Sexta-feira - Horário: 14h às 18h - Onde: Faixa de Dutos - Rua Um - Jardim da Felicidade - Zona Norte - São Paulo
16 de Dezembro - Domingo - Horário: 14h às 18h - Onde: Faixa de Dutos - Sede da Associação de Moradores de Vila Noel - Cubatão
Para saber mais sobre o projeto “De olho no Duto” acesse: www.facebook.com/eslipa

Issa Paz e Sara Donato convidaram mais dois MCs de peso para fazer o Som Mais Pesado do Ano, Godô e Raphão Alaafin. Gravado no Rancho Mont Gomer, e com clipe produzido por Monomito filmes, onde os MCs largam rimas de grande impacto ao mesmo tempo que se deliciam com os lanches da Hamburgueria ZN.

Como Rap Plus Size ja vem fazendo desde 2016, esse som retrata a autoestima de pessoas gordas.. porem esse som aborda também sua relação com a comida, numa forma de liberdade de expressão e de alimentação pra se comer o que quiser e ser como quiser.

O som é também uma critica carregada com bastante ironia direcionada a como pessoas gordas são enxergadas pela sociedade relacionado a sua alimentação. "As pessoas não estão interessadas em uma alimentação saudável, elas estão interessadas em exercer um poder sobre o corpo das pessoas gordas e como elas têm que se alimentar. Como se elas também não comessem coisas gordurosas de vez em quando ou com frequência. Uma pessoa gorda comendo em público sempre vai ser monitorada e julgada. Quando ser gordo não se trata apenas disso." - Declaram Issa e Sara.

Tanto o som como o clipe tiveram pessoas gordas que participaram do processo de produção, buscando representatividade no meio de trabalho.

Assista:


O beat tem produção de Diego Beatz, que ja havia trabalhado com Rap Plus Size no som "I.M.C". Outra música que afronta diretamente a gordofobia escancarada da Sociedade.

Rap Plus Size é um duo de Rap formado por Issa Paz e Sara Donato, que desde 2016 vem cantando contra a gordofobia, o machismo e fortalecendo o empoderamento das mulheres no geral.



Ouça por Streaming: 

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Foto: Merylin Esposi



O maior portal de Samba do Brasil – e do mundo – comemora seu aniversário no Dia Nacional do Samba: 02 de dezembro


O Samba em Rede (maior portal do gênero no mundo) está em festa e sobram motivos para comemorar: hoje ele atinge mais de 1,5 milhão de pessoas/mês.



O canal apresenta a agenda mais completa da programação de Samba do eixo Rio-São Paulo. Além de colocar a categoria em evidência, resgata a história de um dos principais gêneros musicais do país.

O Samba em Rede nasceu no dia 2 de dezembro de 2013, data em que é comemorado o Dia Nacional do Samba. Cinco anos depois, o portal e suas redes sociais aparecem com impressionantes números. Por mês, são mais de 600 mil usuários únicos visitando o site e mais de 1,2 milhões de acessos/mês. No facebook, a audiência semanal é de mais de 42 mil. No Instagram, a rede conta com 17.200 pessoas e 2.775 visitas por mês.

Atualmente, o Samba em Rede está hospedado no portal Catraca Livre.

Algumas das matérias de maior sucesso são as que tratam dos Blocos de Carnaval (e pré-Carnaval) paulistano, evento que tem tido uma cobertura especial por parte do canal desde 2014. O Carnaval de 2018, por exemplo, teve mais de 700 notas sobre desfiles, ensaios, festas, etc, na cidade de São Paulo.

A cobertura do Samba em Rede extrapola o período carnavalesco: mensalmente são mais de 70 comunidades e projetos de samba em São Paulo, além da programação de bares e casas de samba espalhadas por São Paulo e Rio de Janeiro.

Em clima de celebração de seus 5 anos, o portal está criando conteúdos exclusivos em forma de listas com cinco dicas, como por exemplo: “5 rodas de samba na Zona Leste de São Paulo” ou “5 opções para escutar chorinho no Rio de Janeiro”.

Dialogando com um nicho específico, porém, com um assunto de grande apelo popular, o Samba em Rede contribui para a formação de público e preserva a cultura do Samba no Brasil.

#SambaemRede5ano


#SambaemRede5anos
Rede Sociais
Intagram - @sambaemredeoficial



Alinega volta a falar de amor em mais uma parceria musical, dessa vez com uma das maiores representantes do rap nacional na atualidade: Brisa Flow
No som as MC's relatam a paixão efêmera entre 2 corpos LGBTQ+, em uma produção com a qualidade já conhecida de Vibox e arte visual por Ana Beatriz

Alinega, que também é integrante do coletivo OCRIME77, da região do ABC Paulista, está na reta final para o lançamento do seu primeiro álbum - Feita Para Ser Amada, com produções de Vibox e GN.
Esta é a segunda música lançada desse álbum, a primeira foi Lakshmi, divulgada em julho. 

Ouça:





Esse e outros sons também estão disponíveis em todas as plataformas digitais. 





Ousadia e curiosidade são fundamentais na carreira de um artista. Junte esses ingredientes e o resultado é o álbum A Lã (Vol.1), um caldeirão de experiências sonoras que instiga os ouvintes mais exigentes.

O músico é um dos que tenta inserir o EmoTrap/SadTrap no Brasil, subgênero ainda com poucos representantes no país. As letras emotivas e instrumentais melancólicos criam uma atmosfera depressiva, que imediatamente capturam o ouvinte e trazem rápida identificação por parte dos fãs, cada vez mais propenso a sofrer destes males.

O disco, que brinca com o primeiro nome de Alã Perez Alvez, é o reflexo de um jovem com pensamentos fora da caixa e busca constantemente por inovações. O gosto pelas novidades criou uma característica experimental em seus sons, influenciados principalmente por estrelas internacionais, como Muse, Twenty One Pilots, Radiohead, Los Hermanos, Lil Peep e Artic Monkeys. Longe do lugar comum, o projeto mostra que lo-fi não é sinônimo de mal feito.

“Sempre gostei de experimentar nas músicas, trazer elementos de diversos estilos que eu escuto. Acredito que o rap seja um dos gêneros musicais mais abertos a influências de outros, então eu já tinha essa visão”, afirma o rapper.

Alã também assina a produção musical do disco, assim como a mixagem e a masterização, junto a Kalebe Hartmann e Ricardo Ribeiro, que também o acompanham durante os shows. O projeto inclui videoclipes como o de “Bailes e Boates”, com previsão de lançamento para 12 de dezembro e “Groove das Caixas” lançado na semana passada, onde o rapper aparece em um supermercado e compra o pouco que pode, numa clara sátira á ostentação vivida no mundo do rap. O disco, que tem arte feita por Gábe, é um lançamento do selo Cactu.

“A ideia é fazer clipes para todas as canções, de forma que elas dialoguem entre si. Em breve essa conexão vai ficar bem explícita”, conta o cantor.

Obstinado, é um artista que pensa em trabalho a todo momento. Cada detalhe é analisado para potencializar sua performance. Desde a produção das músicas até os bastidores e a situação atual do mercado fonográfico. Nada fica fora do radar. A confiança nos colegas também é um dos trunfos usados por ele, que garante total liberdade criativa aos parceiros.

“A partir do momento em que eu acordo, trabalho com música o dia todo. Minha vida se resume a produzir e escutar música, tentar entender o mercado, os artistas, a música em si. Essa sede de conhecimento, as experiências, tudo isso é o que me motiva. Em relação à minha evolução, está diretamente relacionada ao fato de eu dedicar boa parte dos meus dias a isso, conhecer gente nova e trabalhar com elas sempre me ensina muita coisa”.

Alã começou a se interessar pelo rap aos 10 anos e em 2013 lançou seu primeiro EP, o qual foi regravado, intitulado “Carnal”. Nos cinco anos seguintes participou de uma banda de rock alternativo e quando o grupo se desfez voltou a rimar para dedicar-se à carreira solo. Também lançou a mixtape Molho 7 com Matheus Coringa e Gábe, além do EP “Mostardas”, produzido ao lado de Arit e com participação de nomes como Zudizilla e Ganti. 

Ouça:

terça-feira, 27 de novembro de 2018



O show de comemoração será no Céu Cantos do Amanhecer e contará com participações de Mano Brown, Edi Rock, Negredo e Big Zuruca

Na próxima quinta-feira, 29 de novembro a partir das 19hs o rapper Negreta comemora a estreia de mais um clipe da sua carreira solo, a faixa Prisão 100 Grades, faz parte do álbum recém lançado, Negreta Sem Colete e ganhou clipe com direção de Marcos Paulo Cafu. A primeira exibição será no Céu Cantos do Amanhecer, onde o MC receberá os convidados Mano Brown, Edi Rock, Negredo e Big Zuruca, e fará show gratuito com faixas do novo repertório.

Confira o teaser e acompanhe as redes sociais para conferir o clipe no dia 29/11!

+ Negreta

C onhecido como um dos integrantes da família Racionais MCs e pelos sons com o grupo Rosana Bronks, Negreta integra o movimento hip hop desde 1990 quando foi um dos fundadores da posse Conceitos de Rua que promovia encontros que abordavam assuntos como racismo, violência e problemas sociais. Com os parceiros do Rosana Bronks gravou o disco Jogar Pra Ganhar, com canções que remetem ao funk da década de 70 e participações do DJ Cia, DJ Ajamu, Dom Pixote e Silveira. O álbum foi indicado ao Vídeo Music Brasil em 2008 como Aposta MTV e conta com hits muito conhecidos entre os amantes de rap nacional como 3 Pretos na Marginal e Mudanças. Sempre acompanhando o grupo Racionais MCs em shows por todo Brasil, Negreta também participou na faixa 1 por amor 2 por dinheiro, no disco Nada Como um dia após o outro, na faixa Preto Amarelo no CD cores e valores, participou do clipe da música Diário de um Detento e abriu o show dos Racionais no VMB 2012. Com Edi Rock, em 2013 participou da música Viver Deixa Viver do disco Contra Nós Ninguém Será. Em parceria com o grupo Negredo fez a música Bang louco que integra o projeto Bang Novo. Como ator, integra o elenco do espetáculo musical de HIP HOP “Do Capão pro Mundo”, dirigido por Lino Krizz e Abhiyana. Participa também do filme Broders, dirigido por Jeferson DE, um longa-metragem filmado no bairro Capão Redondo, onde contracenou com Caio Blat.

Esse ano, o rapper lançou o seu primeiro álbum solo Negreta Sem Colete com autoria própria e produção de grandes nomes do rap nacional o disco discorre sobre questões humanas com misturas de ritmos e “Uma prisão da nossa própria consciência, fala do nosso grande dilema o amor, a paixão e o apocalipse que está se tornando o Mundo”. Explica Negreta.

+ Serviço

Negreta Lança Clipe Prisão 100 Grades

684684ª/[684684Céu Cantos do Amanhecer qàs 19hs - endereço: Av. Cantos do Amanhecer S/N Jardim Eledy

Classificação livre / Evento gratuito








Follow Us