segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Amiri revela o motivo de seu afastamento do rap: "considerei o suicídio várias vezes"


Amiri é um jovem mc paulista, seu primeiro trampo foi o EP "Eta porra" que foi o trampo que deu uma alavanca em sua carreira, o rapper tambem lanço o EP "Trinca" e a mixtape "Antes e depois" e o EP Capítulo 4 (A Caminho da Origem) .
A uns 4 ou 5 dias, eu estava ouvindo o EP "Trinca" e a mixtape "Antes e depois". Toda vez que ouço o Amiri fico bolado na técnica de flow e rima, a métrica dele é foda, e eu pensei carai o Amiri ta sumido e tal, dai ontem chego do role e me deparo com o relado do Amiri falando sobre sua depressão e vontade de morrer. fita cabulosa, mas graças ao eterno que ele saiu da pior. confira o relato.

Vou compartilhar uma história por aqui.
Em 2013, algumas tragédias pessoais transformaram minha ansiedade na doença do século.
Em depressão, considerei o suicídio várias vezes. Parecia que meu plano de esperar a vida acabar, estando doente daquele jeito, seria uma eternidade umbralina.
Escrevi "Um Mic", escrevi "Menino Kirikou", "Cura", minha própria bula de antidepressivo, deitava e dormia torcendo pra não acordar. 
Minha mente estava conseguindo asfixiar o coração.
Em janeiro de 2014 eu já tinha decidido abandonar a música. Sugeri uma reunião com a equipe que éramos, entristeci amigos, baguncei sonhos... Triste. Mas estava decidido.
Lucas, Marcílio, Léo, tenho amor por vocês!
Um dia tudo faria sentido.
Escrevi uma carta de despedida do Rap e postaria assim que lançássemos a mixtape "Antes, Depois". "Eu Saí" seria meu último registro.
Eu iria embora do Brasil, ia me dedicar ao meu inglês arriscando uma outra vida, tentando fugir de mim mesmo. Cansado de existir.
Minha mãe estava ali, comigo, em todos os sentidos e óticas, meu porto...
Recebi uma ligação de uma pessoa a qual prezo muito, sugeriu de nos trombarmos, conversar sobre o que ele sentiu estar acontecendo.
Nessa conversa, o Parteum me disse: Amiri, não importa se você vai fazer um disco inteiro falando de Deus, só não pare de fazer.
Era aquilo.
Senti que eu precisava existir, de algum jeito digno, reconsiderar a oportunidade de estar respirando, também fazer jus a tal oportunidade.
A extensão do Espírito iluminou meu entendimento, onde vim a perceber que não desistir de mim mesmo era O CAMINHO rumo a mim mesmo.
Sabe qual que é a fita? Amadurecer minha sensibilidade. É minha responsabilidade kármica.
Não desista de você.
Eu sinto o mesmo amor.
Ainda estou aqui.
Perdão é Deus em nós.
Oxalá que eu toque vidas, honrando cada, toda consciência e coração que acessar o que expresso.
Gratidão a quem não desistiu de mim, me mostrando como olhar o próximo e dizer: Não desista de você.
Quando a existência cansar, não desista de você.

Share this article

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top