quinta-feira, 17 de novembro de 2016

MC MINEIRO MATÉRIA PRIMA ESTREIA O SHOW PERFOMÁTICO “2 ATOS” NA ARENA DO SESC COPACABANA



MC Matéria Prima manobra tão bem as palavras quanto o skate que não sai de seus pés

MC Matéria Prima estreia o show performático “2 Atos” naArena do Sesc Copacabana, num pré-lançamento do CD homônimo, com músicas compostas pelo rapper mineiro e o produtor musical paulista Gui Amabis, em duas semanas de apresentações, de 17 a 27 de novembro, de quinta a domingo.

“2 Atos” reúne artistas de linguagens e funções distintas: além MC Matéria Prima e do diretor musical Gui Amabis, terá também uma pincelada cênica e dramática, num diálogo entre a música e o teatro pelas mãos da diretora teatral Grace Passô e do diretor de arte Rui Moreira. – “Um show em dois atos, dois movimentos reunidos cuja matéria prima são músicas em forma de canção e rap. “2 Atos” é um convite à escuta radical, escuta de um tempo de existências plurais, de formas musicais híbridas, de composições de um artista mergulhado na pulsante urbanidade. Resta-nos escutar esse artista de prancha nas mãos, surfando a cidade em cima de rodinhas, entre marés e pedras de cimento”, conta a diretora Grace Passô.

O disco será lançado nacionalmente no início do ano que vem, mas já estão disponíveis duas faixas no Deezer, “Feito de Barro” e “Porque”. A primeira audição à vera do disco todo será nas apresentações no SESC Copacabana.
“2 Atos” espelha a voz da consciência e a consciência da vozO show é composto pelas 10 músicas do CD: 5 canções e 5 raps, numa narrativa organizada dramaturgicamente como história única. A primeira parte do disco é mais suave e a segunda tem uma pegada mais explosiva e isso também estará presente na apresentação. Partindo de histórias pessoais do músico, questões relacionadas ao homem negro urbano e brasileiro, os mitos sociais que o rodeiam em relação à beleza, habilidades, estereótipos e, sobretudo, aos papeis que representa nessa sociedade, com um olhar muito pessoal da realidade metropolitana do cantor.

Além de Matéria Prima, estarão no palco Lenis Rino (bateria), Barulhista (eletrônicos), Ravel Veiga (baixo) e Edgar Dedig (guitarra).

Thiago Augusto, também conhecido como Matéria Prima, é um dos MC`s mais destacados na cena do rap mineiro. Por pesquisar intensamente o rap norte americano, aprendeu a língua inglesa de forma autodidata, o que mais tarde deu-lhe a oportunidade de ser o intérprete de África Bambaataa (pai do hip hop por ter sido o primeiro a utilizar o termo e dar as bases técnica e artística para essa cultura) em sua passagem pelo Brasil.

Sempre com os pés no skate e os olhos na rua, e com uma variada influência musical e literária, Matéria Prima “brinca” com as palavras em suas composições, jogando com as ideias e criando imagens dinâmicas, que retratam cenas do cotidiano e ilustram questões sobre a existência humana, transmitindo cenas de vida através de poesia em suas músicas, tais como “Visita”, “Sorriso”, “Waiting Bus”, “Sufoco”, “Mutação”, “Quente” e “Sai na Marra” que estão no disco e no show.

A base musical do show e álbum segue a linha de pesquisa do rapper. O músico, em meados dos anos 90, já arriscava versos junto às manobras de skate, quando em 2000, a convite do MC Marechal, tornou-se integrante do extinto coletivo Quinto Andar. Com o término do grupo, juntou-se aos mc´s Shawlin, Pai Lua, Xará, Gato Congelado, Lumbriga, Kamau e DJ Mako e formaram o Subsolo, com o qual lançou um disco (2009) e fez diversas apresentações pelo Brasil, como o Festival Indie Hip Hop em São Paulo. Desde então, desenvolve seu trabalho musical no rap, participando ativamente de outros coletivos como a Banda Zimun (banda belorizontina que produz um som único calcado em referências de jazz, dub e hip hop) e Duelo de MC’s (um dos principais projetos da cidade e do rap nacional, realizado desde 2007 no centro de Belo Horizonte). Em 2011, Matéria Prima organizou seu material autoral e gravou seu primeiro EP solo, intitulado“Material de Estudo”, seguido de outro no início de 2016, o “Pocas”uma gíria de um bróder, “Pocas ideia”, usado no título pra realçar o fator "menos é mais". Agora em “2 Atos” o músico incorpora novas sonoridades ao rap, agregando referências de outros estilos musicais e linguagens artísticas.

Esse projeto – criação e produção de um álbum e performance musical –  foi realizado com recursos da Bolsa Funarte de Fomento aos Artistas e Produtores Negros 2014.

Sinopse
No meio do turbilhão, um respiro de contemplação e busca por respostas. Com a fusão de vários gêneros, o rap sempre teve uma dinâmica mais abrangente, ora realçando a diversão, ora acentuando a necessidade de mudança. A musicalidade, porém, sempre foi importante para emoldurar a mensagem. Cientes dessa importância, Gui Amabis e Matéria Prima contemplam esses aspectos unindo a diversidade da mensagem e do instrumental.  O show traz também 2 atos, mesclando música e performance sob direção de Grace Passô.
Gui Amabis produziu artistas e discos relevantes no cenário nacional como: a discografia da cantora Céu, Rodrigo Campos, do coletivo Sonantes formado por ele, RicaAmabis, Pupillo, Dengue (Nação Zumbi) e Céu. Lançou seu primeiro disco autoral “Memórias Luso/Africanas” que contou a com participação de Tulipa Ruiz, Criolo, Lucas Santtana e Tiganá; e, na sequencia, seu álbum “Trabalhos Carnívoros”, onde assumiu todos os vocais. Gui trabalhou ainda em trilhas sonoras para vários filmes e séries de TV como Quincas Berro D'água,Filhos do Carnaval e Cidade dos Homens.

Grace Passô é dramaturga mineira, diretora e atriz que trabalha em parceria com diversas companhias e artistas brasileiros. Dirige grupos, escolas e artistas como o LUME (Campinas), EAD/USP, Grupo3 (SP) e Espanca (BH). Possui 4 volumes publicados pela Editora Cobogó, com sua produção dramatúrgica reunida na Coleção Espanca. Foi dramaturga e diretora de “Árvore do Esquecimento”, projeto do Festival de Arte Negra de Belo Horizonte e integrou o espetáculo “France duBresil”, onde reunia atores franco-africanos, sob a direção de Eva Doumbia. Foi uma das cinco dramaturgas convidadas para representar o Brasil na Feira Literária de Frankfurt de 2013 e palestrante e convidada pelo Projeto Dramaturgia de Melanina Acentuada de 2014. Criou “O Berro”, projeto que se consistia na criação de uma obra cênica, onde os artistas (atores, dramaturgos e músicos) pesquisaram a encenação teatral através das sonoridades do hip hop.  Além de participar recentemente do espetáculo “Krun”, como Grupo Espanca! e direção de Marcio Abreu, apresentou este ano o  solo “Vaga Carne”, em temporada de sucesso no SESC Copacabana.

Rui Moreira é bailarino, coreógrafo e investigador da cultura negra. Sua carreira na dança teve início no final dos anos 1970 e está fortemente marcada por sua participação no Grupo Corpo (MG) e nas companhias Cisne Negro (SP), Balé da Cidade de São Paulo, Cie. Azanie (França/Lyon), Cia. SeráQuê? (MG), e atualmente na Rui Moreira Cia. de Danças (MG). Foi Curador do Festival de Arte Negra de BH e dedica-se a desenvolver criações coreográficas a partir de pesquisas e fusões entre linguagens cênicas promovendo interações com as matrizes culturais brasileiras. Ministrou aulas no módulo “Corporeidade e Performance Afro-Brasileira”, no curso de Pós-graduação em Estudos Culturais e Históricos da Diáspora e Civilização Africana, organizado pelo antropólogo doutor Júlio Cesar de Tavares e promovido pela Fundação Educacional de Macaé/RJ. Realiza o Projeto Terreiro Contemporâneo de Dança, onde reúne artistas da dança mundial de diáspora africana.

Aline Vila Real é integrante e diretora de produção do grupo Espanca! e do Coletivo Negras Autoras, ambos em BH. Coordena o Teatro Espanca!, centro cultural localizado no hipercentro de Belo Horizonte, atuou no FAN - Festival de Arte Negra como coordenadora de produção de Artes Cênicas e na concepção e produção do projeto “Polifônica Negra”, onde vários grupos e artistas de pesquisa fundada na cultura negra apresentaram e debateram seus processos de criação. Na música, produziu o disco da banda belorizontina Black Sonora e integrou a equipe do festival de música independente Conexão Música.

Ficha técnica
Cantor e compositor: Matéria Prima
Direção de cena: Grace Passô
Direção de arte: Rui Moreira
Guitarrista: Edgard Dedig
Baixista: Ravel Veiga
Baterista: Lenis Rino
Eletrônicos: Barulhista
Direção de produção: Aline Vila Real
Técnico de som: André Veloso
Técnico de luz: Edimar Pinto
Fotógrafo e videomaker: Pablo Bernardo
Esse projeto foi realizado com recursos da Bolsa Funarte de Fomento aos Artistas e Produtores Negros 2014.

Serviço
Espetáculo|Show – “2 Atos” – MC Matéria Prima
Local: Arena Sesc Copacabana (Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, RJ - 2547-0156)
Gênero: performance musical
Datas: 17 a 27 de novembro, de quinta a domingo
Horário: quinta a sábado às 20h30 e domingo às 19h
Ingressos: R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) e R$ 5 (associado do SESC)
Bilheteria: de terça a sábado das 13h às 21h e domingos das 13h às 20h
Classificação: 12 anos
Duração: 60 minutos
Lotação: 242 pessoas
Share this article

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top