segunda-feira, 21 de novembro de 2016

MOSTRA BENJAMIN DE OLIVEIRA CHEGA AO RIO DE JANEIRO



Evento tem a proposta de ser um espaço de difusão e de valorização do trabalho de atores e atrizes negros. A programação é gratuita.

Neste ano, a Mostra Benjamin de Oliveira aporta no Rio de Janeiro e apresenta parte de sua programação para o público carioca no Oi Futuro Ipanema (Rua Visconde de Pirajá, 54), de 23 a 27 de novembro, quarta-feira a domingo, com programação gratuita. Criada em 2013, em Belo Horizonte, a Mostra Benjamin de Oliveira foi idealizada pela Cia. Burlantins e já revela no nome seu eixo temático: Benjamin de Oliveira, patrono da Burlantins desde a fundação do grupo, nasceu em 1870 e foi o primeiro palhaço negro do Brasil, conhecido como “Rei dos Palhaços”. É considerado o criador do circo-teatro brasileiro, gênero que levava para as ruas paródias operetas, contos de fadas teatralizados e grandes clássicos da literatura. Nos entreatos, cantava lundus, chulas e modinhas em companhia de seu violão.

A Mostra, portanto, tem o objetivo de valorizar a cultura afro-brasileira e os artistas negros por meio do protagonismo dos corpos negros em cena. Dessa forma, a Mostra Benjamin de Oliveira seleciona trabalhos nas áreas de circo, dança, teatro e performance que tenham um elenco formado predominantemente por atores e atrizes negros.

A programação desta edição especial no Rio de Janeiro é composta por apresentações dos espetáculos Oratório - A saga de Dom Quixote e Sancho Pança, da Cia. Burlatins, e A morte de Antônio Preto, do artista Sérgio Pererê.

Também integra a programação a oficina Personagens interseccionais na crônica de Cidinha da Silva, ministrada pela autora – as inscrições são gratuitas e podem ser feitas através do link http://bit.ly/2fxrldf. A proseadora e dramaturga Cidinha da Silva lança também dois livros na Mostra: # Parem de nos matar! (Ijumaa, 2016) e Canções de amor e dengo (Me Parió Revolução, 2016).


PROGRAMAÇÃO
23.11, quarta-feira
19h [oficina] Personagens interseccionais na crônica de Cidinha da Silva
Ministrada pela própria autora, a proseadora e dramaturga Cidinha da Silva, a oficina abordará a complexidade literária das personagens construídas por ela em seus cinco livros de crônicas e nas outras centenas de textos publicados pela autora na internet, com destaque para mulheres negras, população LGBT, homens negros, diversidade de faixas etárias – sujeitos dissonantes, de um modo geral.

24.11, quinta-feira
19h [literatura] Lançamento de livros de Cidinha da Silva
# PAREM DE NOS MATAR!
O livro # Parem de nos matar! (Ijumaa, 2016), décimo da escritora Cidinha da Silva, aborda o genocídio da população negra no Brasil, via extermínio físico de jovens negros, principalmente, e morte simbólica e cultural praticada pelas ferramentas de comunicação de massa. Foram selecionadas 72 crônicas escritas entre 2012 e 2016 que recobrem a interseção racismo e futebol, arte, políticas públicas de educação, imigração e cultura, movimentos sociais, homoafetividades e resistência a esse estado de coisas.
CANÇÕES DE AMOR E DENGO
O poemário Canções de amor e dengo (Me Parió Revolução, 2016), primeiro livro de poemas da escritora Cidinha da Silva, sintetiza no título o resgate do afeto, cada vez mais raro na poesia brasileira mais contemporânea. São poemas de vôos, da arte de ter asas e da engenharia de ser passarinho, expressos em linguagem coloquial com forte pegada lírica.

25.11 e 26.11, sexta-feira e sábado
20h [teatro] Oratório - A saga de Dom Quixote e Sancho Pança
roteiro: Eid Ribeiro / direção: Paula Manata
classificação: livre
Após ler muitos romances de cavalaria, um fidalgo castelhano perde a razão e passa a peregrinar em busca de aventuras como as de seus heróis. Espanha adentro, mundo afora. Agora, em terras mineiras, o icônico cavaleiro andante Dom Quixote e seu fiel escudeiro Sancho Pança reaparecem em um espetáculo que une elementos clássicos da obra de Miguel de Cervantes e da cultura brasileira. Para dar vida às personagens, os atores, músicos e compositores Sérgio Pererê e Maurício Tizumba estão à frente do elenco nos papéis do fidalgo e seu escudeiro. Como nos trabalhos anteriores da Cia. Burlantins, em “Oratório – A Saga de Dom Quixote e Sancho Pança” a música é também personagem. Por meio dela, diferentes ritmos são visitados em um passeio pelo universo quixotesco.

27.11, domingo
20h [teatro] A morte de Antônio Preto
texto e direção: Sérgio Pererê
O espetáculo é um romance em forma de cordel que une música, poesia e contação de história com fortes referências em manifestações da cultura popular mineira, como a marujada e o catopê. Músicas já conhecidas de Sérgio Pererê se unem a cantigas populares.

SERVIÇO
Mostra Benjamin de Oliveira – Edição Rio de Janeiro
Oi Futuro Ipanema - Rua Visconde de Pirajá, 54 – Ipanema
Gratuito // retirada de senhas 30 min antes de cada espetáculo
Informações: (21) 3131- 9333 / burlantins.com.br/benjamin
Share this article

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top