terça-feira, 17 de setembro de 2019


A mc e cantora paulistana, Drik Barbosa finalmente anuncia a data de seu primeiro álbum solo. Lembrando que o trampo "Espelho" de 2018 é um EP.

Através de sua conta no Instagram, Drik Barbosa anuncia que seu primeiro álbum solo que leva seu nome, vai ser lançando em 11/10 com apoio da Natural Music.

Já foi lançado três singles: "Quem tem Joga", com a participação de sua irmã caçula Mirela, Karol Conká e Gloria Groove, que é a primeira faixa do álbum. "Rosas" foi o segundo single a ser lançado e é o segundo som do álbum. A terceira faixa a ser lançada foi a "Liberdade", som que conta com a participação da cantora baiana Luedji Luna e a mc do Reino Unido R.A.E.

Confira a capa do álbum abaixo:


No formato de stories do Instagram, vídeo mostra a rotina estúdio, shows, gravações, eventos

Na era das mídias sociais, onde um post vale muito, Felipe Flip teve a ideia de salvar boa parte das publicações diárias para criar um videoclipe no formato de stories do Instagram. O novo single, “My Name Is”, que foi lançado na hoje (13), conta o dia a dia do músico, skatista e pai. O vídeo foi produzido pela MindHunters. 

Entre um snap e outro, Flip mostra a rotina de estúdio, shows, gravações, eventos e muito mais, incluindo a vida de skatista, porque foi através do skate que Flip despertou o interesse para música, em especial o rap, e ganhou o apelido que se tornou seu nome artístico.

Tem stories de manobras, das brincadeiras com o coletivo Ademafia, imagens da ONG Social Skate, liderada por Sandro Testinha, e até foto com a lenda do skate mundial, Stevie Williams. O vídeo mostra, ainda, imagens de shows e bastidores com Recayd, Mike Muir, BNegão, Thaide, Haikass, Matuê, entre outros artistas.

Na parte musical, “My Name Is” é um single que resgata o estilo Gangsta Rap dos anos 90. Flip traz referências de Eminem e Snoop Dogg, Joey Badass, mas com seu próprio estilo de rimar. A faixa fala muito sobre a personalidade de Felipe Flip, por isso, o artista faz questão de dizer: “não vim para fazer stories, vim para fazer história”. Uma sátira a uma sociedade que parece se preocupar mais com a vida virtual do que com a vida real. 
Assista:


FLIP
Filho de pai nigeriano e mãe brasileira, o paulistano Felipe Augusto Prado Emenekwum, mais conhecido como FLIP, apelido que ganhou quando começou a andar de skate na zona norte de São Paulo, é um músico versátil que gosta de misturar elementos, ritmos e estilos. Felipe FLIP vem da escola hardcore, da Vila Maria, do lifestyle do skate e foi no rap que encontrou a melhor forma de expressar suas experiências e o modo de ver a vida.


Mudei de novo tem significado importante e foi escrita em 2 partes, foi a primeira música que o Alaafin escreveu pós álbum AGOSTO (seu último disco de trabalho), exatamente no primeiro dia depois do álbum estar na rua, ele estava em um trem indo pra Santo André escrevendo essa rima no beat do Dj TG, a música ficou guardada até o momento que a DO MORRO PRODUÇÕES (Produtora audiovisual e fotográfica, autônoma e independente do Grajaú), junto com o 1º Andar Estúdio fazerem o convite pro Raphão gravar uma música e um clipe dentro de uma oficina deles, a música deveria ser inédita e a gravação do áudio e das imagens em um único dia, o Refrão foi escrito no mesmo dia do processo, a música foi gravada na companhia de diversos jovens do projeto que foram responsáveis pela captação das imagens e da criação do vídeo. Foi uma experiência única que resultou neste novo single, que dá o start para uma nova fase do Alaafin, de mudança física e mental, bem boombap bem freestyle, lançada no dia do seu aniversário, abrindo portas para uma nova temporada. 


Morte do Raphão, nascimento do Alaafin o Eterno Ciclo

Confira:



Depois de mudar os projetos conjuntos com Joell Ortiz, Locksmith e Planet Asia, Apollo Brown está se preparando para lançar uma carta de amor à sua cidade natal com o lançamento do seu álbum “Sincerely, Detroit.”

“Existem cidades que se dão bem, oferecem clima e paisagens, vistas de montanhas ou oceanos, encravadas em rochas ou com palmeiras. E existem cidades de colarinho azul como Detroit que precisam trabalhar para viver”, afirma Brown em comunicado. “Cidades que dependem da resistência e resiliência de seu povo. Cidades que não desistem. Detroit tem uma alma inconfundível; ninguém pode duplicar o que damos ao mundo.” 

Previsto para 27 de outubro, via Mello Music Group, o lançamento do disco duplo contará com mais de 50 artistas de Detroit (incluindo Royce 5'9, eLZhi, Slum Village e muitos mais). E hoje, ele está começando o trabalho com o primeiro single do projeto, "God Help Me", com Black Milk, Ketchphraze e DJ Los. 

Aperto o play em "God Help Me" e confira a lista de faixas abaixo.




Fonte: 2Dopeboyz

segunda-feira, 16 de setembro de 2019


A temporada da NBA ainda está a alguns meses de distância, mas os treinamentos estão começando e os jogadores estão se estabelecendo em suas novas equipes e se preparando para a temporada 19/20. 

Está programado que o Damian Lillard  vá para as instalações do Portland Trail Blazers e termine seu verão com um novo freestyle. No "End Of Summer '19", Dame rima por dois minutos, falando sobre o sucesso que recebeu e os que duvidam.


Palestra-performance aborda o corpo negro a partir do pensamento de Frantz Fanon

Com solo do guadalupense Médrick Varieux, O preto bonito está cagando para você, Madame! foi criada a partir do texto “A experiência vivida do negro”, capítulo do livro “Pele negra, máscaras brancas”, da autoria do influente pensador martiniquense da descolonização Frantz Fanon.

Na próxima sexta-feira (20), às 19h30, a Taanteatro Companhia apresenta a palestra-performance O preto bonito está cagando para você, Madame!, na Oficina Cultural Oswald de Andrade. A entrada é gratuita.

Com solo do guadalupense Médrick Varieux, a performance aborda o corpo negro a partir do texto “A experiência vivida do negro”, capítulo do livro “Pele negra, máscaras brancas”, da autoria do influente pensador martiniquense da descolonização Frantz Fanon (1925 a 1961).

Em diálogo com o público, a performance introduz à trajetória e obra do psiquiatra e filósofo Frantz Fanon. Sob a forma de um testemunho e de uma confissão, traz o relato de uma a vida conflituosa e de uma consciência que se descobre negra ao entrar no mundo e encontrar a si mesma.

A performance O preto bonito está cagando pra você, Madame! faz parte do Fórum de Ecoperformance, proposto pela Taanteatro Companhia por ocasião do projeto [des]colonizações. Contemplado pela 25ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo, [des]colonizações investiga a aplicação de estudos pós-coloniais na criação teatro-coreográfica.

Médrick Varieux é filósofo, escritor e ator. Nasceu em Guadalupe, ilha francesa no Caribe, onde começou a atuar numa peça reunindo textos de autores caribenhos como Aimé Césaire e Maryse Condé, sob a direção da atriz e diretora Esther Myrtil. Formado pela Universidade Panthéon-Sorbonne, e doutorando pela UFRJ, desenvolve no Brasil uma dupla pesquisa teórica e artística sobre as possibilidades de renovação estética e política da cultura afrodiásporica.

Serviço:
Palestra-performance O preto bonito está cagando pra você, Madame!
Dia 20 de setembro, sexta-feira, às 19h30
30 lugares
Os ingressos são distribuídos com 1 hora de antecedência.
Gratuito
Duração: 90 minutos
Classificação 12 anos
Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade - Rua Três Rios, 363 - Bom Retiro - São
Paulo/SP
Informações: Tel: (11) 3222-2662

O grupo do interior de São Paulo, UniVersos lançou a música "Eu acredito", com Rhyan, Kauã, Ruan e Vitinho. Agora os meninos estão de volta com um novo clipe destacando os novos integrantes do grupo que são: Carlinhos e Thierry de apenas 7 anos. O clipe conta com a participação especial do Biorki. A produção do clipe ficou por conta do Filmaker "GG One", a produção do beat e dos scratch's ficaram por conta do Dj Basim.


Assista:


Sobre o grupo e o educador José Roberto:

José Roberto Augusto Robertinho “Filho do Céu” Natural da cidade de São José do Rio Preto – SP, José Roberto Augusto é Educador Social no Céu das Artes e é conhecido nas ruas como Robertinho Filho do Céu. 
Tomou conhecimento da cultura Hip Hop ainda criança, por intermédio do padrasto de um amigo na época, que mostrou a música do Racionais “Fim de Semana no Parque”. 
Nos dias de feira com sua mãe, Robertinho sempre pedia pra ela comprar uma fita (K7) de Rap. Na escola conheceu outros meninos que curtiam Rap, quando escutou a música: “Nada pode me parar” do MC Thaíde & DJ Hum. Influenciado pelo programa “MTV YO Raps”, assistia vários clipes, e começou a se aprofundar mais em conhecer outros grupos e finalmente foi ganhando seu próprio estilo musical.


Em Agosto de 2016 fundou o Grupo Musical UniVersos e também idealizou a oficina de Rap com outros meninos do bairro, tornando-se a FAMÍLIA UNIVERSOS. Como nasceu: " Já cansado de ver crianças e adolescentes se envolvendo no crime, nas drogas, indo presos e alguns até morrendo muito cedo, Robertinho vislumbrava em realizar ações mais efetivas no bairro, e ensaiando no quintal de sua casa num belo dia, percebeu seus sobrinhos e dois amiguinhos cantando suas músicas e foi aí que Robertinho teve esse discernimento: "que através do Rap poderia iniciar um projeto e trabalhar esses valores de vida, essa conscientização! É UMA FORMAÇÃO PARA A VIDA CIDADÃ! E atualmente um grupo de crianças e adolescentes aderiram a essa ideia e estilo musical e participam ativamente das oficinas oferecidas no Céu das Artes do Parque da Cidadania/Nova Esperança de São José do Rio Preto pelo educador Robertinho “Filho do Céu”. 

O objetivo do Grupo de Rap UniVersos é de transformar a vida das pessoas através das canções que estimulam a: criatividade, o desenvolvimento sociocultural, o resgate da cidadania, o fortalecimento dos vínculos sociais e comunitários e fundamentalmente demonstra que a arte, a música é capaz de modificar a realidade social existente. E o lema da oficina e do fundador do projeto é que “ a nossa vida, seja VIDA, na vida das pessoas”. No ano de 2018 gravaram dois vídeos clipes disponíveis nas redes sociais (facebook, youtube) com mais de um milhão de visualizações. O grupo recebeu várias premiações nos anos de 2018 e 2019. Obteve a premiação do Ministério da Cultura para dar prosseguimento as atividades musicais no Céu das Artes. E a gravação do 1º Álbum - Periferia é Terra Fértil com a premiação do Nelson Seixas do ano de 2018 - um dos prêmios mais requisitados em São José do Rio Preto no que tange a área cultural e musical . Esse CD conta com as participações especiais de: "Edi Rock ( Racionais Mc's) - Renan Inquérito - Preto Aplick (Consciência Humana) - P.MC (Jigaboo) - Biorki - nomes consagrados no cenário do Rap!


Thiago Augusto, também conhecido como Matéria Prima, é reconhecido como um dos principais MCs da cena Hip Hop nacional. Dono de uma construção lírica inconfundível, Matéria descreve o cotidiano de forma ampla, construindo a partir da subjetividade que, ora apresenta a beleza da trajetória, ora aponta suas mazelas.

Artista inquieto, Matéria tem construído sua história em diversos projetos, passando pela banda Zimun, o grupo TETRIZ e seus discos recentes, dentre os quais se destacam “2 Atos”, produzido por Gui Amabis, trabalho no qual apresenta sua faceta melódica explorando outros estilos musicais além do rap, “Bem Boom Bap”, produzido pelo beatmaker Dario Beats, neste trabalho em que prestam uma homenagem moderna ao período clássico do rap mundial e, o mais recente, “Rascunhos de um Momento Conturbado”, em parceria com o DJ Lotek.

Parte dessa produção será apresentada na série de shows que passa por São Paulo, Brasília e Minas Gerais, nos quais o MC comemora 20 anos de trajetória na música. Nas terras mineiras o MC fará shows em Belo Horizonte, dia 21/09, às 21h, n’A Central (Praça Rui Barbosa, 104, Centro) ingressos a R$ 20 (inteira) R$ 10 (Meia). A noite contará com discotegam da DJ Pat Manoese, um dos destaques da cena Hip Hop de BH.

O segundo show será Ouro Preto, dia 26/09, às 20h, no Centro de Convenções da UFOP (Rua Diogo De Vasconcelos, 328 - Ouro Preto - entrada Gratuita).

A turnê foi selecionada pelo Natura Musical por meio do edital 2019, com o apoio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais. “Acreditamos na força do Natura Musical para conectar pessoas, valorizar a criatividade brasileira e revelar a diversidade de cada região do país”, diz Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura. “O programa já circulou por 20 Estados, apostando em talentos locais. Em Minas Gerais, por exemplo, o edital já ofereceu recursos para 122 projetos da música, como Juliana Perdigão, Fernanda Takai, Graveola, Beto Guedes, Flavio Venturini e Gilvan Oliveira e, agora, MC Matéria Prima”, complementa.

Trajetória criativa no Hip Hop

Matéria tem uma longa história como MC. O Músico, em meados dos anos 90, já arriscava versos junto às manobras de skate, quando em 2000, a convite do MC Marechal, tornou-se integrante do extinto coletivo Quinto Andar, um dos mais importantes, expoentes do rap brasileiro na última década. Desde então desenvolve seu trabalho musical no rap, participando ativamente de outros coletivos como a banda Zimun (banda belorizontina que produz um som único calcado em referências de jazz, dub e hip hop); Duelo de MCs (um dos principais projetos da cidade e do rap nacional, realizado desde 2007). Em 2011, organizou seu material autoral e gravou seu primeiro EP, intitulado “Material de Estudo”, sua primeira incursão em uma produção solo. Mas não para por aí; Matéria Prima tem dialogado com novos produtores e parceiros.

Por pesquisar intensamente o rap norte americano, aprendeu a língua inglesa de forma autodidata, o que mais tarde gerou a oportunidade de ser o intérprete de África Bambaataa (Considerado um dos pais do hip hop por ter sido o primeiro a utilizar o termo e para referir-se às manifestações artísticas dessa cultura) em sua passagem pelo Brasil em 2013. Entre 2016 e 2017 lançou o álbum 2 Atos, com produção de Gui Amabis e com shows dirigidos pela premiada atriz Grace Passô.Em 2017 com os cariocas Ramiro Mart e o beatmaker Goribeatzz formaram o TETRIZ e lançaram os EPs “Primeira Fase” e “Segunda Fase”. Em 2018 lançou com o produtor paulistano Dario Beats, o elogiado “Bem Boom Bap” e em 2019 apresentou o álbum “Rascunhos de um Momento Conturbado”, em parceria com o DJ Lotec.


Vídeoclipe "Clássico":


SERVIÇO

Matéria Prima - turnê nacional - Shows em Minas Gerais

*Belo Horizonte

Com DJ Pat Manoese


Praça Rui Barbosa, 104, Centro / CEP: 30160-000

Data: 21/09/ Horário: 21h

Entrada: R$ 20 (inteira) R$ 10 (Meia) (link do Sympla)


*Ouro Preto

Local: Centro de Convenções da UFOP - (https://centrodeconvencoes.ufop.br) Teatro. 

Rua Diogo De Vasconcelos, 328 - Ouro Preto. 

Data: 26/09/ Horário: 20h

Entrada Gratuita

Contatos para entrevistas – Matéria Prima – 31 97353-7978


Sobre Natura Musical

Natura Musical é a principal plataforma de patrocínio da marca Natura. Desde seu lançamento, em 2005, o programa investiu R$ 132 milhões no patrocínio de 418 projetos - entre CDs, DVDs, shows, livros, acervos digitais e filmes. Os trabalhos artísticos renovam o repertório musical do país e são reconhecidos em listas e premiações nacionais e internacionais. Em 2018, o edital do programa selecionou 50 projetos em todo o Brasil, entre artistas, bandas e coletivos, e estabeleceu parcerias com 10 festivais independentes de Norte a Sul do país. A plataforma digital do programa leva conteúdo inédito sobre música e comportamento para mais de meio milhão de seguidores nas redes sociais. Em São Paulo, a Casa Natura Musical se tornou uma vitrine permanente da música brasileira, com cerca de 100 shows para adultos e crianças ao longo de 2018.

Celebração da cultura de rua promovida por canal do Youtube une em uma noite só: ritmo, poesia e fomento à Cultura Hip-Hop emergente.

No comando da mesa de som, o professor Dj residente Makô solta as batidas para o jovem Mc residente da festa MMoneis e seus convidados especiais.

Sexta-feira, dia 27 de Setembro, o Porão da Cerveja abre suas portas para receber a sétima edição da Rap End:

Em 2019, todas últimas sextas-feiras do mês, o canal O Fino da Zica se junta ao MC MMoneis, DJ Makô, Canis Filmes, Porão da Cerveja e HAUX Cerveja Viva para realizar uma noite de ritmo e poesia literalmente underground no centro de São Paulo. O encontro foi idealizado com o intuito de arrecadar fundos para a produção de vídeo-clipes do MC residente MMoneis, o primeiro entrevistado do Canal em 2016. Cada encontro mensal contará com um ou dois convidados especiais diferentes e em 2020 será selecionado um novo projeto residente da festa.

Nesta edição, dia 27/09, dois convidados fazem as honras: Eloy Polêmico e Elias Blackaut. Oriundos de diferentes regiões, Eloy fechará a noite junto a um DJ e um pianista. Elias, cidadão Grajauense como MMoneis, iniciará os trabalhos da noite apresentando 3 músicas próprias.

Eloy iniciou sua carreira no rap como produtor de beats em 2009. Sua atitude ousada e "descompromissada" o fez rapidamente estabelecer alianças e lançar uma série de músicas em parceria e em 2017 lançou seu primeiro álbum solo: Dovahkiin. O primeiro trampo do artista é fruto do estúdio Rancho Mont Gomer, no qual é co-fundador.

Elias Bleckalt iniciou sua carreira em 2003 como compositor e logo em seguida acabou virando intérprete. Participou do grupo Sabedoria realizando diversos eventos pela cidade de São Paulo. Em 2009 iniciou no projeto Síntese, onde fazia a mistura de rap com mpb e em 2012 acabou se desligando dos projetos em grupo e compôs um caminho solo até 2016, quando entrou para o grupo OS MALÊS, na ativa até os dias de hoje.

Eloy e Elias fazem parte de uma nova geração de artistas que estão emergindo de seu lugar de origem, rumo ao mundo. Dos extremos da cidade de São Paulo, para dentro de peitos pulsantes e ouvidos atentos. 

Assim como em todos os RAP ENDs, as noites são comandadas pelo DJ MAKŌ, responsável pelos beats e musicalização durante a noite toda.

Em respeito ao espírito underground, a festa acontece no Porão da Cerveja, na Rua General Olímpio da Silveira, nº 39, Santa Cecília, de frente para o Minhocão.

Além disso, essa será a primeira edição da festa com o patrocínio literalmente underground da cerveja de garagem e fabricação própria, HAUX: Cerveja Viva. 

Compareça e troque uma ideia com os MCs e convidados: só o rap para proporcionar essa sinceridade e só o Rap End para trazer essa proximidade. 

O Hip Hop é foda e pulsa pelas ruas de São Paulo.

Ingresso: $10 com doação de roupa masculina em bom estado ($15 sem doação)

# PROMOÇÃO DA NOITE #

Os 10 primeiros a chegar ganham um ½ pint de HAUX: Cerveja Viva I IPA.

Próximas datas de RAP END 2019

27/09 - 25/10 - 29/11 - 20/12

APOIO

- HAUX Cerveja Viva

- Canis Filmes

SOBRE O FINO DA ZICA
O Fino da Zica é um canal no Youtube com vídeos, entrevistas, improvisações e delírios de rappers brasileiros. No ar desde março de 2016, o FDZ não quer ser só um canal e busca marcar presença no offline, lugar que até a década 90 atendia pelo nome de rua.

Realizou em Março/2016, Setembro/2016, Fevereiro/2017 e Agosto/2018 os Festivais O Fino da Zica e atualmente vem com uma proposta de festa rap colaborativa, em que metade da verba é destinada ao projeto de vídeo-clipes do MC residente Rafael Gomes, o MMoneis. Primeiro entrevistado da versão Youtube do canal e presente em todos os Festivais, MMoneis lançou seu álbum “Tempo Novo” em 2018 e em 2019 vem trabalhando mais a proposta audiovisual como forma de fortalecer a identidade de seu trabalho tão potente. Para o segundo semestre de 2019 pretende ampliar os horizontes através de seu novo EP intitulado AMPM, onde o artista trata cada faixa como a fotografia de um instante de um dia.

SERVIÇO

Local: Cervejaria O Porão da Cerveja. 

Rua: Gal. Olímpio da Silveira, 39 - Santa Cecília - São Paulo (subsolo do supermercado Hirota)

Data e horário: 27 de setembro, das 20-01h

Entrada: R$10 mediante doação de uma peça de roupa em bom estado - demanda é maior por roupas masculinas (R$15 sem doação)

domingo, 15 de setembro de 2019



"Idris é britânico e esta é uma história americana." 

Em uma palestra recente no Festival Internacional de Cinema de Toronto, Jamie Foxx sentou-se com Michael B. Jordan e discutiu como conseguiu seu papel de destaque no filme vencedor do Oscar de 2012 de Quentin Tarantino, Django Livre. O ator revelou que Idris Elba estava na disputa pelo papel principal. 

Foxx disse que seu gerente informou que ele não estava na pequena lista de atores. Mais tarde, ele encontrou Elba e, em um esforço para garantir sua vaga, disse que ele era atraente demais para interpretar o personagem. "Seu lindo preto andando de cavalo, haverá alguns problemas para todos", brincou. 

Tarantino acabou tirando Elba da pequena lista de atores e dizendo ao The Sun: "Idris é britânico e esta é uma história americana". 


“Eu acho que um problema com muitos filmes que lidam com esse problema é que eles contratam atores britânicos para interpretar os sulistas e isso ajuda bastante a distanciar o filme. Eles vestem suas máscaras de gárgula e fazem seus sotaques e você não está mais contando uma história americana”.


Foxx e Jordan estrelam o próximo filme Just Mercy, sobre o advogado de direitos civis Bryan Stevenson que tenta libertar um preso no corredor da morte. O filme estreia em 25 de dezembro.


Se manja de inglês assista:


Fonte: OkayPlayer