sábado, 25 de janeiro de 2020


Iniciando os lançamentos de 2020 a produtora Cara Preta Records apresenta o projeto RAP DANGER com vídeo clipe no Youtube.

O projeto reuniu MCs com características únicas, porém focados na mesma ideia com uma mensagem direta e confrontante, apontando questões de cunho social.

Ckatriz (Tribunal MCs), Preto Zika, Tom Black e Cruel Função compõem o time desta Cypher. Com beat e produção musical de Jonathan Ojan, este que também esteve a frente da direção do vídeo clipe. As imagens foram captadas na cidade de Mauá SP, onde também se localiza o estúdio Cara Preta Records.

A música já esta sendo executada em rádios e festas de São Paulo, assim como em Web rádios do gênero, com grande aceitação do público em geral.

A produtora já está trabalhando a sequência do projeto que em breve também estará nas ruas e contará com grandes nomes do Rap Nacional em, Rap Danger parte 2 “O som do morro”.
Assista:






O evento é destinado para atores, produtores, educadores e simpatizantes da cultura Hip Hop

Como parte da programação do Circuito Municipal do Hip Hop, nos dias 27 e 28 de janeiro, na FUNARTE MG, será realizado o Seminário colaborativo "O Grito da Periferia". Que tem como foco em atualizar o "Plano Municipal de Hip Hop BH". Este encontro tem como proposta de abrir um espaço de diálogo e fomento das políticas públicas relacionadas ao Hip Hop na capital.


O Seminário Colaborativo, é um espaço de acolhimento, discussão e reflexão dos andamentos e demandas da cena local, todas ações em sinergia com a cultura Hip Hop e das culturas urbanas e das periferias, dentro da linha política pública, cultural e social.

Este encontro nos permitirá refletir sobre experiências culturais que influenciam a cadeia do Hip Hop e das periferias da cidade.


Programação:

Seminário colaborativo: "O GRITO DA PERIFERIA"
Dia: 27 (segunda) e 28 (terça) de janeiro de 2020
Horário: 18h00 às 21h30

Eixo Temático 1 – DIREÇÃO ARTÍSTICA E EXECUTIVA PARA O HIP HOP: MILITANTE X ARTISTA?

Mediador:
- Fred Negro F. (Design social, grafiteiro e educador. Presidente Nacional da Nação Hip Hop Brasil e compõe o time da DTG Brasil atuando com ações de impacto social)

Convidados:
- Carlos Magno (Militante e comunicador social, Diretor da ABGLT um dos fundadores da Parada LGBT BH);

- Fabrício FBC (Rapper, compositor, mineiro, álbuns recém lançados, "S.C.A" e "Padrim");

- Barral Lima (CEO do Grupo UN Music onde coordena as gravadoras Ultra Music e a Under Discos, a produtora de eventos Ultra Music, a Neutra Audiovisual e Editora. Produtor musical, músico e engenheiro de som trabalhou em inúmeros projetos fonográficos e shows ao lado de artistas como Lô Borges, Marku Ribas, Milton Nascimento, Samuel Rosa, Toninho Horta etc. É idealizador e diretor artístico dos festivais Palco Ultra, MARTE Festival, Festival Hiphop.Doc e Circuito Instrumental).


Eixo Temático 2 – SOMOS O GRITO DA PERIFERIA, QUE ENCANTA MULTIDÕES E CORAÇÕES.
Dia: 28 de janeiro, terça-feira
Horário: 18h às 21h30

Mediadora:
- Giovanna Heliodoro - É uma travesti negra, da zona norte de Belo Horizonte, Historiadora, Comunicadora, Artista, Produtora do Festival TransViva! e Social Media da Rock Content. Integra ao Coletivo Pretas T, é protagonista do Canal Trans Preta no Youtube e a autora do livro Raízes - Resistência Histórica.

Convidados:

- Kika da Serra (Produtora do Baile Funk da Serra e Presidenta da ACM. Cafezal);

- DJ Zeu (Ceo na empresa Classics Hip-Hop, Ceo na empresa Festa Drop e Ceo na empresa Pimp, trabalhos anteriores: Probeats Brasil e Baile Do Mercado);

- Tábata Poline (Produtora e repórter do Rolê nas Gerais, da Globo em Minas);

Idealização:

Fórum do Hip Hop de Belo Horizonte

Serviço
Seminário colaborativo: "O GRITO DA PERIFERIA"
Dia: 27 (segunda) e 28 (terça) de janeiro de 2020
Horário: 18h00 às 21h30
Local: Funarte MG, Rua Januária, 68, Centro, Belo Horizonte, MG
Compartilhe nas redes: http://bit.ly/seminariohiphop2020

Evento gratuito e a inscrição pode ser feita pelo link https://www.sympla.com.br/seminario-colaborativo-o-grito-da-periferia__765928?fbclid=IwAR1V8OCIZ8HhGSMa65STeCGn0nGS3WFWbZA-qI7pcl9VU7B4tRJ_Y0zojMw


sexta-feira, 24 de janeiro de 2020


Se alguma parte deste novo single "Mad At Me", da Kiana Ledé, parece familiar, provavelmente é porque é. Para o refrão do single, Kiana se inspira no lendário som “So Fresh, So Clean” do Outkast e nos traz um som bem moderno, já que ela muda a letra, mas a melodia ainda está lá.
Talvez você pense: "Já vi esse rostinho lindo em algum lugar".
Kiana faz o papel Veronica Washington, filha do Joey na serié All About The Washingtons baseada na vida do lendario rapper Rev Run (RUN DMC).
Ouça:




Gary Clark Jr. e The Roots se juntam em som novo

Com a faixa-título de seu álbum 'This Land' em um GRAMMY neste fim de semana, Clark lançou uma versão oficial de sua performance no The Tonight Show com The Roots em dezembro passado.

Equipada com um verso de Black Thought, a versão ao vivo pode ser ouvida abaixo no Youtube.


O arte educador e rapper, D Smoke está pronto para seus corres de 2020.

Depois de encerrar o ano passad vencendo a temporada de estréia da série Rhythm + Flow da Netflix e encerrando seu projeto Inglewood High, o nativo de Cali começou este ano com "Fly", com Davion Farris. E agora, ele está de volta com o single "No Commas".

Confira:




Esquerda: Kadypslon e Mossoró | Centro: Inspector Desusado | Direita: Negro Bey e  IamLawn 

Grupo conta com treze membros de nove países e publicou seu terceiro clipe, de uma música já premiada no ranking do programa RapStation, liderado por Chuck D, do Public Enemy 

É possível formar um grupo musical com artistas que nunca se encontram ao vivo? Se você acha impossível, então conheça o grupo Interligados. Esse coletivo musical é formado por treze membros, de nove países de todos os continentes. No início nenhum membro do grupo conheceu mais de três componentes ao vivo. Assim, o coletivo realiza todas as suas produções com o auxílio da internet. 
O mais novo trabalho desse coletivo intercontinental é o clipe 'O Poder dos Fracos', que foi lançado em dezembro e foi editado em Chimoio, de Moçambique, na produtora La Dojo Filmes. 

Assista:


A cidade de Chimoio, em Moçambique, é considerada a “mãe” desse projeto, pois o criador do coletivo, Inspector Desusado, reside nesse local, bem como o produtor musical Az Pro também é de Chimoio. Devido ao forte movimento rap local, a cidade ganhou a alcunha Vila Perygoza, em analogia ao nome colonial da cidade Vila Pery e uma adaptação ao perigo para o sistema político de se ter grandes rappers em efervescência na cidade. 

Neste clipe, além dos artistas de Chimoio, também participaram: Mossoró (brasileiro que faz doutorado na Universidade de Coimbra, em Portugal), Josedan (brasileiro residente no Chile), Kadypslon (português residente na Inglaterra) e Mano (finlandês, filhos de brasileiros). O coletivo ainda é composto pelos rappers Ody Shammy (sírio-palestino, residente em São Paulo), Pablo Crimini (Chile), Missing Linking (Zimbabwe), Negro Bey (Guiné Equatorial) e IamLawn (neozelandesa e residente em Portugal). Os dois últimos são os novos reforços da equipe e ainda não participaram das músicas do grupo. No entanto, irão atuar no próximo, que está em produção e é denominada (Des)Natureza Humana e retrata os prejuízos provocados pelo ser humano na natureza em todo o planeta. O pesquisador Janne Rantala (finlandês residente na África do Sul), o videomaker, DJ e produtor de scratshs DJ Pisto Rey (México) e o agente de produção Pierr Dogg (Moçambique) também são membros desse coletivo intercontinental. 
Os artistas fazem rodízio de participação nas músicas, para as canções não ficarem muito extensas e, assim, garantir a participação de todos os componentes no álbum, que está em produção. O nome Interligados foi escolhido porque os artistas precisam apresentar uma interligação em todos os assuntos abordados nas músicas. Desse modo, a produção das músicas envolve inicialmente um debate sobre temas que sejam relevantes para os artistas de todos os países participantes. Para isso, um membro produz texto sobre um tema atual, para ser selecionado ou não pelos demais participantes. No caso da música O Poder dos Fracos, o texto foi elaborado por Janne Rantala, membro do grupo que atualmente realiza pesquisa de pós-doutorado na África do Sul, sobre a memória política do rap moçambicano. 
A partir do tema escolhido, o produtor Az Pro se encarrega de criar instrumentais dentro da proposta, utilizando recortes sonoros (samples) diversos que garantam a identidade do som com o tema. Logo depois, eles fazem os esboços das letras e criam uma narrativa sequencial, em que os demais membros podem sugerir alterações a cada compositor para se adaptarem a uma narrativa. Em sequência, gravam demonstrativos dos sons, para só depois gravarem em estúdio. No fim, as vozes retornam para Az Pro, que realiza a produção final. 
O projeto Interligados foi lançado apenas no 28 de fevereiro 2017 e tem seis músicas e três clipes lançados, mas os resultados alcançados já são impressionantes. Além da divulgação na mídia em todos os países em que há membros do coletivo, a participação dos acadêmicos Janne Rantala e Mossoró já garantiu a divulgação em seminários internacionais e artigos científicos. A maior conquista do Interligados foi a música O Poder dos Fracos ter sido classificada como 13ª melhor música do mundo, segundo ranking de agosto e setembro da Rapstation. Esse programa é liderado por Chuck D, do Public Enemy, um dos maiores ícones do rap mundial e tem retransmissão em 237 emissoras pelo mundo. Esse programa já reproduziu três vezes as músicas do Interligados.

Apresentando todos os membros:


MANO  | FINLÂNDIA

INSPECTOR DESUSADO | MOÇAMBIQUE

JOSEDAN | BRASIL

NEGRO BEY | GUINÉ EQUATORIAL

IAMLAWN  | NOVA ZELÂNDIA

KADYPSLON | PORTUGAL

AZ PRO | MOÇAMBIQUE

DJ PISTO REY | MÉXICO

JANNE RANTALA | FINLÂNDIA
MOSSORÓ | BRASIL

PIERR DOGG | MOÇAMBIQUE

MISSING LINKING | ZIMBABWE


ODY SHAWMMY | SÍRIO-PALESTINO

PABLO CRIMINI | CHILE



Foto: Rafael Berezinski

As filmagens para a divulgação da segunda música de trabalho do próximo álbum a ser lançado pelo rapper ocorrem no próximo dia 30 de janeiro, no Teatro Popular Solano Trindade, em Embu das Artes, e também irão incluir locações do litoral sul do Estado

O EP completo chega a todo vapor em julho de 2020

Prestes a completar 55 anos de idade e mais de 30 anos de carreira, o “Poeta do Rap Nacional” está na estrada, nos palcos, nos fones e na memória afetiva das periferias do Brasil, difundindo poesia, música e reflexões importantes e estruturais da sociedade, mantendo uma coerência e uma provocação contínuas como ferramentas de denúncia, de conscientização e valorização das populações e da produção periférica. 

Em 29 de novembro de 2019, GOG lançou a música “Matemática na Prática - Parte 2”, produzida por LP, que teve as participações de Fabio Brazza, Renan Inquérito e do grupo Orquestra na Rua, que reúne instrumentistas eruditos para formação e apresentação em locais públicos. Na gravação do videoclipe dirigido por Vras77 na ONG Ação Geral participaram jovens e crianças do Jardim Mitsutani, bairro da Zona Sul de São Paulo.

Agora é a vez de “Anfitriã”, que tem letra e performance de GOG, produção musical de LP, videoclipe da produtora Cria de Rua, direção de Mano K e produção geral de Claudinho Silva. “Anfitriã é quem recebe as pessoas em sua casa, quem convida. Isso resume, literalmente, o que o continente africano significa. Daí, o que inspira, é que vem a poesia e ressignifica, trazendo o que o dicionário e os olhos não conseguem ver nem descrever”, sintetiza o poeta.

A escolha pelo Teatro Popular Solano Trindade tem muitas razões. Grande parte do público do artista está em São Paulo e Embu das Artes, que muito além de sua antiga feirinha de artesanato, respira arte e contestação. “Foi isso que nos motivou. Consultamos o Vitor Trindade, que, da Alemanha, deu gritos efusivos e disse estar muito feliz com a nossa proposta e aceitou de imediato. Esse é o nosso Orum aqui”, diz GOG, que tem uma relação com a família Trindade já de longa data, a lembrar que Raquel Trindade, a eterna Kambinda, fez participação especial na música “O Buque da Espertirina”, de 2015.

A música “Anfitriã” será lançada oficialmente em todas as plataformas em 6 de março, mês do aniversário do músico. Seu 12º trabalho, com 7 faixas e que chegará ao público em julho nos formatos CD e vinil, ainda não teve seu nome divulgado. Mas já se sabe que haverá um grande espetáculo em São Paulo, de onde seguirá para outras cidades em itinerância. “Trata-se de um disco universal: traz poder, magia, harmonia e emana força”, finaliza o poeta.

(SERVIÇO)

GRAVAÇÃO DO CLIPE DA MÚSICA “ANFITRIÔ

Local: Teatro Popular Solano Trindade

Endereço: Av. São Paulo, 176 - Jardim Silvia, Embu das Artes 

Faixa etária: livre

Acesso para deficientes: sim

Observação: as pessoas poderão assistir à gravação sabendo que há possibilidade de participar, mas é proibido o uso de celulares para captação de imagens. A aceitação na participação do clipe implica na autorização automática do uso de imagem por parte da equipe de gravação.

Conteúdo produzido por Baobá Comunicação cultura e conteúdo 

A Na Pegada Produções lançou no ultimo trimestre de 2019 o trabalho do rapper Preto W.O. Um disco com 10 faixas entitulado "Pessoal Coletivo". 

Willians Freire de Oliveira, mais conhecido como Preto W.O. é um rapper versátil, antenado as novidades mas sempre mantendo a raiz, mesclando épocas. Na caminhada desde 94, o rapper passou pelos grupos: Manos Esquadrão, M.W.N., Júri Popular e desde 2008 está em carreira solo. 

Segundo Preto, os sons do disco são várias passagens que aconteceram com ele, e ele queria tornar coletivo e dividir com as pessoas. O disco também retrata a Golden Era, com referências e recortes que remetem aos anos 90.

Além do próprio Preto, o disco também foi produzido pelo DJ Anderson nos beats e contou com as participações especiais de: Apelidado Xis, Suave (Jigaboo), Markão DMN, DJ Katatau, Fernando Lopes e Diggo Black, além dos scratches, colagens e riscos do DJ Buiu. 

O disco já está disponível em todas as plataformas digitais e a Reposição do formato fisico chega na segunda quinzena de Janeiro.

Confira abaixo:


Inspirada nos desafios vividos por muitas gerações, ‘Jovem Sonhador’ é uma canção reflexiva e que nos incentiva a seguir em frente. A música também traz reflexões acerca das dificuldades que a juventude lida ao tratar das adversidades do mundo. 
Dentre tantas estórias de vida enquadradas em ‘Jovem Sonhador’, está a do tatuador Jassen Reis, que ficou paraplégico com apenas 16 anos após se acidentar num banho de piscina. Hoje, com 21, ele é um exemplo de perseverança. Superou as limitações físicas e segue tocando a vida sem deixar de fora nenhum sonho. O tatuador é amigo de infância de Gabriel Portugal e participa como personagem central do clipe de ‘Jovem Sonhador’.

"A ideia do vídeo foi chamar a atenção da sociedade pelos obstáculos enfrentados diariamente por pessoas portadoras de deficiência. Além da tentativa de inspirar outras pessoas a superar suas limitações para conquistar seus sonhos" diz Gabriel.

O vídeo conta com imagens belíssimas da orla do Caminho Niemayer, localizado em Niterói. Além disso, o clipe contou com a presença do rapper Lee7ete, que faz parceria na letra e cantando com Gabriel Portugal. Confira!



Após o lançamento do álbum "Flor da Vida", que entrou na nossa lista de melhores trabalhos do ano, o Freelogia não parou e no útlimo ano de 2019 chega pra rua com o clipe de Regai, uma das faixas que íntegra o trabalho. 

Nesse single, a dupla paulista mescla seu estilo de rap com reggae que envolve do inicio ao fim, a parte audiovisual vem carregada de críticas sociais. A inspiração para criação da obra foi a necessidade abordar sobre o quanto a ganância do ser humano pode devastar e que acima de tudo só o amor e gratidão pode curar.

Quem assina o audiovisual é o diretor Vin Sil com uma equipe de alunos da área. Direção de Vin Sil, roteiro de Vin Sil e Ruka, assistencia d direção de Debora Borges, direção de fotografia de Nicoly Cruvinel e produção de Ivan Henrique.

As filmagens foram realizadas no Centro Cultural Ouvidor 63 e feita de forma completamente independente. Por fim, Regai é uma trabalho completo com muito conceito e musicalidade, então aprecie sem moderação !