segunda-feira, 20 de julho de 2009

Entrevista com PAIOL SONORO

Com certeza muitos de vocês já ouviram falar em Paiol Sonoro, grupo de produtores moçambicanos que contam com vários trabalhos no mercado como podem verificar aqui. Para quem não conhece ou quer saber um pouco mais sobre eles, a Miss Djei preparou uma entrevista com os manos deixo aqui o resultado dela. Boa leitura.
Notem que no final da entrevista poderão encontrar o single promocional do álbum Influências Urbanas.

1. Há uma coisa que muita gente tem demonstrado uma certa vontade de saber: Quem são na realidade "Paiol Sonoro"? É um grupo? Quantos elementos?
FreeYaMind: Paiol Sonoro é um grupo de produção constituido por 5 elementos nomeadamente: FreeYaMind, NeuroToxina, AljaZz, Origimoz & 2Win C. Este grupo é filiado da Label "911 Estúdio Genérico" um label existente desde 2005 no mercado underground moz.

2. O mundo hip hop esta em constante movimento, vão surgindo novas tendências relativamente a produção, flows, maneiras de rimar. Qual é o segredo para manterem a vossa originalidade?
ORIGIMOZ:
Como todos sabemos, a originalidade tem o seu preço e para encaixarmo-nos neste factor, o único segredo é sermos nós mesmos. Mesmo tendo membros diferentes os grooves são de cada um... e isso faz-nos mais interessantes do que os outros.
NeuroToxina: O segredo de tudo na vida é ser dinâmico! O Paiol Sonoro é bem dinâmico, mas para além disso é preciso ter uma marca, trazer algo diferente para os ouvidos das pessoas, porque hoje em dia muita coisa soa a mesma.

3. Geralmente os grupos começam por se terem conhecido na escola ou algum lugar assim. Como surgiu a ideia para a formação do grupo?
NeuroToxina : eu já conhecia o Origimoz desde os primórdios da nossa existência, com 14/15 anos por ai, através de um amigo de infância primo do Sick Brain, o Nunas MC do Terceiro Mundo que depois fez parte da 911 e apresentou-me o AlJazZ. O AlJazZ por sua fez apresentou-nos a mim e o FreeYaMind ao Twin e no final das contas o FreeYaMind é que foi o orquestrador da ideia do Paiol Sonoro e que também sugeriu o nome! Com mais precisão a história teria mais linhas, mas duma forma simples a historia é essa.

4. Das inúmeras produções que já fizeram, eram capazes de descrever um top 5 dos artistas com que mais se orgulharam a trabalhar?
FreeYaMind: FaceOculta ; Azagaia ; Isabel Novela : Iveth ; L. Nato
Aljazz: Mercy, Spon, Azagaia, FaceOculta, Azagaia
NeuroToxina: L. Nato, Decimu Terceiru, Gilman, Ivan
Origimoz: The Dream, LEX (EUA), Chile Price, L. Nato e QuEsT.

5. Como foi a transição do "anonimato" para o "reconhecimento"?
NeuroToxina: A transição foi gradual o que nos ajudou a lidar com essa mesma transição! Porque de um momento para o outro tens muita gente te pedindo beats, é para quem fazia beats sem noção do mundo fora isso é complicado! Por um tempo foi difícil, mas depois foi fácil contornar a situação.
FreeYaMind: Yap a transição foi mesmo gradual estamos nessa s*** desde 2005.

6. Em alguma circunstância já pensaram em "parar" de produzir? Porquê?
Aljazz: NUNCA!! Por Amor a arte de fazer música mesmo sem fins lucrativos!
NeuroToxina: Não. Nunca pensamos nisso! Pois a gente adora música e estamos dispostos até a ser mártires se for o caso. Acho que o facto de não estarmos a conseguir alcançar todos os nossos sonhos e objectivos é que nos faz não desistir.
Origimoz: Pensar em parar de produzir no meu caso já aconteceu, mas eu mesmo já notei que música para todos que já conseguiram estar nela a mais de 4 anos, é virtualmente IMPOSSIVEL parar. O amor é demais mesmo.

7. Projectos futuros?
FreeYaMind: O paiol sonoro tem como agenda de 2009 o lançamento de 3 obras nomeadamente Influências Urbanas que sai mesmo dentro em breve que envolve vários mcs moz em seguida lá para o final do ano temos agendados dois trabalhos nomeadamente “Sessões de Remistura Tente Isto Em Kasa Vol. 2” e “Citzen Of The World” que será uma espécie de mixtape de faixas produzidas pelo Paiol para os diferentes mcs dos 4 cantos do mundo desde USA, Angola, Chile, Portugal, Brasil, Canada etc....em 2010 temos programado o lançamento do álbum de Paiol Sonoro & Denexl (mc Angolano residente na Rússia) e Paiol Sonoro & Coldman (mc Moçambicano).

A título individual Origimoz está a trabalhar com Quest (EUA), Treazon (EUA), Dice da 1st Class, Noémia (The Dream). O Aljazz juntou se com o mcs americano Spon (EUA) da BeatFanatik Group formando o grupo "IMPACT"e vão lançar ainda este ano o álbum "Brazillioners". O 2winc irá trazer dentro em breve o seu beat tape "Obras Do Espírito Vol.1" quanto ao Neuro seus projectos ainda são segredos de estado e não estou autorizado a revelar

8. Qual a vossa opinião sobre o Hip Hop actualmente?
Aljazz: Muito bom, porém saturado, mas não diria saturado no lado negativo, é para nós num lado positivo, pois o hiphop está além fronteiras e cada vez mais domina o mundo, com vários estilos, várias fusões e visões, etnias e raças. Nós já podemos considerar que o hiphop é música do futuro. Os estilos nas quais são criados nuncam deixam de respeitar a sua origem e isso é o mais importante!
NeuroToxina: Acho que na vida tudo depende da perspectiva que tu olhas para as coisas! Qualquer coisa na vida tem o lado positivo e negativo, isso é que cria o equilíbrio nas coisas! O lado negativo é que existe pouca originalidade, poucos têm estilo próprio e algo de novo para dar. O segundo ponto é que estão todos mais preocupados em aparecer do que em evoluir. O lado positivo é que existe muita quantidade e isso é que faz a qualidade, e também já estamos atravessando fronteiras

9. Muito se tem dito sobre "Comercial Vs Underground". Para que lado da moeda se inclinam as vossas produções?

AljaZz: Para nenhum dos lados, o Paiol Sonoro faz música para todo tipo de ouvido, qualquer artista que requisitar beats nossos terá o que deseja. Mas claro, tudo dentro da secção hiphop (R&B, Soul, Jazz, Fusion, Electro).
Neurotoxina: Bem, a gente pensa de outra maneira, porque no final das coisas a gente conclui que tanto o Underground como Comercial é tudo musica! Logo, nós temos um estilo de produção "meio termo" que se resume ambas as coisas numa única coisa.

10. Há algum tempo atrás, organizaram o evento "Expo Beats", qual foi o propósito, como foi a receptividade do público em geral e a reacção dos produtores em particular?
NeuroToxina: A receptividade foi boa e associada a alguma supresa, porque o que a gente trouxe ninguém estava a espera, porque as pessoas conhecem uma certa faceta do Paiol Sonoro associado a coisas mais "Soulful" e a gente na Expobeats trouxe algo mais "rough" e isso era algo que ninguém esperava! E como sempre no final das contas a gente surpreendeu as pessoas em geral como chega a ser hábito, cada beat algo diferente.

Links para download: Usaupload - Mediafire

Nenhum comentário:

Postar um comentário