sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Entrevista - Ivy O Lado Feminino do Ragga


Ivy é uma das representantes femininas mais fortes na cena Dancehall Brasileira. Faz parte da crew Família 7 Velas, pioneira do Ragga Brasileiro. Nesta entrevista Ivy fala sobre a sua paixão pela música e sobre a sua trajetória até hoje.

Inicio...


Thug - Eu li numa entrevista que você mora aqui na Zona Sul de Sampa. Praticamente só rola Rap, Samba, Pagode. Li até que um dos seus pais era cantor de pagode.A minha dúvida é, como você conheceu o Dancehall Ragga?


Conheci o Ragga Dancehall quando fui morar durante 1 ano na Alemanha, ali foi meu verdadeiro primeiro contato com o ragga.

Andreia - Que importância teve na tua carreira os teus pais trabalharem no meio musical?


Quase 100% de importância, cresci nos camarins das casas noturnas aonde minha mae cantava. Na minha casa sempre teve ensaios e instrumentos, os quais eu desde de pequena passava os finais de semana batucando em algum.

Andreia - Aos 12 anos já subias num palco e cantavas. Isso ajudou-te a saber lidar com público e ter interação com eles?


Concerteza! Lembro como se fosse hoje a primeira vez que subi ao palco, tinha um público de 2 mil pessoas e meus pais ali apreeensivos achando que eu nao iria conseguir, pois sempre fui uma pessoa muito timida. Depois de muitos conselhos dos dois subi ao palco que para a maior surpresa deixei a timidez de lado e deixei que o meu lado artistico falasse mais alto.

Andreia - Foste para Alemanha ainda muito jovem e essa viagem acabou por ser um ponto de viragem na tua vida e na tua carreira.Foi lá que tiveste o 1º contacto com o Ragga. Qual foi a 1ª vez que te lembras de ouvir Ragga e pensar "é isto que eu quero fazer"?


Acho que se talvez eu não tivesse ido para a Alemanha, tavez nao teria conhecido o ragga ate hoje. Eu ouvia muito ragga nas baladas onde eu frequentava, gostava muito do estilo mais até então não sabia exatamente o que era, fui saber ao certo o que era quando voltei e tive contato com os caras da Familia 7 velas.

Andreia - Enquanto estiveste na Alemanha, quais eram as bandas ou cantores que te inspiravam nessa altura?


Na Alemanha eu ouvia muito Gentleman, Cecile, Lady Saw, Capleton, Nina Sky, Buju Banton... foram as minhas primeiras referencias no ragga.

Thug - Quais suas influencias musicais no Ragga e fora do Ragga actualmente?


Bom no ragga eu escuto de tudo... não da pra citar, desde de artistas ja consagrados ate aqueles que nao tem nenhum play no myspace, eu escuto tudo o que eu puder conhecer.... já fora do ragga também fica dificil citar tudo o que eu escuto mais.. gosto muito de grime, r&b, hip hop.

A importância da Familia 7 Velas na carreira de Ivy...


Andreia - Na volta ao Brasil, conheces a Familia 7 Velas e acabas por te tornar num dos membros da banda. Como conseguiste entrar para a crew 7 Velas?


Quando conheci a Familia 7 velas autumaticamente, comecei a frequentar o home studio onde eles gravavam suas musicas, ate entao ninguém nem sabia que eu já tinha cantado, esse processo foi me cativando cada vez mais, ver os caras compondo, gravando... até que um dia pedi para que o Jimmy Luv me mandasse um "riddim", ele mandou e eu escrevi, cantei pra ele no telefone e quando retornei ao home studio, gravei meu primeiro som.

Andreia - O que mais te recordas dessa época em que viajavas com a banda a dar concertos em São Paulo?


Época boa, tive a honrra de poder conviver com grandes pessoas e artistas maravilhosos.

Andreia - Para quem não conhece a Fam 7V e a sua importância para o começo do Ragga Dancehall no brasil, gostaria que explicasses por palavras tuas a importância da banda para o movimento.


Familia 7 velas concerteza foi a primeira crew a realizar o ragga dancehall/ new roots no Brasil. Hoje em dia já surgiram muitos artistas, mais foi a partir de Jimmy Luv, Alexandre Cruz, Fex, Arcanjo Ras, Sambathu, Jr.Dread que o Brasil pôde começar a tentar entender um pouco desse estilo. Big Up 7 Velas ! Respeito Máximo Sempre!!!.

Andreia - Existe algum projecto com a banda para 2009/2010?


Sim, a Familia 7 velas deu uma parada para que cada um possa divulgar o seu trabalho solo, em 2009 não digo, mais e 2010 podem esperar que familia 7 velas estará de volta activamente e dessa vez com muitas novidades.. Aguardem!

O Ragga Brasileiro...


Andreia - Como descreverias a situação do Ragga no Brasil neste momento? A sua evolução desde o início até agora.


Se eu for contar desde de o inico ate agora, até que caminhou basntante. O ruim é que essa trajetória vai de passo a passo, as coisas para o ragga acontecem muito devagar por aqui. Devido ao povo brasileiro ter conhecimento apenas no reggae roots fica dificil deles conseguirem assimilar que o ragga é reggae.. para eles sao coisas distintas, isso dificulta bastante para as pessoas que gostam do estilo.

Thug - O Ragga faz muito sucesso em paises europeus, alguns Asiáticos (destaque pra cena do Japão)...
O que você acha que falta para o Ragga tambem fazer sucesso aqui no brasil como neste paises?

Divulgaçao. O Brasil está carente de coisas novas, mais como quase tudo em nosso pais, as pessoas acabam se acomodando,. Por exemplo, porque não trazer um artista novo de ragga? Eles preferem acreditar em trazer "aquele" artista que sempre veem pelo fato das pessoas ja conhecerem etc. Eles não querem correr atrás de divulgar coisas novas, as pessoas que fazem eventos querem ter os cem $$ garantido sem esforço pra divulgar artista nenhum, por isso sempre os mesmo veem para ca, ou seja, ficamos no roots pra sempre! ou pelo menos ate 2009 está assim! rs.

Andreia - Porque achas que poucas pessoas do meio musical, que trabalham com shows, investem pouco em cantores Ragga? Achas que existe preconceito em relação ao Dancehall?


Como citei acima, não acho que seja preconceito e sim comodidade de trazer os artistas que aqui já sao conhecidos.

Andreia - De todos os cantores de Ragga do Brasil, quais destacarias neste momento, que estão a ajudar a cena Dancehall a ficar mais forte?


Jimmy Luv é o icone do ragga no Brasil, foi ele o pioneiro e sempre está ai pra somar e contribuindo na cena. Umas das revelaçoes pra mim sao: Buykasan - que evoluiu muito do seu primeiro album ao segundo - e o Victor Bhing I , artista do Rio de Janeiro que sempre teve suas musicas voltadas mais ao new roots, agora se dedica e muito bem ao dancehall.

A importância das mulheres no Dancehall Brasileiro...


Andreia - Como é ser uma das maiores representantes do Ragga Brasileiro?


E muito gratificante, melhor será quando surgirem muitas outras mulheres pra somar no movimento, que seja cantando ou dançando.

Andreia - Qual é a importância das mulheres na cena Ragga? O que elas trazem de diferente?


Não diria nem que seja a "importância", mais a presença de mulheres no ragga na pista ou no palco concerteza abrilhanta e completa uma festa de ragga.

Andreia - Existe muita polémica em torno do Ragga por causa da maneira como a mulher é vista pelos cantores.
Tu, enquanto mulher, concordas que existe desrespeito por parte dos homens?

Em todos os estilos musicais, não só no ragga, as pessoas se expressam da forma que querem, nao acho que existe desrespeito, ate porque o que é bom pra uma, pode nao ser tanto pra outra.. Tá ai de vc definir o q gosta de ouvir e selecionar o que te agrada ou nao .. e sempre pensando: isso talvez nao seja legal pra mim, mais pra outra mulher possa ser interressante.

Andreia - O termo punanny é um termo depreciativo para definir as mulheres? O que significa exactamente?


O termo punanny ao pé da letra, refere-se ao orgão genital da mulher... mais é usado tabém como giria pra se referir a uma mulher, ate porque quem possue uma "punannay" automaticamente é uma mulher...

O Ragga vs Rap...


Andreia - Para ti que semelhanças há entre o rap e o ragga?


Toda semelhança. Nao diria nem que o rap e o ragga sao primos.. eles sao irmao mesmo!!! e de primeiro grau. Dois estilos surgidos no gueto, onde cantam a relidade, em cima da batida pesada, resumindo... Musica de Preto.

Thug - Ivy voce nao acha que no Brasil o Ragga devia cola mais junto com Rap..pra ambos se fortalecerem..
Ja que ambos sao ritmos negro do gueto e praticamente primos?

Acho sim, e isso aos poucos esta acontecendo, mais como aqui todos nós sabemos que o processo é lento, vamos indo ao nosso trabalho de formiguinha e um dia isso vai chegar aonde almejamos! Bless Ya!

Thug - Curiosidade Minha..Como voce mora na zona sul..de sampa..regiao capao redondo... Creio que voce gosta de Rap...Ja pensou em fazer uma parceria com algum rapper..? se ja, qual seria este rapper e porquê?


Na verdade sempre escutei mais o reggae do que o rap , mais penso sim em gravar um som com algum rapper.. estou em projeto com isso... Se for pra escolher citaria 3: Racionais Mc's, Rappin Hood, Mv Bill.

Andreia - Achas que o Ragga se deve manter sempre underground?
Ou se fosse comercial, à semelhança do Rap Americano, não seria bom para o movimento e se tornaria demasiado banal?

De jeito nenhum! O ragga tem que ser popular... igual em todos os paises do mundo, musica para o povo. Quanto ao virar banal, nao necessaiamente precisa-se virar popular para se tornar banal, e mesmo underground nao estamos fora de risco quanto a isso.

Novo álbum...


Andreia - Desvenda um pouquinho deste novo álbum. As participações, produções, data de lançamento...


Data de lançamento ainda nao tenho prevista, mais podem aguradar que sera um trabalho feito com muita carinho e variaçao, no meu cd colocarei nao so ragga dancehall, mais também como outros estilos o qual eu gosto e me identifico. Quanto ás participaçoes, serão algumas que ja estão gravadas e algumas surpresas.. pode citar uma delas como o cantor Jr. Dread, o resto é surpresa! rs

Andreia - Para além do Ragga/Dancehall também usas outros ritmos. Que outros ritmos vais usar desta vez?


Continuarei na mesmo linha, todo o som que for bom para os meus ouvidos estará no meu cd.. sendo ragga ou nao.

Andreia - O que este álbum vai ter de especial que os outros não tiveram?


Tera varias musicas desde o começo da carreira ate nos momentos de agora... as pessoas que ouvirem esse disco poderao acompanhar minha evoluçao musical e minha variedade dentro do mundo musical.

Andreia - Fora do Brasil, quem quiser ter acesso ao teu novo álbum, como poderá fazê-lo?


Concerteza vou disponibiliza-lo na internet.

Para além do Ragga...


Como é a Ivy no dia a dia? É diferente da Ivy 'cantora'?


Acho que essa foi uma das pergutnas mais dificeis rs, Ivy no dia dia talvez seja bem diferente da Ms.Ivy, sou bem caseira nao saio muito, só quando necessario, gosto de ficar em casa de boa, ouvindo um som ou escrevendo musicas.

Quais são os teus hobbies favoritos?


A musica e meu hobbie favorito, seja cantando ou ouvindo.Musica concerteza é algo essencial na minha vida.

Que tipo de filmes e livros costumas ver/ler?


Nao leio muito livros, na verdade a maioria das coisas que leio sao duvidas tiradas na internet, mais gosto muito de ver filmes, meus preferidos sao de comedia ou dramaturgia.

Que pessoa mais te marcou na tua vida?


Nossa! dificil essa tabém... nao diria que marcou mais sim que marca ate hoje, minha mãe, irmã e pai são exemplos de vida pra mim.

Deixa uma mensagem especial para quem está a ler esta entrevista...


Valeu pela vibe, espero que tenham gostado de conhecer um pouco a mais sobre mim, que o ragga continue na evoluçao e nós continuaremos na batalha! Jah guide and Protect!

Entrevista feita por Andreia Quaresma e Anderson Thug



DOWNLOAD CLICA IMAGEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário