sábado, 20 de novembro de 2010

Jovens Negros Responde a Revista Raça o que pensam do mês da negritude brasileira Dentre eles @ThigSmith

 20 De Novembro
Consciência negra, atitude, cultura, educação, autoestima... Nossos leitores dizem o que pensam do mês da negritude brasileira



THIAGO PEREIRA
26 ANOS, RAPPER, SÃO PAULO/SP

"Acredito que todo negro que tem consciência da sua origem e de suas raízes, deve tentar informar àqueles que não têm noção nenhuma de sua história e de quem são. O Brasil deixou os negros sem identidade, sem cultura e, por isso não temos grandes lutas em massa a favor dos nossos direitos. Para contribuir tento informar meus irmãos pardos ou negros sobre diversas coisas, para tentarmos entender que existe um grande preconceito no Brasil, mas que está de uma forma oculta.
Quando tivermos noção de quem somos realmente, teremos mais igualdade nesse país. Já iniciamos este projeto com alguns resultados, mais ainda falta muito. Numa escala de 0 a 100, em minha opinião, estamos ainda em 15%. Para nós, que somos a metade de população, ainda é muito pouco!"



Foto Divulgação
ANDRÉ PETRONILHO
34 ANOS, EXECUTIVO DE VENDAS E MODERADOR DA COMUNIDADE DA REVISTA RAÇA BRASIL NO ORKUT, SÃO PAULO/SP

Para ele, consciência negra é a forma na qual pensam ou mesmo idealizam a inserção do negro na sociedade brasileira e, entre os fatores de maior relevância para se chegar a ela, ele destaca a educação. "Através da educação podemos almejar mais conhecimento cultural e melhores empregos. A sociedade ainda nos vê com espanto quando se depara com um negro advogado, médico, engenheiro, gestor", afirma André, que aproveita para cutucar aqueles que se valem apenas da data para afirmar sua negritude "Grande parte das pessoas pensa em discutir este assunto somente na semana da consciência negra. É um fator negativo", alerta este brasileiro negro. Ele ainda aponta a cultura negra como um traço forte e de maior valorização da raça.

Foto Divulgação

RAFAEL FAUSTINO JUNIOR
23 ANOS, DESIGNER DE MODA, SÃO PAULO/SP

"É se apegar à luta e buscar conhecimentos e qualificações. Não deixar se abater por quedas que tenha no caminho e lutar sempre, porque, como uma pessoa de qualquer outra raça, o negro tem muita capacidade. Educação e cultura são fundamentais. A partir do momento que o conhecimento é inserido em sua vida, o negro pode mudar sua forma de pensar e, de forma consciente, lutar por seu sucesso profissional"




POLLYANNA NICODEMOS
28 ANOS, HISTORIADORA, ESPECIALISTA EM GESTÃO, ELABORAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS EM ÁREAS URBANAS, BELO HORIZONTE/MG

"Entendo a Consciência Negra como um posicionamento político, social, cultural e de afirmação da negritude. Além do mais, essa consciência nos fortalece na luta por uma verdadeira inclusão do negro nos principais espaços da sociedade, e, sobretudo, no combate à discriminação e ao preconceito racial, fatores presentes na vida de negros e negras brasileiros. Acredito que a educação em diálogo com a cultura é o fator mais importante para a construção e o fortalecimento de uma Consciência Negra, uma vez que, através de nossos estudos e pesquisas, podemos desconstruir as representações sociais negativas, que foram construídas ao longo do processo histórico em relação à população negra e, sobretudo, combatero racismo, entendido como uma estrutura de dominação, baseada na ideia de existência de uma hierarquia entre os grupos étnico - raciais"


Foto Divulgação

GISELE MACHADO
30 ANOS, RELAÇÕES PÚBLICAS E ASSESSORA DE IMPRENSA, RIO DE JANEIRO/RJ


"Sou negra, brasileira e com muito orgulho"
O que é consciência negra pra você?
É saber que a minha raça merece ser respeitada, é conhecer a minha história e defender o meu espaço. É ter a capacidade de lutar por uma sociedade justa e igualitária, quando temos todas as ferramentas e justificativas para tomar o poder. Somos maioria!

Qual fator é mais importante para se chegar a ela mais rapidamente?

Com a educação e a cultura. Através delas, o negro valoriza sua identidade, conhece sua história e esclarece seus questionamentos.

O que existe de positivo para se comemorar e de negativo para se lamentar?
A coragem que a raça negra tem tido em lutar para conquistar seu espaço, se destacando e combatendo as desigualdades é o lado positivo. O negativo é que ainda existe uma maioria na sociedade que não consegue enxergar esse avanço alcançado pela negritude.
O que você costuma fazer para valorizar ainda mais a raça Negra em nosso país?
Propago de forma positiva a minha raça para os quatro cantos do mundo e grito para quem quiser ouvir: Sou negra, brasileira e com muito orgulho! Quem quiser que me engula!



Foto Divulgação




JANAÍNA SILVA
18 ANOS, ESTUDANTE. OSASCO/SP

"Além de uma homenagem a Zumbi dos Palmares, o mês de novembro é para nos lembrarmos de onde viemos e como somos vistos pela sociedade. Consciência Negra para mim é tentar evitar qualquer tipo de discriminação, seja de cor, idade, opção sexual ou religião. Na minha opinião, a cultura é o fator mais importante para se chegar a ela"


Foto Divulgação
JEFFERSON SILVA DE OLIVEIRA
17 ANOS, APRENDIZ DE MARINHEIRO, RIO DE JANEIRO/RJ
"Para mim vai além de um feriado no ano e deveria ser comemorado todos os dias. Consciência Negra é ter orgulho de ser herdeiro dos escravos guerreiros; é olhar no espelho e se sentir honrado em ter uma pele tão linda; é ter o mesmo sangue dos mais fortes e bravos trabalhadores que existiam e existem e, mais que tudo, é uma homenagem a quem derramou sangue e suor pra resgatar o nosso valor. Muita coisa mudou de uns tempos pra cá, a discriminação baixou muito, apesar de não parecer, as pessoas estão compreendendo que cor não julga caráter. Pelo menos aqui na Baixada Fluminense onde nasci e vivo, é muito raro acontecer, a galera daqui já percebeu que isso não está com nada e que brancos e negros estão cada dia se tornando um só. É por isso que devemos comemorar essa vitória, não só para nós negros, mas por todas as pessoas. Somos todos irmãos"

 By Revista Raça Ediçao de Novembro

Nenhum comentário:

Postar um comentário