sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Dughettu, grava no Red Bull Studio Los Angeles‏

DUGHETTU - Conexão Los Angeles – 3



Letras compostas; beats na agulha;  conexão com artistas e produtores de New York.   Só faltava o estúdio.

Enquanto pré-produzia o álbum no Como Together do Harlem, Marcello Silva também rascunhava um projeto audacioso para a Red Bull New York.  E foi assim (de uma idéia na cabeça, uma proposta no papel e uma reunião marcada), que nasceu o contrato do rapper com a Red Bull Studio.
A banca analisou o projeto do albúm e aceitou disponibilizar  agenda para  finalização, mixagem e masterização do novo disco no Red Bull Studio Los Angeles - um dos mais cobiçados da gringa.
Nomes como, Nas, Ghostface (membro do Wu Tang Clan), Diplo, Alchemist (DJ de Eminen) e o grande mestre do R&B, Raphael Saadiq, já fizeram do lugar moradia.

Semanas depois, lá estava o artista.
Dughettu,  aterrissa no território de 2Pac, Dr Drew e Snoop Dog, totalmente familiarizado pelo clima quente e a brisa Califórnia Love.
Foi nesse clima de cidade-entretenimento que o Projeto ganhou forma. Doze faixas foram masterizadas pelo fera da engenharia de som, o brazuka Rafael Tudesco em parceria com Erick Stenman e James Musshorn, engenheiros responsáveis do Red Bull Studio LA.
Na paralela um documentário e alguns clipes foram gravados.  A Direção dos vídeos ficou a cargo de Rodrigo Mac Niven, conhecido pelo contundente e premiado “Cortina de Fumaça”.

De volta a New York para mais um pit stop antes de seu retorno ao Brasil, Marcello reuniu o time que trabalhou no projeto, amigos e profissionais para uma audição do álbum, intitulado BPM021 - uma alusão a freqüência (musical e do coração) e a cidade Maravilhosa.  
Agora, é aguardar para conhecer o som que promete tacar fogo nas pistas, num swing que mistura o Hip Hop/Funk Carioca/Charme; legitimando a sonoridade brasileira e concedendo a DUGHETTU o privilégio de ser o primeiro artista da América Latina a gravar no RED BULL STUDIO LOS ANGELES.



DUGHETTU - Marcello Silva em Nova Iorque - 2

Continuando o roteiro dos bons ventos, Marcello Silva DUGHETTU, participou de Jam Session com MCs no “Broklyn Hip Hop Festival”. O convite partiu do DJ Space Craft e o rapper soltou versos Brazucas numa tarde de pura cultura Hip Hop.
Dias depois a conexão foi com o Grupo Percussivo Mundo Novo.  “Todo menino do Pelô sabe tocar tambor!” foi o verso escolhido por Marcello para abrir sua participação no palco do SOB`s Manhattan. A casa é respeitada por ter recebido atrações como Kayne West, Common e Wycef Jam, entre outros mega stars.

Um show aqui, uma roda de papo ali e quando viu já estava sentado na frente de Marc Labelle, manager de Emminem, na sua própria base: Shayd Records -NY.  Foram 60 preciosos minutos de pura aula de “Hip Hop Bussines”. Labelle fez uma analise da cena global e apontou o Brasil com um novo player para o segmento musical. “ O Brasil, em especial o Rio, tem total potencial para ser um dos grandes mercados do Hip Hop do mundo, basta fazer o Homework”.

Foram tantos os incentivos e elogios que a inspiração logo bateu a porta e Marcello Silva começou a compor e buscar beats. DJ Nino, como sempre presente, enviou uma nova safra de batidas que lhe possibilitou dar o pontapé inicial na produção do trabalho. Em pouco tempo chegavam beats gringos e o time para o projeto foi formado.

Do Queens, veio o produtor Anthony Jordan. Um talento completo. Teoria musical, partitura, performance vocal e gerenciamento de negócios, foram algumas das especializações que adquiriu cursando a Five Towns Uiversity.  Começou carreira artística no Planet Studios NY, trabalhando com produtores, compositores de Mary J.Blidge, Beyonce, Alicia Keys, P.Diddy etc. Anos depois foi vocalista de inúmeras bandas e acabou em 2009 na TV, no reality show criado por P.Diddy - Starmaker. Hoje, Jordan divide seu tempo entre poesia, produções de filmes, músicas e direção musical, à frente da Instituição City Kids, que  incentiva jovens talentos de 13 a 19 anos, a desenvolverem sua auto estima através da arte.



DUGHETTU – Marcello Silva em Nova Iorque - 1

 
O rapper Marcello Silva, acompanhado pelo campeão de scratches e DJ, Nino, lançou seu primeiro álbum “Questão de Quê?” em novembro de 2009.  Produzido por Plínio Profeta, com participações de André Ramiro, Gabriel Moura e Gerson King Combo, o trabalho estreou no Oi Futuro de Ipanema e marcou presença em importantes eventos. A banda abriu os shows d´O Rappa,  50 Cent e Chris Brown além de ter participado ativamente da revitalização do Viaduto de Madureira, do festival Hip Hop Celebra, do Rap na Lapa entre outros. Após um ano na estrada, o rapper segue para uma temporada em Nova Iorque que já lhe rendeu vários frutos. (foto 1)
Além, claro, da imersão na cultura urbana universal, na dita “capital do mundo”, Marcello já esbarrou com muita gente boa. Do jovem violinista Dru, que é destaque na Orquestra Juvenil do Lincoln Center ao fotógrafo e artivista francês JR (que o introduziu no seu projeto Insedeout) e os brasileiros D2 e o grafiteiro Lamarca. O encontro do trio rendeu a foto (número 2) publicada na coluna do Ancelmo Gois, do jornal O Globo, e favoreceu o convite para montar uma exposição no West Village numa conexão entre arte plástica e um cardápio musical de hip hop e bossa nova. Na ocasião, Marcello Dughettu dividiu o palco com a cantora de soul Adeline Michèle e com o DJ Space Craft.  Muitos outros shows e participações aconteceram a partir daí.
Outro bom momento do rapper na Big Apple foi registrado em setembro e vai ao ar no Brasil pela Sport TV no programa Zona de Impacto (foto 3). Trata-se de um especial de fim de ano para o canal onde ele apresenta o Soho e Brooklin pelo ponto de vista da cultura urbana.

Enfim, já são mais de seis meses fora de casa.  Tempo suficiente para muito estudo, um up grade no net work e produção de um novo projeto artístico para DUGHETTU (foto 4), produzido no Harlem e em processo de mixagem, em Los Angeles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário