quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

#RapBR - Lews Barbosa "No Ramo da Rima" (Prod. Neurus)


Luis Claudio Barbosa, também conhecido como Lews Barbosa tem maestria com as palavras, tem swingue e tem muita, mais muita criatividade. 
Em parceria com o Produtor Neurus, nos presenteou com uma pérola musical que quando você ouvir vai se identificar e saber o porque que é tão bom seguir nesse Ramo


Link para download: pagsocial.com/d/4U3.aspx
Música: No Ramo da Rima
Autor: Lews Barbosa
Produtor: Neurus
No Ramo da Rima vamo rima, rima, rima (9x)
Dá licença aí, pro som sair, sim sinhô, sem silenciar,
Pra solucionar, só sei que eu vou selecionar,
Me direcionar antes de lecionar,
Só lição de vida vou colecionar pra não me decepcionar,
No ramo da rima que rema no rumo,
Que tem boca vai à Roma é só saber chegar, chegar, chegar
Vou chamar da CHEFIA a sapiência de um xamã,
Pra fortalecer a firma formadora do amanhã,
Eu não minto, na mente mantenho o fornecimento,
Do santo medicamento chamado conhecimento,
Eu entendo que chegou o fim do caô, caô,
Demorou, mas a positividade retornou,
Pelo toque, do Chuí ao Oiapoque, causa choque no loque,
Não precisa de retoque, reboque, tem de sobra no estoque,
Do Hip Hop ativo que cativa
E mora na muringa racional-intuitiva.
Sem silenciar, sem silenciar,
Na versatilidade eu vou versar,
No Ramo da Rima!
Êta, cuca!! que tem o cacoete de poeta,
Que bota o coração na ponta da caneta,
Que é desencanada de tudo que é negativo,
O sangue é fator R.A.P. positivo,
Eu tive, tive jogo de cintura na procura da cura
Pra falta de ternura na nossa cultura,
Minha postura é manter este itinerário,
No sentido contrário do homicídio literário,
O meu salário é feito da matéria prima,
Do que chamo de amor à primeira rima,
Que arruma a bagunça dos bichos de peçonha,
Demasiado Humano, não tenho vergonha,
O que que há, que, que, que que há,
Tá carente quem carece de se diversificar,
Contra o preconceito musical eu fico imune,
Ouvindo Gravediggaz, ouvindo Clara Nunes,
A milianos, entre novatos, veteranos,
Ciências exatas, humanas, gregos e troianos,
Trago a minha face original na cantoria,
Seja a luz do dia, seja lá na boemia,
Na minha correria muita coisa aprendi,
Que apesar dos pesares nunca devo desistir,
Pois, pra ganhar dinheiro, eu trabalho todo dia,
Mas, para ser feliz, eu escrevo a poesia.
Sem silenciar, sem silenciar,
Na versatilidade eu vou versar,
No Ramo da Rima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário