quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Contenção 33 lança o clipe da música "Chega", single do EP "Vida do Avesso"


Foi da inquietação de transformar a realidade violenta do bairro da Pero Vaz, região periférica de Salvador, em um lugar menos desigual, que surgiu o grupo Contenção 33. Das ‘ruas sujas’ por marcas de sangue, nasceu o desejo de transformar, por meio do rap, as condições sociais precárias às quais os moradores são submetidos, com grande impacto na mortalidade violenta de jovens negros. Crias da quebrada, os mc’s Torre, Joe e High encararam a missão de “conscientizar os irmãos de seus direitos." 

A Salvador que é vendida para o resto do país como a capital da alegria é desconstruída pelas músicas do grupo que, em suas letras, descrevem o quanto as áreas periféricas da cidade vão na contramão de um lugar perfeito para viver. Para embalar os versos de protesto, que tem influência do rap underground, com toques do hip-hop gangster, as pick ups são dirigidas pela DJ Belle, algo singular nos grupos de rap brasileiro que geralmente são dominados por figuras masculinas.

No dia 25 de outubro o grupo lançou o seu primeiro EP, denominado "Vida do Avesso", o trabalho conta com 8 faixas, sendo 5 inéditas e tem as participações da mc Áurea Semiséria e dos mc's Fashion Piva e DoisAs. Os beats ficaram por conta de Dactes, Henry e Andre La. 

E para encerrar o lançamento do EP "Vida do Avesso", o Contenção 33, lançou na segunda feira (10), o vídeo clipe oficial da música "Chega". E não poderia deixar de ser numa data simbólica, no dia que se completam exatamente os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU. Num país como o Brasil, a luta pela garantia dos Direitos Humanos, tem o enfrentamento ao racismo um dos seus principais pilares, pois em torno da discriminação racial, existe uma concepção histórica de formação da nação brasileira, na qual, a população negra conforma uma subcategoria de ser humano, ou muitas vezes nem seres humanos são considerados. Tendo negado os direitos fundamentais como vida, trabalho, saúde, educação e moradia. A música "Chega" representa um verdadeiro manifesto contra o apartheid racial em que vivemos. 

Assista:

Follow Us