Frente Nacional de Mulheres no Hip Hop realiza seu 8ª Festival com formato completamente online e gratuito no mês de abril

Evento, programado para acontecer entre os dias 09 e 18 desse mês, inclui apresentações da rapper Natt Maat, grafiteira Fixxa, DJ Tati Laser e B-Girl Potira, além de contação de histórias de Lucia Makena, Namibia Neves e o envolvimento de outras potentes mulheres cis e trans da cultura Hip Hop 

Refletindo sobre a igualdade de gênero, empoderamento feminino e o protagonismo das minas na cena artística nacional, o Festival de Mulheres no Hip Hop realiza a sua 8ª edição entre os dias 09 e 18 de abril. Completamente gratuito e online, com transmissões realizadas pelo YouTube e Facebook do coletivo, evento contará com a participação de MCs, DJs, B-Girls e grafiteiras. Somando nessas atividades, lideranças ligadas à comunicação, política, cultura e movimentos LGBTQIA+ compartilham seus saberes em bate-papos e palestras. Para o público infantil, uma sequência de contação de histórias. 

"Estamos todas precisando nos expressar nesse momento tão delicado que é a pandemia e o Hip Hop, em todos os seus elementos, sempre foi e é a voz dessas mulheres que tanto fazem por suas comunidades para além do cultural. Os festivais online tem sido o transporte para esses gritos sufocados que necessitam de espaço e a FNMH2 tem essa preocupação de incentivar essas expressões, pensando sempre na participação de todas mulheres, cis, trans, negras, indígenas, brancas, asiáticas. Provavelmente, o Festival FNMH2, além de ser diverso, é o que mais possui representação de municípios fora da capital", destaca Lunna Rabetti, presidente da Frente Nacional de Mulheres no Hip Hop, rapper e produtora cultural.

Ao todo, 70 mulheres compõem o time de coordenadoras do projeto, artistas e homenageadas. Para essas, uma seleção virtual escolherá 30 representantes da cultura Hip Hop para receberem um prêmio financeiro, como agradecimento simbólico por suas importantes trajetórias, e uma placa condecorativa. A realização é do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa através do ProAC Lab Lei Aldir Blanc nº 40/2020.

Texto de Yasmin Bianco

| Todas as apresentações serão transmitidas pelos canais:





PROGRAMAÇÃO COMPLETA

Sexta, dia 09/04 
Contação de Histórias
17h | Namibia Neves
18h | Lúcia Makena
19 | Dani Reigadas
20 | Ana Zulu

Sábado, dia 10/04

15h | Graffiti - Fixxa
16h | B.Girl - Ângela
17h | DJ - Tati Laser
18h | MC - Lyryca Cunha 

19h | Palestra com Ayni
"Mulheres negras, cultura e política: nossa potência é ancestral". 

20h | Bate Papo com Alessandra Reis e Daniela Gomes (EUA)

"Hip Hop e Política: O desafio de manter a cultura viva na Diáspora"

Domingo, dia 11/04

15h | Graffiti - Rizka
16h | B.Girl - Ceia
17h | DJ - Simmone Lasdenas
18h | MC - Natt Maat

19h | Palestra com Jaque Lima
"Mulheres na guerra, mulheres em guerra: memória e enfrentamento político de jovens hip-hoppers em Luanda, Angola"

20h | Bate Papo com Jully e Vanessa Soares 

"Produção Cultural"

 

Sexta, dia 16/04 
Homenageadas
Início às 19hs

Sábado, dia 17/04
15h | Bruyeah Graffiti
16h | Kelly Breaking
17h | Niely DJ
18h | Rap Plus Size MC 

19h | Palestra com Morgana Apuama  

"Um breve relato de sua trajetória de 1999 aos dias de hoje"


20h Bate Papo com Thaís Amorim Aragão e Ana Paula Alcântara

"Comunicação no Hip Hop"

Domingo, dia 18/04

15h | AUA Graffiti
16h | Potira Breaking
17h | Bia Sankofa DJ
18h | Agbara Crew MC 

19h | Palestra com Miwa

"Assédio no Break"


20h | Bate Papo com Rayra Pinto e Dani Kriola

"O papel da mulher na liderança e formação de coletivos"

O que tem a dizer?