quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Noticiario Periferico Entrevista o Mc/Poeta/Educador FELIPE RIMA

 

Leia a Entrevista com o Rapper Cearense Felipe Rima que é  Líder do grupo Arsenal da Rima, poeta, educador social, empreendedor, rapper e produtor.


Hebreu - Pra Geral Saber Apresente - se .. quem é Felipe Rima ..?

Felipe Rima: Felipe Rima, grafiteiro, rapper, poeta, escritor, empreendedor social, musico e produtor, é um jovem cearense de 23 anos que vem contribuindo com a produção cultural do Brasil, trazendo átona uma nova forma de produzir rap, apresentando seus sentimentos promovendo o encontro de sua poesia todos os níveis sociais, é uma pessoa que busca novos rumos e vislumbra a vitória em tudo que faz.

É uma pessoa que se renova a cada dia, que busca intensamente a felicidade de sua família e prioriza o coração das pessoas que ama, filho da poesia e fruto da musica, Felipe Rima não é um ser com definição exata, ele sobre tudo é um ser em construção.

Hebreu - Pelo que Acompanho sua carreira você usa poemas nas suas rimas certo ..? Como a Poesia e o Rap Surgiu na sua vida ..?

Felipe Rima: No ano de 2002 através de um projeto social eu conheci o que chamamos de poesia, através da minha amiga e parceira Glória Diógenes. Foi a primeira pessoa que me apresentou um poema que a princípio relutei, pois eu vinha de uma realidade muito dura e insensível; não estava acostumado com a sutileza e a sensibilidade das palavras e os poemas traziam isso, foi assustador, repudiei na hora.  No entanto, com o tempo fui contagiado pela arte de escrever poemas e hoje escrevo e declamo poesias, além de fazer dessa arte um meio de vida. Atualmente não me vejo sem a poesia, faz parte de mim.

Após conhecer a poesia, conheci outros elementos da Cultura Hip Hop, já compreendia algo básico sobre o rap, mas não cogitava a possibilidade de cantar rap ou fazer show.

O rap bateu forte por intermédio dos vizinhos que ouviam o som no volume muito alto, comecei a me identificar com as letras das musicas, mas pra mim tudo o que eu ouvia era racionais, pois não sabia distinguir os grupos, os grandes nomes do rap nacional, aos poucos fui ganhando conhecimento até chegar a usar o Rap como fio condutor de meus sentimentos, vivencia e aspirações.


Hebreu  - Como e Quando Você teve a Ideia de  Musica Poesias ..?

Felipe Rima: A ideia do disco “Entre o Batuque do Coração e a Poesia da Vitória” nasceu de uma forma diferente ao comum dentro do que eu entendia como construção de um Rap, eu não escrevi letras e busquei beats para gravar.

Na verdade a idéia surgiu quando finalizei meu livro de poesias (que ainda não publiquei, pois está passando por um processo de revisão e precisamos rever as parcerias e angariar recursos), e senti a necessidade vital de expressar os meus sentimentos mais intensos.
Por isso escolhi 18 poesias para transformar em música, digo música porque, o disco vem com uma cara que vai além do Rap propriamente dito; não são apenas letras em beats com samples, não quero aqui tirar o mérito dos Raps produzidos com samples, quero apenas apresentar minha forma de fazê-lo.

Junto aos músicos Salmos Rafael e Enos de Lima, compomos todas as músicas de acordo com o sentimento de cada poema. A idéia é realmente ir ao ápice do sentimento e subtrair a essência que seria refletida nas 18 faixas. 


Hebreu - Quais Rappers e Poetas que você Inspira ou tem Admiração ..?

Felipe Rima: Admiro vários, hoje vejo numa outra perspectiva e posso perceber a seriedade do trabalho de quem admiro, posso citar alguns nomes e grupos, sei que vou acabar esquecendo alguns então são eles: GOG, Racionais Mcs, Dexter, Don L, Costa a Costa, Renan Inquérito, Lindomar 3L, Emicida, Projota, Rapadura, Mr Break, Opanijé, Klandestinos e poetas escritores como Vinicius de Morais, Sergio Vaz, Alessandro Buzo, Patativa do Assaré, Flor Bela Espanca, Carlos Drummond, Jessica Balbino e outros que fatalmente esqueço agora, esses que citei admiro pela qualidade e versatilidade de farem arte seja a poesia ou rap que também é poesia, todos são referencias anteriores e atuais, a forma em que cada um desse constrói seu caminho me encanta, por isso, minha grande admiração.


Hebreu - Aqui no Brasil é como nos Estados Unidos .. Cada canto do país o rap tem sua característica certo?  O Fato de você ser do Nordeste Dificulta no teu trampo?
Por causa de preconceito de achar que no nordeste só tem Forro e coisas do tipo.


Felipe Rima: Dificulta pelo preconceito e geograficamente também, existe muita coisa acontecendo relacionadas ao Rap Nacional que se concentra no sul do país, por isso a dificuldade. Em relação ao forró eu vejo que é um gênero musical distorcido, não se trata do forró regional onde existem grandes nordestinos que admiro como Luiz Gonzaga, Elba Ramalho, Alceu Valença, Fagner e outros grandes nomes que difundiram o forró e baião pelo Brasil. A questão do “forró” atual é que existe uma indústria pesada trabalhando na difusão desse gênero que vende muito e vende bem, que lota shows e promove a movimentação de milhares de milhares de pessoas e isso não deixa de ter ser lado produtivo também, por isso vejo que existe e não vai deixar de existir a associação do forró ao nordeste do país.

No entanto, acredito que nós podemos, ainda que isso seja muito difícil, criar alternativas pra fazer rap e alcançar grandes públicos também, tendo a consciência de que isso não acontecerá da noite pro dia!





Hebreu  - Já que estamos falando em Nordeste, Você Morando ai deve acompanha a cena nordestina correto ..? você gosta da nova geração do rap nordestino.

Felipe Rima: Acompanho sim, falei sobre isso numa outra entrevista e até citei alguns nomes e gostaria de frisar aqui alguns  destaques, que na minha opinião são grandes nomes no Rap Nacional por exemplo: Costa a Costa, Zé Brown, Opanijé, RDF, Rapadura, Arsenal da Rima e claro, outros que assim como esses tem grande potencialidades, talentos e visão estratégica de fazer rap e fazer com qualidade.


Hebreu - Quais Álbuns Pra você é Indispensável, que você não enjoa de Ouvir..?

Felipe Rima: Gosto de ouvir os discos e mixtapes dos seguintes artistas:

Inquérito, Emicida, Costa a Costa, GOG, Djavan, Paulo Diniz, Mariza Monte, Fagner, Zeca Baleiro, Tim Maia, Stevie Wonder, Lenine, Jorge Vercílio, Racionais Mcs, Projota e vários outros.



Hebreu - Eu nem Preciso Perguntar se você lê bastante, além da poesia que tipo de leitura você curte? E diga qual foi o ultimo livro que você leu. Ou o que você esta lendo agora.

Felipe Rima: Eu leio muita noticias, atualidade sobre tecnologia e mundo, eu gosto de ler poemas, contos e literatura brasileira. O ultimo livro que li foi “Pedagogia do Oprimido” de Paulo Freire e estou lendo Traficando Conhecimento de Jessica Balbino, além da Décima Edição da Coletânea O Melhor da Poesia Brasileira.

Hebreu - Li que você é Educador Social Procede? Conte-nos sobre esta maravilhosa Experiência Social e a quanto tempo já faz?

Felipe Rima: Primeiro quero dizer que sou fruto de um processo de arte educação e de uma iniciativa social sincera.
Minha primeira experiência como arte educador foi com meus 16 anos onde ministrei oficina de Rap para meninos e meninas de rua em fortaleza, dai em diante senti que poderia aprofundar meus conhecimentos e interferir de maneira positiva na vida das pessoas, seja através da arte, do empreendedorismo social ou mesmo por uma oportunidade de roda de conversa, hoje tenho 23 anos e desenvolvo atividades com cerca de 200 jovens em fortaleza, todos interligados numa rede de jovens agentes de transformação. A arte educação e a educação empreendedora me fez perceber novas possibilidades e perceber que eu, você e qualquer pessoa podem interferir na sua realidade e eclodir para a vida mesmo diante de dificuldades.



Hebreu - Neste momento quais são os teus principais objetivos a nível pessoal?

Felipe Rima: Estou focadíssimo na produção desse meu primeiro trabalho e quero ver como já vi várias vezes na vida mais um sonho realizado. Quero poder levar pra minha família a felicidade em forma de poesia, através do meu trabalho poder conquistar espaço nunca antes cogitados, quero vencer na vida e vencer na vida não é só ter dinheiro pra comer uma pizza com amigos e bater um papo descontraído na mesa de um bar, vencer na vida pra mim é poder fazer isso com a certeza que meu trabalho está atingindo pessoas pretas, brancas, ricas e pobres e promovendo revoluções, arrastando multidões no pulsar dos corações.

Hebreu - o Grupo Arsenal da Rima ainda esta em Atividade mesmo com sua carreira Solo ..?

Felipe Rima: Sim, o grupo Arsenal da Rima ainda existe, no entanto, nós decidimos priorizar o meu trabalho solo em 2011, muito breve estaremos com algumas novidades. Eu e o Mariano Penha temos muitas metas a alcançar com o grupo, e uma delas é conseguir lançar primeiro meu disco solo, mesmo trazendo a terminologia; “Solo” eu faço esse trabalho em conjunto, temos Salmos Rafael, Enos de Lima, Mariano Penha, além de pessoas que nos ajudam fora dos palcos, como Rosangela Ribeiro nossa redatora, Jessica Balbino que trabalha na minha assessoria e muita gente que soma e soma de coração de verdade!

Hebreu - Falando em carreira solo você esta pra lançar um EP, pode adiantar quando sai, tem participações, vai ter poesia?

Felipe Rima: Primeiro quero dizer que a idéia de lançar um EP vem por que percebo que lançar um disco oficial exige mais estrada, mais investimento e envolve negociações maiores, embora eu tenha investido pesado neste EP. São 18 faixas onde percorremos diversos gêneros musicais como: samba, baião, reggae, raggaton, bossa nova, musica erudita, clássica e latina mantendo em todas a essência do rap mesclando ritmos eletrônicos com instrumentos orgânicos. Algumas poesias recitadas ao decorrer das 18 faixas e participações de Salmos Rafael que também é produtor musical do trabalho e Mariano Penha que soma num som.


Um Pequeno Bate e Bola


Se Você fosse Presidente qual seria seu Primeiro Ato ..?
Felipe Rima: Primeira coisa que eu faria era criar um plano onde a educação fosse prioridade investindo BILHÕES nesse setor!

Uma Musica ..
Felipe Rima:
FAZENDO HISTÓRIA
Um Livro ..
Felipe Rima:
Hip Hop: Dentro do Movimento – Alessandro Buzo


Um Poema ..
Felipe Rima:
Novos Dias – Sergio Vaz

Se você pudesse definir Felipe Rima como você definiria ..?
Felipe Rima:
Um ser em construção que ama a vida intensamente, que cada vez que olha o horizonte vislumbra a vitória!


Obrigado Pela Entrevista Mano...deixa uma mensagem a seus fãs e aos Leitores..
Felipe Rima:

Quero agradecer a oportunidade de compartilhar minhas ideias aqui, saudar os leitores e dizer que estou feliz em viver esse momento da vida e mais feliz em poder dividir com vocês o ar dessa vitória.

Sigam o twitter @FelipeRima
Blog - feliperima.blogspot.com

Um abraço a tod@S.
Share this article

1 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top