sexta-feira, 8 de março de 2013

Noticiario Periferico Entrevista a rapper Moçambicana "Iveth"

 Iveth uma das melhores rapper de moçambique, uma mulher forte,inteligente,batalhadora.. que lutou muito contra o preconceito e machismo do rap.

Na Entrevista ela fala como conheceu o rap,o que inspira a escrever seus rap, fala sobre suas poesias .. livro que vai lançar.. dentre outras coisas.
Entaum .. Iveth pra Começar Se Apresente quem é Iveth ..?

 
R: Iveth é uma jovem moçambicana, que cresceu em Maputo e se constrói todos os
dias com os ideais do Hip-Hop e da justiça! Esta sou eu!
 

Como e Quando Conheceu o Rap ..?

R: Quando era adolescente decidi que o estilo que queria seguir era Hip-Hop. Na verdade, quando criança dançava muito e sempre me mostrei apaixonada pela música. Perante dificuldades da época, não consegui ir a uma escola de música, mas cresci a imitar Michel Jackson, Brenda Fassie, Roberto Carlos e outros. Meu irmão mais velho-Patrick era viciado em Rap e seus amigos do bairro também…aquilo influenciou-me
bastante!

 
Assim que voce conheceu o Rap .. Voce Ja pensava em Ser Cantora ..?

R: Já queria há muito ser cantora, mas não havia me definido em que área. Porém, quando ouvi Lauryn Hill, os The Fugees, disse que é Rap que quero fazer…revi-me nela e achei um protótipo de mulher!

 Fiz parte de vários grupos. “SG” foi o meu primeiro grupo- éramos 5 moças( Maria, Rose, Marla, Mimy e Iveth)  e dentre nós algumas cantavam RnB e outras
RAP. Infelizmente, todas desistiram e tive que continuar sozinha. Até que me
integrei nos Beat Crew, onde iniciei efectivamente a minha carreira como
Rapper.



Quais Suas Influencias ..? seja ela na Musica ou Fora

R: Lauryn Hill, Nas, Bob Marley, Mingas, Boss AC, Florbela Espanca, Ungulani Ba
Ka Khosa, Mia Couto, Paulina Chiziane, dentre outros… Inspiro-me na música e na
literatura também!


Voce teve Dificuldade em Cantar Rap por ser Mulher ..? Houve muita resistencia por causa do machismo..?

R: CLARO!!!!! É lógico que isto aconteceu, pois no mundo Hip-Hop há muita coisa do lado masculino. A maneira de cantar, a roupa, os fundadores, a história, os hábitos e costumes, está tudo “masculinizado”. E as mulheres devem reivendicar seu espaço mostrando sua presença em quantidade e qualidade.

No cenário moçambicano, fui menosprezada, assediada, duramente criticada por várias vezes, mas continuei, pois sempre acreditei no meu sonho… Certa vez fui criticada pela minha dicção e minha rouquidão e disseram-me que tenho a voz “testeronizada” e o meu talento é para homens! Criticas infundadas, e muito mais! E por ter feito o curso de Direito, sempre sofri criticas por fazer Rap, pois me diziam que RAP é para marginais…mas marginalizei esses comentários e continuei.





Fiquei Sabendo que Escreve Poemas..certo ..? o que veio Primeiro a poesia ou a Musica ..? e qual é seu preferido..?

R:Comecei por escrever poemas…depois veio a música. O poema é parte da música, então está presente em ambas as partes, não há como escolher pois a poesia já está no RAP- Ritmo, arte e poesia.



O que Normalmente lhe Inspira a Escreve suas Musicas ..?

R: A sociedade, o quotidiano! O meu Moçambique , a minha África, histórias da mulher do meu país e do meu povo! Isto me inspira!!!!!!!!!!



Li Tambem que é Jurista  é docente e ativista em direitos Humanos.. fale nos sobre este teu lado fora do rap..

R:Hum… sempre quis ser Advogada e lutar pela justiça, por um lado. E, por outro lado sempre fui apaixonada pela música. Sem me aperceber fui crescendo e estudando, enquanto que nos meus tempos livres, cantava, escrevia, lia, etc… Entrei para a Faculdade e continuei a cantar. Só me apercebi de possíveis conflitos entre as duas areas nos últimos anos de faculdade e com o questionamento da sociedade quanto a minha carreira.

Mas terminei o curso e terminei a gravação do album(1o album- “ O Convite”) e descobri que faço a mesma coisa de formas diferentes, tanto na música como no Direito- Luto pela justiça!!!!!!! E na verdade ser jurista e Rapper não é antagónico, é antes complementar, no meu ponto de vista.



Tem uma musica do MCK de angola que ele diz mais ou menos assim .." De que adiantas imitar o 50 cent se onde dormistes o povo esta a fome" e diz que o rap angolano tem que ter a cara de angola. aplicando isto a moçambique,Voce concorda ..?

R:Concordo! Muitos Mcs vivem de imitação. Temos que ser nós e relatar os nossos problemas!!!!



Creio que Deve Ouvir Muita Musica .. Conhece a Musica Brasileira ..? se Conhece de quem voce gosta ..?

R: Parece estranho mas adoro a Ivete Sangalo, Djavan, Roberto Carlos. Em termos de Hip-Hop brasileiro , os Racionais, MV Bill, Gabriel O Pensador,

A Maioria das Apresentações suas que vi no Youtube .. Voce esta de Saia .. Tem algo de especial..? é tipo uma Afirmação Feminina ou algo do tipo ..?



R: “ Vou ao palco de saias e faço dos microfones minhas cobaias”! Este é o meu
lema… Conforme disse antes, o RAP está masculinizado, e as mulheres devem reivendicar o seu espaço.

Quando estou nos palcos a cantar, mais do que mostrar que estou a cantar, mostro que é uma mulher que está a cantar. E feminizo o momento com roupas femininas (saias, vestidos) salto alto, maquiagem…isto para mostrar que há espaço para todos no RAP independentemente do sexo, cor, etc- e dou o meu melhor no RAP femininamente!


A Primeira Musica sua que Ouvi foi um remix da musica "AMIGA" é uma letra que fala sobre os Maltratos que algumas mulheres Sofrem de seus maridos. Esta musica foi Inspirada em algum caso que voce vivenciou .. com voce.. ou algum conhecido teu ..?

R:  Vários casos que já vivenciei. Primeiro dentro da família, em que já vi e passei por situações de violência, a seguir como jurista e activista de direitos humanos, frequentemente atendo mulheres que passam por violência doméstica- port al decidi escrever sobre o assunto! Acho a música Amiga, profunda e um relato de várias mulheres que passam por esta situação. O meu apelo é que independetemente do género, cor, situação política…Não a violência!!!



Na Musica "Afro" Voce fala da Auto afirmação da Africanidade. No brasil a muitos rap neste tema, pois muitos negros tem vergonha de sua origem, Pois aqui o padrão dominante é o do branco cabelo liso e etc... Mesmo em Moçambique sendo na africa e sendo um pais predominante Negro, a pessoas tambem tem vergonha de seu nariz cabelo e tentam copiar o padão Europeu ..?



R: Bom Eu sou Afro e adoro ser!!!!!!! Adoro meu nariz, meu cabelo, minha cor! Deus quando me fez estava feliz e inspirado… é o que eu digo…e digo mais…Adoro ser mulher!
 O negro traz uma história de submissão muito dura, de escravidão e colonização muito profunda. E esta subjugação não foi apenas política, foi também religiosa e cultural!!! Por tal os padrões dos negros mudaram e houve muita mistura de culturas. E a globalização aprofunda isso.
 E hoje temos várias opções na indumentária, no cabelo, na maneira de estar, no “SWAG”, etc. Cada um escolhe! Mas isso não significa não dignificar sua cultura e o ser negro. Temos que valorizar nossa raça! Quem tem vergonha de ser negro, deveria ter vergonha de si mesmo!!



Falenos Sobre seus Projeto Futuros Vem algum Album Novo, Video Musica ...

R: Um livro, um novo album, alguns videos e muito trabalho!!!!!!!!!



Pra termina bem a Entrevista

Uma Musica..?

R: Redemption Song   de Bob Marley



Uma Pessoa ..?

R: Michelle Bachelet- Presidente
da UN Women


Um Livro ..?

R:  O vendedor de sonhos de Augusto Curry.



Uma Pessoa que Voce Adimira ..?

R: Minha mãe- Maria Machavane! Esta mulher é forte como aço!





Deixe seu Recado aos Leitores.

A parte mais difícil… Tudo que for feito com amor, será feito com dignidade! Façamos o nosso RAP com amor e assim podemos  trazer dignidade aos Rappers em especial e a todos!


Conheça Melhor a Iveth
Videos

Iveth part Mi Mae "Afro"




Iveth Amiga 

 

 

Baixe o Album Ao Vivo da rapper "Iveth" gravado no Gil vicente em 2011

 

 
Baixe o audio do show da Iveth ao Vivo com a Banda Ndjango, Realizado no Dia 19 de Agosto de 2011 No Gil Vicente
Download