domingo, 27 de outubro de 2013

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O RAPPER AGENTE SUPREMO | SAIBA MAIS SOBRE O SEU 1º ÁLBUM "LUZ DO TÚNEL"‏

Mc natural de Luanda, entrou no Hip Hop em 2003 apaixonado por Freestyle e em 2004 ganha notoriedade pela sua curta passagem no programa radiofônico "Big Show Cidade". Três anos mais tarde 
grava o seu primeiro som com o tema "Geração 50 Cent" (2007) música esta que chama a atenção de Boni (Diferencial Produções) que em 2008 o convida a trabalhar com a produtora sem qualquer vínculo contratual.

Underground Lusófono: Boas Mano!
Agente Supremo: Boas, mano!
Saudações cordeais, p´ra ti “Luso Underground” e aos eventuais leitores desta entrevista! Desde já aproveito a ocasião, para agradecer encarecidamente pela oportunidade que foi concedida, com o intuito de abordar algumas questões ligadas a minha entidade artística, ao meu álbum por sair, e outras, concernentes ao HIP-HOP, de modo geral.

Underground Lusófono: Quem é o Agente Supremo?
Agente Supremo: Obrigado pela pergunta! O Agente Supremo é uma entidade artística, que por meio do RAP procura trazer a ribalta informações inéditas e de carácter oculto, que são arquitectadas nos bastidores da sociedade.

Underground Lusófono: De onde surge o nome Agente Supremo?
Agente Supremo: Bem, o nome Agente Supremo surgiu da necessidade de se estabelecer uma correlação entre o título que me identificaria dos outros rappers e o tipo de RAP que eu me predispus a fazer. Sendo este, de carácter altamente crítico-interventivo.

Underground Lusófono: Como e quando foi o teu primeiro contacto com o Rap?
Agente Supremo: Olha, o meu primeiro contacto com o RAP, foi soberbamente indescritível, tal qual o cego de nascença que, quase que por mágica, vê pela primeira vez a luz a triunfar da escuridão ocular. Porque, é importante realçar, que antes de ter descoberto o Rap, eu era um Miúdo atormentado; sabia de muita coisa “vá-se lá saber como, e porquê” que afligiam-me ao ponto de querer partilha-las com as pessoas, porque eram coisas que eu sentia que os outros deviam saber, com uma urgência vertiginosa; foi como que, o descobrir que finalmente passariam as aflições e os tormentos internos, porque havia encontrado uma forma de partilhar com os outros, tudo o quanto sabia e suspeitava.
Agora, o primeiro contacto como aspirante a Rapper, surge mesmo quando por um Primo meu “Sandro”, tive acesso a uma cassete do Big-Show Cidade... E que dada a noção que eu já tinha sobre o que queria fazer- Músicas de Intervenção Superior -, a matriz primaria que eu decidi adoptar como base foi a do Rapper Estremo Signo; Rapper este, que na altura parecia-me ser a melhor plataforma p´ra eu assentar as minhas bases.

Underground Lusófono: O que é que te incentivou a fazer Rap?
Agente Supremo: O mesmo sentimento que incentiva um Talibã, a cometer suicídio defronte a uma base Norte-Americana, implantada em país alheio!!.

Underground Lusófono: Donde vem a tua inspiração?
Agente Supremo: Olha, essa é daquelas perguntas que quase sempre deixam-me intrigado, fazendo-me mesmo pensar que “Todos são sábios, menos eu”. Pelo simples facto de eu - contrariamente a muitos outros – ser dos poucos cuja inspiração não provém do dia-a-dia!

Longe de ser uma consequência influenciada por factores externos, a minha inspiração é uma consequência de carácter endógeno. Ela surge naturalmente e sem aviso prévio; significando, que eu deva estar sempre voltado p´ra o interior e sobre intenso estado de alerta e concentração. Do contrário, tenho de admitir, eu não sei o que escrever!


LEIA O RESTO DA ENTREVISTA AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário