quarta-feira, 18 de março de 2015

Conheça um pouco do rap angolano #7rappersdeAngola



Graças ao blog "Marginal Latino", onde ele disponibilizava vários álbuns de rap de varios países,dai eu conheci o rap de angola e com o tempo virei fã e passei a divulgar o rap de lá, e não sabia que meu blog chagava em angola, depois de um tempo comecei a receber emails de angola e de outros países da lusofonia.Com esta conexão pude conhecer muito melhor o rap angolano, e hoje eu espero mostras a vocês 7 rappers para vocês conhecerem um pouco do rap feito em Angola.

Lembrando que esta lista não tem cunho de mostrar os melhores e sim mostra um pouco do rap feito angolano, e eu listei 7 mcs angolano, e mostrando a diversidade musical que existe la.. eu fiz questão de mostra rappers que fazem um rap angolano com a cara de angola.

CFKAPPA




Começou com 14 anos, no ano de 2006, tendo como influências rappers como Mukaddaff e Kanye West 

fazendo um rap que ainda era um pouco básico. Mais tarde, com o passar do tempo, o artista ganhou 

novas influências como Azagaia, Bob da Rage Sense, Valete, entre outros (no ano de 2007) e a sua 
evolução foi marcada pela sua entrada na label Cérebro Records, onde , em parceria com a X-10 Records 
lançou com o X da Questão a mixtape "De C à X".

Started with 14 years old, in 2006, with rappers like Mukadaff and Kanye West as influence, doing
a basic rap. Later, the artist had new influences like Azagaia, Bob da Rage Sense, Valete, and others
(in 2007), and his evolution became noticed by his entrance in the label named Cérebro Records, where,
beside X-10 Records, recorded with "X da Questão" a mixtape named "De C à X" [trad: From C to X].


Cfkappa - Mutatis Mutandis (Ft. Íris Rbeiro)


Cfkappa - Sou Hip Hop



KID MC



Nascido na Província de Huila, Angolaem 1986, conviveu desde a infância com a guerra civil instalada em seu país. 

Em 1988 influenciado por seus irmãos, passou a interessar-se pelo Rap, tendo como referência rappers americanos. 

Em 1992 mudou-se para Luanda, onde teve o seu primeiro contato com as artes e a música, formando-se através de uma instituição

capacitadora, porém, sua atenção com o Hip-Hop era especial e foi então que em 2002, o jovem Kid Sebastião Manuel, munido de algumas composições próprias, forma junto com alguns amigos o grupo “Aliança do Subsolo”…

Em 2006, Kid e seu amigo “Vulkaum”, ambos ex-integrantes do Aliança do Subsolo, arriscam um trabalho em duo e lançam “2 por 1 e 1 por 2”.
Biografia completa Aqui


Kid MC - Sombra


KID MC - FURIOSIDADE FT. EXTREMO SIGNO



KALIBRADOS



Kalibrados é uma banda angolana de Hip-hop. A banda é composta por Vui Vui, MuKadaff e Laton – e deram os primeiros passos na música em Luanda. Laton nasceu em Portugal e foi o último a juntar-se aos colegas. Em 2005 estrearam-se em disco com ‘Negócio Fechado’, registo de matriz hip-hop com influências latino-americanas e de samba. O êxito em Angola foi imediato e conquistaram vários prémios, incluindo o de álbum do ano. Apesar da curta carreira, os Kalibrados já abriram para Missy Elliot, Busta Rhymes e Kanye West, entre outros.

Kalibrados - Drena



Kalibrados - Quem Manda No Teu Block



FLAGELO URBANO




Flagelo Urbano aka Mein sana in corpore sano, aka Saint oficci, aka o Eremita Urbano. Rapper e productor, nascido aos 6 de outubro de 1981, na provincia de Benguela, Angola. Ao contrário do que muitos pensam este jovem começou no hiphop como dançarino de house, técno e funky, isto em 1993/94, nessa altura era o que estava em voga um pouco por toda parte. Ficou nisso até mais ou menos finais de 96, quando conheceu um amigo chamado salesso que lhe falava muito em Câmbio Negro, Racionais Mcs, Kris kross, Ice of Bass, salt..n pepa e muitos outros grupos que faziam sucesso na altura, fazendo com que ganhasse mais interesse por esse assunto. Nesse mesmo ano formam os Ney Company grupo do qual faziam parte Vadney, hoje flagelo urbano, Eliney, e Chidney. Em 97 formou um grupo chamado NCC com um primo seu Sacondongo, este grupo não teve sucesso, sequer chegaram a gravar e tiveram que se separar. Em 98, já com o nome de Bone Bone e com dois amigos, small zig zag e Protocolo Norte, formou o grupo Tribo Urbana, dai o nome que mais tarde viria a adoptar. foi a mesmissima merda gravaram uma música que foi multiplay da semana no programa Fm Expresso. depois disso gravaram outra música no estúdio do Makunge, irmão do Father Mack, que nunca tocou nas rádio, quase que ninguem ouviu porque não chegou de ser lançada. Em 98 resolve então seguir uma carreira á solo e em 2001 grava 3 músicas no estúdio da raiva (Kamikaze) 1 das quais fez parte da colectânea do raiva ( 3ª Visão) o som chama-se "sentimento nacionalista" e outras fizeram parte do 4º volume da Masta k. (Música é... e 1º Compromisso), pode-se afirmar que este foi o ponto de partida para que fosse reconhecido dentro do circuito underground.

Flagelo Urbano - Louco Por Opção (O Elogio da Loucura)



Flagelo Urbano - Griot (O Mestre da Literatura oral)



EVA RAPDIVA




Eva Marise Cruzeiro Alexandre é o nome de registo de Eva Rapdiva, nascida a 07 de Outubro de 1988. Eva ganhou o gosto pela música desde pequena, com apenas 8 anos começou a ouvir Rap.
Aos 12 ganhou coragem e soltou as suas primeiras rimas de improviso, numa típica roda de freestyle, onde os Mc’s dão o melhor de si em batalhas verbais, declamando com ritmo poesia feita e pensada no momento, na altura rimava na escola e na rua com amigos.
Foi precisamente no improviso que Eva construiu o seu espaço no Rap em Portugal, provando a todos que a sua espontaneidade é o seu maior poder e aquilo que a define como Mc. Com o tempo, a rapper começou a desenvolver a escrita, participando em álbuns e mixtapes, sem perder o carisma e a força intuitiva que levava para as batalhas.
BIOGRAFIA COMPLETA AQUI

Eva Rapdiva - Sexo, Drogas, Damas e Massa



Eva Rapdiva - És uma estrela feat Leonardo Wawuti




BOB DA RAGE SENSE



Robert Montargil da Silva Sebastião (6 de Novembro de 1982) conhecido artisticamente como Bob Da Rage Sense, é um músico Angolano nascido em Luanda que encontra-se a viver em Portugal. Sendo seu pai um grande admirador do lendário Robert Nesta Marley (Bob Marley) e os The Wailers, o seu contacto com a música foi directo e natural. Juntamente com Rage Against da Machine e Common Sense, originou-se assim o nome do músico sendo os mesmos as suas maiores influências e inspirações.


Em 1994 Bob integra-se na cultura hip-hop somente como ouvinte de grupos como Public Enemy, Beastie Boys, Boogie Down Productions, Nas, Pete Rock and CL Smooth, Gangstarr, Tribe Called Quest, Common Sense entre outros. Já nos finais da década de 90, ao lado de Raf Tag seu primo, os dois tornaram-se MCs de renome do movimento hip-hop em Luanda na altura em que se inciaram as primeiras batalhas entre Mcs. Entretanto, o DJ Samurai cria a famosa label independente Madtapes e convida Bob da Rage Sense a gravar o seu primeiro álbum/EP em 2002 intitulado Underground Konsciente. Um ano depois pela mesma label, Bob e Laton (Kalibrados) dão início à gravação do segundo trabalho do artista Bobinagem.

BOB DA RAGE SENSE - SEM ESCOLHA POSSÍVEL


Bob Da Rage Sense - Andar A Chuva



MCK



Nasceu em 1982 em Luanda, ganhou notoriedade. A guarda pretoriana de José Eduardo dos Santos matou, a 26 de Novembro de 2003, Arsénio Sebastião "Cherokee", 27 anos, por cantar "A téknica, as kausas e as konsekuências" de MCK, também conhecida como o "Sei lá o quê, uáué". Por sua vez, Cherokee tornou-se num símbolo da injustiça em Angola, onde o poder mata cidadãos, como quem abate coelhos numa caçada desportiva, e com satisfação. Esse facto trouxe à tona a insustentável leveza do poder. Uma ditadura de mais de um quarto de século estremece ao som improvisado da verdade. A estrofe "quem fala a verdade vai p'ro caixão", acabou por ser o único elo de entendimento entre o cantor, a vítima e os carrascos (o poder). o rapper MCKappa (ou MCK) é uma espécie de voz quase solitária em sua Angola. Por suas letras virem carregadas de denúncias sociais e alertando para a democracia ditatorial imposta em seu país, MCK já sofreu ameaças. Já o quiseram calar. Mas ele não se intimidou. “A música é um instrumento de luta”, prega na abertura de seu CD Nutrição Espiritual (Masta K Produsons), o segundo da carreira. Nela, ele defende ainda que o rap angolano tem de trazer a própria identidade, a própria cara, “a fotografia da voz”. “Para que imitar o 50 Cent?”, chega a questionar. Segundo ele, em Angola, não existem muitos rappers nessa linha mais revolucionária. Grande parte deles prefere continuar a copiar o modelo de rapper criado pelo americano, que exalta as festas, as mulheres. Em cada faixa, MCK traça um pouco do retrato de quem vive na favela angolana - que não é muito diferente da realidade de quem mora na favela de qualquer lugar do mundo. Por isso, as agruras contadas e rimadas por ele se tornam tão universais. Em Atrás do Prejuízo, fala da luta diária por trabalho, por sobrevivência. “Eu vou sorrir pra não chorar é mais um dia na minha vida”, diz no refrão. Alerta que a democracia não cai do céu em O Silêncio também Fala, numa referência direta aos governantes de Angola, onde a liberdade de expressão é controlada e o totalitarismo, velado. Longe de ser um rap de entretenimento, desses que ouvimos a toda hora nas rádio, Nutrição Espiritual é um CD de letras diretas, fortes. Não indicado para estômagos sensíveis.


MCK "GUETTOS NA VERTICAL"



Por Detrás do Pano - MCK feat Beto de Almeida e Angela Ferrão


Mc K com Beto de Almeida - Atras do Prejuizo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow Us