quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Konducta lança o som "Dirigindo Lentamente"







Konducta's first single.

Download: 
https://konducta.bandcamp.com/releases

Música: Dirigindo Lentamente
Letra: $Plinter Moti, Faster Blvde 
Beat: GuzBeats
Mix e master: GuzBeats 
Gravação: Estúdio Sala Viva

Letra:

($plinter Moti)

Três horas da manhã, voltando de rolê
Momento propicio na Marginal Tietê
Dirigindo lentamente, seguindo livremente
Gosto da minha quebrada porque a viagem é diferente
Através do fumê, vejo tudo, ninguém me ver
As vezes ouço sirenes, pra me aborrecer
Eu vou dar uma segurada antes de acender
Melhor passar num posto agora pra abastecer
A tarde foi bem louca, gostei do rolê
Mas a madrugada sozinho pra mim é sempre um prazer
Vago em imensidão, momentos de reflexão
O baseado e a trilha em perfeita conexão
O luar me guiando, estamos em união
Trompetes no Jazz glorificam a madrugada
Rezo pra que ela seja eterna, viajando em tragadas
Com as janelas abertas, fumaço arte no ar
Infelizmente o dia tem hora pra começar 
Acompanhado de gênios dominando meu som
Tenho Jazz, Blues, Funk e até o bom Soul
Na moralina não desprezo o velho Rock 'n Roll
Na hora de fazer Rap tudo isso é inspiração
O inverno tá foda, eu trouxe meu moletom
A noite é diferente, madrugada tem o dom
Cada um no seu castelo, cada um na sua missão
Manos meus estão no corre, e eu só peço proteção

(Faster Blvde)

Minha vida perseguida, insana e destemida,
Madrugada tranquila com cheiro de rosas no ar, 
Tipo preta bela, Zona Sul vou marola 
Azymuth com Scratch, ervas enrolada em becks 
Enquanto bocejo com sono mas não durmo, 
Ele é o primo da morte, sem ficar em cima do muro
Pela madrugada afora ando, vivo, me deslumbro, 
Adoro a cor da noite, eu dou um trago, respiro fundo.
No fundão da Sul esse é outro mundo 
Ouvindo Cassiano, noite de vagabundo 
Vou viajar nessa Onda, acelerar o Bora
São apenas 3:30 céu estrelado ta foda, 
Permaneço acesso, maxilar ta dormente, 
Vento no rosto, viaturas a frente, 
Dou um gole na Amarula ao lado outra viatura, 
No falante Adrian Younge o clima era de tensura, 
Levanto os vidros, peço Deus que me ajuda, 
Passo despercebido, jogo a quarta, 4:20 da manha 
Acelero Rio Bonito, vou dispensar meu role, já deu, esta tranquilo, 
Estacionar nessa rua e não pagar de vacilo, 
O carro era louco e na madrugada prossigo 
Voltar de busão, Grajaú do fundão, 
A noite foi boa mas roda não vou não,
Os roles são momentos a liberdade não..

($plinter Moti)

Liberdade pra seguir à vontade, sem brecar a carruagem
De cima do palco, falando as verdades
Na madrugada escrevo versos, me inspiro, respiro um pouco do ar (......)
Puro que se encontra na noite antes do dia chegar
Trazendo todo caos, barulho e pessoas a sobrecarregar
A cidade que já se encontra tão cheia e ao mesmo tempo tão vazia
Por isso amo a madrugada vazia e sem companhia
Trancado no quarto na minha própria bagunça organizada
Rodeado de rimas improvisadas, que talvez eu vá usar num rap bem louco
Ou simplesmente jogar tudo fora e começar tudo de novo
A madrugada é sempre uma inspiração
Trabalho a mente usando trilhas que acompanham o coração
Share this article

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top