terça-feira, 9 de agosto de 2016

Não sei se posso dizer que o Hip Hop salvou minha vida, mas deu sentido a ela.

Ai vocês, me pergunta ou perguntam a si, porque ele não pode dizer que o Hip Hop salvou a vida dele? Vou responder.

Apesar de ter nascido, crescido e ainda morar na periferia e ter tido contato com amigos e pessoas
próximas que foram pra vida do crime, eu nunca tive nem perto de entrar para o crime. Pelo fato de sempre ouvir os meus pais. Se eu disser que se não fosse o rap eu não estaria vivo seria muita presunção minha, mas sem duvida o rap ajudou a moldar meu carácter e a reforçar algo que eu sempre ouvi dos meus pais. Mas uma coisa é fato, o rap me ensinou a respeitar ainda mais eles, afinal como sabemos existe uma frase do racionais pra tudo, por tanto, la vai mais uma: "repeitar o pai e a mãe e viver esta é cena"


Mas uma coisa é certa, ele deu total sentido a minha vida, no rap eu achei o meu lugar, mas só hoje eu descobri o meu lugar no Hip Hop. Vamos do começo quero mostra como conheci o rap.

Conheci o nome rap por volta de 97 e 98, na época em que os carros da quebrada em sua maioria tocava Racionais Mcs "Capitulo 4 Versículo 3" e a musica do "tiro", como muita gente chamavam que é a musica do Dinamite 98 "Thug luv" do Bone com participação do 2 PAC.
Disse que conheci o rap em 97 e 98 porque antes eu não sabia que tinha este nome, mas por volta de 94 ou 95 eu lembro meu pai ouvindo "Fim de semana no Parque" num radio que se não me engano tocava vinil ou era só de vinil não lembro ao certo, mas lembro dele ouvindo.
Até então nem sabia que era rap só depois quando conheci as musicas do racionais fui me ligar que aquilo era rap.
Nesta época o rap era forte nas favelas da zona sul de são paulo, alias em todas as quebradas tocava rap, céloko era mó febre. Mas o que me fez ter vontade de fazer parte da cultura Hip Hop, foi ver meu primo dançando break, céloko eu pirava, eu pensava seriamente em ser um b.boy, mas eu era muito ruim dançando e era tímido então sem chance...rsrs

Como dançar não era meu forte, eu passei a prestar mais atenção nas letras de rap, quando eu reparava nas letras era como se eles tivesse cantando a realidade que eu via no meu bairro, alias era isto mesmo.
Eu acredito, que no período do fim da infância e a adolescência é o período onde a pessoa mais absorve as coisas ao seu redor, com isto vai formando o seu carácter e o modo que ele vai encarar a vida (claro que isto é um achismo meu). Estou dizendo isto porque foi nesta época que ouvindo rap eu passei a me ver como um jovem negro de periferia Saca.? Não que eu me via como branco ou algo do tipo, meus pais são pretos pele escura e como filho de peixe peixinho é, eu sempre me vi como negro, mas quando eu vi o Mano Brown com aquela postura falando sobre os problemas sociais, sobre racismo e tal, eu passei a ver que tinha algo maior envolvido, quando eu vi o KL Jay no Yo! também falando vários baratos, aquilo "roubou" minha atenção, eu passei a olhar o mundo de outra forma. É o que o rap te traz, uma mente com senso critico de problematizar coisas que nos incomoda.
Foi através do rap que eu fui saber e entender que a princesa isabel não era boazinha porra nenhuma, foi o rap que me fez conhecer Zumbi, Dandara, Luis Gama e vários heróis negros.

Mas o rap formou mais do que só a minha negritude, ele começou a moldar meu senso politico em plena adolescência, não que eu entendia de politica, alias na época eu achava que entendia, mas em fim ele me fez querer entender como funciona, e então eu passei a acompanhar politica.

Mas o Hip Hop é um barato loko, a principio eu havia aprendido que ele tinha 4 elementos, o rap, o break, o dj e o grafiti, só bem depois que descubro que existe um 5º elemento que é o conhecimento.
O rap e o hip hop também teve grande influencia no meu interesse pela leitura. Na escola eu era bom aluno, mas era péssimo em português (alias ainda sou), eu gostava de matemática, historia, geografia e educação física claro..rsrsrs.
Em toda a minha vida escolar eu nunca li os clássicos como, Memorias póstumas de Brás Cubas, ou A moreninha e etc... Eu só li 2 livros que foi "Os miseráveis", que é um livro que só prendeu a minha atenção porque começa com a historia de um homem que era preso por roubar pão, e o outro era um livro chamado "A arvore que dava dinheiro". Eu gostei de ler estes livros mas confesso que tinha preguiça, preferia ouvir radio,ver tv ou jogar bola e ficar na rua. Mas claro né o rap novamente me mostra que ler é importante e que existe pessoas que vieram de onde eu vim que são poetas e escritores. Foi ai que conheci o Ferréz e o Sergio Vaz.
Através deles eu aprendi a gostar da leitura. Mas o curioso que apesar de conhecer a historia deles eu só fui ler um livro deles muitos anos depois.
O rap em suas letras tem varias referencias, por causa destas referencias fui comprar livros de Malcom X,Martim Luther King,Abdias do Nascimento e livros de sociologia. Porem com o costume de ler você acaba lendo literatura que não esteja ligado a cultura marginal e tal, o rap me levou a ler Jorge Amado, Mia Couto, Isabel Allende e por ai vai.

Mas pra vocês entenderem de como o Hip Hop é foda!
O Hip Hop por esta muito ligado ao movimento negro e tal também ajudou a moldar a minha fé, eu cresci ouvindo que jesus não era branco e que a nova jerusalém vai ser a nossa africa celestial. Não sigo religião, não gosto delas, mas procuro respeitar. Hoje sigo uma filosofia de fé baseada da vida do hebreus bíblicos que eram povos pretos e africanos, partilhamos de muitos pensamentos do povo que segue a doutrina Rastafári. mas isto é algo muito complexo de ser explicar aqui.

Por incrível que pareça o rap ainda esta me moldando, o feminismo hoje esta em evidencia e as minas do rap  atualmente vem trampando muito e eu como gosto de acompanhar todo tipo de rap, confesso que sou um homem em desconstrução do meu machismo, não que eu seja feminista e também não estou dizendo que não sou machista, mas estou entendendo a importância da luta das minas pela desconstrução de vários barato que envolve o nosso machismo do dia a dia.
E não posso deixar de mencionar também a luta contra a homofobia que também tem sido forte inclusive dentro do rap, sou um homem em desconstrução por causa do rap.

Eu vejo o rap como musica claro, mas não adianta querer achar que ele é só musica, ele muda vidas, muda a mentalidade das pessoas, o rap forma caráter, o rap forma cidadão, não da pra igualar o rap a outros ritmos musicais, como diz o Dexter "o rap é um único ritmo musical que reuni pessoas pra falar de consciência"
O rap é um estilo de musica de alto-ajuda, ele me ajudou em vários momentos difíceis em minha vida, como problemas psicológicos devido a baixa alto-estima, a timidez, uma gagueira que por muitos anos me perseguiu, mas o rap nunca me abandonou, nem no momento de perda do meu irmão, ele sempre estava comigo. O rap pra muitas pessoas é como um pai, mas no meu caso, vejo o rap como meu irmão mais velho, aquele que a gente se inspira e tem orgulho e quer seguir seus passos.

Por isto eu posso dizer tranquilamente que o rap e o hip hop deram sentido a minha vida, por sua influencia digo que sou negro mesmo as pessoas adorarem me embranquecer, mesmo sempre ouvindo rap era chamado de cdf porque tirava boas notas na escola e hoje me chamam de nerd por ler, assistir filmes cabeças e documentários de cunho sociológico. Por causa dele venho buscando minha espiritualidade e sempre com fé em YAH, por causa dele meu caráter foi moldado e por causa dele venho desconstruindo meus preconceitos.
Como diz o Mv Bill "Não sou o movimento negro, sou um negro em movimento". Estou sempre disposto a aprender coisas novas e se por no lugar da pessoa pra entender o ponto de vista dela.

Hoje em dia eu sei o meu lugar no Hip Hop, é o 5º elemento, o conhecimento, a informação. A 9 anos tenho o Noticiário Periférico, alem de postar musicas e videos, sempre busquei algo que vai alem disto como entrevistar não necessariamente só Mc's ou alguém ligado ao rap, mas pessoas que tenham conteúdo, falando de atualidades e tal. Sempre indico livros, atividades culturais,  sempre que posso escrevo algum artigo, falando de temas do nosso cotidiano, sempre uso a pagina para me posicionar sobre assuntos pertinentes ou seja tento ao máximo fazer jus de fazer parte do Hip Hop.

O Rap e o Hip Hop é foda!


Share this article

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top