segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Negros e Alvos - música, dança e artes visuais BI

Negros e Alvos 

Negros e Alvos é um show dinâmico e bem humorado em que o público é convidado a colher os frutos da pesquisa, realizada por Monahyr Campos, em busca de diversos gêneros musicais tradicionais brasileiros com matriz africana. O repertório baseia-se na trilha musical do espetáculo teatral Negros e Alvos, que ficou em cartaz até 2011.

A nova versão do espetáculo recebe elementos visuais em figurino e iconografia. Propõe um diálogo entre as expressões artísticas unindo o tradicional e o contemporâneo em elementos atuais de música eletrônica, dança e registros do cotidiano. Um baile sinestésico.

O tema central, combate ao racismo, tem sua voz reforçada pelo diálogo do masculino e feminino nos figurinos. Os orixás masculinos são paramentados por saietas enquanto que os femininos perdem as anáguas e babados herdados das sinhás da casa grande. Dilui-se o limite do masculino e feminino que se integram tornando complementares às formas arredondadas (feminino), aos traços longitudinais (masculino). Estas formas encontram um paralelo nos movimentos das coreografias, pois a dança das representações míticas do feminino são curvilíneas, enquanto os movimentos masculinos são mais incisivos.

Os painéis iconográficos fazem referência a cada um dos Orixás mencionados nas músicas do espetáculo. São expostas fotos, representações, adornos, amuletos  misturando elementos tradicionais das religiões afro brasileiras à interpretações artísticas sobre cada elemento/personagem. Dispostos formando um corredor, fazem alusão à condição do negro no Brasil, um beco assustador, com saída pela tangente, sob os olhares e proteção das divindades. A saída é a porta para a reflexão  através da música, dança e o bate papo. A árvore do esquecimento disposta na saída do  beco é um convite ao expectador esquecer os preconceitos velados.

Artista principal / idealizador: Monahyr Campos
Músicos acompanhantes: Cris Glória; Alberto Preto; Gabriel Henrique
Performer (dança): Cibelle Rocha
Artistas convidados para expografia: Tauan Carmo/ Autaliêr; Helemozão Fotopoesia; Fotos com alma; Instituto Tambor
Produção, figurino e montagem: Barbara Ivo


Negros e Alvos
Apresentação piloto na Casa da Cultura Salvador Ligabue
Largo da Matriz de Nossa Senhora do Ó, 215, Freguesia do Ó, São Paulo
19h - abertura exposição iconográfica
20h - início do espetáculo

Faixa Etária: Livre
Entrada: Gratuita
Share this article

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top