domingo, 11 de setembro de 2016

A dança e a alegria no rap e no hip hop é o começo de tudo, é uma herança jamaicana/africana, e tem que ser respeitada


Venho escrever sobre a dança e a alegria dentro do rap.
Aposto que estão pensado, "que bobagem carai" não entendi. vou tentar explicar.

Criou-se um mito no brasil entre determinados fãs de rap mais "conservadores" de que não se pode "rebolar" no rap e não pode existir "rimadores de alegria". Primeiro vamos analisar em que contexto estas coisas são ditas nas musicas.

A frase mais citada para criticar o rap feito para dançar é esta "Não canto rap pra maluco rebolar".
Eles usam esta frase para legitimar e afirmar que não se pode dançar ou rebolar no rap. vamos ao contexto da letra.

Não canto pra maluco rebolar
Meu som é pra pensar, pra ladrão raciocinar
Não tô na tv nem no rádio
Não faço rap pra cuzão balançar o rabo


Este verso foi escrito dizendo que ele não canta pra maluco rebolar o rabo, ele não diz que o rap não foi feito pra dançar,  a letra é clara, ele diz que ele não canta, ele não fala por todos.

Vamos a segunda frase mais usada que é "Fala mal de mim rimador de alegria, pelo menos não sou puta, não vendi minha ideologia".

Fala mal de mim, rimador da alegria
Pelo menos não sou puta, não vendi minha ideologia
Não traí a minha história, minha raiz no cortiço
Prossigo minha missão, pra multi sou nocivo


Este verso soa como uma indireta, aos mcs que cantavam sons sérios e passaram a rimar sobre temas mais dançantes, alem de ter um viés intimista "Não trai minha historia, minha raiz no cortiço". Uma situação da infância dele.
Muitos fãs de rap tem serios problemas de interpretação de texto, e distorcem letras e neste caso todo uma cultura.

Estes versos e outros parecidos como este viraram regra no rap nacional, de que no rap não tem diversão, porque o bagulho tem que ser serio. 
Claro que o barato tem que ser serio, afinal o rap é o crime certo..? mas todo "ladrão" tem direito ao banho de sol, a hora do lazer, afinal ninguém é "revolucionário" 24 horas por dia 7 dias por semana.

Particularmente, eu acredito que este negocio de não rebolar, não dançar e não se divertir esta muito ligado ao fundamentalismo religioso, a homofobia e o machismo.
Muitos rappers tinham e tem a visão que dançar é algo sensual, algo libidinoso ou seja pecado. Que se homem rebolar é viado que mina que rebola é puta e por ai. São preconceitos dentro do rap.

Voltando um pouco ao passado.
Os padres na época da escravidão, faziam sermões falando sobre a dança dos negros, que era erótica, que era um ato libidinoso, que era pecado, que deus não se agradava disto, e a famosa frase "o que as crianças vão pensar ao ver isto".
Primeiro temos que entender que esta concepção de pecado tem influencia cristã europeia. não lembro de nenhum versículo bíblico proibindo a dança.



Não podemos esquecer que o rap e a cultura hip hop é muito ligado a africa, se fomos buscar a origem do ritmo remontamos até os tambores africanos.
E na africa dançar, não esta ligado exclusivamente a sensualidade, a dança na africa é usada desde a diversão até ritos religiosos. Se vocês fizerem uma busca rápida no youtube, acha facilmente milhares de videos de crianças dançando, rebolando, seja meninos ou meninas. Como o exemplo abaixo.


O povo africano é dançarino por natureza e nós que descendemos deles herdamos isto.
Dança é arte, é a mais pura expressão corporal baseado no ritmo que esta sendo executado.
Achar que o rap foi feito só pra balançar a cabeça ou pular e empurrar numa roda de bate cabeça, é no minimo muita ingenuidade, é de um conservadorismo ridículo, li muitos comentários "ah mas é minha opinião eu prefiro não dançar", esta no seu direito claro, afinal ninguém é obrigado a nada certo..?.
Mas a questão não esta ligado a sua opinião, e sim a um fato histórico que esta dentro da cultural hip hop.


Mas vamos voltar aos primórdios do rap e do hip hop.

Como a grande maioria sabe o rap veio da jamaica, claro que lá não tinha este nome, mas o conceito foi criado na jamaica. Na jamaica tinha o conceito do Sound System (sistema de som). DJs Jamaicanos divertiam a população periférica da jamaica tocando: rock´n´rolls e rhytm´n´blues depois com o passar dos anos, por volta dos anos 60 o rocksteady, o ska e, por fim, o reggae, que se tornava cada vez mais popular na Jamaica.

A partir dos anos 70 com uma evolução da tecnologia, os DJs alem de tocar os sucessos passaram a tocar seus próprios remixes, produções que geralmente era versões Dub de musicas famosas.

Paralelo ou junto a profissão do DJ, surgiu algo conhecido na Jamaica como Toaster, que vem da palavra Toasting. O Toaster ele mandava suas mensagens em vez de cantada, era falada e rimada em cima de uma base de reggae ou dub. A função do Toaster era entreter,animar ou informar o publico. Com suas rimas o Toaster rimava sobre amor,utilidade publica, protestos políticos, falava sobre sexo e letras de duplo sentido ele controlava a situação enquanto do DJ comandava o som.



Com uma forte crise na Jamaica, muitas pessoas imigraram para os Estados Unidos, um deles foi o DJ Kool Herc, que é o primeiro DJ que se tem registro de levar a cultura do Sound System para os Estados Unidos. Neste tempo a musica do momento é a Disco e o Funky, e os DJs da época começaram a samplear, fazer colagens, break Beats e scratches e misturando Disco, Funky,R'B,Blues, musica Porto Riquenha e outras coisas para se formar o beat do rap.




Vamos onde eu quero chegar.

Apesar de já saber, mas vendo a serie "The Get Down" me inspirou a escrever este artigo.

Muita gente talvez não saiba, mas a arte da dança conhecida hoje como Break surgi antes de existir o nome rap, os b.boys surgiramdurantes estas festas promovidas pelos Djs. Inclusive dizem que o termo B.Boying foi criado em uma das festas do Dj jamaicano Kool Herc.
Uma cena da serie dahora é quando o SHAO, um traficante/gigolo/grafiteiro/DJ treinado pela Mestre Grand Master Flash, aceita batalhar contra uma equipe rival, e vencia a batalha quem fizesse o povo dançar, mas principalmente os B.Boys. Olha que louco antes de ter as batalhas de freestyle onde ganhavam quem tinha a rima mais lirica, ganhava a batalha quem fizesse os b.boys dançar.

ASSISTA A CENA


O rap vai alem de tudo que se imagina, é um bagulho sem limites!

E no Brasil você sabe como a cultura Hip Hop começou..?




Vou falar da São Bento porque foi o movimento que ficou famoso, mas o rapper brasiliense GOG disse que ao mesmo tempo que tinha a são bento em SP, em brasília tinha o mesmo movimento e em varios regiões do pais, o rap e a cultura hip hop pipocou no brasil inteiro ao mesmo tempo, mas São Paulo por ser metrópole teve mais destaque.

Pra quem não sabe a cultura Hip Hop se espalhou pelo brasil, por grande influência  de Nelson Triunfo, que ja era um famoso dançarino de funky, que conheceu a cultura do break e passou a dançar na São Bento centro de SP, ele e seu grupo dançava e no fim arrecadava uma grana, que também não dava pra nada. 
Esta performance do Nelsão na São Bento chamava tanta atenção que os comerciantes se incomodavam. Com o tempo pessoas que conheciam o break e estavam conhecendo o rap passaram a frequentar a São bento. A pessoas iam primeiro pra dançar, depois foram chegando os Mcs,os grafiteiros o Djs e os amantes do rap. Mas o principio de tudo foi a dança.

A falta de conhecimento sobre a cultura hip hop tanto de fãs como de mcs, leva a isto.
Achar que no rap não pode se divertir, dançar ou falar de amor.

Numa cultura que começou com algo pra divertir e entreter a povo na periferia da Jamaica, que quando chega nos guetos de Nova York também foi para entreter o povo preto e latino que viviam em meio ao caos, e quando chega no brasil tem o mesmo papel, não se pode ter uma regra que não pode ter rimadores de alegria ou pessoas que queiram rebolar ouvindo rap. É muita ignorância. 

Pra terminar veja a cena épica do clássico filme  "House Party"




Share this article

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top