terça-feira, 15 de novembro de 2016

7 mc's brasileiros que lançaram ótimos trampos em 2016

7 de novo..? porque..? porque eu quero.. hahaha.. vamos ao que interessar



Sou um cara que adora compartilhar musica boa, e mais ainda quando o artista é novo na caminhada do Rap, R&B ou musica negra em geral.
Hoje venho mostra os 7 álbuns de rap lançado neste ano que mais chamou minha atenção.
Não tem um critério definido, mas são artistas que tem um ou 2 trampos lançados.
Na lista tem a carioca Yas Wernerck que faz um rap numa pegada r&b, o paulista Shazam vindo com suas rimas bem poéticas, o também paulista, mas da capital o Scooby com rimas bem diversificadas, de Minas Gerais temos o Delatorvi com suas rimas empoderadas com uma linguagem bem periférica misturando rap com funk, boombap e trap, de alagoas temos a Arielly Oliveira com sua voz doce e rimas contundentes, da Bahia vem o DDH, sigla que significa "Direto do Hospicio" preciso dizer que são rimas pesadas e insanas..? não né..rsrs e pra termina a mineira Tamara Fraklin com voz forte e rimas empoderadas.

Vamos aos álbuns, EP ou Mixtape.


Yas Wernerck (RJ) - Hexagonal 

Com seis músicas, “Hexagonal” fala de áreas fundamentais da vida: profissional, espiritual, saúde/bem-estar, financeiro, emocional e familiar. Todo o processo até o lançamento contou com a ajuda de amigos e pessoas que acreditam no trabalho da jovem rapper. Yas lançou uma campanha de crowdfounding nas redes sociais e, apesar de não ter batido a meta, conseguiu custear o material de divulgação com o dinheiro arrecadado. Até a capa foi desenvolvida de maneira coletiva. “A capa tem o formato de um hexágono (polígono com seis lados), feito de origami por mim com ajuda de outros três amigos.
Texto tirado do anf.org.br



Shazam & LR Beats (SP) - Autoprojeção: Da infância aos conflitos

O breve relato de uma pessoa, que, agora adulta, luta contra os conflitos e as mudanças que o amadurecimento trás. Enfrentando assim seus demônios e encontrando em si mesmo e nas memórias da infância e adolescência respostas que o levam ao autoconhecimento e a inspiração plena.



Scooby (SP) - Anti Herói 

Após 4 anos de puro trabalho, o Scooby lança seu primeiro trampo oficial. Inteiramente mixado e masterizado no seu estúdio, NoCentro, com produções de Dj Caique e do próprio rapper.O disco, tem 13 faixas, narra um pouco sobre a história de vida do rapper, nascido na zona oeste de São Paulo e traz algumas participações, entre elas, Élipe Jeff, Pri Lippi,Ursso DamassaClan e D.D.H. (Baco e Mobb) 
Trecho extraído do RND


Delatorvi (MG) - Homem Negro, Mundo Branco #HNMB

HNMB é uma Mixtape voltada para os negros e negras do país a fora. Somada de empoderamento, questionamento e reflexão, Delatorvi resolveu focar no protagonismo negro para combater o racismo diário. A mixtape tem participação do funkeiro MC Bruno da Bomba, de um rapper angolano chamado Nigga Atenção, de uma mina responsa chamada Kessidy Kess. E os MC’s atualmente com grande destaque na internet Raffa Moreira e Djonga DV, todos os mc´s participantes são negros(a), Homem Negro Mundo Branco é uma mixtape voltada para todos os negros(a) do mundo.



Arielly Oliveira (AL) - Negra Soul

O Ep Negra Soul é o primeiro registro da rapper alagoana, Arielly Oliveira, 29, em carreira solo. Um som dançante sem deixar de pôr o dedo na ferida, falar da real das ruas, a importância de reafirmar sua negritude, a luta por ser mulher e enfrentar o machismo. A rapper milita há dez anos dentro do movimento Hip Hop alagoano, já passou pelos grupos: Biografia Rap, NAHUMILDE, Império Feminino, Atitude Sub Urbana e soma participações em CD´s de vários grupos. 

O novo trabalho contém oito faixas e conta com a participação do rapper de São Paulo, Álvaro Insano. As letras reafirmam suas lutas, a experiência de ter sido mãe jovem, o enfrentamento do machismo e o fato de ser uma mulher negra e morar na periferia. O novo registro ainda dá voz há várias mulheres que são silenciadas diariamente. 



D.D.H (BA) - Direto do Hospício 

A união das diferenças cantadas em versos, tanto no estilo quanto no conteúdo pelos dois membros do D.D.H., Baco e Mobb é mais do que uma promessa, é uma prática. A possibilidade de incorporarmos para além dos discursos uma questão (a união das diferenças) que é emergencial em nosso mundo, e que numa cena musical deve ser cultivada.
Ao mesmo tempo, reconhecemos aqui nesse trabalho, o peso da tradição a qual os meninos se filiam que vem da gringa até suas cidades de origem. Cosmopólis: Camaçari Salvador Mississipi Nova York. Não inventam a roda, certamente, porém inovam bastante e delimitam daqui pra frente qual o nível em que estamos. Essa delimitação obviamente não impõem cânones e cada qual se virará da forma que puder, mas um belo passo a frente foi dado.
No site Oganpazan voce ler o release deste trampo foda!! eles dichavam o EP


Tamara Fraklin (MG) - Anônima 

“Turbante coroa/felina leoa/ tambores de Gana/ dona da savana.” Com um forte discurso feminista e, especialmente, em defesa da mulher negra, a faixa Vem e vê é só uma das “pedradas” sonoras deAnônima, disco de estreia da rapper Tamara Franklin, de Ribeirão das Neves.

Release completo no site UAI

Share this article

1 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top