terça-feira, 21 de março de 2017

Timeless apresenta o Cypher "Mulheres" com Bella Larbac, Maryjane, P. Drita e Budah.


No dia 8 de março dia internacional da mulher, A Timeless lançou o Cypher "Mulheres" que conta com participação das mcs  Bella Larbac, Maryjane, P. Drita e Budah, todas são do estado do Espirito Santo. A produção da musica ficou por conta do Jone BL (um Trap Pesadão) e a direção do clipe foi do Judeu Marcum. As 4 mcs rimam contra o machismo, o racismo, contra o patriarcado e em prol do empoderamento feminino.



Letra:

Bella Larbac:

Lapidamos as mentes fechadas
Dando clareza as almas que estão inflamadas
E eu pergunto: como é que cê vive num mundo onde os homens se gabam com tudo?
Não podem com nada.

Para!!!

Mulheres pra cima, com a força lacrada. 
Vemos o pré-conceito estalar
Favelas, becos, Crianças a chorar.
Cantamos por paz. 
Direitos igual
Liberdades pra ser quem somos.
Abram a mente, hermanos
Tamo no jogo 

A cada conquista ganha. 
Um deles se acanha.
Agressão, perseguição 
É a meta de vários "machão" por ai.
Mas aqui não
Dessa vez cês não tem vez, fi 


ESTAMOS MOSTRANDO O QUE REALMENTE É COMPROMISSO COM O RAP! 

MÁXIMO RESPEITO ! 
Mulheres pra cima. 
Honrar a cor que temos. 
Jeito que queremos viver. 
Podemos sim ! 
Juntas! 
Larbac tá aqui pra qualquer ajuda!
Certo ?

Maryjane:

As preta estão na sessão 
Segura as idéias nocaute de informação 
Impaciência é a palavra 
Me livra dessa prisão
Que me jogaram 
Me mutilaram 
Mas sem nem querer saber da porra da minha opinião 

Conto nos dedos
As vezes que me senti segura
Aperta o botão surge uma viatura
Miniatura mal tratada 
Na rua a mais falada 
figura sem graça
Na roda a fragilizada

Mas não me calo
Quanto mais reclamam eu faço 
isso não é peito de aço
É as mina disposição
Isso não é queda de braço
Não é disputa de espaço
Além desse egoísmo 
Vai abaixando essa mão.

P. Drita:

Empodere-se, escute a si
A batalha é diária, não vai ter fim
Uns aqui sem pai, outros estão sem paz
Não resolvem seu trampo, fica pra traz
Minha filha crescendo, trabalho e não fujo
Nunca vai ser fácil bem vindo ao meu mundo
Preta, branca, ruiva ou japa
Na rima que ecoa em toda quebrada
Resistentes assim chamadas, sinônimo de empoderadas
Nascem, crescem, reproduzem e morrem
Iguais independentes do corre, iguais independentes do suor que escorrem
Sou preta com orgulho, vim fazer barulho, bem vindo ao meu mundo bem longe do abuso 
Preta com orgulho vim fazer barulho, bem vindo ao meu mundo bem longe do abuso.

Budah:

Mesmo quando eu não estiver, tu vai me ouvir
Quando minha voz falhar, eu vou agir
Sem tempo pra me preocupar, vou reagir
Ninguém vai me esperar, tô pronta pra me decidir

Conquistando o espaço que é meu, vou investir
Minhas minas vão me ajudar, a resistir
Não tenta me desocupar, vai desistir
Meu trampo nao é playground não vou só me divertir

Mulheres no topo,
sustento meu povo
do jeito que vim
Pode crer vou partir

Num caminho incerto enxergo meu medo e no meio vejo ele se repartir

Nesse mundo sujo carrego meu peso
com a força de quem nunca soube sorrir 
Expresso o que eu sinto verdade cantada
se apegue no certo e não deixe cair.
Share this article

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top