segunda-feira, 3 de abril de 2017

"Ceis não gostam de rap, só apreciam o game"

IMAGENS ILUSTRATIVA
Por: Hebreu

"Ceis não gostam de rap, só apreciam o game", esta frase é da Sara Donato do Rap Plus Size na Cypher "Efeito Borboleta".

Esta frase é curta mas ela diz muita coisa sobre o atual cenário do rap brasileiro, de uns anos pra cá o conteúdo no rap vem caindo ano pós ano.
Mas de 2015 em diante veio esta parada de Rap Game, Hype, Diss (já tinha antes mas virou moda), Cypher e "Ego rap".

Hoje em dia eu vejo muitos que se dizem MC, como meros rimadores, pois MC e Rapper é uma responsabilidade do caralho, pois o que eu ando ouvindo ultimamente são rimadores que não se preocupam se a rima faz sentido, ou esquece de temas atuais e pontuais que precisam ser dito, tipo faz musica por fazer, só pelo Cash ou Status no rap, escrevem letras com uma ou 2 punchline foda pra ficar no hype e ter um views alto no youtube.

Mas o tipo de rap que mais tem sido feito pra se manter no Hype é o "Ego Rap", o que seria isto, um tipo de rap que o mc diz que é merecedor de estar no topo, que ele tem grana,que usa os bagui dele, que foda-se quem não gosta dele e blah blah.. ele simplesmente exalta ele e a banca dele. E os fãs novos de rap abraçam estas ideias e ficam se degolando na internet.
Muitos destes rap passam até má conduta e ensinam só coisas erradas, tem mcs ai que exaltam drogas,tratam muito mal as minas em suas rimas, tem até mcs que ideiais de direita criticando movimento sociais, e mc que lutam por "minorias".

Faça uma pesquisa no youtube dos rap que mais tem views, e vai ver que são Diss, Cypher e sons sem conteúdo.

Enquanto sons como "Conto do Vigário", que na verdade é um Cypher, mas no meu ver isto é uma musica muito bem construída pra ser chamada de simplesmente de Cypher.

Neste som a Clara de Noronha e Líria Regina (Guerrilheiras), Yala Souza (Relato Verdadeiro), Ariane Passos (Flor Marias) e a poetiza Anne Souza falam sobre a historia de eventos de rap ou não, onde mulheres não pagam e denunciam que usam as mina como isca pra atrair homens.

Como elas dizem no refrão: "Na sua festa eu não pago, mas eu também não entro, onde mulher não paga se sabe ela é o produto"
Complementando a frase do refrão em meio a musica a poetiza Anne Souza arregaça nos versos e olha leia um trecho do que você vai ouvir a baixo

"O hip hop é unisex, respeita a luta e tire o puta e a vadia da sua letra sem conteúdo e carregada de hipocrisia "



Com produção do Quebrada Groove, CRC e o Tiago Cabeça fizeram uma ótima critica contra o prefeito João Dória e o #ForaTemer. Na musica a dupla critica a gestão que esta aniquilando vários direitos que tivemos com anos de luta.
Pouco se escreveu no rap sobre estes temas, a não ser em citações em cyphers.

"Agora não é hora para fraquejar, vai ficar na cama pagar para ver..?  ou fazer alguma coisa pra poder mudar"



Em meio a este rap game, o grupo Filosofia de Rua voltou de volta  a cena, mas quantas pessoas sabe disto..?

Os caras voltaram com um som que tem uma letra que é 2 pé no peito, os cara voltaram rimando sobre os problemas do brasil atual, a politica e o golpe...

Com uma refrão marcante do grupo deixa claro a ironia do nome do som ser "Mundinho Fantástico"

"La vem ele engomadinho simpático, mas ele não me engana não, segue ele seu mundinho fantástico, mas representa opressão. Serve e protege o nobre julga e oprime o pobre"



O som "Primeiro Lugar" da Souto MC é muito gostoso de ouvir, desde o beat até as ideias. Não é porque o Brown disse que a novidade no rap vai vir das mulheres que eu falo isto, pois ja reparo e falo isto a um tempinho ja as mina tão "amilhão" nas ideias nos corre.. 
Alem do Cypher mostrado acima e vários outros sons que foram lançar este som do Carol exemplifica isto.

"Na cidade das construção, nois vem pra desconstruir, Falsidade e contradição, nois entra pra destruir, Discurso de opressão no meu RAP não vai ouvir, Aqui é quimíca, alquimia, pronta pra te diluir.."


"Rima bem e é gata fico grata, Mas não sou continente esperando ser conquistada, Tamo na estrada,caminhada nunca travada, Pra que nenhuma mulher, se sinta colônia explorada"


"É mais que VIP em boate, é ideia de embate, Papo de insanidade,bem mais high que a society, Muito mais rua que site de quem não vem pra empatar, Eu vim La'Queen Latifah por as mina em primeiro lugar"




Citei 4 sons lançado em 2017 de forte conteúdo e muito bem produzido, mas estes e varios outros sons passaram batido em meio ao Hype, rap game e etc.. 
O publico do rap esta perdendo seu senso critico infelizmente.

Mas ai você gosta de rap ou só aprecia o game..?
Share this article

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top