quinta-feira, 11 de maio de 2017

Rincon Sapiência vai lançar clipe chamado "Ostentação a Pobreza"


SAIU!!!!
ASSISTA O CLIPE  "Ostentação à Pobreza"



Já ouviu falar em pobreza? Ela não morreu. Esse é o recado de “Ostentação à Pobreza”, o novo single do rapper Rincon Sapiência, que será lançado no dia 15 de maio e que promete surpreender aqueles já acostumados à sua veia irreverente. Dessa vez, ao invés de leveza, Rincon traz peso – mas sem perder o ritmo das suas inconfundíveis batidas. É assim que o Mc cria a atmosfera certa para introduzir um papo sério: na letra da faixa Rincon fala sobre as desigualdades gritantes e as condições desumanas de se viver na miséria, compondo uma das músicas mais ácidas do seu novo disco “Galanga Livre”, que será lançado no fim do mês.

O clipe, dirigido por Marco Loschiavo com produção de Júlia Velo, é uma realização da Boia Fria Produções, e segue a intenção da música ao explorar um lado de Rincon que nunca havia sido exposto em seus clipes anteriores. Projeções, iluminação marcada e cortes secos, além de sua marcante atitude. Essa é a fórmula para um clipe que incomoda, mas que também fascina. “Ficou fácil encontrar dinâmica de edição e a ordem das coisas. A parte artística sempre ocorre de forma quase que inconsciente, eu sinto que quando meu coração está lá a coisa anda”, diz Marco. Na pós-produção, foram feitos desenhos frame a frame, e animações que dão personalidade para as cenas.

O conjunto da obra põe em pauta o debate sobre a erradicação da pobreza no Brasil, que muitas vezes se deixa encobrir pelo discurso da ascensão da chamada nova classe média no país. Contrariando a ideia de que esse fenômeno tenha beneficiado igualmente as parcelas mais pobres da população, Rincon Sapiência nos convida a refletir sobre a persistência da pobreza. Para isso, o rapper constrói metáforas que descrevem a pobreza não somente como carência material, mas como ela está ligada a fatores determinantes para se instalar tanto nos grandes centros urbanos quanto nos confins mais remotos. Seja nas favelas metropolitanas, no sertão nordestino ou nas comunidades ribeirinhas, a negação de direitos essenciais como educação, saneamento básico e moradia digna se colocam como motores da miséria e do subdesenvolvimento numa sociedade em que se tem exaltado cada vez mais o consumo.

Além de Rincon, o clipe também conta com a participação de vários amigos do rapper que foram convocados para fazer uma enorme roda de pogo e que não pouparam intensidade em suas atuações durante as filmagens realizadas no estúdio Casa 1. “Até quebrou o estúdio. E era dessa energia que a gente precisava”, diz Júlia. 

“Foi um clipe em que pude contar com uma produção executiva profissional. Três dançarinas experientes, coreografia, toda a banca de amigos pra fazer a roda de pogo, maquiadora ultra profissional e ambiente organizado”, diz Marco. “Não é fácil levantar um clipe do zero. Mas com uma equipe incrível, um artista nato e uma parceria firmeza as coisas ficam muito mais fáceis. E dá vontade de fazer tudo de novo”, completa Júlia.

Agora é só dar o play pra sentir essa pedrada e entender por que a pobreza continua viva.

SAIU!!!!
ASSISTA O CLIPE  "Ostentação à Pobreza"

FICHA TÉCNICA

Direção: Marco Loschiavo @marco.loschiavo
Produção executiva: Júlia Velo @juliavelo
Direção de fotografia: Francisco Mitre @chicomitre
Direção de arte: Júlia Velo e Marco Loschiavo
Desenho e animação: Marco Loschiavo
Edição e montagem: Marco Loschiavo
Assistente de direção: Marcos Sampaio @marcososk8
Assistente de direção: Caio Leska @caioleska

Gaffer: Marcos Sampaio @marcososk8
Cabelo e maquiagem: Omar Bergea @omarbergea
Dançarinas: Aisha Bambika @aishambikila, Leona Purple @leonapurple e Aline Trindade @trinmachado.
Coreografia: Aisha Bambika, Leona Purple e Aline Trindade
Making Of: Fernanda Carvalho @_fernanda.carvalho_
Filmado no estúdio Casa 1 @casa_1 @leocasa1
Roda de Pogo: Dikampana, RG do Q.I., Daniel Cafuris, Dudu Ramos, James Bantu, Thiago ZeroOnze, Beatriz Venâncio, Augusto Oliveira, DJ Faul, Brisa Flow, DJ Luba Construktor, Viegas, Jay Vegas, Rob Heloyn, Nicodemos, Maurílio Santiago, Percussa ZN, Thamirinha, Amiri, Murilo Afrozum, Keops, Raffa Moreira
Suporte e apoio: Mari Bergel @BoiaFriaProducoes, Paulo Calvacante, Caio Leska, Leo Casa 1 e Marcio Conrado
Realização: Boia Fria Produções


+ Rincon Sapiência
Com a originalidade de suas composições, marcadas por influências das músicas africana, eletrônica, jamaicana e vertentes do rock, desde o ano 2000 o artista traduz em versos inteligentes e sagazes as experiências vividas nas ruas da periferia paulistana. Abordando questões raciais e sociais no contexto da metrópole, Rincon Sapiência apresenta um rap com clima de positividade, sem prejuízo à postura crítica do discurso, resultado da sua notável fome de rima aliada à sua habilidade nata de jogar com as palavras. Versátil, ele também atua como beatmaker em seus próprios trabalhos.

Em 2005, Rincon lançou sua primeira faixa, intitulada “Aventureiro” e, em 2008, participou no disco solo de Kamau, Non Ducor Duco, nas faixas “Por que eu Rimo” e “Tambor”. No ano seguinte, se firmou como protagonista na cena rap com o sucesso “Elegância”, cujo videoclipe entrou na programação da MTV Brasil e foi indicado ao VMB 2010 na categoria Melhor Videoclipe de Rap. No mesmo ano, Rincon Sapiência participou do álbum Projeto Paralelo, da banda NX Zero, na faixa “Tarde pra Desistir”, uma das mais executadas do disco.

A referência e a exaltação de temas ligados à negritude e às raízes africanas são frequentes nas músicas de Rincon Sapiência, que abordam a consciência e a valorização da afrodescendência, reconhecidas em solo africano durante os renomados festivais dos quais Rincon participou em 2012 (Festival 2H, em Dakar, Senegal; e Festival Asalam Maleikum Hip Hop, na Mauritânia). Em 2014, Rincon lançou o EP SP Gueto, com oito faixas oficiais e duas faixas bônus. Um dos destaques do rap nacional daquele ano, o EP foi em grande parte produzido pelo próprio Mc e traz uma forte identidade musical, com influências das músicas eletrônica, rock, ska, reggae, samba, timbres 808 e até o clássico estilo boombap dos anos 90.

SAIU!!!!

ASSISTA O CLIPE  "Ostentação à Pobreza"

Em maio de 2016, com o lançamento do videoclipe “A Coisa Tá Preta”, Ricnon deu ao público uma pequena amostra das sonoridades e temáticas que estarão presentes no seu primeiro álbum. Em clima de festa, um time de dançarinos e figurantes representa a diversidade da beleza negra no clipe, reforçando o ideal de que os negros também descendem de reis e rainhas africanos, uma constante nos trabalhos de Rincon Sapiência. Sua forte identidade artística, reforçada por um estilo original, também está presente nos clipes "Elegância", "Transporte Público", “Linhas de Soco”, "Profissão Perigo", "Coisas de Brasil", “Linhas de Soco (Verso Livre) e “Meu Bloco”.

A universalidade da música e dos temas abordados pelo seu repertório favorecem o seu trânsito em outros círculos que não sejam necessariamente periféricos. Assim, a estreia como ator veio nas telonas em 2013, ao contracenar com o ator Wagner Moura no filme "A Busca", dirigido por Luciano Moura, seguida da participação no filme “Jonas”, dirigido por Lô Polliti, do qual também participaram os rappers Criolo e Karol Conka.

Após o sucesso do single e do videoclipe de “Ponta de Lança (verso livre), que em apenas seis meses já conta com mais de 5 milhões de visualizações no Youtube e mais de 1 milhão no Facebook, às vésperas do Carnaval o rapper repetiu a dose no hit “Meu Bloco”. Com isso, Rincon Sapiência prepara os fãs para o seu tão aguardado álbum de estreia “Galanga Livre”, que em maio trará ao público o resultado de sua imersão no universo da música africana e da sua incessante busca por suas raízes musicais. Produzido pelo próprio rapper, o disco conta com coprodução e mixagem do experiente William Magalhães, líder da Banda Black Rio, e masterização de Arthur Joly.

Para além de sua irreverência, no álbum o rapper mostra a justa medida entre balanço e romantismo, fórmula de discos consagrados da nossa música até então pouco presente no rap nacional, trazendo influências da negritude que vão desde a capoeira até o blues, passando pelo coco e pela tropicália, até o afrobeat, permeadas pela veia rock and roll que caracteriza a obra de Rincon, que também é conhecido pelo seu vulgo Manicongo.


+ Boia Fria Produções
A Boia Fria Produções atua na venda, produção de shows e assessoria de imprensa de artistas e de eventos culturais, além de ser uma editora e selo musical. Também oferecemos serviços de produção de conteúdo jornalístico, produção musical, edição de livros, roteiros para cinema, elaboração de projetos culturais, entre outras atividades.


Share this article

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top