terça-feira, 6 de junho de 2017

Castaña invade a cena e lança seu primeiro álbum, “Tiro de Paz”, que veio carregado do boom bap

Castaña invade a cena e lança seu primeiro álbum, “Tiro de Paz”, que veio carregado do boom bap; Confira


A curitibana de 22 anos, Castaña, acaba de lançar seu primeiro álbum, “Tiro de Paz”. Carregado de boom bap, com 12 faixas - sendo duas bônus - e produzido por Bruno Cee (Bface), na gravadora Suite Music. O álbum possui grande influencia de cantoras como Ângela Maria, Elis Regina e Maysa, além da escritora Clarice Lispector. A ordem das musicas foi pensada de acordo com o tema de cada uma. A produção ocorreu entre abril de 2016 e janeiro deste ano, sendo que o último mês foi dedicado somente para gravação e finalização. O disco estará disponível nas plataformas de stream nos próximos dias.

O tema “Tiro de Paz” traz a ideia da faixa principal, com o mesmo nome, devido ao fato da rapper ter chegado ao Rap em um momento onde a cena estava movimentada por situações um tanto problemáticas, a exemplo da troca de “diss” entre o Nordeste e eixo RJ/SP. Tiro de Paz seria uma forma irônica de amenizar a ideia de “tretas”.

Em texto, Castaña afirma que o álbum é uma conquista pessoal muito grande. “Diante de tantas voltas mal dadas que dei na vida, o rap me proporciona os momentos mais felizes que posso imaginar. Foi com a ideia concretizada de um EP que passei a me apresentar mais substancialmente e me deu uma meta dentro da arte linda de fazer música: lançar um disco”.

Ela, que prefere músicas que transmitam algo de positivo, optou por falar de paz nesse trabalho: “Quis lançar um disco classy boom bap, com minhas mais profundas ideias e mensagens que reuni para vocês ouvirem. Espero muito que o disco traga um pouco dessa essência que vem de mim e do Bface, essa junção que deu muito certo e ficou muito linda. Eu tenho absoluta certeza de que a beleza desse álbum vem principalmente do trabalho de produção do Bface! Ele é gênio, ele é foda! Não há outra forma de definir”.

A ideia de fazer um EP surgiu após a cantora conhecer Bface através do coletivo que fizeram parte, o Akimemu. Por meio dessa, até então, nova parceria, construíram um disco sem perceber. Bface apresentou beats para Castaña alguns já criados junto às letras, a exemplo das faixas “Tiro de Paz” e “Meio Dia”, mas também, para letras já criadas, como “Blunted Freeverse” e “Caos”.

Apesar do nome, “Tiro de Paz” não foi a primeira faixa produzida para disco. Quando “Parece um Sonho”, “Caos” e “Nada” foram gravadas, já existia ideia de um disco, porém, não possuía nome. A rapper quis dizer que a paz é um estilo de vida, você escolhe. “Ela pode ser vivida, porque é o que você deixa chegar até você, que faz de você quem é. Você vê, absorve e depois transmite. Dentro do hiphop ou de qualquer movimento, qualquer estilo, podemos fazer a paz. Tiro de Paz é uma alfinetada sobre o assunto, fui "ácida" quanto ao tema. O beat me levou a isso e o momento também, a caótica inspiração”.

No disco, Bface trouxe toda sua influencia dos produtores Alchemist, Madlib, Exile, 9th Wonder e J Dilla. E também, conta com alguns samples, incluindo um de Racionais MC’s. Em texto, Bface afirma: “Essa foi minha contribuição gravando e produzindo sem dar opinião nas temáticas e nas letras, por isso, considero este projeto um grande encontro de mentalidades diferentes, influencia musicais distintas, vivencias etc. [...] Há muita sinceridade em cada rima colocada, você percebe isso nas nuances do vocal da Castaña, horas ela soa debochada, horas esta pistola da vida, já em outros momentos está relaxada e você sente tudo isso, acho esse o maior trunfo do disco”.

Bruno optou por não utilizar tanto os graves e sim, trabalhar os beats de forma mais harmoniosa para dar um clima como numa trilha sonora em um filme de drama. “Meus beats servem pra dar um plano de fundo, fiz questão de deixar eles bem suaves e dar ênfase mais pro vocal. Espero que o público perceba este trabalho como um disco sincero e entenda o porque de se chamar Tiro de Paz, acreditamos que a proposta não conversa com a maioria do publico atual, mas a mensagem que deixamos é universal”.

A fotografia para a capa foi feita por Guilherme Hummelgen e desenvolvida pela Editora Afonia. A ideia inicial era remeter a obras de grandes cantoras da MPB na década de 60 e 70, pelo fato de Bface lidar diretamente com LPs, trouxe consigo muitas referências do estilo. Por ser um disco um tanto suave e intimista, Bruno e Guilherme trouxeram isso na foto para traduzir um pouco o sentimento de dualidade e conflitos apresentados nas musicas. Com o intuito de causar desconforto, dividir a imagem e fragmenta-la foi a forma gráfica que encontraram de representar o tiro.



Bface e Castaña já realizaram outros projetos juntos, incluindo o EP “Sextape”, contando também com a participação de Lyn’c, e produzido pelo próprio Bface, com três faixas que possuem abordagens diferentes relacionadas ao sexo.

Faixas: 1. Gatilho 2. Caos 3. Meio Dia 4. Parece um Sonho 5. Voando com o Azar 6. Nada feat. Bface 7. Blunted Freeverse 8. Pistola 9. Tiro de Paz 10. Morte Súbita 11. Me Pega (Bônus) 12. Flores


Download: https://goo.gl/2Z28M3 

Ficha Técnica: 
Artista: Castaña 
Título EP: Tiro de Paz #tirodepaz 
Produção: Bface Faixas: 12 
Gravadora: Suite Music (@suitemusicrecords) 
Capa: Afonia (@afoniaeditora) 
Fotografia: Guilherme Hummelgen 


Redes Sociais: 
Instagram: @ICastanha 
Twitter: @ICastanha Bruno 
Cee (Bface) http://bit.ly/2sGpUf4 
Instagram: @Bface 
Twitter: @Bface


Share this article

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top