sexta-feira, 7 de julho de 2017

Hebreu Indica #9 - Empretecendo a cena do rap paulistano, o selo Carranca Records reúne Larinu, Ngma e o Attica!

Sim esta de volta, o meu, o seu, o nosso comitê revolucionário ultra jovem..rsrs (zuera). Vamos falar sério que rap é compromisso né pae! rsrs


foto: Marcola (Marco Aurelio)

Já faz algum tempo que não atualizava o quadro "Hebreu Indica".

Pra quem esta acessando pela primeira vez, neste quadro eu "Hebreu" indico Mc's que estão no corre independente e merecem um destaque maior.

Este aqui é mais que especial porque vão ser indicados 3, que são: Ngma que eu já conhecia pela musica "Licença pra chegar". 
Larinu e o Attica! foram me apresentando pela minha parça Ana Rosa que também faz parte da equipe de 2 do Noticiário Periférico.

O que me chama atenção é que os 3 passam sentimentos em suas musicas de formas diferentes mas na mesma intensidade , são pessoas diferentes, com trampos diferentes mas que num contexto geral se completam, pois eles abordam temas bem interessantes e pertinentes.

LARINU com sua doce voz nos encanta com sua letra linda, suave porem cheia de poder. 
Na musica "Sagrada" ela nos agracia com este lindo verso:
Guerreira, gueixa iraquiana
Banhada no rio Oshun
Filha de uma bruxa, uma louca, incomum
Torrente , uma catástrofe , na estrofe destrói um
Na história uma Lilith, não teme mal nenhum
Da tribo Maasai, uma samurai cabelo crespo
Na selva das cidades, entidade de respeito
Ecoa no peito a índia que um dia foi
O Mano NGMA tem um som chamado "Exorcista", onde ele trata de um assunto serio que é a depressão. Este som é bem emocionante
Ate perdi as contas de quantas vezes eu joguei a toalha,
a guerra é longa e sei, mas a batalha eu venci!
Os manos do ATTICA! é tiro, porrada, bomba e revolução. Estes manos são "brabos" de mais, com rimas acidas e certeiras afffff.. pega este verso aqui:

Se bandido bom é bandido morto, me de um tiro no peito.
Que eu roubei sua brisa faz tempo...Cê não entende o contexto.

O 3 juntos formam o selo/coletivo de Hip Hop Carranca Records. Neste artigo vocês vão conhecer um pouco de cada um. Primeiro a talentosíssima e bela Larinu.(que voz meu pai, que voz). 



LARINU



foto: Marcola (Marco Aurelio)
Nada mais justo do que deixar a primeira dama do Carranca Records, LARINU ,se apresentar: Comecei muito cedo fazendo música, mas só comecei a compor aos 15 anos, quando participava de uma orquestra de câmara, tocando clarinete. Sempre fui influenciada pela Soul Music, o Funk dos anos 70/80 e minha mãe me apresentou muitos artistas. Aos poucos fui conhecendo outros estilos, conhecendo mais a cultura hip hop no geral. A música sempre foi importante, apesar d'eu ser atriz e estudante de teatro.”



LARINU é o primeiro projeto musical da jovem atriz paulistana Larissa Nunes. Seu estilo vai do R&B, ao soul e a MPB, que surpreendeu muita gente. “Refúgio”, foi o single do EP “Larinu”, que foi lançado em Maio.


Navegando nas águas tumultuosas desse grande Rio da vida, sempre encontramos um porto seguro. “Refúgio”, primeiro lançamento de LARINU, trata exatamente disso. No instrumental do catarinense Dé no Beat (Adonai, Quinta Dose), LARINU nos traz uma narrativa recheada reminiscências de amores fugazes, refúgios e refugos. Aviso aos navegantes: “Refúgio” é uma viagem sem volta. Deixe-se levar.

Ouça o EP


São 3 faixas, Intro, Refúgio e Sagrada.




Um pouco mais sobre a LARINU

O que te inspira nas suas composições..? É tudo tão sentimental, onde busca essa beleza.?
R: Obrigada pelo elogio (risos) . Tô na fase em que a vida em essência tem sido minha inspiração. Minha vivência enquanto mulher negra se tematiza na composição.

O EP "Refugio" é só uma apresentação, para futuros trampos seu na musica. Ja pensa em trampos futuros..?
R: Sim. Estou de volta para compor,  ao lado da banda Loma, conhecendo mais pessoas que possam colaborar com o meu projeto e com a Carranca

Larinu por Larinu

R: Uma mulher experimentando, vivendo do que a arte e os encontros poden causar


NGMA

foto: Marcola (Marco Aurelio)

O mais novo integrante do Carranca Records, NGMA tem um longo envolvimento com o mundo da música. Produto da Zona Leste de São Paulo, participou de algumas bandas de Hard Core no passado, com relativo sucesso. De alguns anos pra cá, o rap falou mais alto no coração do NGMA e o nosso charada começou a escrever suas primeiras linhas.  

Licença pra chegar foi o primeiro som do mano NGMA



Como prometido, a Carranca Records apresentou no fim do ano passado o single “Licença pra chegar” é a introdução do NGMA no mundo do rap. É uma declaração de amor ao hip hop e ao rap, que muda e salva tantas vidas diariamente. Uma autêntica carta de apresentação ao game, NGMA mostra que não veio pra brincar.  “Licença pra chegar” é o terceiro lançamento do Carranca Records em 2016.

Logo depois ele lançou a musica Exorcista
"Foi difícil escrever esse som... (Palavras do Bruno vulgo Ngma)

Ele nasceu da junção de duas letras que eu rabisquei ali pelo segundo semestre de 2015, em meio a muitos problemas (financeiros, sentimentais, etc.). Havia muita dor, confusão e falta de esperança rondando os meus dias.Esse foi o meu grito, que nasceu mudo, mas conquistou a sua voz. Sem querer, calhou de surgir um dia 13 para o lançamento... Logo o “13”, com toda a sua conotação negativa. No meio de uma reflexão, eu consegui de certa forma ressignificar esse número. Hoje, o “13” vai ser mais do que um termo pejorativo, que muitas vezes é utilizado pra tirar de louco quem passa por essa situação. Quantas pessoas já não tiveram que ouvir que estavam com “frescura” por não conseguir sair de casa, da cama; por não conseguir enfrentar a vida, por causa de doenças psicológicas? Que hoje, esse “13” seja uma injeção de ânimo pra todos que estão no chão. Saibam que vocês tem a força pra levantar. Não desistam nunca. Um tal de Leandro Roque disse à alguns anos atrás, e isso faz todo sentido pra mim atualmente:

Um pouco mais sobre o NGMA

Porque do nome NGMA..?
R: Eu achava que o meu nome de batismo não soava bem pra um mc, e o Plano B (HMT) vivia martelando essa ideia de um "nome artístico" na minha cabeça. Depois de pensar muito em algo que fizesse sentido e soasse bem, cheguei em NGMA (enigma), por me enxergar como isso mesmo: uma pessoa enigmática, mal interpretado por alguns; porém, quando você me decifra, geralmente descobre que sou bem diferente do seu conceito inicial. Sempre fui muito fechado com pessoas desconhecidas,à primeira vista. Mas a convivência faz com que eu me solte, e mostre o meu "eu" verdadeiro. Está desvendado o enigma do NGMA! Hahaha No som "Exorcista" você fala sobre depressão que é um bagulho bem sério. Na letra passa muito sentimento, ela é auto-biográfica..?
R: Totalmente. Foi uma fase bem difícil da minha vida, com muitas perdas. Cheguei num ponto onde não via mais um norte... cogitei e quase tentei suicídio. Mas a música, e outras coisas me ancoraram no chão, e eu consegui me motivar. A letra veio em forma de desabafo. Era algo que eu gostaria de ter ouvido de outra pessoa, mas não ouvi. Acho que ninguém melhor do que eu pra saber o que se passava, e como eu poderia me reerguer. Esse som foi importante demais na minha vida. E ouvir de gente que nem conheço que ele ajudou a superar um momento difícil é algo que eu nem consigo mensurar. A sensação é de que tudo valeu a pena. Onde você pretende chegar com seu rap..?
R: A intenção agora é de soltar mais um som, e focar em um EP. Tenho muitos sons que já estão ficando antigos, mas que são relevantes pra mim. Vou soltar nesse ep, pra começar a focar em algo maior. Paralelo a isso, tenho planos de gravar um projeto com a Larinu e a Banda Loma, mas é algo à longo prazo. Eu também quero focar e evoluir nas produções. Dos sons que eu já tenho gravado, apenas dois não tem a minha mão na produção. Creio que isso me dará mais autonomia pra tocar meus projetos. Alcançar o máximo de pessoas que eu puder com a minha mensagem, e evoluir nessa arte é a nega.


ATTICA!

foto: Marcola (Marco Aurelio)

Akhim, Moti e DJ Guto são o ATTICA! Vertigo, Nas, Grime e Sin City se misturam nas linhas dos dois Mc’s. O nome do grupo faz referência a rebelião no presidio de Attica, em Nova York, em 1971. Após cinco dias de motim, a rebelião terminou com o saldo de 43 mortos – 11 carcereiros e 32 presos (a maioria das vítimas eram negros e latinos). Após esse episódio o termo “Attica” passou a ser símbolo de luta e resistência.

ATTICA! - Dark Samba


Inspirada nas sombras, segredos, mistérios e cobiça da cidade cinza, “Dark Samba” é a primeira faixa do grupo ATTICA!. Aperte o play e embarque nessa viagem sombria, conduzida pelo produtor angolano Pretochines e os MC’s Akhim e MOTI.
Afrontar/Ascender


Depois do gingado sombrio de “Dark Samba” e do recado pros fofoqueiros em “Inbox”, o ATTICA! chega com a faca entre os dentes no seu novo single, “Afrontar/Ascender”. 
“Afrontar/Ascender” é uma reflexão sobre a luta diária contra o racismo e o embranquecimento do povo preto, uma homenagem a memória dos nossos antepassados e uma celebração da nossa história.


UM POUCO MAIS SOBRE O ATTICA!

Vocês Conseguem definir um estilo que seguem.? Porque ouvindo e pelas imagens e relatos a gente percebe algo bem próprio.

R: Nosso estilo? o ATTICA é um grupo de pós punk que faz rap. Nós três trazemos essa influência do punk e do hardcore pro mundo do rap, inclusive a filosofia DIY (Do It Yourself). O ATTICA! faz rap, mas tem um pé no Punk e no Hardore. Nos shows você pode observar isso. Quem já foi num show nosso sabe do que a gente tá falando.

Quais as inspirações musicais pra escreverem..? O que vocês tem ouvido..?

R: Polítia e sociedade. Quase todas as nossas letras giram em torno disso. Cultura pop também, nosso ep com o Arthex (produtor carioca) vai ter bastante referência a livros, filmes, etc. Olha, eu (Guto ) tenho ouvido bastante Denzel Curry,  UGK  e Grime. O Moti escuta muito punk e uns metalzinho. O Akhim tem escutado muito música nacional  dos anos 70 e tem usado isso como inspiração  pra escrever

Quais os projetos principais do grupo..? Aonde querem chegar.?

R: Nós temos um EP, que pretendemos lançar nesses segundo semestre (que não tem nome ainda) com o Arthex. O Guto e o Moti tem um  projeto paralelo, só com grime. Mas isso é mais uma ideia do que um projeto, mas já tem algumas coisas riscadas. O Akhim tá esperando o pretochies responder um email (risos) pra tocar um projeto paralelo. Nossa proposta é lançar material e passar um pouco do que a gente gosta, fazendo nosso próprio role, com os pés no chão  e sem se importar muito com cena.

REDES SOCIAIS DO SELO.

Facebook: https://www.facebook.com/carrancarecs/





               https://www.instagram.com/larisnu/



                   https://open.spotify.com/track/0jCWRuMlvaGRzEz9DOb2R6 



Share this article

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top